terça-feira, 31 de julho de 2007

Que surpresa tão grande

Não é que Rui Cerqueira vai deixar a RTP para passar a ser o Director de Comunicação dos azuis e brancos?
E eu a pensar que ele já exercia essa actividade - a avaliar pelos seus "comentários" durante a transmissão dos jogos - há vários anos...

Não gosto de concordar...

Mas, em minha opinião, Fernando Santos é o elo mais fraco do plantel do Benfica. O que não quer dizer que não se deva apoiar e galvanizar o Engenheiro.
Por outro lado, compreendo a opção de o manter a treinar a nossa equipa profissional de futebol. Até porque para o ano, com Rui Costa a ocupar a posição de Veiga, muita coisa vai mudar. Muita mesmo... Penso que até algumas mentalidades...
NB - Não costumo fazer adendas. Mas o Remate Cruzado merece... No dia em que eu não apoiar o treinador do Sport Lisboa e Benfica, corto-os rentes. No dia em que assobiar um jogador que equipe de vermelho, risco-me de sócio (e sou antigo...). Essa é a minha filosofia, essa é a minha religião.
No entanto, (e eu sou dos que saio do estádio sem voz, ali bem no meio do terceiro anel...) nada me impede de aqui dizer o que penso sobre o engenheiro. Assim como o fiz quando, na passada semana, disse a um dirigente do Benfica (não digo quem...) que despedia o Engenheiro depois daquelas disparatadas declarações sobre o Simão. E disse-o assumidamente! Esta direcção, depois de tudo o que fez em prol do Benfica, merecia mais respeito. Nunca aquelas declarações. Pesadelos? Tenho eu quando sei que o Engenheiro não fala com jogadores jovens...
Mas digo mais: quando outro qualquer me falar do Engenheiro, defendo-o. Quando estiver com ele nas Antas, a meio de Agosto, conto-lhas todas. Directamente e sem mediadores...

segunda-feira, 30 de julho de 2007

Explicação Simples

O Benfica é Grande! Muito Grande mesmo!
Tão Grande que neste blog os quatro escribas juntos não conseguem ver medidos os seus níveis de benfiquismo (se alguma vez for possível, avisem!).
Habituados que estão desde muito novos a frequentarem o Estádio da Luz (primeiro o de 120 mil lugares e agora o de 65 mil), cedo se habituaram a um ritmo vencedor com grandes equipas, mas que tinham também grandes treinadores.
Eriksson, Toni, Mortimore, Trapattoni, Camacho e Koeman são referências da História do Benfica que me habituei a admirar. Curiosamente, só um é português.
Todos eles trouxeram algo de bom para o clube, ao contrário de Souness, Heynckes, Manuel José, Artur Jorge, Ebbe Skovdhal e Ivic.
Quando um treinador chega ao Benfica, existe sempre alguém que se lembra da frase de Mário Wilson.
Porque o Benfica é grande demais para não ganhar nada durante uns tempos. Tempos esses que aconteceram durante dez anos e que eu não quero voltar a repetir.
Por isso, um treinador que não consegue manter uma regularidade que vinha sendo constituída, não tem crédito para se manter a "liderar" a equipa de futebol do Benfica.
Em 2003/2004, Camacho conquista a Taça de Portugal frente a um super FC Porto, ficando ainda em 2º lugar e sendo eliminado pelo Inter, em Milão por 4-3, num dos jogos mais vibrantes desde Leverkursen.
Em 2004/2005, Giovanni Trapattoni conquista o campeonato, vai à final da Taça e perde na Taça UEFA com o CSKA Moscovo, não conseguindo a presença na Champions League, à custa do Anderlecht.
Em 2005/2006, Koeman arrecada a Supertaça, vai aos quartos-de-final da Champions, eliminando Manchester United e Liverpool e é afastado da Taça pelo V.Guimarães, num jogo totalmente atípico, acabando ainda em 3º lugar.
Em 2006/2007, Fernando Santos fica em 3º lugar do campeonato, não passa aos oitavos-de-final num grupo com Celtic e Copenhaga, é eliminado pelo Varzim na Taça e mostra uma total incapacidade de liderar um grupo.
As provas estão aí! Não é a busca do sucesso imediato! É a busca da competência que o Benfica merece e que claramente há um ano não o tem no lugar de treinador!

