quinta-feira, 17 de Abril de 2014

"Com um orgulho muito seu"

Os rapazes da Luz foram enormes ontem. Uma vitória extraordinária, feita com o brio, o querer e a sede de vitória que guiou o Benfica no passado e que agora parece querer voltar.

Uma vitória com suor, com lágrimas, com emoção. Com a emoção de quem é Benfica e que de quem sente o Benfica que só pode passar por aquilo que se passou ontem na Luz com os olhos e que as palavras são difíceis de explicar.

O golo do André Gomes foi um bálsamo para quem, como aqui no Ndrangheta várias vezes escrevemos, acredita na formação do clube, sem ser preciso chegar a finais europeias. A qualidade está lá e basta apostar nela. O resto vem por acréscimo.

Para as coisas continuarem perfeitas, como têm estado a nível desportivo, importa assegurar o campeonato já este Domingo, fazer um bom resultado na quinta frente à Juventus e depois "matar" outra vez o FC Porto, desta vez, em casa deles. Impossibilitá-los de ganhar o que quer que seja este ano é fundamental para o tal regresso à hegemonia, tão apregoada no início do ano.

Por fim, uma palavra para o Presidente Vieira. São conhecidas as minhas desavenças com a pessoa em causa no que a termos de gestão do clube diz respeito, mas a morte de um familiar próximo anula toda e qualquer desavença que possa existir. E o final do jogo de ontem deve ter sido bastante doloroso para o Presidente do Benfica. Daqui vão os nossos sentimentos. 

Valeu!

OBRIGADO!

quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Ganhar! Hoje, mais do que nunca

A oportunidade é histórica! Estamos perante um dos FC Porto mais fracos dos últimos tempos. Se nem o campeonato nem a Liga Europa cheiram, resta-lhes duas competições, onde o adversário mais forte que lhes pode calhar está nas meias-finais. Curiosamente, esse adversário é o seu ódio de estimação.

Sejamos claros: o FC Porto que vai hoje à Luz e que para a semana nos recebe no Dragão será um FC Porto ávido de agradar aos adeptos e de, vencendo o Benfica, ter o reino dos céus a seus pés, quando esteve perto do inferno esta época.

O Benfica tem essa missão: manter o FC Porto perto do inferno, para ser muito difícil de lá sair, nos próximos tempos. E logo, o Benfica tem de entrar com tudo. Primeiro, para igualar logo a eliminatória e depois para a resolver, como tão bem tem feito esta época.

Só tenho pena que o Benfica das festas e das vendas dos bilhetes na internet não reconheça a importância do jogo de mais logo. É uma oportunidade como há poucas e que têm de ser aproveitadas. O FC Porto está de joelhos, mas não podemos deixá-lo levantar-se. Parece uma cena de filme violento com sodomização? Parece, mas é o que tem de ser. O "polvo", se puder, ainda vai espernear o pouco que tem para espernear e isso não pode acontecer.

Vamos para cima deles!

domingo, 13 de Abril de 2014

9 Anos

9 Anos em que mostramos o nosso amor ao Benfica como temos de mostrar e não como outros querem que nós mostremos.

9 Anos em que estamos prestes a ter a alegria do terceiro título de campeão.

9 Anos em que criticámos e elogiámos o Sport Lisboa e Benfica com o amor que nos caracteriza a este enorme clube.

Quando eu e o inespugnabile decidimos criar o Ndrangheta não estávamos à espera de ter tido aquilo que tivemos: 
. Quase 2 milhões de leitores (o contador que está ali à esquerda não foi colocado logo no início do blog)
. Notícias em primeira mão (como por exemplo, a chegada de Urreta a Lisboa)
. Ser uma "voz" activa nos problemas do Benfica, que os há, apesar de agora, o foco de estarmos concentrados nas competições em disputa, nos esqueçamos do resto

Outra coisa que instituímos foi que cada um que escrevesse era livre do que escrevia, assim como quem comentava. A única coisa que nós não podemos admitir, é que venham aqui e insultem. Aí, o caminho é fácil de fazer.

Como devem reparar, o Ndrangheta tem estado pouco activo. Todos nós temos a nossa vida pessoal e profissional e este tempo moderno que nos consome como nunca faz com que não tenhamos os minutos para vir cá com maior frequência.

Mesmo assim, parabéns a todos nós: aos que criaram, aos que escreveram, aos que vêm cá ler e aos que vêm cá comentar. Sem estas pessoas todas, não seria possível continuar a pensar o Benfica como temos vindo a pensar.

sexta-feira, 4 de Abril de 2014

É agora!

A Federação Portuguesa de Futebol, que o Presidente do Benfica apoia inequivocamente, acabou de dar razão ao FC Porto para jogar contra o Benfica na meia-final da Taça da Liga, aquela que não interessava a ninguém, mas que estranhamente este ano tem honras de disputa fraticida entre dois clubes, que a menosprezavam há não muitos anos.

Sendo assim, o Benfica tem mais uma oportunidade de ir cortando alguns tentáculos de um polvo que se vai alimentando das mentes mais ocas deste país, e que baseando-se na intimidação, suborno e corrupção, vai ganhando.

