quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

104 Anos




- 31 Campeonatos de Portugal de Futebol
- 24 Taças de Portugal de Futebol
- 2 Taças dos Campeões Europeus de Futebol
- 8 Finais Europeias de Futebol
- 20 Campeonatos Nacionais de Basquetebol
- 18 Taças de Portugal de Basquetebol
- 7 Supertaças de Basquetebol
- 9 vitórias colectivas na Volta a Portugal em Ciclismo
- 20 Campeonatos Nacionais de Hóquei em Patins
- 11 Taças de Portugal de Hóquei em Patins

Jogadores Famosos:
- Eusébio
- Coluna
- Germano
- José Águas
- Costa Pereira
- Torres
- José Augusto
- Simões
- Cavém
- Humberto Coelho
- Chalana
- Toni
- Shéu
- Bento
- Carlos Manuel
- Vitor Baptista
- Shéu Han
- Néné
- Diamantino
- Magnusson
- Maniche
- Stromberg
- Mozer
- Ricardo Gomes
- Valdo
- Preud'Homme
- João Vieira Pinto
- Rui Costa
- Paulo Sousa
- Veloso
- Vitor Paneira
- Isaías
- Kulkov
- Schwarz
- Thern
- Caniggia
- Stanic
- Nuno Gomes
- Poborsky
- Tiago
- Van Hooijdonk
- Simão Sabrosa
- Luisão
- Karagounis
- Katsouranis
- Léo

Estes são só alguns de uma lista enorme.

Por mais Vales e Pneus que te ponham, serás sempre o Glorioso, aquele que tem a mística e o grande, o maior, o enorme deste Portugal tão pequenino para ti.

Muitos Parabéns, SPORT LISBOA E BENFICA!!!

P.S. O palmarés foi retirado da Wikipédia, com a devida vénia...

Plaza de Amarelo!

No dia de aniversário, um atleta do Sport Lisboa e Benfica veste a camisola amarela, em Valência, batendo a concorrência. Um dia em cheio!

há sondagens assim...

Quase tão estranho com esta amostra de sondagem que por aqui anda dar o Peseiro como preferido, uma sondagem no site do BOCA JUNIORS - este bolg, caso não saibam, vive da rivalidade dos seus criadores... um torce pelo Boca e o outro pelo River (como se fosse possível alguém ser do River...!) - indica que Riquelme é o ídolo dos adeptos, relegando El Pibe para o segundo posto.
Não me quero referir ao resultado da sondagem, nem entrar pelo sinuoso mundo dos hinchas do Boca. Não quero, tão pouco, aferir da legitimidade de submeter Deus a uma sondagem. Apenas quero que saibam que eu nem sempre acredito na democracia....

A falência do sistema táctico de Camacho

Rui Costa, ontem, devia ter ficado em casa, a descansar e a preparar-se para os jogos difíceis que se aproximam. Nem para o banco devia ter ido!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

entrada de águia!

Grande entrada do Benfica na Volta à Comunidade Valenciana, com Petrov e Plaza a mostrarem que estão para as curvas!
Com Barbosa e Azevedo a guardarem-se para Portugal, cabe ao pelotão espanhol defender a honra da águia em Espanha. Assim como assim, aí se joga a entrada do Glorioso no pelotão da Vuelta nesta época, ou na de 2009...
Por outro lado, cabe saber se não entrarmos na Vuelta este ano - o que é mais provável! -, como vão chegar Petrov, Jimenez e Plaza à Volta a Portugal, sendo que Plaza é, de longe, o melhor ciclista do pelotão nacional? Não estará Orlando Rodrigues a cometer um erro?
Creio que não. A aposta é arriscada, mas a Volta a Portugal é curta. Apesar da grande equipa que a Liberty construiu...

Palavras...

"Não gosto do futebol da equipa."

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Diferenças...