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Uma questão de coerência

Luís Filipe Vieira disse no dia 12 de Julho a Judite de Sousa no programa "Grande Entrevista" que os jogadores mais cobiçados do Benfica tinham cláusulas de rescisão e que só pelos valores das respectivas cláusulas é que os respectivos jogadores saíam do clube.
Questionado sobre o valor de Simão, LFV foi peremptório:"25 milhões de euros!".

Se se confirmar a transferência de Simão Sabrosa para o Atlético de Madrid por 20 milhões de euros e pelo direito de preferência por dois jogadores do mesmo clube, vemos que o Benfica sai lesado na operação.

Não ponho em causa a vontade de Simão de ter querido saído de um clube que sempre o tratou bem e que ele sempre tratou bem o clube que o soube acolher em Portugal, depois de uma experiência falhada em Barcelona.

No entanto, só vejo neste momento dois jogadores do Atlético de Madrid que possam corresponder ao interesse do Benfica e que preencham os requisitos mínimos para envergar tamanho manto sagrado: Zé Castro e Maxi Rodriguéz.

Logicamente que os dois juntos valem muito mais do que os 5 milhões de euros que faltam para juntar aos 20 já mencionados. E também estou a ver o Atlético de Madrid a negar essa pretensão.

A coerência de LFV ficou uma vez mais provada.

P.S. A questão do "direito de preferência" é um termo que fica bem. Aliás, fica sempre bem. Só para os mais esquecidos, quando Geovanni foi "vendido" (dado) ao Cruzeiro, o SLB tinha "direito de preferência" sobre jogadores do Cruzeiro. Por isso, Eliézio e agora Gladstone vieram para Portugal, mas não ficaram nem no Seixal nem na Luz. Ao menos que usem agora o direito de preferência e vão buscar Kerlon. Porque para ter um Costinha ou um Pablo, dispenso...

Post polémico do dia

E se Moreira, no final do seu contrato em 2010, tomar o mesmo caminho que Sokota, Maniche e Ovchinikov tomaram?

Simão e o Tour

Nem sempre um mau negócio é um mau negócio...
A venda de Simão, não sendo estranha, deve ser encarada com muita seriedade. As duas opções que se colocam não são fáceis: investir num jogador de qualidade ou reforçar o orçamento das próximas épocas. Eu preferia a segunda...
Entretanto, tal como disse aos meus amigos, Simão só saiu do Glorioso depois de vencidas as primeiras "obrigações", uma vez que não entrou o seu passe como garantia de reembolso no segundo empréstimo obrigacionista.
NB - A pressão espanhola para que Rasmussen abandonasse o Tour é inqualificável. Numa etapa em que a ETA aproveitou para fazer explodir dois engenhos explosivos, os espanhóis aproveitaram para insultar o dinamarquês até à náusea, chegando, mesmo, a tapar-lhe o caminho do alto dos Pirinéus. Se juntarmos a isto a pressão exercida pelos media e pelo próprio organismo que gere a prova, adicionando a forte pressão dos investidores espanhóis... temos uma salada russa incompreensível. Na verdade, não é o doping que está a matar o ciclismo. São os homens que tutelam os organismos...

terça-feira, 24 de julho de 2007

Vanessa e Telma

Desde que Vieira tomou conta do Benfica que todos nós reconhecemos um novo modo de ver o nosso clube. Pelo menos aqueles que gostam de um clube cumpridor, que respeite contratos, pague a horas, cumpra as suas obrigações fiscais e que, ainda por cima, não precise de vender activos para gerar receitas, primeiro, e lucros, depois.
Se juntarmos a tudo isto a ambição...
A contratação de Telma Monteiro, criando uma secção de judo que já estava, devido ao relevo nacional da modalidade, em falta, revela muito do que é o Benfica de Vieira: um clube ambicioso, eclético e ganhador.
Juntamente com Vanessa, passamos a ter uma dupla para o ouro olímpico, algo que seria único na grandiosa história do Sport Lisboa e Benfica.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Pensava que era inútil discutir isto!