Depois de na semana passada, o medo ter voltado novamente às mentes dos jogadores do Benfica no Dragão, é hora e altura de se meter na cabeça daquela gente que eles não são bichos papões nenhuns, que são meros jogadores de futebol, e que num campo, são 11 contra 11, mesmo que do lado dos outros 11 esteja sempre uma mão amiga. Foi contra isso que o Benfica foi ganhando. Foi contra isso que o Benfica foi somando. Foi contra isso que o Benfica foi engrandecendo.

Dia 16 na Luz, é a segunda oportunidade de se cortar um pouco a garipa e ajudar a afundar o FC Porto e partir rumo à hegemonia apregoada no início da época. A primeira oportunidade já foi garantida, uma vez que o campeonato não deve escapar. A terceira oportunidade será na Taça da Liga. É certo que o jogo será no Dragão, mas tal facto não deverá ser motivo para que tenhamos medo. Se for preciso, perguntem ao novo assessor de relações internacionais como é que se faz. Ele sabe! E se for precisa uma quarta oportunidade, seja nas meias-finais ou na final da Liga Europa, que seja. Com força, com alma, com querer! De ser Benfica.

É uma oportunidade histórica que o Benfica não pode deixar fugir. Fazer com que o FC Porto ganhe algo que lhes dê um pouquito de motivação para prepararem melhor a próxima época. O polvo ainda esperneia. Basta ver como Pinto da Costa ainda vocifera quando nos ganha. Sabemos que se alimenta do seu ódio de estimação contra o vermelho, e por isso, não lhe podemos dar um milímetro de espaço que seja.

-----

A vitória ontem em Alkmaar peca por escassa. O AZ não é nenhum bicho papão e o Benfica poderia ter resolvido a eliminatória com mais golos do que aquele que marcou. Este novo tipo de gestão de jogo que Jesus implementou na equipa é um risco, porque não controla o mesmo com bola. É mais fácil a uma equipa controlar o jogo com bola do que sem ela. Fica sempre exposto a um ressalto ou a um desvio em que pode sofrer um golo. 
E o Benfica tem bons executantes, daqueles que sabem o que é uma bola e o que fazer com ela. Até agora, tem dado para as despesas, mas se o adversário for um pouco mais competente, o Benfica pode passar por apertos não tão desejáveis e que despertem os fantasmas da época passada. E para fantasmas, já basta Maio de 2013.

terça-feira, 1 de Abril de 2014

Nuno Gomes no Benfica

Finalmente, começam a entrar benfiquistas para funções importantes no clube. É continuar, sr.Presidente, é continuar...

sexta-feira, 14 de Março de 2014

Classe

O Benfica ontem fez um dos melhores jogos dos últimos tempos europeus. Com classe. Com ritmo, segurança e qualidade, que aliadas ao facto da equipa estar cheia de confiança são passos sustentados para se repetir, pelo menos, os mesmos feitos da época passada (chegar às finais das competições com possibilidades de as ganhar).

A equipa respira confiança, não se vêem as correrias de outrora, e se há mérito a dar a Jorge Jesus, pelo menos, já aprendeu alguma coisa com o desgaste a que uma equipa com os pergaminhos do Benfica não se pode sujeitar como o Braga, Beleneneses, V.Guimarães ou Felgueiras.

Está uma equipa mais madura e com a experiência adquirida o ano passado, mais forte. Mais confiante, com vontade de ganhar e de restituir o Benfica de outros tempos. E ainda bem para todos. Nós e eles!

Mas a classe que a equipa ontem transmitiu, como já tinha transmitido em outras partidas desta época, esbarra no ego indigente de quem a dirige. O simples facto de Jesus não saber responder às provocações que Tim Sherwood (que tem de aprender muito, mas muito mais para lhe poder chegar aos calcanhares tácticos) é de uma gritante falta de classe, tão típica na figura azeiteira a que já nos habituou e que pensávamos, já tinha sido mais do que uma lição aprendida.

Não foi. E o que é que, para além de não ter dignificado naquela altura a instituição que representa, Jesus fez? Ao invés de se discutir a extraordinária táctica e estratégia colocada no jogo, os posicionamentos defensivos e ofensivos que fizeram o Benfica sofrer um golo de livre directo porque o Tottenham tem Cristian Eriksen do outro lado, as próprias substituições feitas durante o jogo, para segurar o meio-campo e dar-lhe maior capacidade de posse, o que é que se discute? Os três dedos que não pôde conter quando Luisão faz o terceiro golo, como que a querer mostrar que ele é o maior, como tem sido sempre, na sua arrogância típica.

O Benfica, para aqueles que estão mais esquecidos e hoje em dia, embevecidos por comportamentos que pouco têm a ver com o clube de que gostam, certamente estão orgulhosos do que JJ fez ontem. Eu não! Porque quando aprendi a gostar do Benfica, o Benfica sabia ganhar e sabia perder. Mas sabia, acima de tudo, comportar-se com dignidade para com os adversários, fossem eles mais fortes ou mais fracos.

A classe não se compra, mas aprende-se. E nisso, Jorge Jesus continuará a ser o mesmo de sempre...