O Benfica de Fernando Santos tinha uma virtude muito importante que seria o factor casa. Na época 2006/2007 não perdeu um único jogo e empatou 4 jogos, sendo 2 dos adversários directos, Porto e Sporting e os outros 2 contra o Braga e Boavista (num famoso 0-0 angstiante), sendo que este ano o Benfica já perdeu a conta dos pontos perdidos nos jogos em casa.
Perguntamos nós quais as diferenças, pois está claro que no treinador não será, ambos terão lacunas diferentes mas demasiadas tento em conta o nível exigido.
Katsouranis foi fantástico o ano passado pois jogou onde sabe melhor ao contrário de este ano em que na maioria dos jogos que executou foi a central, onde existia uma dupla rotinada entre Luisão e Ricardo Rocha (não sendo fantásticos funcionava bem) sendo que apenas resultou até a saida de Ricardo e lesão do Luisão onde passaram a existir os mesmo problemas defensivos dos dias que correm (continuamos sem aprender com o passado).
Depois havia um jogador fundamental no ritmo de jogo que era Simão, pois onde quer que fosse a sua localização tactica impunha um ritmo acelerado apoiado por Katsouranis (onde muitas vezes aparecia na zona de finalização) e Micolli (nas alturas em que não se encontrava lesionado) que permitia movimentação, ritmos diferentes, e um contra-ataque bastante mais eficaz não tornado o futebol complexo e denuciado como nos dias de hoje.
Não podemos esquecer os livres de Simão, pois pergunto-vos quantos golos têm o Benfica este ano de livres? ou mesmo de bolas paradas como cantos?
Existia até um Petit que defensivamente funcionava bem melhor pois não estava obrigado a jogar lesionado(não entendo por insiste Camacho em jogar com 2 médios defensivos em casa, quando não se encontram 3 no onze inicial).
Temos este ano um Rui Costa mas que embora seja o melhor, já não tem a velocidade de outros tempos sendo que os seus colegas não têm a sua mentalidade forte e serena de um campeão, sendo uns miudos que correm mais do que pensam, imaginando-se num qualquer jogo de praia onde nem imaginam a importância da camisola que usam.
Temos hoje um futebol demasiado denuciado, lento, previsível e complexo, onde se insiste em situações de jogo que apenas benefeciam o adversário, sendo que tipicamente descemos a qualidade de jogo por termos trocarmos algumas peças sejam elas para fora da equipa ou mesmo internamente.

Mas será que sou eu que vejo mal ou a fórmula da estabilidade parece ser simples?

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Com tanta experiência...

Que problema tem Camacho com Adu?

E que raio custa colocar o miúdo a jogar nas costas do Cardozo, aproveitando um maior recuo do Rui Costa para este pensar melhor o jogo?

Caramba...O que é que custa experimentar?

Ainda existem vozes à Benfica.

'Humberto Coelho, um histórico do clube encarnado, põe o dedo na ferida, em entrevista a Bola Branca: "O Benfica tem que jogar para ganhar!"O Benfica, nunca perdeu tantos pontos em casa. Em 10 jogos na Luz esta época apenas ganhou 4, tendo perdido 13 pontos.Humberto Coelho acha que o Benfica já não é o que era, e hoje os adversários não temem as visitas á Luz.E essa é a grande diferença do Benfica para o FC Porto. A força, a jogar em casa.Humberto Coelho entende que mesmo que financeiramente seja benéfico para o clube, o Benfica não se pode contentar com o 2º lugar. O Benfica tem que jogar para ganhar e para ser primeiro, invertendo a actual tendência.
Humberto Coelho foi oito vezes campeão pelo Benfica e capitão da equipa encarnada. Comandava a defesa e hoje faz o diagnóstico a uma defesa que em casa já perdeu 13 pontos.Humberto acha que a defesa sente medo e falta de confiança na abordagem dos lances dos adversários, por falta de cobertura. Finalmente, Humberto Coelho entende que no Benfica é o colectivo que tem de sobressair e não os valores individuais. Só um Benfica forte colectivamente, pode pensar em ganhar. E hoje a equipa este muito dependente de um nome, Rui Costa.'

Incrível! Incrível!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

A confirmar-se esta notícia, o futebol pode dormir descansado. Quando o Mestre volta ao local do crime, a origem volta a encontar-se com a espécie. Não há uma sem duas...

campanhas

1 - há uma campanha organizada contra o Bynia. Até a compreendo... só não percebo como é que há benfiquistas que embarcam em arco!
2 - o Porto europeu de ontem foi uma caricatura. Contra uma equipa claramente inferior, Jesualdo falhou em todos os planos: psicológico, táctico e fisíco. Antevejo dificuldades nas Antas...
3 - em Nuremberga, Katsouranis volta a jogar a central. Está certo que o homem é o melhor central do plantel - embora Luisão em forma seja outra coisa. Mas a quem é que vamos entregar o meio campo? A Petit? Deixem-me rir...
4 - Mancini, ontem, decidiu que o melhor jogador do meio campo do Internazionale (nos últimos jogos, é certo) ficava de fora. Refiro-me, obviamente, a Pélé. Compreende-se, face à inexperiência do jogador. Mas começa a ser impossível de perceber porque é que Scolari não pensa no homem para o nosso meio campo defensivo... Pode ser que Figo telefone ao padrinho...
5 - Cardozo e Makukula? Makukula e Cardozo? Só um? O futebol português é fraco de ideias. É evidente que, se não jogarmos com dois extremos bem abertos, podem jogar os dois, sem qualquer problema. O problema começa com os dois na frente e dois extremos colados à linha... Já com João Tomás e Von Hoijdonk tive esta discussão: com duas torres, a linha de fundo deve ser uma miragem...

