sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Números mágicos

85

85 milhões de euros é o que o Benfica tem de pagar ao BES até final do ano, por causa de dois empréstimos obrigacionistas. 35 em Outubro + 50 em Dezembro. É um valor absurdo para um clube com uma saúde financeira já de si debilitada, e não é preciso vir com a credibilidade adquirida. A credibilidade ajuda a envidividar ainda mais e não a resolver o problema. Também não é preciso haver um discurso sobre a excepcional capacidade de gestão de Domingos Soares de Oliveira, quando, ano após ano, mentira após mentira, tanto nos diz que o Benfica não precisa de vender, para depois proceder a uma razia.

45 + 25 + 25 + 6 + 16 = 117

É o valor que o Benfica conseguiu fazer a vender algumas das suas peças desde o início do ano. Conseguiu fazer a vender, mas não ficou com a totalidade do dinheiro, porque os fundos e as parcerias assinadas assim o fizeram:
. Rodrigo e André Gomes (45)
. Matic (25)
. Markovic (25)
. Garay (6)
. Oblak (16)

Para além disso ainda se fala nas vendas de Gaitán e Enzo (a exemplo de muitas outras), que ainda poderiam valer mais 70 milhões. Concerteza que a gestão extraordinária fará com que o dinheiro chegue para se pagar os empréstimos obrigacionistas, mas a qualidade que se perde no plantel do Benfica é por demais evidente.

60

Devia ser este o repto para o ano desportivo: atingir a marca dos 60 principais títulos nacionais para a época 2014/2015 (34 Campeonatos + 26 Taças). Espero que em Maio de 2015, os esteja a festejar, mas a ideia principal deveria esta. Mostrava várias coisas que muita gente tem comentado nos últimos dias sobre as saídas do clube. Há sempre objectivos a ganhar, mesmo depois de uma época quase perfeita, e o 60 poderia ser um desses objectivos a passar. Não há limites num clube como o Benfica.

18

Este artigo do Mais Futebol, mostra que no consulado de Jorge Jesus no Benfica (a caminho da 6ª época), o clube teve 18 defesas esquerdos (dá uma média bonita de 3 por ano), sendo que desses 18, os mínimos aceitáveis de qualidade estiveram nas figuras de Fábio Coentrão e Siqueira. É de facto extraordinário que em 6 anos, se tenha aprendido com os erros, ou então não...

(GES)tão

Oblak - Foi
Garay - Foi
Siqueira - Foi
Markovic - Foi
Rodrigo - Foi
Enzo - Irá
Gaitán - Irá

7, 7! titulares. E a contagem continua...

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

Época do Bes(t)!

Ainda dá para vender mais uns. Podemos jogar com os juniores. Ainda bem que não somos Campeões em título. Ou somos?


sexta-feira, 11 de Julho de 2014

Comunicação?

Sabes que a Comunicação do Benfica está na merda quando os adeptos do clube vão sabendo das notícias através dos Instagram dos jogadores...

segunda-feira, 7 de Julho de 2014

2005; 2010 e 2014

Ganha-se, desmantela-se, desbarata-se, dá-se.

Oblak; Garay(foi vendido por menos que o Mitrovic!!!!); Markovic?; Enzo?; Gaitán

"queremos devolver o Benfica à hegemonia do futebol português", vão gozar com o caralho!

Basta, basta, basta!!!

quinta-feira, 3 de Julho de 2014

Começou a época

E com o final do Mundial a aproximar, vai haver mais do que tempo para o folclore habitual que alimenta todos os dias a comunicação social portuguesa. Aliás, basta olhar ali para o lado e vemos a lista de nomes ventilados para vestirem o Manto Sagrado. E neste começo de época, estão aqui duas palavras que valem a pena desenvolvermos algumas coisas sobre o assunto: comunicação e Manto Sagrado.

