segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Do fim-de-semana

- Eh pá, porra! O Benfica nunca consegue aproveitar estas coisas!
- Que coisas?
- Isto, pá! Cinco pontos de vantagem para o Porto e pimba, lá se deixa apanhar. Queria ver se fosse ao contrário...
- Oh pá, mas fomos roubados ontem. Não viste o penalty sobre o Aimar? Ele ganha a posição e o Hugo Miguel marca falta ao contrário.
- Oh, mas nós não nos podemos andar a queixar sempre com a arbitragem quando as coisas não nos correm bem, não é? Nós somos o Benfica, não deveríamos andar a queixar disso. Aliás, qualquer dia, com essas ideias, ainda parecemos o Sporting...
- Lagarto, lagarto... Por falar nisso, já viste bem como o Sá Pinto se está a safar?
- A safar, então ganhou os jogos todos por 1-0 e achas que se está a safar?
- Então não, até mete o Polga a marcar livres. Vê lá a confiança que ele lhes está a dar. Estão aqui, estão a apanhar-nos.
- Calma, também nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Para nos apanharem, ainda têm de passar o Marítimo, o Braga e o Porto. Ainda são alguns lugares.
- Está bem, mas não viste como foi quando o Domingos começou a ganhar. Eles começaram a ficar imparáveis...
- Até que...
- Até que o quê?
- Até que chegaram à Luz e acabou-se logo o pio. E com menos um, que era para eles não estranharem, já que passavam a maior parte dos jogos a jogar contra 10...
- Pois é, já viste. E mesmo assim, estão onde estão... Nem na Madeira há assim tanta euforia.
- Tu já reparaste que eles estão a ganhar um jogo em casa contra o Rio Ave e a claque legal deles, aqueles que de vez em quando, podem andar à porrada porque são legais, insulta o Benfica?
- É verdade, eles bem dizem que são diferentes, mas não sei em quê.
- Não sabes tu, nem eles.
- Eh pá, e agora na sexta? Estou cá com um medo!
- Medo do quê?
- Do Porto, pá! Do Porto! Estão a jogar muito. Desde que veio o Lucho e aquele grandalhão que só ganham.
- Só ganham cá em Portugal, e mesmo assim...
- Pois. Mas estão fortes. E o Benfica não soube aproveitar a vantagem, pá! Isso é que me irrita. Agora na sexta, imagino, até comem a relva só para nos ganharem.
- Só comem a relva se nós deixarmos. Nós (jogadores e público). Aliás, temos de fazer como eles. Não precisamos das bolas de golfe. Basta gritar pelo clube. E 60000 a gritar pelo clube é lixado.
- Mas mesmo assim, não sei o que lhes fazem lá em cima, que quando chegam à Luz, eles correm como tudo.
- Mas isso não é só o Porto. Há outras equipas que também correm e muito na Luz. Olha, o Benfica, por exemplo. Farta-se de correr na Luz. Aliás, este ano, ainda ninguém conseguiu lá ganhar. Deve ser por alguma coisa, não?
- Pois...Mas mesmo assim, não estou com fé nenhuma. E o Braga anda para aí a espreitar outra vez...
- E está só preocupado com o campeonato, não é?
- Pois...ainda por cima...Eles e o Porto. Nós ainda temos a Champions lá com os russos...
- Sim, mas o importante é mesmo ganhares na sexta. Isso é que interessa.
- Eh pá, mas não estou com muita confiança.
- Deixa lá isso da confiança. Vai mas é comprar o bilhete e grita pelo Benfica!

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Da Bipolaridade

Há exactamente 2 semanas a única coisa que ocupava o Universo Benfiquista era arrotar umas postas de pescada acerca dos direitos televisivos e as grandes linhas de estratégia para os próximos 4 anos.

Agora soou o alarme. JJ é uma merda, Emerson já não é o único mau jogador do Benfica, a Direcção deu o ouro ao bandido, e tal e tal e tal...