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

O costume

- No Funchal, talvez devido ao clima tropical que se avizinhava, Pedro Henriques deixou Lisandro López praticar uma aula de karaté num jogo de futebol. Além disso, ainda deixou os jogadores do banco do FC Porto entrarem em campo, porque os mesmos têm saudades de jogar, tal é a rotação que Jesualdo permite. No final do circo, apenas um jogador do Marítimo foi contemplado com o cartão amarelo. Imaginem se a mesma situação que Lisandro criou fosse com algum outro jogador e esse jogador equipasse de vermelho, com o símbolo de uma águia ao peito. No final da partida, Lisandro estava com mais dois golos para a sua coroação como melhor marcador...

- Na Figueira da Foz, Ulisses Morais apenas "respondeu" aos jornalistas. A pergunta do jornalista foi: "Os lançamentos de Binya foram legais?", e o treinador disse: "O que as regras dizem é que os pés têm de estar assentes no chão e ele não o fez, beneficia disso para fazer os lançamentos mais longos. Não estou a lamentar, estou só a responder às vossas perguntas." Acho estranho duas coisas: a primeira é um jornalista saber de um dia para o outro que os lançamentos do Bynia são ilegais, pelo menos tendo em conta o teor da pergunta. A outra é que ninguém questionou Jesualdo Ferreira o ano passado, aquando do FC Porto - Benfica, em que Fucile faz o lançamento lateral que deu o terceiro golo do FCP dentro do campo...

Bynia

Volta o trinco, voltam as vitórias tranquilas...

Parabéns...

O Benfica iniciou a caminha do Play-Off de Voleibol com uma vitória esclarecedora que espero que continue até ao fim e possamos regressar as conquistas nas modalidades.

Mentalidades...

Só em Portugal é que existe o complexo da idade e faz-me confusão, porque pela Europa fora muito clubes renovam e fazem contratos com jogadores experientes. Paulo Ferreira renovou por mais 5 anos com o Chelsea e ficará por lá até aos 34 anos.

Aqui em portugal existe sempre a dúvida de renovar contrato com jogadores com mais de 30 anos mesmo que sejam titulares indiscutíveis (algo que o P. Ferreira não é) principalmente se não forem indiscutíveis.

O Benfica têm em mãos a situação de Léo, jogador
indiscutível e empurrou um outro para fora do Benfica que nunca permitiu que lhe roubasse o lugar, mas existe o preconceito da idade, sendo que preferimos sempre jogadores inexperientes e jovens, talvez porque se vendem mais facilmente e por valores superiores em vez de manter a estabilidade de jogadores que ainda podem dar muito ao Benfica tal como o Rui que aos 36 anos (irá faze-los no mês que vem) parece jogar com a alma e o corpo de um miudo de 20, nunca pensando que são os experientes que permitem que não falhemos nos momentos cruciais ou que provocam infantilidades no estilo de jogo muito vezes mais bonito que eficaz.

A capacidade física terá de ser obviamente avaliada mas um jogador não se limita a isso, pois se assim fosse o Figo, o Patrick Vieira, Materazzi, Maldini, Nesta, Inzaghi, NedVed, Del Piero, Van Nistelrooy, Cannavaro,
Thierry Henry e Thuram só para dar alguns exemplos nunca seriam titulares ou renovariam pelos seus clubes com a avançada idade, sendo que ao nosso nível teremos os nossos jogadores tal como Léo, Rui Costa, Nuno Gomes, Quim e Petit jogadores em final de carreira mas que deverão sempre jogar até que com calma e serenidade seja encontrado um substituto a altura, com algum tempo de Benfica, que não jogue regularmente mas que tenha a noção que estará a evoluir até que se tornará indiscutível tal como Kaká se tornou no lugar de Rui Costa.

A esta renovação lenta chama-se política de formação, estratégia na
conjunção das camadas jovens com o plantel principal.

Este fim de semana Pele jogou a titular pelo Inter de Milão no lugar de Patrick Vieira, sendo que efetuou uma boa partida e sabe que tem um jogador da sua frente que não será titular para toda a vida, e terá de aprender com ele tal como o clube deverá preparar a sua substituição ao longo da temporada (esta e a próxima) é a penas mais um exemplo do fundamental dentro de uma estratégia, em que nunca se deve vender sem ter um jogador preparado para o substituir, tal como aconteceu com as vendas de Manuel Fernandes, Simão e Ricardo Rocha no ano passado que foram vendidos sem existir jogadores no plantel preparados para o substituir e esperando-se que um jogador que chega a velocidade cósmica seja milagreiro.

Só mesmo em Portugal...

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

INFERNO...

Não sei se será da idade mas fico saudoso das noites europeias, do Benfica dos anos 80 onde podíamos perder por 10 fora e acreditávamos sempre poder passar. Obviamente perder por 10 torna a história uma pouco irrealista, mas o ambiente, a atmosfera, os autocarros vindos dos vários recantos do Portugal profundo parados no parque de areia junto ao antigo pavilhão, os encontros de amigos no Ponto Vermelho, demonstrava tudo aquilo pelo qual o mundo parava e só se respirava Benfica.

