sábado, 30 de setembro de 2006

Ecos...

Depois da razão e da coração que tanto ceulema deu pela Ndrangheta fora, eis que me vejo na pele de elucidar alguns iluminados sobre determinados aspectos:

- A equipa que perdeu em Milão, frente ao Inter, por 3-4, era constituída na sua maioria pelo seguinte 11: Moreira, Armando, Luisão, Ricardo Rocha e FYSSAS; Petit, TIAGO, MIGUEL e Simão; Nuno Gomes e SOKOTA. Desta equipa, os nomes que estão a maíusculas são de jogadores que já saíram do Benfica e se a importância de Sokota nesta equipa é redutora e a de Fyssas foi de transição porque colocou em causa uma substituição, já as saídas de Miguel e Tiago nunca foram totalmente repostas com jogadores da mesma qualidade...

- Meu caro joão, quando se elege para qualquer órgão, seja ele qual for, eu não olho apenas para o nome que dá a cara. Olho também para o resto, ou seja, a equipa, porque quem dá onome, geralmente não faz tudo sozinho, porque simplesmente não consegue. Assim se passa no Benfica, assim se passa na AR, assim se passa em todo o lado, excepto no Presidente da República. Por isso, se o LFV tem José Veiga na sua equipa e o considera imprescindível e se o Benfica quer ser um "colosso europeu", presumo que o será no futebol e não no atletismo ou no basquetebol. Se o quer ser no futebol, o seu director-geral não é certamente a pessoa mais capaz e sobretudo, credível para o fazer, isto no meu entender...

sexta-feira, 29 de setembro de 2006

Ainda a derrota

Vai fazer em Dezembro um ano que o Benfica ganhou ao Manchester United.
Não foi há muito tempo, os jogadores ainda lá estão (tirando o Soneca. assobiem-no agora!), o que mudou então?
O Benfica-Manchester United do ano passado foi a última grande hipótese de o Benfica ganhar uma equipa. Mas alguém decidiu de outro modo.
Relembrando quem necessite:
O Benfica tinha uma onda de lesões preocupante. Simão, Manuel Fernandes, Miccoli entre outros estavam no estaleiro pelo que ninguém tinha muita fé na passagem do Benfica.
Koeman pôs então em campo a defesa do costume com Beto e Petit no meio, Assis e Nelson nas alas e Nuno Gomes no apoio a Geovanni. O resultado foi o que se conhece.
O Benfica começava a ganhar uma equipa. No jogo seguinte frente ao Boavista na Luz o Benfica fez a melhor exibição da época mas, para mal de todos nós, chegou a época de transferências. O nosso brilhante gestor profissional, mestre na arte de fortalecer grupos decide então ir buscar cinco jogadores, qual deles o pior, para fortalecer(?) o plantel.
Assim vieram nomes como Marcelo Moretto, Marco Ferreira, Laurent Robert, Manduca e Marcel.
Nuno Assis foi apanhado nas malhas do doping, e nem o regresso do lesionado Simão conseguiu evitar a hecatombe que se seguiu.
Geovanni poucas mais vezes foi ponta de lança. Nelson nunca mais jogou a extremo direito. O Benfica não ganhou nada. E dos 5 reforços de Inverno só por lá continuam Marcelo Moretto e Marco Ferreira.
Palavras para quê? É um gestor profissional com toda a certeza!

Sem razão nem coração

Comentou o João, a propósito do último post de Mister D, que o tipo de pensamento deste último é que levava o Benfica à falência: "perde-se um jogo, despede-se treinador e jogadores e muda-se de direcção.".
Curioso.
Pelas minhas contas esta foi a quinta derrota do Benfica com FS ao leme. Se para si os jogos particulares não contam, permita que para mim, bem como para outros como Mister D, uma derrota do Benfica seja sempre uma derrota do Benfica seja a sério ou a "brincar".
Depois caro João, o dragão de ouro que gere o plantel do meu clube tem muito mais derrotas no seu cadastro pelo que também me parece justo que se ponha em causa o seu desempenho.
Esse senhor, cuja primeira tomada de posição (dias antes de entrar oficialmente em funções)foi a de criticar Camacho por não ter ganho nada em ano e meio ao serviço do Benfica, tem neste momento uma vitória em 2 anos de serviço. Podia bem adoptar para consigo a mesma medida que tomou com Camacho e sair de cena.
Mas já nem falo só do aspecto desportivo. Da bola na trave. Do penalty por assinalar.
Que jogadores contratados por esse senhor foram negociados com mais valias para o Benfica?
Será que Alex conta?
Onde estão as mais valias geradas pelo trabalho desse senhor?
Alguém as vê?
Permita-me pois que ponha em causa o trabalho desse senhor, não só por "uma derrota" mas por todo um trabalho incompetente.
E nem me façam falar dos Eversons ou dos Marco Ferreiras...

quarta-feira, 27 de setembro de 2006

A razão e o coração

O Benfica é o clube do povo. Sempre foi e sempre o será. Isto manda o coração.