FODA-SE! Ainda temos tudo para ganhar, mas se fica tudo histérico e com chiliques por estar a par dos porcos na classificação, ter um calendário mais favorável e uns quartos de final da Champions á porta...o melhor é arrumar a trouxa.

Isto é desporto de competição, quem não sabe lidar com derrotas e superá-las, não merece ser campeão. Há que apoiar até ao fim, porque só lá é que se fazem as contas.

CARREGA BENFICA!!!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Por falar em filhos da puta...

Só para recordar que estas palavras não foram esquecidas e que não se estranha o silêncio no que diz respeito àqueles que, até à presente data, jamais ganharam em terras inglesas...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Ó MEU GRANDE FILHO DA PUTA

Então a besta que publicou um tweet onde se refere ao Glorioso como "...ica" - tendo, acto contínuo, levado "na tromba" via twitter -, vem, agora, qual virgem ofendida, dirigir-se aos adeptos do Glorioso nos seguintes termos: "Sejam adeptos com honra, paixão e, acima de tudo, com muito respeito. E se alguém diz algo contra a tua equipa, tens de ser superior a isso... Somos todos adultos"?



Vai-te foder, pá...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Vamos lá ver se nos entendemos.

Que os viscondes estejam eufóricos com o facto de o seu clube do norte ter ficado a dois do pontos do Glorioso, ainda percebo. Agora, discorrer em torno de uma caldeirada de coisas (táctica inicial, Jesus, Emerson, Matic, o minuto 85, etc.) que não justificam a derrota de ontem, não percebo.

Jogámos mal. Perdemos. Ponto final.

Se estou fodido? É claro que estou fodido! Estou, aliás, para lá de fodido.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Que tenha servido de aviso!

O medo

Durante a semana que passou, a nomeação de Carlos Xistra para o jogo de hoje foi alvo dos maiores medos e dos maiores sintomas de perigo para nós defrontarmos o V.Guimarães.
Como eu tenho dito noutros posts, basta o Benfica estar a jogar como está, que não há Xistra que lhes valha. Nem Xistras, nem Sousas, nem Gomes, nem Proenças...

O Benfica, a jogar assim, está muito difícil de ser mandado abaixo, venham eles de onde vierem. E a confiança é meio caminho andado para o sucesso.

CARREGA BENFICA!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Do benfiquismo

Antes que os entendidos do costume venham para aqui balbuciar o que já foram balbuciar na origem, fica aqui o aviso. Isto não é uma definição de bom ou mau benfiquismo. É uma definição de benfiquismo, que cabe na carapuça de quem a quiser enfiar. Eu enfio e por isso, coloco aqui uma parte do texto do Ricardo no "Ontem Vi-te no Estádio da Luz":

"A ver se nos entendemos: o meu Benfica, aquele em que eu acredito e o qual vive dentro de mim, não é o Benfica que se acomoda a vencer, em 10 anos, dois campeonatos. Não é o Benfica que, por ter bons jogadores, me deixa descansado por fazer boas exibições nem é o Benfica que aceita ter um jogador displicente e outro medíocre no onze titular. Não é, de certeza, o Benfica que tem uma treinador que, por teimosia, quer demonstrar ao mundo que pode ser campeão e ir longe na Europa com jogadores desta estirpe. O primeiro, Gaitán, não tem respeito nenhum, nem pelo jogo em si nem pelos adeptos que sofrem por aquele símbolo que ele leva envergado; o segundo é um bravo guerreiro, um trabalhador, mas um jogador limitadíssimo, que não pode, REPITO: NÃO PODE, fazer parte do plantel, quanto mais ser um titular indiscutível. 

