sexta-feira, 31 de março de 2006

A luta continua...

Não querendo ferir susceptibilidades mais sensíveis, o título deste post não tem a haver com as picardias entre o inespugnabile e o master kodro do 442.

A minha opinião pessoal e sendo também membro do blog é que muito sinceramente quem pretende discutir futebol sem colher polémica está bastante afastado da realidade.

É o mesmo exemplo da política. Se todos chegassem a um consenso, não haveria partidos de ideologias diferentes.

Mas eu percebo a lógica do 442. Tendo três autores, sendo dois deles sportinguistas, e para haver uma diferença, tiveram que optar por um vimaranense.

É certo e sabido que em Guimarães não há casa, núcleo ou delegação de nenhum dos clubes grandes, mas é preciso ter azar para um vimaranense inclinar tanto para um lado. Das duas uma: ou não gosta mesmo nada do Benfica (algo a que os benfiquistas estão habituados) ou então não é vimaranense.

Se o master kodro faz sempre questão de se intitular vimaranense, então a opção fica reduzida à primeira hipótese, que é a de não gostar do Benfica. Uma situação perfeitamente normal, já que eu também não gosto do V.Guimarães, apesar de achar que é um clube com mais potencialidades do que as que tem actualmente.

Depois do desabafo, apenas queria deixar algumas dicas para quem anda na blogosfera à procura de discutir os problemas. Somos NÓS, os autores dos posts que temos o poder nas teclas. Isto vem a propósito de no 442, haver sempre quem anda moldado à voz do dono e que perca a razão em comentários impróprios para os autores dos posts.

A situação é clara: NÓS é que definimos o nosso limite e esse limite não é imposto por abusos e linguagens grosseiras que inúteis e anormais lançam. Também não é desculpa para se deixar de escrever sobre aquilo que se gosta. Pode não se ter tempo, pode não ser possível actualizar, mas quando se gosta mesmo de futebol, o tempo que se gasta a falar dele faz com que a paixão ainda cresça mais.

A luta continua aqui...na blogosfera...com a defesa de cada dama...coerentemente...

P.S. Serve o presente para anunciar que o 442 é um dos blogs de bola que mais leio e a recente quebra de posts que houve só veio dar razão aos inergúmeros que povoam a blogosfera. Não desistam!!!

quinta-feira, 30 de março de 2006

Não é amor. É carinho...

"O 442 ganha sempre (...), basta respirarmos".
Enquanto outros nunca merecerão referência, vós estais sempre no nosso coração...
PS - como é lógico, escrevi este post antes do insultuoso post que o master kodro decidiu escrever no 442. Também, ainda que soubesse, não alterava uma vírgula. A César o que é de César.
PS - 2 - Como vou, daqui a umas horas, para Barcelona, não escrevo mais nada sobre isto. Mas se cá ficasse, escreveria!

quarta-feira, 29 de março de 2006

E se a azia matasse?

Hoje, por exemplo, o blog que mais ataca o Benfica - metade dos posts são-Lhe dedicados - decidiu mostrar toda a sua azia, proferindo dislates do tamanho da cabeça que terão dentro de uma semana.
Não vou entrar em discussões inúteis ou em arrazoados fúteis. Saliento, apenas, que até desconhecem os regulamentos que disciplinam a aplicação das regras de jogo. Entre eles, claro está, há um que diz, em análise objectiva à intenção, que sempre que o braço não está na sua posição natural - olhando para o movimento do corpo -, se a bola lhe tocar, deve ser assinalada falta. E a culpa? É do Baggio...
A intenção, meus caros, é sempre analisada objectivamente, devendo haver critérios estabelecidos. E a FIFA, em conjunto com o International Board, estabeleceu-os.
Quanto ao demais, quero que passem bem!

Já estou a caminho...

Só já me vejo sentado em Camp Nou...

Kompensan

- Para aqueles que já estavam a ver Eto'o e Ronaldinho balançarem as redes da Luz...

- Para aqueles que esta semana e a semana passada e a próxima semana, são do Barcelona desde "pequeninos"...

- Para aqueles que estavam prontos para amanhã começarem a debitar palavras sem nexo...


Têm mais uma semana para isso tudo. Depois se verá...

segunda-feira, 27 de março de 2006

a vida é assim

em véspera de defrontar o Barcelona, Koeman lembrou-se de "atacar" o adversário. Palavras para quê? Prefiro esperar para ver...

quarta-feira, 22 de março de 2006

Atitudes

Dia 29 de Janeiro, em Vila do Conde, por ocasião do Rio Ave - FC Porto, Chidi, já na segunda parte, ataca pela direita e cruza perto da linha de fundo com a bola a saltitar para a grande área do FC Porto. Helton e Pepe desentendem-se, o árbitro apita e Evandro aproveita para colocar a bola dentro da baliza.

Duarte Gomes, seguindo a sinalética do seu auxiliar, apontou para a marca do pontapé de baliza, sugerindo que Chidi tinha cruzado para além da linha, apesar do árbitro auxiliar vir em corrida e não estar junto à linha final.