Tínhamos a convicção que o ambiente iria ser aterrador para quem vinha à Luz, por isso me faz confusão que os mais novos já não se lembram porque razão lhe chamávamos o INFERNO DA LUZ .

Tínhamos a sensação que países como a Grécia e Turquia têm hoje em noites europeias, estádio a abarrotar, euforia total, ambiente hostil para quem vem jogar, nos dias de hoje apenas mostra as noites frias de um ambiente estranho mas idêntico ao que senti quando visitei o CAMP NOU pela primeira vez em 99.

Estava de visita a Barcelona onde tive a oportunidade de ver um Barcelona-Numância para o campeonato, num estádio em muito idêntico ao do Benfica a gelar lá bem alto como se no 3º Anel da Luz me encontrasse, e qual não foi o meu espanto quando cerca de 50 mil pessoas se ouvia menos que 5 portugueses de gargantas afinadas que um estádio cheio de catalães numa exibição rasca ao nível de um jogo da Liga Vitalis, bem parecido com o que se ouviu ontem na luz por apenas 5 mil.

Eu que por momentos pensei que o ambiente de barcelona naquela noite de outono era frio percebi que afinal seria apenas que era o calor dos adeptos demasiado fraco para criar atmosfera onde não houve temperatura, onde o tempo e o mundo pudesse parar não permitindo que a voz parasse de exaustão antes do apito final como muitas noites senti no saudoso INFERNO.

Apenas parecido na arquitectura de anos longínquos, mas em quase nada igual, pois podiam dar-se ao luxo de não ter publicidade nas camisolas, podiam dar-se ao luxo de ter equipas gigantes e milionárias, mas não tinham a fusão de um só (jogadores e adeptos) , a vibração e exaltação, euforia total e o ambiente hostil que muitas equipas receavam na luz, tinham medo do nosso saudoso INFERNO.

Por isso a culpa não não pode morrer solteira e como se de um casal fossemos (clube e adeptos) quando a relação anda agreste devemos pensar numa coisa, que também somos culpados por não demonstrar o nosso apoio, e criar um ambiente em casa (seja em que lugar da tabela estivermos) que nos seja confortavél, para nós e para os jogadores, que possamos dar-lhe vida e alma e voltar a acender a chama de uma relação umbilicalmente ligada até deixarmos de existir.

Por isso se pretendemos ganhar e exigir dos jogadores devemos primeiro olhar para o umbigo e ver o quanto errados estamos, para nos 90 minutos que nos encontramos em solo sagrado esquecer tudo e todos e gritar bem mais alto do que uns miseráveis 5 mil alemães, para podermos sair aliviamos de que cumprimos o nosso dever e não apenas considerar que os jogadores é que devem fazer tudo pois afinal eu é que lhes pago o ordenado por gastar os meus poucos euritos num simples bilhete.

Pois bem sendo assim mais vale ficarem em casa ou irem ver a bola num café pois será a mesma coisa que ler um jornal enquanto se faz amor, mas mais barato pois continuam com os euritos no bolso e podem ficam descansados que os jogadores continuarão a receber o ordenado.

E todas estas palavras tristes para dizer que tenho saudades das noites em que nós (os adeptos e os jogadores) juntos nos transformávamos num gigante guardião do INFERNO nunca permitindo a entrada de alguém que mudasse este sentimento...

Imparcialidade...

Nenhum jogador gosta de ser substituído, mas pelo menos só demonstrou que pretendia continuar a jogar ao contrário de alguns que se dão ao luxo de dizer tudo o que seja de "braga para cima" e poder sair impunes porque são simplesmente vedetas. Há uns que os têm e outros ficam a ouvir...

P.S.-Quem escreve deveria ser mais imparcial e não divulgar apenas o que convém esquecendo coisas idênticas de clubes do Norte, tornando a opinião pública dos mais mal preparados ou desconhecedores da verdade induzida em erro, apenas porque procuram ler aquilo que não viram ou assistiram.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Agora anda calado!

O nosso Presidente, que escolhe sempre um timing para falar o que não deve, deveria mostrar a indignação que move os benfiquistas, depois da nomeação para o jogo do próximo fim-de-semana.

Há três semanas, Paulo Costa e o seu acólito Nuno Manso fizeram o que fizeram no Estádio da Luz, perante a passividade das suas gentes.

Duas jornadas depois, calha o irmão do dito Costa, que por ter o mesmo nome do Maestro, até me causa agonia chamar-lhe o mesmo que o nº10.

Assim sendo, o regabofe continua e o nosso Presidente deveria insurgir-se contra esta nomeação. Quanto mais não seja, para mostrar que o clube ainda se dá ao respeito e obriga as outras pessoas a respeitarem a instituição.

Volto a fazer a pergunta: A agência de comunicação que trabalha com o Benfica está lá a fazer o quê?

UCI...

