terça-feira, 16 de junho de 2009

A política dos lados

Ou os lados da política, indiferente. Vejo meio mundo indignado com o maniqueísmo adjacente a estas eleições. Ingenuidade. Tudo na vida é política. Tudo.

No caso do Benfica e da discussão do seu futuro mais a coisa se acentua. Eu adorava ter o desprendimento intelectual de pura e simplesmente afastar-me, observar, e analisar. Não me posso dar a esse luxo. Não posso ficar mudo e quedo ao ver uma tentativa de transformar o Benfica no parque de diversões de alguém como Veiga e os seus esbirros. Até Tinoco de Faria que foi à TVI fazer a triste figura de dizer que as divergências com Vieira são do foro pessoal e não institucional, ou operacional, chegou a elogiar, embora relutantemente, a obra feita, o confirmou: A entrada de Veiga seria a descaracterização de todos os valores histórico-culturais do Sport Lisboa e Benfica.

Como não escolher um lado? Como colocar-me num plano existencialista de ataraxia e descrença no futuro?

Nem Sartre o permitiria. Temos de estar envolvidos, 'engagé', como diria o filósofo.

Eu escolhi o meu: Vieira. Prezo-lhe o colossal trabalho de ter lançado infra-estruturas com 30 anos de atraso. Merece estar em vigência para recolher os frutos do que lançou.

Há quem tenha escolhido ficar na margem. Comenta distantemente, apenas.

Não é para mim. Mal ou bem fiz uma escolha, que é o que os homens fazem. E, se for caso disso arcarei com as consequências de tal facto.

Agora, estarei vigilante porque aqueles que decidiram ser neutrais e nada fazer a favor ou contra não se podem no futuro colocar nem no papel de defensores, nem no de algozes.

Há muita gente que se está a excluir do processo eleitoral, da discussão de ideias, "ah, não me revejo aqui, não me revejo ali..."

Simples. Para poder criticar é preciso tentar fazer diferente. Se não há espaço de referência, crie-se um. Aí sim, poderão dizer se estiveram ou não do lado certo da História, sendo que a margem nunca contará para nada!

Toca a discutir ideias, Benfiquistas!

8 comentários:

Leão Eça Cana disse...

concordando com o primeiro parágrafo, tenho de apresentar a minha discórdia peremptória em relação a todos os outros, e, se a quiseres aceitar, passo a explicar porquê:

eu esforço-me ao máximo para tentar manter esse "desprendimento intelectual" que abominas porque só ele me permite pensar no Benfica à parte de quem o dirige. é com base nesse "desprendimento" que eu dou o benfica a ti, a mim e a quem se propõe a discuti-lo, ao invés de o entregar nas mãos de um alguém a quem eu me prendo intelectualmente para o fazer por mim (usando os teus termos)

a minha envolvência é com o clube, não com este ou aquele, simplesmente porque parto do principio que este ou aquele terão sempre vantagens e desvantagens que deverão ser elogiadas e criticadas, respectivamente.

escreves, com razão, que tudo na vida é política. mas, há mais regras generalistas que fazem parte da vida, e outra delas é o facto de nem tudo na vida ser bom, nem tudo é mau.

e é precisamente essa visão sectária do clube que eu, exclusivamente na parte que me toca, não consigo aceitar. essa visão de que no clube só cabem estes ou aqueles e que essa escolha tem de ser feita sob pena de se ficar de fora.

nada mais errado, escrevo-te eu

essa tranformação do Benfica numa figura geométrica de lados e esquinas é, na minha opinião, errada porquanto transforma aquilo que deveria ser uma esfera, num universo cúbico ou tantas vezes quadrado.

não deve ser assim, caro piazzabuova. não pode ser assim

escolheste o teu lado: vieira

o escolhi o meu: Benfica

o teu lado, inevitavelmente, porque é assim a vida, acabará; o meu está sempre presente todos os dias porque existe à parte de mim, de ti ou de quem quer que seja que se ache dono único do benfica

por mim, aceito a tua escolha. e até a posso compreender. o que já não posso compreender é que me tentes por de fora do clube porque eu discuto a cada momento e em cada pessoa, e muito menos que tentes diminuir a minha participação simplesmente porque não tomo(?) parte da tua escolha

pq o que dizes é que quem não estiver com vieira tem de estar de fora (críticos ou "neutrais", é tudo o resto, não é?)

eu irei votar, isso te garanto. não para aopiar este ou aquele, mas porque pretendo ser uma voz activa do benfica e porque o benfica como eu o sinto merece esse meu acto

não me imponhas é uma escolha que não seja o Benfica

ao não optar, de livre vontade, não me sinto à margem, antes pelo contrário, à laia de um moisés, sinto-me no meio de um mar rasgado, onde as margens começam nas águas agitadas que, demasiado próximas, parecem querer engolir-me sem se aperceberem que nessa ansia correm o sério risco de se misturar umas com as outras

deixa-me continuar a ser benfiquista. não queiras impor nomes ao meu benfiquismo

inespugnabile disse...