Paulo de Carvalho, na altura, não falou e até António Sousa disse que tinha sido um "excelente confronto táctico".

A conclusão só pode ser uma: Evandro está sempre no momento errado. Não pode receber a bola vinda depois da linha e marcar golo, porque ele é sempre anulado!

terça-feira, 21 de março de 2006

Importa-se de repetir?

Soares Franco, à saída da reunião do Conselho Directivo: "ainda não estamos em incumprimento!"
Pois não. Estão em mora. E o que lhe sucederá?

segunda-feira, 20 de março de 2006

Para os mais esquecidos...

O golo de Mantorras ontem em Vila do Conde, ou golpe de karaté como lhe quiserem chamar, é igual ao golo de Liedson ou ao movimento dele, no jogo que o Sporting ganhou na Figueira da Foz, frente à Naval.

Se não se lembram, procurem pelas imagens...

domingo, 19 de março de 2006

Rodolfo Moura

No dia em que Moreira voltou - e em grande... -, Mantorras deu a vitória.

O presente...

- Anderson, jogador de 17 anos do FC Porto, estreou-se na Liga com uma assistência para golo e já é hoje, nos pasquins do costume, a maior vedeta do plantel portista...

- Paulo Bento continua em estado de graça e hoje vai defrontar um Jorge Jesus que diz que o "FC Porto" é que é a melhor equipa portuguesa. No entanto, Jesus, como vai jogar contra uma equipa que privilegia o ataque rápido, prefere jogar à zona do que em marcação. Pode ser que Liedson sem marcação faça o jeito...

- Este U.Leiria - Sporting faz lembrar o jogo da primeira volta, quando o "golo" que o árbitro auxiliar tirou de dentro da baliza em Alvalade foi alvo de chacota nacional e que o clube que evoca o sistema, subitamente se calou...

- Esse silêncio tem possibilitado ao clube do Visconde manter o segundo lugar e a réstea de esperança em conquistar o título em ano de centenário...

- Para os lados da Luz, e enquanto o Barcelona não visita Lisboa, vai-se fazendo apostas sobre a defesa da cidade condal, agora que Edmilson e Rafa Marquez não podem actuar. O problema é esquecerem-se do ataque catalão...

terça-feira, 14 de março de 2006

A Madeira é um jardim...

Tendo de ir à Madeira fazer o meu trabalho, não é por demais reparar que a realidade existente no arquipélago não difere muitoda realidade do continente, nomeadamente na questão futebolística.

Se repararmos que no jogo do Marítimo contra o Rio Ave, a equipa insular estava com apenas 1 português, 1 cabo-verdiano e 9 brasileiros, vemos que as ajudas substanciais que o Governo Regional da Madeira dá à principal equipa da região estão a ser mal geridas.

Para além disso, a contratação do terceiro técnico esta época para salvar(???) o Marítimo da descida de divisão parece uma situação surreal para um clube com alguns pergaminhos no campeonato português...

A contestação ao Presidente é assim legítima, independentemente dos critérios que se utilizam para o ofender. A contratação maciça de brasileiros sem perfil (Valnei é um exemplo perfeito para não falar em outros) aliada a uma política errada de não aproveitamento dos jogadores de formação, enfraquecem uma equipa que tinha possiblidade de ser uma digna representante do arquipélago.

Quando o speaker do estádio anunciou que o Marítimo em juniores tinha ganho ao Belenenses, não pude acreditar que não havia sequer uma atenção por esse talento que anda desaproveitado na Madeira.

A justiça do despedimento de Bonamigo só poderia ter a melhor das razões se o Presidente o acompanhasse, possibilitando assim uma melhoria no ambiente do clube e uma mudança de estratégia.

Aliado ao jogo do Marítimo, também se disputou o Nacional - Est.Amadora. É curioso notar que na noite de sexta-feira (altas horas até...) o presidente do clube lisboeta tenha jantado com Paulo de Carvalho, presidente do Rio Ave. Não está em causa o jantar, nem o que foi discutido.

O que está em causa é a contribuição dada pelo Estado nas deslocações aos arquipélagos e o aproveitamento sistemático dos dirigentes por aproveitarem e terem umas merecidas férias. Se o jogo na Choupana era só no Domingo, porque é que o presidente e respectiva comitiva já estavam na sexta-feira?

É por estas e por outras que depois vem chorar onde todos já choraram...

segunda-feira, 13 de março de 2006

Um roubo

Entradas assassinas, grandes penalidades por assinalar, vermelhos por mostrar e muito mais. Assim, não vale a pena!

quinta-feira, 9 de março de 2006

Arrepiante!

A vitória de ontem foi extraordinária. Os golos foram momentos arrepiantes. O público presente em Anfield foi decisivo. A todos os que estiveram no estádio, um obrigado do tamanho da Catedral!

terça-feira, 7 de março de 2006

A guerra

José Mourinho tem uma guerra: quer provar que é melhor que o Barcelona que o mandou embora há uns anos atrás! É certo que não o mandou embora, que veio para o Benfica, mas se o Barça necessitasse mesmo dele, não abdicava de tal personagem.

