segunda-feira, 31 de maio de 2010

Uma só voz

O que se tem passado no Benfica nos últimos dias, onde o nome de João Gabriel tem vindo à baila, é exactamente aquilo que se passava antes de termos um João Gabriel.

Ou seja, vozes contraditórias com o intuito de baralhar ainda mais, seja jornalistas ou adeptos.

A comunicação tem de ser coerente com o modo, ou seja, não pode andar o Presidente a dizer que não vende ninguém, depois já vende mediante as cláusulas e depois há um jogador que sai abaixo do valor das cláusulas.

Ontem, Rui Costa vem dizer que os jogadores só saem pelo valor das cláusulas, não havendo excepções.

Ou seja, este tipo de articulação tem de ser feito sempre em conjunto, para depois não haver atropelos de hierarquias nem disfunções de discurso que comprometam este ou aquele.

Outro ponto importante e que os jogadores do Benfica deveriam ter em conta é que em tempo de Mundial e de Selecções, só se fala de Mundial e de Selecções. Os clubes ficam para depois. Cardozo não deve ter recebido essa informação e disse que queria sair. Ele e o empresário, que gosta mais de falar do contrato que ele próprio assinou, do que ter o o jogador como titular do Benfica e da Selecção do Paraguai?

E este tipo de novelas é devido a quê? Extrapolação da imprensa? É o papel dela!
Mas para isso necessitamos de estar preparados, e claramente não temos estado nestes útlimos dias...

1 comentário:

António disse...

Concordo na integra!