No entanto, basta frequentar a garagem do Estádio da Luz em dias de jogos para perceber que o povo não costuma andar de BMW's, Mercedes, Audi's e Porsches, apesar de haver quem faça vaquinhas e consiga ir em Toyotas Hiace's e fazer o farnel mesmo na garagem. Aí, continua a mandar o coração.

O Benfica fez ontem uma boa primeira-parte. Dominou o jogo. Não deixou o Manchester United jogar e conseguiu conter o contra-ataque inglês. Isto é a razão.

No entanto, o Manchester aproveitou o erro e num contra-atque letal, fechou o jogo, amarrando o Benfica a uma prisão de ideias (saída de Karagounis?) e sem espaço para jogar pelas alas. Isto continua a ser a razão.

No final do jogo, Fernando Santos fez a análise do jogo quase correcta. Esqueceu-se de lançar as farpas a quem lhe fez a manta e como ele se pôs a jeito. Aí continua a mandar a razão.

No mesmo final do encontro, Fernando Santos foi brindado com os famosos lenços brancos, mas o treinador fez aquilo que que todos queriam. Jogou com o coração, sem ter razão.

Os mesmos que acenaram com os lenços brancos pensaram que o banco do Benfica era sofrível para uma equipa que quer ganhar ao Manchester United e que por isso mesmo, perdeu o jogo e não o soube dominar por inteiro? Os mesmos que acenaram com os lenças brancos serão os mesmos que irão votar nas próximas eleições do clube, ou vão votar em branco? Os mesmos que acenaram com os lenços brancos estavam a acenar com o coração ou com a razão?

eu vejo mal...

... mas desde a saída de Karagounis, não jogámos nada à bola...

domingo, 24 de setembro de 2006

6 anos depois, em duas partes de três. I

Há pouco mais de três anos, quando um fiel leitor deste blog apresentou e foi o primeiro subscritor de uma proposta de criação de uma quota supolementar para subsidiar as modalidades amadoras - aprovada por larga maioria -, poucos imaginavam que a situação do Sport Lisboa e Benfica fosse tão tranquila, quer em termos desportivos, quer em termos financeiros.
Talvez nem os mais crentes no projecto de Luís Filipe Vieira, que colocou todo o seu Know How ao serviço do nosso clube, pudessem garantir que em Setembro de 2006 as modalidades do Sport Lisboa e Benfica vivessem período de tanta euforia.
Vejamos,
- o basquetebol apresenta-se para a presente época desportiva com a melhor equipa nacional dos últimos 15 anos (palavras de um jogador profissional, atleta do clube do Freixo). Com investimentos acertados e contratações cirúrgicas, com um treinador conhecedor do meio, com um director desportivo que coloca os interesses do clube acima das suas contas pessoais, o basquetebol do Benfica prepara-se para iniciar as hostilidades munido com artilharia pesada;
- a equipa de futsal, acompanhando o que tem sido feito na secção nos últimos anos, é, claramente, a melhor que se apresenta a competição. A contratação do lagarto Gonçalo, aliada ao nosso Pedro Estrela - que se portou, sempre que defrontou o clube do seu coração, acima de qualquer suspeita... -, mostrou que a análise feita ao mercado nacional foi correcta. Faltará definir a estrutura técnica?;
- no voleibol estamos seguros: grandes valores individuais, um técnico profundo conhecedor do meio e a Federação a rezar para que o Sport Lisboa e Benfica não se meta com ela... Será o senhor (?) presidente da Federação, aliás, o único adversário do nosso clube?
- a equipa de andebol disputará o principal campeonato português, que, desde a criação da Liga, terá as principais equipas em acção. Não sendo favoritos ao ceptro, a experiência do técnico será suficiente para fazermos um campeonato regular. Dentro de dois anos, garantem-nos, estaremos em condições de discutir com o ABC, Madeira SAD e clube do Freixo;
- no hóquei em patins a situação será idêntica à descrita para o andebol, com uma diferença efectiva: o clube do Freixo tem uma super-equipa, que dificilmente perderá alguma competição nacional nos próximos dois anos... Caso contratássemos dois jogadores que todos conhecemos... tudo seria diferente (e o investimento nem era assim tanto...)
- com a contratação de José Azevedo, o melhor ciclista português dos últimos 20 anos, e a construção de uma equipa de grandes profissionais (Rui Lavarinhas é um exemplo evidente), estamos seguros. A aposta, no primeiro ano, será interna, mas será que temos condições, dentro de dois, três anos, para discutir a presença em provas internacionais? O Pro Tour está em autêntica revolução, o que poderá, com o abandono de algumas equipas, permitir que a águia, mais cedo que o previsto, leve a roda ao cimo das grandes montanhas...;
- o atletismo está de parabéns! Ainda hoje a nossa menina, a grande bandeira das nossas modalidades, a bébé dos nossos olhos, ganhou mais uma prova da taça do mundo, logo no mesmo circuito onde se disputará a prova de triatlo nos Jogos Olímpicos de Pequim! A secção, por outro lado, apresenta uma equipa equilibrada, competitiva e com capacidade de discutir os nacionais. Faltará um grande velocista?
Quanto às demais modalidades (e são muitas...), tudo se podia dizer. Falta-nos tempo, mas sobra-nos devoção. Diremos, apenas, que a formação tem acompanhado o extraordinário trabalho das modalidades seniores, o que nos permite afirmar, com segurança, que somos, de momento, o maior clube português em modalidades. O único, aliás, que disputa os grandes campeonatos e que, com toda a segurança, fez uma aposta séria, concreta e competitiva.
Somos, assim, o único clube eclético em Portugal!
Tudo isto num trabalho notável de Luís Filipe Vieira, poucos anos depois dos tristes consulados de Damásio e Azevedo!
NOTA: errei. Não é Pedro Estrela. É Luís Estrela. E logo eu que o conheço... Pá, desculpa lá!