A equipa de Ciclismo não recebeu o WildCard para poder participar nas provas da UCI, o que representa a baixa qualidade na gestão desportiva da equipa, pois as situações de dopping e os maus resultados demonstraram que infelizmente o percurso do ciclismo do Benfica será muito mais acidentado do que se previa.Este é o maior fracasso desportivo da época sendo muito mais devastador do que qualquer mau resultado nas provas em que o Benfica participará.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Cebola, ou cebolada?

A história das cebolas

Imaginemos que existe um conjunto de empresários que detém os passes de dois jogadores uruguaios. Um é jogador do Sp.Cristal, esse portento do futebol sul-americano e o outro está no Paris SG sem jogar. Surge a possibilidade de se valorizarem, indo para um grande clube europeu, que disputa nomeadamente a Champions League. O conjunto de empresários não se faz rogado e assim, consegue colocar os dois jogadores no dito clube. Fazendo bem as contas, um é um razoável jogador e o outro um medíocre jogador. O razoável jogador assina um contrato com a duração de um ano, na condição de emprestado, tendo em vista ou a execução do contrato ou a venda do passe para outro clube. O jogador medíocre assina um contrato com a duração de 5 anos.

Entretanto, já tinha chegado um treinador e a ideia passa pela valorização dos dois activos (que nome tão bonito para jogadores da bola) ao serviço do clube. Um para ser reconhecido e contratado, o outro para ser vendido. Ao fim de um tempo, o razoável jogador consegue convencer alguns de que afinal tem uma margem de progressão ainda possível de melhorar (afinal tem só 21 anos) e o outro confirma a sua mediocridade.

O conjunto de empresários, ávidos de quererem rentabilizar os jogadores, começam a fazer exigências, nomeadamente no caso do jogador razoável. Estipulam um preço mínimo, que muitos consideram exagerado. Mas também só compra quem quer estar disposto a pagar.

Surge o final da época e o jogador razoável procura outras paragens, ficando o jogador medíocre.

Chega um treinador novo e começa a avaliar o plantel que tem à sua disposição. Olha para o jogador medíocre e vê que o mesmo não tem espaço para estar no plantel. Ou é emprestado, ou é vendido, ou é dispensado. Se for emprestado, pode voltar ao país de origem. Se for vendido, é complicado porque não sei que irá comprar tal jogador. Se for dispensado, tem de se dar a indemnização respectiva. Uma indemnização que custará 4 anos de salários + prémios.

Quem fica a ganhar? Quem tem a comissão sobre o jogador, porque assim ganha sempre de duas maneiras. Sobre o jogador razoável e sobre o jogador medíocre.

Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência...

Farinhas...

Tal como o seu amigo Sr. Nuno Luz, o Sr. Nuno Farinha (só os nomes já mostram as afinidades) teve ter umas diarreias cerebrais quando escreve. Ou isso ou escreve no WC.

Meu caro Sr. Farinha a sua crónica de hoje no Jonal Record mostra claramente integra análise das palavras do Luisão.

O Luisão é só e apenas um dos capitães do Benfica, algo que atingiu com todo o mérito sendo um líder nato dentro do plantel, uma voz que pode ser pertubadora para as mentes fracas e fechadas de jogadores que procuram algo diferente daquilo que ele coloca em campo tal como qualquer capitão do Benfica o deve fazer.

A defesa do Benfica e do seu profissionalismo é demonstrada com toda a razão pelas palavras duras que teve com Katsouranis (que cometeu um erro crasso na jogada de Setubal) tal como respondeu a letra a um intruso no plantel da Luz.

Mozer pela posição que teve e procurou ter enquanto vestiu a camisola vermelha deveria estar calado em vez de minar um balneário (solo sagrado que ele tambem pisou) a não ser que suas intenções mercenárias tenham um objectivo não divulgado na presente data.

Luisão ultrapassou todos os problemas internos que houve mas tal como eu deve-se sentir frustrado por pretender mais para uma camisola que veste há cinco anos (algo que o Sr. Farinha nem deve saber pois gostou de trocar a sua por algo mercenário) e a defende sendo dentro ou fora de campo.

Eu entendo que depois de Cardozo começar a marcar teriam de escolher outra pessoa, mas que tal pedir ao seu amigo Sr. Nuno Luz para a próxima perguntar ao Quaresma porque mandou o Jesualdo Ferreira para o "caralho" e lhe chamou "Filho da Puta" após a sua recente substituição?

Será dificuldade em aceitar a tal crítica que falou sobre o Luisão?

Ou apenas o aproveitamento de situações para poder ficar no mesmo circulo de amigos que o amigo Luz...

Qualidade...

Como foi divulgado pelos dados analisados no último jogo com a ajuda de novas tecnologias ficou demonstrado aquilo que todos vemos domingo após domingo, que o problema do Benfica afinal não será apenas de qualidade técnica mas também de mentalidade e atitude (qualidades fundamentais para que um jogador esteja num patamar futebolístico elevado).