Desde esse dia, e especialmente, desde que começou ter alguma notoriedade, José Mourinho quer demonstrar que consegue derrotar quem não apostou nele.

Assim, sempre que lhe calha o Barça, ele faz tudo para provocar, no seu estilo próprio de criar anti-corpos para os jornalistas não terem com que pegar.

O povo catalão responde da melhor forma a esses anti-corpos dizendo aquilo que os jornalistas têm medo de dizer ou questionar, chamando-lhe "tradutor" quando chegou à cidade condal.

Para mim, espero que o Barça ganhe e mostre mais uma vez que não há "perfeições" neste mundo, como querem fazer querer. Mas que ganhe com onze contra onze, e que no final, Moruinho não se resigne a apontar baterias a outros elementos que não os seus.

Porque há que saber ganhar e perder. E mesmo perdendo, há que saber mostrar postura...

segunda-feira, 6 de março de 2006

Jorge Andrade

O facto de maior relevo no pretérito fim-de-semana foi, sem sombra de dúvida, a lesão de Jorge Andrade. Fico sem saber o que hei-de dizer...
PS - Já tenho visto discussões sobre alternativas. Não entro por aí. Sonho, apenas, com a vitória no Mundial...

quinta-feira, 2 de março de 2006

Os amigos...

- José Peseiro abriu a boca e disse o que lhe vai na alma. Logicamente que o coruchense nunca teve o apoio que Paulo Bento tem actualmente. Também não é novidade nenhuma de que Carlos Freitas é um homem do sistema. Também não é novidade que a comunicação social vai fazer cair em saco roto as declarações de Peseiro, porque existia um jogo da Selecção de Scolari contra essa potência que se chamava Arábia Saudita...

- Nessa mesma Selecção, Scolari já afirmou que vai contar com Costinha, custe o que custar, porque ajudou a integrar os mais novos no Euro 2004. A trépida comunicação social não deu destaque à situação, porque não interessa haver conflito com um treinador simpático, sempre prestável e sem casos, independentemente do salário que aufere e do trabalho que faz...

- Porque ter amigos como Scolari que nos dão confiança para trabalhar, também são os mesmos que fazem com que se criem grupos que para além de fortalecer, também podem quebrar ao mais infímo pormenor...

- Sendo assim, é normal que jogadores como Costinha, Quim, Postiga, Ricardo e outros, independentemente do trabalho que façam nos clubes (ou não) estão sempre confirmados na Selecção, contra tudo e contra todos...

- Por isso mesmo, é estranho o FC Porto ter tido apenas um jogador convocado para o jogo contra a Arábia Saudita, ainda por cima "forçado" pela época que está a fazer em Portugal. Quaresma tem de ir ao Mundial pela força com que Vítor Baía não foi ao Europeu. Quanto mais não seja para calar as vozes e agradecer às nozes...

- Por falar em Baía, e fosse Moretto ou Quim ou Ricardo a sofrer o mesmo golo, não faltariam por aí comentários sobre a forma dos mesmos. Mas a Baía nada é questionado porque é o jogador da actualidade com mais títulos, que para muito contribuíram algumas defesas sólidas que teve à sua frente. Quando houve alturas em que a defesa não prestava, Baía mostrava o seu esplendor e errava como os outros erraram e erram. Curiosamente, a única pessoa que teve a coragem de dizer que Baía é o "maior flop do futebol português" deixou de fazer comentários na estação pública de televisão...

- Por isso há os amigos, e por isso Helder Rosário levou 3 jogos e Luís Coentrão 2. O jogador do Gil Vicente é que provocou a exaltação do boavisteiro e será o que cumpre menos tempo de castigo. Amigos destes na Comissão Disciplinar é que são precisos...

- Deverão ter sido os mesmos amigos que perdoaram a Moreno a inibição de jogar enquanto Delibasic recuperava da sua lesão. Na 3ª jornada, altura em que os rivais do Minho se defrontaram, o jovem português teve uma entrada quase assassina que mandou Delibasic para o estaleiro, sem antes o sérvio apontar o segundo golo da vitória do Sp.Braga em Guimarães. Regressou este fim-de-semana e com outro golo, desta feita contra o Rio Ave. Não há dúvidas que é uma boa contratação da equipa minhota e que faria mais falta ao campeonato, se em vez de jogar, agora no máximo, 13 jornadas, pudesse jogar algumas mais. Também a Liga poderia melhorar se o castigo a Moreno tivesse sido exemplar...

- É para isso que servem os amigos...

quarta-feira, 1 de março de 2006

Favoritos

Faltando 10 jornadas para o fim da Liga, há quatro candidatos para um poleiro. Não se podendo avançar com um favorito, bem se pode dizer que olhando para o calendário, o Sporting é o principal candidato se derrotar o Boavista na próxima semana.
Por outro lado, o Benfica precisa de um milagre para ser campeão. Tem de fazer, pelo menos, 25 pontos, o que obrigará a equipa a um esforço extremo. E, sublinho, 25 podem não chegar...