O meu Benfica é humilde e assume os erros. É um Benfica que, em Janeiro, depois de ver a borrada que fez com o lateral-esquerdo, tem já preparado um plano que resgate um jogador de qualidade inegável para a posição, porque sabe que terá, até ao final da época, jogos em que precisará não de 9 ou 10 bons mas de um onze em que não haja elos mais fracos. Para o Nacional e para o Paços de Ferreira, podemos entrar com 9 ou 10 em campo, que ganhamos, porque somos muitos melhores. Para o Porto e para a Champions League, onde além de grandes equipas há grandes treinadores (que vêem o que os outros não vêem), estamos sujeitos a isto. Não foi por falta de aviso. 

O meu Benfica é um Benfica de adeptos exigentes. Não de adeptos que confundem "apoio" com cegueira. Não é o Benfica dos Robertos nem dos Emersons. Não é o Benfica que muitos daqueles que pedem "apoio" ao Emerson, como pediam "apoio" ao Roberto", e pedem "compreensão" para com Gaitán, acreditam. Porque esse Benfica estará sempre mais próximo de não ganhar absolutamente nada. De que vale ter um bom plantel se há falhas evidentes que não são supridas? Não ter contratado ninguém para a lateral-esquerda em Janeiro foi um erro. Um pouco como se tivéssemos mantido Roberto esta época e não tivéssemos ido buscar Artur. Por "apoio", por "compreensão" - no fundo, por parvoíce. 

Mas estes adeptos, além de não verem o óbvio, têm outra característica ainda mais interessante: não querem que os outros vejam e digam o que acham. Nem pensar, todos temos de calar perante a sabedoria dos que nos dirigem e treinam. Por muito que vos custe, esse não é o meu Benfica.

E junto a este texto, vai um dos comentários do Constatino, ao mesmo post:

"Causa-me impressão que por vezes os benfiquistas baixem tanto os niveis de exigencia que cheguem ao ponto de achar que criticar um jogador nosso é mau benfiquismo. É certo que a 2ª metade dos 90's (nineties) e a 1ª metade dos 00's (zeries?) levaram a que os nossos niveis de exigencias andassem pelas horas da morte. Concordo que para quem viu um escalona, um rojas ou um cristiano a sacar fifias na esquerda, possa olhar para o Emerson como um chocolate praliné (sem racismos, atenção), mas na verdade ele esta abaixo do nivel minimo do que deve ser um jogador do SLB. para que não haja duvidas, o nivel minimo, para mim, já é baixo, mas anda à volta, talvez de um beto: muito mau mas não o suficiente para impedir a sua equipa de ganhar a um campeão europeu. ora eu olho para o Emerson e vejo um tipo que é suficientemente mau para o SLB ter dificuldades em bater um zenit. 


Mas digo-o (e o Ricardo faz o mesmo) não baseado em opinião bacoca. Digo-o baseado nos sucessivos erros que ele comete (empirismo?). Agora, dizerem-me que por eu achar que o Emerson é um nabo estou a ser mau benfiquista... eu peço desculpa mas não concordo. Mau benfiquista, ou taliban é aquele que acha que o nosso Clube está bem é com Emersons. Se estamos cá todos para dizer "olha, aquele Garay é um jogador do caralho" porque não podemos dizer "olha o Emerson devia era ir para o caralho"? Até porque, meus amigos, desenganem-se todos os que acham que o que é escrito nos blogs desestabiliza em 1% que seja a nossa equipa... a maior parte deles nem portugues fala..."

A caixa de comentários é vossa...

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Ricardo Manuel Andrade Silva Sá Pinto

O nome acima descrito integrará a lista de cerca de 300 elementos entregue à CNVD ou estará entre os outros 4 mil e tal sócios da claque que são desconhecidos para as entidades competentes?

O novo circuito CCTV irá garantir a transmissão televisiva dos jogos à porta fechada?

Contornando a ironia de ouvir o torturador a falar de legalidades, será que o tipo leu a Lei que cita a despropósito?




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

SEJAM BEM-VINDOS!




Era assim, não era?

O BENFICA é isto!