As cenas do costume

Primeiro que tudo devo informar que não vi o jogo do Benfica na sexta por afazeres profissionais. Ainda assim permitam-me constatar alguns factos.

- Léo foi duas vezes expulso em Portugal ( e tenho dúvidas que tenha sido expulso mais alguma vez na sua carreira ). Curiosidade, ou talvez não, o árbitro foi sempre Lucílio Batista.
- Os adeptos não gostam dele, mas será por medo dos assobios, que FS ontem não o meteu quando pelos vistos o importante era mesmo aguentar o 1-0? Falo de Beto óbviamente.
- Por falar em Lucílio, o tal do Apito Dourado, quem foi o árbitro do Paços vs Benfica da última jornada do campeonato passado? Exactamente. Ele mesmo. Ele há cada coincidência... ou não. Resultado: Derrota do Benfica.
- No final do jogo logo Fernando Santos caíu em cima de Léo. Bateu palmas ao árbitro. Não se faz realmente.
- O que faria Fernando Santos se um qualquer jogador do Benfica encostasse a cabeça num árbitro? Resposta: Nada!

sábado, 23 de setembro de 2006

O jogo perfeito

Foi tão perfeito, tão perfeito, que Alcaraz não conseguiu cortar a bola no segundo golo e Jardel saíu para receber uma ovação...

Ora toma!

Mais um jogo sem ganhar fora...

Mais um jogo com um jogador expulso...

Mais um jogo em que o Engenheiro provou ser um medroso...

Vai ser assim durante mais 3 anos?

quarta-feira, 20 de setembro de 2006

Nada me surpreende

- Nem o facto de Luís Filipe Vieira amanhã disser que se vai recandidatar...

- Nem o facto do Barcelona andar atrás de meia equipa do Sporting e do FC Porto...

- Nem o facto do Apito Dourado continuar guardado...

- Nem o facto do golo de ontem do V.Setúbal beneficiar de fora-de-jogo e ninguém se queixar...

P.S. (Em actualização) - Também não me surpreende o facto do inespugnabile rir com o facto de eu ter dito que se o jogo fosse em Inglaterra seria repetido. Aliás, eu não disse que queria o jogo repetido. Apenas o mencionei em Inglaterra. Também não me surpreende o facto do inespugnabile concordar com a recandidatura de LFV à presidência do Benfica. Voltando ao jogo e a Inglaterra, só espero que os telhados de vidro não sejam quebrados...

Pois, pois, pois...