Meu Caro Leão Eça da Cana,

Se no dia 4 não estivermos todos do mesmo lado - o Banfica - é porque não somos benfiquistas.

O que para nós, se bem entendi o piazza, é importante é algo de diferente: neste momento a participação é fundamental!

Seja de que lado for. Queremos discutir ideias, queremos ouvi-las e, sobretudo, quermos que todos participem.

Não compreendo quando dizes que o teu lado é o do Benfica e o do piazza é o Vieira. O meu, por exemplo, é o do Benfica e o do Vieira como Presidente do Benfica.

Nos, felizmente, idos tempos de Vale e Azevedo, defendi o Benfica, mais uma vez a título de exemplo, a levar mocada em assembleias gerais e, depois, a meterem-me microfones à frente da boca e a ficar mudo. Porque entendia que o Benfica tinha capacidade, como ficou provado, de afastar aqueles filhos da puta dali para fora.

Hoje, curiosamente, vejo apoiantes de Azevedo que me tentaram bater - nem todos, como sabes, conseguem - a passarem por mim e a baixarem a tromba. Umas vezes com medo, outras por vergonha.

Mas defendi, nesses tempos, o Benfica!

Não aceito nem admito que digas que o nosso lado não é o do Benfica. Até porque sei que a desonestidade intelectual não é caraacterística tua.

R. disse...

O facto de alguém (como eu) dizer "ah, não me revejo aqui, não me revejo ali..." não significa que se esteja a excluir do processo eleitoral.

Significa, passe a redundância, que não se revê em nenhum candidato. O voto em branco sempre foi um voto de protesto, ao contrário da abstenção ou voto nulo.

Eu reconheço méritos a Vieira, nomeadamente as infra-estruturas e o crédito que devolveu ao clube junto da banca.

Também lhe reconheço defeitos, digamos, "ciclicos". Eu já não acredito num novo ciclo. Talvez por isto:

http://rcgouveia.aminus3.com/image/2008-10-03.html

Do outro lado temos Bruno Carvalho e o Movimento Benfica Vencer Vencer.

Em relação a Bruno Carvalho, reconheço-lhe o mérito de ter levantado algumas questões pertinentes mas cometeu o pecado mortal de defender um Benfica à Porto. Seppuku...

Em relação ao Movimento, desconheço o que defendem e preconizam para o clube... Logo, espero para ver!

Como vês, o facto de não me rever em nenhum candidato, não significa que não esteja "engagé"...

Do mesmo modo, alguém colocar-se num plano existencialista não significa que tenha de ser de ataraxia e descrença no futuro... Pode ser para ganhar discernimento...

No fundo todos queremos o mesmo... Que o Benfica regresse às vitórias!

Leão Eça Cana disse...

caro inespugnabile, longe de mim atribuir lados alguém (qdo tento que da minha mensagem saia que essa partidarização não deve ser o caminho)

atenta à transcrição:

"Como não escolher um lado? Como colocar-me num plano existencialista de ataraxia e descrença no futuro?

Nem Sartre o permitiria. Temos de estar envolvidos, 'engagé', como diria o filósofo.

Eu escolhi o meu: Vieira."

como vês, o que escrevi só se baseia no que li

e não, longe de mim afirmar ou pretender sequer dar a ideia que tu ou o piazza (ele que me permita o uso do diminutivo, desde que não reverta a arma conta o meu nick...) não estão do lado do benfica. mas estão do lado do benfica de vieira, não admitindo a ideia de que desse benfica façam parte quem não assuma como dogma este ou aquele por inteiro

transcrição: "Mal ou bem fiz uma escolha, que é o que os homens fazem. E, se for caso disso arcarei com as consequências de tal facto.