Quando o jogador mais velho do plantel se torna no jogador com mais sprints em campo diz muito da razão pela qual é admirado pelos adeptos e colegas, pois a sua entrega é entusiasmante, fazendo delirar quem assiste ao perfume do seu futebol por cada vez que toca na bola.

Por isso acreditamos que ele será capaz da diferença, por isso colocamos toda a esperança nele, apenas e só porque ele também acredita, apenas e só porque ele também sente, também vibra, e também sonha como de uma criança se tratasse ao jogar por prazer ao invés de procurar a fama e fortuna como alguns legumes que habitam dentro do mesmo balneário.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Benfica 4 - 1 Paços Ferreira

- José Mota tem razão! Há um fora-de-jogo a Wesley que foi marcado e que poderia ter dado o segundo golo do Paços de Ferreira, ontem na Luz, tornando o jogo "mais difícil" para o Benfica e com "menores possibilidades" de ganhar. Há três semanas, Nuno Manso fez o mesmo a Nuno Gomes, tornando o jogo mais difícil para o Benfica e com claras possibilidades baixas de ganhar, como se veio a provar...

- Maxi Pereira ainda está para saber (na minha humilde opinião de quem lhe paga o salário) o que faz no Estádio da luz, de 15 em 15 dias. É que para pisar aquele relvado, é preciso ter alguma classe, ainda para mais envergando o manto sagrado. E isso Maxi Pereira não tem de certeza absoluta...

- Camacho continua a viver um equívoco. Prefere dar o meio-campo a Maxi em deterimento de Nuno Assis. Ou seja, um médio criativo tem de jogar nas pontas e um "mono" é que tem de assegurar as transições defesa-ataque e ataque-defesa. Basta verem na segunda parte, quantas bolas Rui Costa passou ao seu companheiro lateral na zona central do meio-campo. Eu contei 2!

- Tiago Valente fez duas faltas puníveis com cartão amarelo e foi expulso. Não percebo a indignação de Paulo Sousa junto do fiscal de linha. Como já disse o Cosimo, até os penaltys legais na Luz agora são um escândalo.

- Tivesse José Mota optado por uma estratégia mais ofensiva e não tivesse jogado com três trincos (Filipe Anunciação, Paulo Sousa e Pedrinha) e talvez tivesse mesmo sido feliz na Luz. Assim, optou pela desculpa do costume quando vem à Luz: o árbitro! Tomara que quando é roubado noutras casas opte pelo mesmo discurso, usando sempre o seu chapéu da JCA.

- Uma palavra final para a transmissão da SIC e para Nuno Luz. Já todos sabemos que o rapaz é burro e não percebe nada de bola. Dá-se bem com os jogadores, com os presidentes e com os empresários e é por isso que está onde está. Mas já que tem algum orgulho em se afirmar como jornalista, este montijense poderia ter arranjado alguma informação sobre as equipas. Escusava de dizer no flash-interview: "Tenho agora aqui um jogador do Paços de Ferreira!" Um jogador? Por acaso até era Paulo Sousa, mas bastava olhar para os calções e ver o número. Não custava nada.
A entrevista, no mesmo flash-interview, a Luisão, é então típica de um lagarto ressabiado com o resultado e ávido de uma boa polémica. Vai daí, "provoca" Luisão com as palavras de Mozer ao principal pasquim nacional. Não foi dignificante verificar um jogador que já deu tanto ao Benfica criticar outro que deu muito ao Benfica. Não fica bonito e Nuno Luz deve estar contente, porque assim consegue arranjar peças para a sua semana de trabalho árduo...

NB - Não há palavras para descrever a paixão, o ritmo e a VONTADE que Rui Costa coloca, sempre que veste a camisola 10 do seu clube do coração...

Influência...

É o objectivo e desejo de Rui Costa mas devido ao facto de a qualidade que o rodeia (não necessariamente técnica, pois vejo pouca capacidade de gestão da cobrança do 3ºAnel e nervosismo a mais para que usa aquela camisola) não ser abundante, cada vez se torna maior a sua influência no jogo do Benfica.

É com pena que me revejo na sua frustação por não existir um sucessor digno do seu lugar seja como jogador seja como figura dentro da equipa.

Está bonito isto

Então não é que agora já conta como roubo marcarem-se penalties claros a favor do Benfica?

sábado, 9 de fevereiro de 2008

É azar pá!!!

Ano após ano o homem constrói os melhores planteis da história do clube e depois tem um azar do caraças e escolhe treinadores que não sabem aproveitar o filão.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Juventude...

Olhando para o plantel do Benfica vejo que se gastou em Andrés Diaz , EdCarlos, Sretenovic e Marc Zoro perto de 4,5 Milhões de Euros (sendo que Andrés Diaz só se adquiriu 50% do passe), jogadores de qualidade duvidosa e de ordenados elevados sem falar na duração de contratos.

Depois fez-se aquisições de jovens com algum peso financeiro e com qualidades por apurar sem ter uma política (ou estratégia) em que permita que os jogadores possam competir, evoluir e ganhar alguma maturidade sendo o caso de Filipe Bastos o mais absurdo que ficará 6 meses sem jogar.