Quem se habituou ao GLORIOSO da era Damásio e Vale e Azevedo, em que tudo era ao acaso, sem o ser..., terá dificuldade em reconhecer mérito a Luís Filipe Vieira e a Manuel Vilarinho.
Quem se habituou a Tauments, Leónidas, Charles e afins, não compreenderá a liderança Vieira.
Mas, em contrapartida, há quem se tenha habituado ao Simão, Luisão, Rui Costa, Petit, Nélson (com muitos ses...), Leo, Tiago, Rocha, e muitos outros. Há, por outro lado, quem tenha podido estar em Barcelona, Liverpool, Milão, Manchester, Paris, etc, etc. Sempre com força e sede de vitória, recordando Vigo e Bastia como períodos do passado...

quinta-feira, 19 de julho de 2007

O Mundo Perfeito

Quem não sabe é como quem não vê. E é por isso que muita gente anda convencida que tudo está bem no Benfica.
Como não sabem, nunca souberam nem nunca procuraram saber o que quer que fosse, lêem uns jornais desportivos e pensam ali ir beber da fonte da sabedoria (um dele até é conhecido como "a Biblia" por isso só deverá conter verdades).
Para essa gente o Benfica deveria ter a sua história revista para que pessoas como Cosme Damião, Borges Coutinho, Ferreira Queimado e outros dessem o seu lugar como ícones de benfiquismo a gente como Luís Filipe Vieira ou José Veiga.
Esses, desconfio eu, não criticam Pinto da Costa e sus muchachos pelo que fizeram e fazem. Criticam-nos por fazerem-no no Porto.
Só assim se justifica que se bata palmas a entrada de gente como Veiga e Jorge Gomes no Benfica.
Ou então, e se calhar é o mais provavel, aplaudem-nos porque não sabem quem foram, o que são, o que fizeram ou o que fazem. Passam os olhos pelos jornais e debitam depois o maior conjunto de imbecilidades com um porte altivo de quem sabe do que fala porque o leu num jornal desportivo qualquer.
Soubessem eles que a frase "Controlem os árbitros e a comunicação social que eu com uma equipa decente os farei sempre campeões." (não vos vou dizer o autor, informem-se por uma vez na vida) foi posta em prática em Portugal com os resultados visíveis e talvez vissem as notícias de outra forma.
Assim, acreditam que no Benfica ganhar uma supertça e um campeonato em 3 anos é um feito.
Curioso é que a maior parte deles fala com desprezo de Toni, mais benfiquista que todos eles juntos, que nos levou a uma final da TCE com uma equipa de 3a divisão europeia, conquistou 2 campeonatos etc etc.
E porquê? Porque a tal fonte da sabedoria onde todos eles vão beber mata qualquer símbolo do Benfica.
Dizer que sem Veiga não teriamos tido Miccolis (que grande perda que isso seria realmente) é o mesmo que dizer que não tivemos Eusébios, Colunas, Chalanas, Diamantinos, Valdos, Mozers, Ricardos and so on. E quem é o Miccoli? O que é que o Miccoli ganhou? Tirando o ter recusado ir para o Porto, que fez ele de significativo pelo Benfica?
Mais um mito da comunicação social.
Entretanto o Nuno Gomes, com mais de 100 golos pelo Benfica é assobiado. Que bonito...
O Benfica sempre teve e sempre terá capacidade para atrair os melhores jogadores do Mundo. Desde que seja bem gerido.