Os lagartos e o Mister D pretendem a repetição do jogo. Alegam com o futebol inglês. E eu ainda não parei de rir...

segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Fotos

Porque é que no site da APAF, as fotos que aparecem na parte superior da primeira página e que retratam os árbitros são só fotos do Paulo Paraty?

O clã Costa

- Dos 25 árbitros da 1ª categoria, 18 estão incluídos nas famosas escutas. Dos 7 que restam há 3 nomes que me surpreendem pelas mais diversas razões: João Ferreira, Paulo Costa e Rui Costa...

- Se de João Ferreira já falei e muito se há-de falar esta semana, os manos Costa são um caso a avaliar...

- É curioso que os donos da estação de serviço junto da Torre das Antas não estejam implicados em escutas para favorecer este ou aquele clube...

- Não é preciso recuar muito no tempo para vermos alguns jogos entre FC Porto e Benfica disputados nas Antas em que o mano Costa mais velho fazia arbitragens impolutas e inesquecíveis...

- Anos mais tarde, o mano Costa mais novo decidiu seguir a linhagem e em duas épocas na primeira categoria conseguiu ficar na última época num honroso 16º lugar, logo atrás de Pedro Henriques...

- Também é curioso que os dois manos tenham um processo disciplinar em causa com a FPF...

- Continuando com Costa no nome, Pinto de seu nome não consegue deixar de dormir a pensar no inimigo de estimação. Assim sendo, e talvez influenciado pela presença num castelo logo começou a atacar os mouros e Lisboa...

- Provavelmente esquecendo-se das férias que passou em Marraquexe com Devessa Neto e sem Carolina Salgado, Pinto da Costa continuou com a cruzada envolvendo termos tão significativos para o futebol como a regionalização e a presença da Caixa Geral de Depósitos em outras instituições desportivas...

- Esqueceu-se também que a Império / Bonança é um dos "partners" do FC Porto e que por acaso, pertence ao grupo CGD, mas a folia e influência que estava a provocar nas hostes da Vila da Feira na inauguração de mais uma delegação fez com que não fosse preciso chamar aquele assunto para a mesa...

- Curioso também o papel dos jornalistas nestas ocasiões. O Padrinho fala e relata-se apenas o que ele fala. Não se pergunta, não se questiona, não se investiga. A cassete está colocada e é só carregar no "play"...

As câmaras e a polémica

Minuto 45' + 2' em Alvalade. Pontapé de canto a favor do Paços de Ferreira do lado direito do ataque. A bola sobrevoa a pequena área do Sporting e Ronny num movimento acrobático coloca a bola dentro da baliza de Ricardo. Logo na altura, Ricardo correu em direcção a João Ferreira a pedir mão do jogador do Paços de Ferreira. João Ferreira diz que não viu mão do jogador.

A TV mostra entretanto as diferentes repetições dos diferentes ângulos (entre os quais) um onde não está presente nem o campo do fiscal de linha nem do árbitro onde se vê claramente a mão do jogador do Paços de Ferreira.

Logo as rádios, apoiadas pelas imagens televisivas, dizem que o golo é irregular e os ânimos no Estádio se exaltam e clamam pela justiça que não tinham visto na altura.

Durante o resto do jogo pairou o estigma da injustiça e da piscadela que Ronny lançou para o banco do Paços aquando da saída para o intervalo.

A segunda parte mostrou um Sporting em cima do Paços de Ferreira, com um Peçanha em grande nível e um Bueno que de bom, só tem mesmo o nome.

O Sporting perdeu e decide fazer queixa, porque houve batotice, porque não houve verdade. Esqueceu-se porventura de outros jogos em que foi beneficiado, mas isso agora não interessa nada. O que interessa é que João Ferreira errou e prejudicou o Sporting porque não tinha uma câmara de televisão atrás da baliza para ver a mão de Ronny e assim, coerente e verdadeiro, disse a Ricardo e companheiros que não viu a mão.

Aliás, esse é o problema dos nossos árbitros de hoje: não terem câmaras de televisão para poderem ver os fora-de-jogo, as mãos e os penaltys inexistentes ou duvidosos. Eles têm de decidir na altura e na altura é que conta. Muitas vezes até, os fiscais de linha interferem para o bem e para o mal, mas também eles não têm TV no local para ver.

A simples ideia de tornar o futebol dependente da TV é uma demagogia só assente em teorias americanas de rentabilizar o espectáculo ao máximo e tirar daí o seu significado de imprevisibilidade adjacente a qualquer tipo de desporto em que duas equipas se defrontam.