Em 3 jogadores Sepsi, Halliche e Felipe Bastos o Benfica envolveu cerca de 4,5 Milhões de Euros (embora não pagos na sua totalidade neste defeso), jogadores esses que foram adquiridos sem uma política de aquisição de jovens jogadores que permitam a sua adptação e rotação no campeonato português.

Defendo pois uma estratégia que permita a aquisição de jogadores jovens mas que possam jogar e evoluir em equipas do primeiro escalão, pois só assim se poderá definir o calibre e capacidade real do jogador, sendo que se vingar nesses clubes mais facilmente vingarão na sua entrada no Benfica, ao invés de gastar cerca de 9 milhões em jogadores que poderão nunca vingar.

Excepção foi feita nos últimos anos aos 3 jogadores emprestados ao Nacional, mas preferia que se tornasse regra, pois adoraria ver jogadores a serem emprestados em clubes onde se possam mediatizar até por forma a serem valorizados ao contrário de os ver em clubes da Roménia, Chipre e Grécia.

A sua adaptação seria facilitada, tal como o seu conhecimentos do campeonato, equipas , jogadores e o próprio país, reduzindo ao máximo o seu sub-rendimento e espectativas goradas, essencialmente na cobrança muitas vezes dura e violenta do 3º Anel, permitindo aos activos do Benfica poderem evoluir no Benfica de forma suave e sustentada.

Ou seja, o Benfica nem efectua aquisições de jogadores com alguma maturidade que agarrem o lugar sem contestação tal como fez o Leo, nem permite que os jovens jogadores provenientes de aquisições ou dos juniores amadureçam noutros clubes e se tornem competitivos para ficarem a altura de lutar por um lugar no plantel do Benfica.

As palavras pouco coerentes ditas últimamente sobre portugueses na equipa do Benfica desmontra 3 internacionais (que dentro de 2 anos deixarão de ser selecionados) e mais 2 embrionários (Makukula e Nélson) , sendo muito pouco para uma equipa que quase nada aproveita das camadas jovens.

Rodríguez...

Não pretendo repetir as palavras do MisterD (embora as assine também) mas o que ouvi hoje o Rodríguez dizer sobre o seu futuro independentemente de quem está a gerir o seu futuro, revela apenas mais uma razão pela qual nunca gostei dele, não podendo admitir a continuidade de um jogador mercenário e ingrato a um clube que o colocou novamente na alta roda do futebol europeu.

E se o Sr. Vieira diz que já sabe o que se passa no futebol do Benfica por que continua a fazer contratos ( e este não foi o Sr. Veiga) de empréstimos onde irá valorizar um jogador com clausulas de compra no valor de 5 milhões de euros?...

Au Revoir Rodriguez...

Ontem o FC Porto, hoje o Inter

Pode fazer boa viagem! Tanto o jogador, como a corja de empresários que o minam com as promessas inadiadas e com os negócios que fazem com aquele que diz que não negoceia com empresários...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Miserável

A exibição do benfica contra o Nacional da Madeira foi miserável, inaceitável e intolerável. Nem boquinhas de meliantes desprezíveis atenuaram o sofrimento daqueles 90 minutos.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Notícia Ndrangheta

Quando o speaker do Estádio da Luz e o responsável pelos eventos do SL Benfica são adeptos assumidos do Sporting, algo vai mal, não vai?

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Futuro em Jogo

A capa d'A Bola perdeu o respeito por um dos mais carismáticos jogadores portugueses da actualidade.

Questionar o futuro de um jogador num clube onde marcou mais de 140 golos em várias competições, só pode ser uma piada de mau gosto, a não ser que haja "mãozinha" de alguém na história.

E esse alguém seja quem ande a delapidar o património que tornou o Benfica Campeão em 2004/2005...

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Um Benfica mais português

Aproveitando o texto do Mike D sobre o comportamento autista do Benfica nesta reabertura do mercado, venho aqui recordar uma das mais recentes tiradas do nosso Presidente: "A base do plantel do Benfica, em termos estratégicos, contempla cada vez mais jogadores portugueses". Logo à partida, estamos perante mais uma frase desprovida de qualquer conteúdo, o que é cada vez mais habitual na estratégia populista de Luis Filipe Vieira. Estratégia essa, curiosamente responsável pelo crescente descrédito nas bancadas da Luz. Tenho para mim que os sócios seriam menos sensíveis aos maus resultados se acreditassem verdadeiramente na actuação do seu Presidente e não o suportassem apenas pelo que de bom já fez no passado.