Agora, estarei vigilante porque aqueles que decidiram ser neutrais e nada fazer a favor ou contra não se podem no futuro colocar nem no papel de defensores, nem no de algozes."

eu, independentemente das esolhas que fizer, poderei sempre - SEMPRE - emitir opiniões, sejam quais forem, e nem é p+orque pago as cotas todas no início do ano ou porque tenho lugar, é, simplesmente, porque a maneira como sinto o clube assim o dita

na mesma onda, não desconsiderarei a opinião ou a troca de ideias seja com quem for, desde que não atentem à partida com o meu direito de as ter, em todos os momento, repito

já critiquei viera, já o elogiei, e sei perfeitamente que o farei mais vezes (o meu próximo texto será, muito provavelmente de elogio) e faço-o não porque sou "neutral" mas porque é assim que vejo o benfica, sem absolutismos ou fundamentalismos. não se trata de incoerência. trata-se de estar no benfica de forma completamente imparcial, acredita.

gosto de discutir o clube, é verdade, e assumo essa discussão de forma constante, sem me encostar a preconceitos ou satus quo, porque acho que ela não deve ter momentos nem alturas, deve ser livre a toda a hora, tanto para enaltecer, como para chamar a atenção. na essencia, é para isso que sou do benfica

portanto, e recuperando o fio da meada, não me amachuquem o direito de ser benfiquista sempre, pq eu terei sempre o maior dos prazeres de o ser seja para concordar, discordar ou simplesmente observar

NR: a ideia de achar que vcs não estão do lado do benfica está tão distante da verdade como a ideia de eu achar que os defensores das outras candidaturas não estão do lado do benfica (e escrevi "defensores" propositadamnete, não os defensores confundir com os candidatos...). à mesma distância deve estar a ideia de que eu reservarei as criticas ou elogios que acho que devam ser feitos apenas porque houve eleições

depois, como agora, cá estaremos todos, espero

abraços

MS disse...

Eu ate poderia apoiar Vieira, dependendo de qual dos seus tres projectos para os proximos tres anos ele me explicasse.

piazzanuova disse...

Com um atraso lamentável pelo qual peço desculpa cá vai:

Carlos a.k.a Leão Eça Cana(nunca faria o diminutivo a começar pelo início), a culpa da má interpretação que fazes do post é minha, como conheço bem o inespugnabile é natural que ele entenda as estruturas anafóricas da minha escrita.

Não sendo isso extensível aos leitores (foi penosamente óbvio) passo a explicar, não estou a criticar quem esteja contra Vieira (desde que imbuído de boa fé, e não a reboque do Indefenimento), estou a criticar aqueles que, em alturas importantes e potencialmente fracturantes não assumem uma escolha e deambulem no incompromisso. Se calhar foi mais um desabafo de vida que acabou por se estender ao Benfica que como TODOS sabemos é parte importantíssima das nossas existências.

Escandaliza-me a indiferença, o não-alinhamento (lembra-me salazar e a Suíça, e faz-me logo brotoeja)

O que quis foi incitar a malta a não cair no facilitismo de baixar os braços e deixar de, defender ou criticar, nada era suposto atingir a capacidade de crítica metódica que por definição se quer permanente. Nada disso.

Foi apenas um exortamento à militância.

Mas e sabes bem, há sempre aqueles que se resguardam na ambiguidade e no silêncio e acabam sempre por colher frutos dessa falta de coragem de assunção de ideias.

E contra esses meu caro, lutarei sempre. No Benfica e fora dele!

Abraço!

Leão Eça Cana disse...

"O que quis foi incitar a malta a não cair no facilitismo de baixar os braços e deixar de, defender ou criticar, nada era suposto atingir a capacidade de crítica metódica que por definição se quer permanente. Nada disso.

Foi apenas um exortamento à militância.

Mas e sabes bem, há sempre aqueles que se resguardam na ambiguidade e no silêncio e acabam sempre por colher frutos dessa falta de coragem de assunção de ideias."

quem me perdoem o convencimento, mas, através desta parte da tua resposta, sinto-me completamente excluído do texto inicial, porque o silêncio não é comigo (até escrevo e leio em voz alta ;)

um abraço e sigamos para bingo

(já agora, e no caso da haver aqui mais comentários da minha auroria, nunca os deverão entender como questões ao vosso grau de benfiquismo. é o tipo de argumento que não alimento. se me predisponho a debater o benfica, faço-o partindo do pressuposto que do outro lado estão benfiquistas, caso contrário, inevitavelmente calo-me)

piazzanuova disse...

Como é fácil de verificares, o post inicial NADA tinha a ver contigo. O destino é para outros lados.

abraço.