Se queremos que os árbitros se tornem profissionais, criem as condições. Não lhes peçam para serem aquilo que não são. E acima de tudo, deixem de ter medo de tomar decisões e criar polémica onde ela não há...

Se fosse em Inglaterra

O jogo deste fim de semana entre Sporting e Paços de Ferreira seria repetido...

da mão à cabeça de Luisão

Em Alvalade chora-se a mão. Na Luz festejou-se o pé de Luisão. Dois factos relevantes, que se juntam no irracional: O Sporting perdeu um jogo que não podia perder e o Benfica ganhou um jogo que tinha de ganhar. Ainda mais quando era Carlos Brito, o homem dos grandes resultados na Luz, quem se sentava no banco contrário.
Finalmente uma nota de normalidade: o escriba tanto chateou, que o speaker anunciou Fonseca com o seu nome de guerra. Valha-nos isso!

domingo, 17 de setembro de 2006

Mão

João Ferreira deixou de ter condições para apitar. Roubou o Sporting, logo o sistema o apagará...

quinta-feira, 14 de setembro de 2006

Copenhaga

A pior exibição europeia desde Halmstad. Para onde caminha o Engenheiro?

Confusão

Está à vista de todos.
O Benfica não joga nada.
A época foi mal planeada. Dispensas, reforços, treinador... tudo um desastre.
E quem vai, no fim, responder por isto? Será que o actual presidente vai a votos?
Para onde caminha o Benfica?
O que faz José Veiga no Benfica? Alguém consegue ver uma política de fundo por detrás da gestão do plantel?
Mais. A mais recente divulgação das escutas telefónicas envolvendo o senhor demonstram tudo aquilo que o Benfica não é. O estilo desse senhor é o de outra escola. Uma que representa tudo o que sempre aprendi a desprezar no desporto.
Vamos à bola jogada.
Porquê Fernando Santos? Porque come e cala? Aceita que se troque um Jardel por um Pena ou que se vendam Cristiano Ronaldos e Quaresmas sem que haja compensação devida?
É pouco e, mais grave, revela que os interesses desportivos do Benfica não são a principal preocupação de quem toma decisões no clube.
Porquê Bruno Moura?
Posto de outra forma: Quem é Bruno Moura? O que fez esse senhor para estar no maior clube português? Ninguém sabe e os resultados estão infelizmente à vista.
É só impressão minha ou o Soneca (que saudades...) joga mais à bola a dormir do que qualquer ala este ano contratado pelo Benfica?
João Pereira é pior que Marco Ferreira?
O que se passa no departamento médico do clube? Porque é que os jogadores parecem nunca recuperar completamente de uma lesão? Algum dirigente manifestou preocupação? Pediu esclarecimentos? Despediu alguém? Ou isso só se aplica a benfiquistas como António Gaspar ou Bernardo Vasconcelos?
Quem é que admite que um jogador como Petit seja capitão do Benfica? Já não vou mais longe porque para mim não estava lá há muito tempo. Mas já dando isso de barato, capitão? No clube do sr. Veiga tudo bem. Estamos habituados a Andrés e Paulinhos Santos. Mas o Benfica ainda é o Benfica - ainda que os benfiquistas pareçam andar distraídos - e um capitão do glorioso não pode ter um nível tão baixo.
Miguel, Manuel Fernandes e Tiago. Todos saíram incompatibilizados com quem dirige o clube. Porquê?
Será que o Benfica tem o azar de ver os seus melhores activos transformarem-se de repente em implacáveis mercenários?
E assim chegamos a este ponto. O Benfica não tem plantel, treinador, modelo de jogo ou nada do que se exige a uma equipa profissional. Porquê?
Valham-nos alguns bons jogadores que por lá ainda param. E sorte, muita sorte.
Pelo menos até Outubro.

quarta-feira, 13 de setembro de 2006

O que os move?

O que move José Manuel Fernandes contra o Benfica?
O que provoca tal rancor para que seja assim tão evidente as escolhas das notícias sobre o Apito Dourado?
O que faz com que seja só o Benfica e os seus dirigentes actuais o único clube a ser alvo de tão famigerada investigação?

Será falta de vendas? Ou será perseguição?

P.S. Luis Filipe Vieira ainda não conheceu José Manuel Fernandes pessoalmente como conheceu Pedro Tadeu (director do 24 Horas). Também acho estranho tanto silêncio sobre os factos revelados. Se com Mantorras foi tão lesto, como é que neste caso, não o é?

Já agora, as boas vindas...

... ao nosso novo companheiro!