A declaração em causa, mesmo que fosse verdadeira - e talvez o seja do ponto de vista de inscrição dos jogadores na LPFP -, faria sentido de há 20 anos para trás. No contexto actual do futebol liberal e mercantilizado, não. Uma Liga conquistada por 11 albaneses será por mim tão valorizada como outra conquistada por 11 atletas oriundo do eixo Benfica-Belém-Olivais com número de sócio abaixo do 5000. O Sport Lisboa e Benfica precisa de uma real e estável política de desenvolvimento. Reconheço que ela até possa estar a ser criada pelas mãos de Rui Águas, mas falta mais e o que falta não pode assentar em mentiras. E ontem, dia de fecho de mercado, o Sport Lisboa e Benfica até inscreveu 4 júniores. O que se aplaude. Falta agora descobrir a aldeia transmontana onde nasceram Abdoulaye Fall, Boti Demel, Wagner Silva e Airton Oliveira.

De Roma para a blogosfera

Digitar o endereço do Google foi a primeira coisa que fiz após receber o convite para me juntar a este antro que dizem estar habitado por agiotas corruptos e assassinos. Decidi contornar as extensas listas de resultados e fui directo ao botão 'Sinto-me Com Sorte'. O blog não apareceu. “Bom sinal”, pensei. Mafioso que se preze é conhecido por todos mas vive à margem do espaço mediático. Ainda por cima, foi a Wikipedia que surgiu no meu ecrã! A mesma cuja utilização os académicos recusam. Ora também eu sou uma fonte de credibilidade duvidosa.

Aceitei este convite porque pretendo dar o meu contributo à reflexão sobre o Sport Lisboa e Benfica e porque mais importante que analisar o que se passa nos 90 minutos de cada fim de semana é perceber as causas e os reflexos dessa hora e meia. Ok... e fazer-me ao tacho de director-geral do inespugnabile. Promessas, faço apenas duas: ser um papagaio e atacar violentamente os rivais sempre que o bom nome do nosso Glorioso Clube seja posto em causa.

Saudações a todos os leitores.

Podem encher a caixa de comentários à vontade...

Estava previsto ter a sondagem aqui ao lado sobre que contratações (ou jogadores) o Benfica poderia ter ido buscar no recente mercado de Inverno. Como a oferta poderia ser grande, decidi optar por dar a minha opinião e pelos leitores do blog colocarem nesta caixa de comentários as vossas opiniões e nomes. Creio que é mais sensato!

O Benfica, mercê da sua ignóbil política desportiva encetada directamente pelo Presidente, está numa posição arriscada em termos de qualidade do seu plantel. Faltam-lhe peças fulcrais e parece que a estratégia em que se baseia o sucesso desportivo da equipa está esquecido.

Com as aquisições efectuadas no Verão, foi notório nos quatro meses seguintes que o Benfica necessita claramente de reforçar a ala-direita do seu ataque, bem como o de assegurar um futuro nº10 para precaver o abandono de Rui Costa.

Para esses dois lugares surgem dois nomes óbvios que dariam indiscutível qualidade para o plantel do Benfica: Éderson e Wilhelmsson.

O brasileiro foi adquirido pelo Lyon ao Nice, mas apenas para o final da temporada, com vista a substituir Juninho Pernambucano. Este nº10 brasileiro começou por dar nas vistas no Brasil, ao serviço do Juventude, mas cedo o seu talento merecia mais e o Nice foi buscá-lo para brilhar no campeonato francês. É um 10 típico que tem o pé direito como preferido e remata bem de longe. Seria uma contratação a ter em conta, para já, porque tem 22 anos e a sua margem de progressão seria enorme num clube como o Benfica. O Lyon preferiu dar o primeiro passo e assim, para o ano, continuará a jogar em França.

O sueco é de uma qualidade indiscutível. Esteve na Roma, no Anderlecht e no Bolton, antes de decidir ir jogar para o penúltimo classificado da Liga Espanhola. Pode ter um temperamento difícil, mas o seu estilo de jogo, aliado ao sistema táctico que o Benfica utiliza funcionava muito bem, para além de Camacho ser um treinador disciplinador. Além disso, o facto de ter ido para o Corunha a título de empréstimo só mostra o belo trabalho que o nosso Presidente anda a fazer, ao nível do futebol.

Depois das minhas sugestões, fiquem com os vídeos deles.

Éderson

Wilhelmsson

Agora podem encher a caixa de comentários com as vossas propostas...

Velasquez...

Tal como previ há uns dias a verdade foi exposta.

"Mariano Velasquez ingressa no Follonica"

Será melhor nem comentar...

(... e outras coisas mais...)

Uma das coisas que gosto no Benfica é a sua ascendência republicana e democrata. Cosme Damião, primeiro, e o grande capitão Júlio Ribeiro da Costa, depois, fizeram com que o Benfica seja, desde sempre, o grande clube da liberdade de expressão e do povo!
É assim (e contra, pelos vistos, as vozes que se levantam hoje...) que às cinco em ponto da tarde beberei um copo em saúde dos ilustres benfiquistas (e não só...) que participaram nesse acto heróico que significou o início do fim da monarquia e da ditadura de João Franco: a capitulação do Rei e do Princípe herdeiro!