Continuo a querer acreditar que Luís Filipe Vieira é benfiquista e que quer que o Benfica ganhe. Quero continuar a acreditar que apenas divergimos na maneira como achamos que o Benfica deve ganhar.
Mas a contratação de mais um inimigo de sempre do Benfica deixa-me muito apreensivo.

terça-feira, 17 de julho de 2007

Butt?

1 - Porque não? Parece-me que é certeira... Eu estava com receio que enfiássemos o barrete com outro nome que para aí andava. Mas não...

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Não há stress

Depois de uma semana conturbada e movimentada ao nível dos comentários, é bom que fique claro e independentemente dos pedidos de muitos, que a minha opinião relativamente ao trabalho de José Veiga no Benfica não é meritório do meu consenso, como o é à maioria dos benfiquistas.

É tão meritório para mim, como quando em 1997, Vale e Azevedo ganhou as eleições e durante três anos era defendido por todos e mais alguns. Em 1997, para que se saiba, votei em Luís Tadeu.

Convém que se diga também que o futebol é fértil em esquecimentos rápidos e como tal, eu também posso ser atingido por esses esquecimentos, mas há outras situações que não se esquecem.
Não me esqueço da saída de João Vieira Pinto (com um grande "amigo" a seu lado que não recebeu comissão nenhuma). Não me esqueço de quem pediu a Paulo Sousa para rescindir contrato com o Benfica, com a promessa de que iria jogar para a Juventus. Não me esqueço de quem contratou Ovchinikov para o Alverca, em trânsito para o FC Porto, assim como Maniche e Deco. Não me esqueço de quem comprou cinco (5!!!!) jogadores a um Alverca que tinha acabado de descer de divisão e que desses cinco jogadores, apenas Manú se mantém e mesmo assim, já esteve emprestado. (Para quem não se lembra, foi Amoreirinha, Rodolfo Lima, Ronald Garcia, Manú e Zé Rui...)

Lembro-me efectivamente, que houve quem fosse buscar Léo, Anderson (que agora todos criticam, mas que há dois anos era excelente), Geovanni e outros bons jogadores para o Benfica. Mas também foi buscar Paulo Jorge, Marco Ferreira, Moretto, Marcel, Manduca, Robert e outros para encher o bolso. E isso não aceito.

Assim como agora se despacha Moretto e se vai buscar Butt, com 33 anos.

Não é por acaso que Camacho não quis renovar contrato. Não é por acaso que Trapattoni preferiu ir para a Alemanha. Não é por acaso que Koeman foi "vendido" para o PSV e só Fernando Santos permanece. Porque é do sistema. Porque gosta do sistema e porque é beneficiado com o sistema. Ou é por acaso que ele treina os 3 grandes em Portugal por causa da sua reconhecida capacidade técnica?

Não há stress da minha parte. Enquanto houverem dedos para escrever e José Veiga "resolver as negociações" (como diz LFV), bem podem levar comigo a vociferar contra esse tentáculo do polvo que governa o futebol português há mais de três décadas.

P.S. Domingos Soares de Oliveira é uva de outra casta. Bem podem apregoar que o homem é lagarto, mas que é competente, isso não há margem para dúvidas. Podemos até entrar em comparações, mas José Veiga ganhou o quê em 3 anos (3 anos!!!)? 1 Campeonato e 1 Supertaça ao V.Setúbal! Comparem o que quiserem...

Joaquim Teixeira obrigado a emigrar

«Para mim, Portugal acabou!»

Até que enfim. E se conseguires convecer uns amigos teus a acompanharem-te a malta por cá agradece.

quarta-feira, 11 de julho de 2007

A discussão vai bonita...

