terça-feira, 17 de maio de 2011

Pablo Aimar

Confesso que das contratações feitas por Rui Costa, esta foi sem sombra de dúvida AQUELA que eu quis mesmo que resultasse.

Foi até preciso usar o Coentrão(soubesse o saragoça o que perdeu...), mas veio.

Chegou, viu e convenceu. Pelo futebol que tem nos pés e na cabeça( então na cabeça, meu Deus...o que este Homem pensa o futebol!).

Mas sobretudo pela sua dimensão Humana e Cultural. É um prazer ouvir uma entrevista de Aimar, porque é pensada. Não discorre os chavões futebolísticos do costume, e lança quase sempre temas que provocam reflexão mais profunda que o habitual.

Terá o Benfica actual espaço para um Pensador? Do Presidente ao Treinador não vemos ali grande sumo no que à Intelectualidade e ao Pensamento diz respeito.

Nalguns adeptos(mais do que aqueles que quero admitir) também não.

O Benfica está a começar a ficar refém de uma lógica totalitária, e pior, totalitarista, em que invariavelmente sobressaem os vulgos "grunhos".

Este não é o Clube de Duarte Borges Coutinho, João Santos, Jorge de Brito, só para citar alguns.

Está diferente.

Haverá no futuro condições para retomarmos alguns traços de Elevação? Não sei.

Mas alienar um Homem como Pablo Aimar, é meio caminho andado para que tal não aconteça.

7 comentários:

Passaralho disse...

O Benfica está a definhar.
Morre de forma lenta, consumido por dentro.

E quer-me parecer que não há como o salvar ou como inverter esse desígnio.

O ADN do Benfica está desvirtuado, está diferente. Está frouxo. A vitória deixou de ser natural exigência.

A derrota é normal e convive e vive no Benfica alegremente.

Adeus Benfica. Foi bom ainda poder conhecer algo do que já foste.

Cumprimentos,
Benfica foi-se...

piazzanuova disse...

Não, Passaralho.

Um Benfiquista não tem o direito de baixar os braços, como me lembrou um dos meus Mentores, ainda ontem.

Enquanto o Benfica existir, e existirá! Cabe a nós a tarefa de fazer tudo quanto possível para o reerguer. Nem que seja à custa do singelo Pensamento.

Ginha disse...

Concordo com o Piazza... O Benfica pode-se reerguer, assim o queira e queiramos nós!

A próxima época, é muito importante, como todas são para o nosso Clube, mas principalmente, para nós adeptos, verificármos se os erros foram realmente aprendidos, como se apregoou na ultima entrevista de LFV...

Se não foram, cabe nos a nós, mudar o rumo das coisas, nas eleições...

E de certeza que existirá pessoas que sentem e pensam o Benfica, como nós... Vem me sempre á cabeça, Bagão Felix, mas mais existirão sem duvida...

P.S - O Aimar já deveria ter renovado! Mesmo que daqui a um ano ou dois, fosse acabar no seu River, era da mais elementar justiça e inteligência, renovar com um dos GRANDES que vestiu o nosso Manto Sagrado!

NSC disse...

O problema não é do Benfica. É um problema social.
A sociedade embrutece a olhos vistos e o clube mais representativo do país não escapa ao fenómeno. Lementavelmente.

piazzanuova disse...

NSC, subscrevo completamente a tua análise.

Mas será que o Benfica como fenómeno clubístico melhor representativo do País, não deve contribuir para uma mudança de mentalidades.

Não é o Benfica que deve andar a reboque do País, aliás, nunca o fez(eleições democráticas em plena ditadura).

Mas sim o contrário!

piazzanuova disse...

*substituir (.) no final do 2º parágrafo, por (?).

Passaralho disse...

piazza,

Eu percebo-te e concordo contigo.

Mas há muita gente que tem forçosamente que perceber as coisas de uma forma diferente, senão não temos mesmo salvação.

Não está fácil...

Eu vou-me abster de comentar e acima de tudo criticar, até ao final da próxima época, porque o prometi a mim e à blogocoisa, mas isto não está fácil...

E ele há coisas tão fáceis de perceber e interpretar... E corrigir...
Foda-se para isto...

Cumprimentos,
Benfica Sempre, mesmo que se vá...