Sobre a comunicação, faz-me um bocado de confusão como é que a comunicação do Benfica continua a ser gerida. Não é preciso ir muito longe no tempo para se ver que já nem as apresentações de jogadores são feitas pelo próprio Benfica. Os escudeiros de serviço, sentados nas suas secretárias alimentadas a trabalho precário e à espera de um ou outro telefonema, são presas fáceis para serem utilizados como mensageiros da propaganda, mediante o pagamento generoso e com a promessa de informação privilegiada, que no dia seguinte, passa a ser de toda a gente.
Não é preciso relembrar que o Record teve acesso à composição do departamento de scouting do Benfica, responsável por muitos dos jogadores que foram aparecendo nos últimos anos no clube e que deram retorno financeiro. Sabe-se bem quem foi a fonte que revelou os nomes e as fotografias das pessoas, que deveriam continuar anónimas, a executar o seu trabalho da mesma forma até então. Curiosamente, a mesma fonte ter-se-á sentido ameaçada com mais uma campanha, com mais de 7 anos, para a mandar embora do clube. Entre a espada e a parede, a fonte preferiu a espada. Só tenho pena que dentro do clube, não tenha ainda havido ninguém para empurrar a espada de vez, mas isso são contas de outro rosário.
Os jogadores que vão aparecendo a conta gotas, com o bombeiro-sugador de serviço a ir buscá-los ao aeroporto, havendo sempre meios de comunicação social no local, faz com que as fugas continuem e não haja sequer o dom de saber preservar um eventual falhanço no negócio.
Bem sei que o director de comunicação do Benfica, que vai acumulando o cargo com as suas agências de comunicação, pode não ter tempo para responder aos pedidos, mas para isso é que deve haver um departamento de comunicação pronto a intervir em situações mais complicadas. 
O mais grave até é nem sequer a Benfica TV ter o exclusivo das imagens dos jogadores e usar as de outros canais, como se de uma exibição de um troféu se tratasse.

Quanto ao Manto Sagrado, é escusado voltar a falar do que quer que seja quando no início desta semana foi apresentado o equipamento alternativo para a época 2014/2015. Para os mais esquecidos, os estatutos do clube dizem o seguinte, no Cap. II - Símbolos do Clube:

Artigo 5º
Símbolos

1. Constituem os símbolos tradicionais do SPORT LISBOA E BENFICA a águia, que simboliza a elevação das aspirações do clube, isto é, independência, autoridade e nobreza, e as cores vermelho e branco que significam a bravura e a paz, respectivamente.
2. O Clube adopta como condição primeira da sua grandeza a divisa “E Pluribus Unum” para definir a união entre todos os associados.
3. Como símbolos específicos do Clube, cuja composição e descrição constam do regulamento, existem o emblema, o estandarte, a bandeira, os galhardetes e os guiões.

Artigo 6º
Equipamentos

Nas diversas competições desportivas, os equipamentos a usar pelos atletas, técnicos e demais pessoal de apoio, devem adoptar as cores tradicionais do Clube, previstas no Artigo 5º, nº 1, sem prejuízo do uso de equipamentos alternativos, quando necessário, cuja escolha compete à Direcção.
 

Há aqui qualquer coisa que me escapa: ou sou eu que não percebo português ou a Direcção do Benfica escolheu um equipamento alternativo para esta época do Benfica que não segue os símbolos tradicionais do clube. E já há 5 anos que faz o mesmo.

A Direcção de Marketing e a Adidas deviam olhar um bocadinho que seja só para as opiniões dos adeptos, sócios e simpatizantes do Benfica. Não é preciso pesquisar muito. Há a página de Facebook do Benfica, há os blogs, há pessoas que falam umas com as outras e há depois os números das vendas, que mostram que este tipo de equipamentos alternativos fica sempre aquém do esperado, por causa do quê, mesmo? Se calhar, é por causa da cor. Mas isto sou eu a falar, ou melhor, a escrever...

Vermelho e Branco, é tão simples e é tão isto! O preto com rosa, o amarelo com azul e todos os outros equipamentos alternativos que surgiram podem ficar para 3º equipamento. Ninguém se chateia e nós ficamos contentes, porque vemos que ainda continuamos a ter um bocadinho de Benfica.

sexta-feira, 27 de Junho de 2014

Uma das razões da venda de Garay (entre outras muitas razões)

Ponto 10, do Artigo 8º (Política de Investimento) do Regulamento de Gestão do Benfica Stars Fund:

" Sempre que o contrato de trabalho que um determinado atleta, relativamente ao qual o Fundo detenha direitos económicos, tenha celebrado com a Benfica SAD entre nos últimos 18 (dezoito) meses de duração, a Benfica SAD terá a obrigação de colocar o atleta em questão no mercado de transferências, por um preço a acordar entre o Fundo e a Benfica SAD."

(o negrito é meu)

Palavra do dia

Ascende.

2005; 2010; 2014

O mesmo de sempre. Os mesmos negócios "estranhos". Está vista a parceria: ganho 1, dou-te 3.

Basta!