Enquanto no post aqui por baixo há um confronto - democrático, evidentemente - engraçado, do género: "eu sou mais benfiquista porque não gosto do Veiga!", "não, o Veiga é grande...", "não, não, é tripeiro!"... Acabam de me telefonar a garantir que Veiga assegurou um guarda-redes para o nosso plantel, colocando Moretto noutra esfera...
Apesar de me dizerem, habitualmente, que nada do que aqui escrevo se torna verdade, veremos o que aí vem.
Mas há mais... parece que o meio campo pode ter dois reforços: um com grande experiência e que já nos deu alguns dissabores e outro brasileiro, em início de carreira... Se o segundo já anda meio apalavrado, o primeiro vai ser um bico de obra. Até porque há muita gente atrás do homem. Só que ele parece inclinado para Portugal...
Contam-me, também, que em Alvalade se bebeu espumante - os homens não têm dinheiro para mais...- à conta do Ricardo. Na folha de ordenados trocar-se-ão 75000€ por mês (mais luvas), por uns míseros 20000€. E o que aí vem não é nada mau... e não é que não é mesmo!
PS - Domingos Oliveira está de parabéns. Uma gestão executiva de se lhe tirar o chapéu. Por outro lado, o homem converteu-se ao benfiquismo, sendo lagarto desde pequeno. Sabendo que na praça não há outro igual e que já rejeitou propostas do Sporting e do Porto, resta saber se o Mister D também defende que o homem deve abandonar o barco...
PS 2 - O central que o Porto vai buscar será mesmo Manuel da Costa? E que tal uma chapadinha à moda do Papa e ir buscar o irmão do Luisão?

terça-feira, 10 de julho de 2007

Benfiquista que se preze

Não aceita Dragões de Ouro no seu plantel principal de futebol ou de qualquer outra modalidade...

Não aceita também Presidentes sócios daquela agremiação do Norte que dá pelo nome de FC Porto...

Penso que é consensual...pelo menos, entre os benfiquistas!
Apesar do parceiro aqui do blog continuar a destilar ódio em tudo aquilo que Veiga toca, continua a parecer-me que a temporada do Glorioso continua a ser bem planeada. Parece-me, apenas, que falta um médio centro que ganhe bolas altas - Katsouranis não chega - e um guarda-redes que supra as falhas dos actuais. Virão?

sexta-feira, 6 de julho de 2007

Um já foi...falta outro

Rodolfo Moura não gostou da nova composição do departamento médico do Benfica e bateu com a porta. Desta situação, há várias coisas a reter e que não são perceptíveis logo à primeira:

- As decisões foram tomadas sem o seu conhecimento, o que é de facto estranho, uma vez que era ele que coordenava o departamento

- Se Rodolfo Moura tinha o seu "peso" dentro do departamento e tanta questão fez de levar o seu filho Bruno para preparador físico da equipa, porque é que os dois não se despediram?

É no mínimo estranho esta situação, uma vez que havia um gestor para o futebol e agora parece que o futebol não tem gestão. Tudo para iludir o adepto e "exigir" o regresso de Veiga.

Pessoalmente, não gosto de nenhum dos dois personagens aqui referidos. Se Rodolfo Moura é um profissional exemplar, um verdadeiro "workaholic", também é de outra filiação que não a encarnada e quando assim é, prefiro ver profissionais da verdadeira cor, como por exemplo António Gaspar.

Continuando com o clã Moura, o filho Bruno também podia seguir os passos do pai. Não é à toa que as lesões vão voltar a aparecer. Não é à toa que Luisão está há tanto tempo parado e não é à toa que Rio Ave e Alverca (clubes por onde o menino passou) desceram de divisão na mesma época onde o preparador físico estava.

O Benfica é grande de mais para Bruno Moura, quer ele queira ou não. Espero que os mesmos que tomaram a decisão de remodelar o departamento, tenham em conta que os serviços por ele prestados não sejam condizentes para um clube com a dimensão do Glorioso...

NOTA ACRESCENTADA - Após uma melhor pesquisa, afinal não é o Alverca, mas sim o Moreirense o clube em questão. Aliás, este facto já foi complementado com o comentário ao mesmo post. No entanto, fica a pergunta no ar: Depois do Alverca e do Moreirense, quais os feitos que justificam Bruno Moura chegar ao Benfica?

quarta-feira, 4 de julho de 2007