O papel da Comunicação Social

As escutas que têm sido transcritas no jornal do Eng. Belmiro geraram responsabilidade criminal?

terça-feira, 12 de setembro de 2006

Só faltava José Veiga...

Carlos Freitas e companhia continuam isentos de aparecerem nos jornais. É preciso muito para relembrar o campeonato em que Jardel marcou 42 golos?

P.S. Tal não invalida a vitória justíssima do Sporting hoje à noite perante um Inter arrogante, medroso e a jogar para o empate. Teve o que merecia...

segunda-feira, 11 de setembro de 2006

Primeiro Post

Antes de mais permitam-me dizer, à boa maneira da bola, que é uma honra entrar nesta casa.
Espero ser mais um a trabalhar para ajudar a família a alcançar os seus objectivos.
Resta-me corresponder à confiança depositada em mim com total dedicação e empenho.

Passemos agora a coisas sérias.
Calha-me logo fazer o primeiro post na semana em que:

- Surgem novas divulgações de escutas feitas no âmbito do Apito Dourado.
- O SL Benfica sofre 3 golos num jogo pela 4ª vez em pouco mais de 2 meses.
- Um jogador benfiquista volta a não treinar uma semana inteira e ainda assim joga no fim-de-semana voltando a parar sabe-se lá por quanto tempo.
- O Sporting não se queixou da arbitragem.
- Em Leiria se viu como se fazem treinadores em Portugal.
- O José Guilherme Aguiar cortou o bigode.
- Um adepto benfiquista ousou confrontar o presidente do clube.


É muita matéria que talvez deva repartir por capítulos.
Assim amanhã analisarei a questão Benfica. Sei que é fácil agora criticar o Presidente e Director Geral da SAD do meu clube mas, como o faço há imenso tempo, não é agora que vou parar.

Até breve então.

Paulo Paraty

Chegou à Choupana no último sábado com a sua disposição de sempre: carrancuda e com pouca vontade de falar.

Arbitrou o jogo da maneira que só ele sabe, no entanto, condicionado com o facto de não prejudicar o Sporting.

Depois de provavelmente se ter refastelado com uma espetada madeirense, dirigiu-se a Câmara de Lobos para provar a famosa poncha, de onde saíu em companhias femininas de alto gabarito.

E depois queixem-se da fruta...

Os dois lados da derrota

O lado optimista é que quando o Benfica foi goleado pelo Sporting por 7-1 e houve cadeiras arrancadas e queimadas em Alvalade, bem como cartões rasgados, o Benfica foi Campeão Nacional. Também na época 2004/2005, O Benfica de Trappatoni foi goleado no Restelo por 4-1. Vamos supor que foi um dia mau...

O lado pessimista é que este Benfica de Fernando Santos foi claramente mal pensado. Se o treinador queria implementar um sistema táctico e contratou jogadores para esse sistema, devia utilizá-lo e não mudar um mês depois de experiências e saídas de jogadores. A mudança do mesmo sistema só baralhou e confundiu, como vai confundir até final da época...

P.S. Queria referir só uma palavra: CONDICIONALISMO. E foi isto que se passou na Madeira e no Bessa. A CA da LPFP portou-se mais uma vez à sua miserável altura ao permitir que árbitros intervenientes em escutas e processos legais fossem arbitrar jogos em que participaram Benfica e Sporting, precisamente os clubes envolvidos nas escutas. O resultado foi o que se viu...

João Loureiro

Absolutamente intragável, festejou cada golo do Boavista com se de um orgasmo se tratasse... Com o pai afastado, sabe-se lá porquê, provocou à exaustão os poucos convidados benfiquistas que lá estavam. Porquê?

de novo e de volta

1 - Estou de volta. Para ficar.
Em breve serão anunciadas novidades no ndrangheta, com a entrada de mais dois elementos que prometem destabilizar o desequilibrado jogo que aqui se disputa.
Para mim ficou a tarefa de relatar o que soube durante este Verão (e não foi pouca coisa...). Por ora nada escrevo. Ainda estou aterrorizado com aquilo que vi no Bessa - sim, e não falo do jogo...

quinta-feira, 7 de setembro de 2006

terça-feira, 5 de setembro de 2006

Sugestivo...

Na versão online não vem a versão de papel, mas hoje, o Record orgulhava-se de apresentar um título sugestivo para mais um arquivamento do Ministério Público relativamente a Pinto da Costa e ao Apito Dourado:

Pinto da Costa,2 - MP,0

Palavras para quê?