Futebol:
SL Benfica 4-1 Nacional

Basquetebol:
SL Benfica 84-78 V.Guimarães

Voleibol (Jornada Dupla):
SL Benfica 3-0 Fonte Bastardo
Esmoriz 0-3 SL Benfica

Andebol (Taça das Taças):
Pandurii (Roménia) 27-33 SL Benfica

Hóquei em Patins:
HC Tigres 2-5 SL Benfica

Futsal (Vagos Cup):
SL Benfica 6-1 Covão do Lobo

Atletismo:
SL Benfica campeão nacional de masculinos em pista coberta
Marco Fortes bateu o recorde nacional de lançamento do peso - 20,91 mts 

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Amor e paixão

Como qualquer mortal e amante do jogo da bola, na vida existe um amor incondicional e existem aquelas paixões momentâneas que depois se tornam em gostos permanentes. O amor da minha vida tem os tons rubros do manto sagrado, que aprendi a gostar, quando o meu avô me levou ao Restelo em 1986 para ver Michael Maniche derrotar o Belenenses. Final de jogo e a bandeira (com pau de madeira) comprada para ficar lá em casa e para a carregar, sempre que o Glorioso jogava.

O baptismo na Luz deu-se em dia de casa cheia, frente ao Steaua de Bucareste, para a meia-final da Taça dos Clubes Campeões Europeus (nome religiosamente guardado para qualquer benfiquista que se preze, afinal temos duas) com cerca de 120 mil almas que elevaram a velhinha Luz quase ao Olimpo. Dois anos depois, tive a minha estreia no palco mágico das emoções, porque a vida não era fácil para os meus, o que de certa forma, espelhava a condição do benfiquismo da altura: força, preseverança, mística, vontade. E foi essa vontade, aliada a tudo o resto, que nos possibilitou estar em duas finais (mais duas, depois dos anos 60) da mais importante prova de clubes a nível europeu.

A rotina melhorou nos anos 90. Mais independente (ligeiramente), a ida à Luz era o ritual, para ver os artistas a pisarem aquele relvado, a deliciarem-nos com o seu trabalho, com a sua qualidade, com a sua classe. E aí, deu para ver do melhor, ali, bem pertinho do relvado, antes da ideia atroz de se construir um fosso que separava os acólitos dos seus deuses. E antes dessa terrível transformação, começaram a vir as paixões. O amor tinha, e tem, os nomes dos brilhantes jogadores que tiveram a honra de dignificar a camisola do Sport Lisboa e Benfica desde 1986 (altura em que os comecei a ver ao vivo - e que são tantos, que era preciso um novo post para os colocar a todos, alinhados, de uma baliza à outra do estádio, para fazerem a tradicional "vénia" a que nós nos acostumámos a ver, e que foi reactivada no primeiro ano de Jorge Jesus).

Como estava a dizer, as paixões começaram a surgir. Em 1991, o Dream Team de Barcelona, com Stoichkov, Laudrup e Koeman, treinada por Johan Cruijff, onde Pep Guardiola aprendeu o que hoje é uma das melhores equipas que já vi alguma vez jogar. A de 1991 era parecida, e quando Stoichkov andava ali, junto à rede, a partir os rins ao Paneira, apaixonei-me de imediato por aquele futebol rápido, pensado, bonito e eficaz.

Depois veio o Ajax e Van Gaal. A equipa dos miúdos, aliada à sua históra e estratégia para as camadas jovens, conseguiu criar uma equipa extraordnária com Litmanen, Kluivert, Davids, Seedorf, Rijkaard e Van der Saar, que possibilitou ao comum adepto do futebol ficar satisfeito com tamanha qualidade.

E ainda há a paixão pelo tango. A Argentina, país das pampas e de D10S. E se há alguma força extra-territorial, é lá que se encontra, porque é impressionante a qualidade que por lá existe e que nos consegue colocar apaixonados pela cultura futebolística, pelo pensamento e sua maneira de executar, pela forma tão simples de olharmos para o jogo como uma arte, apenas alcançável pelos verdadeiros artistas. E aí, aparece o River Plate. E aparecem dois "chicos", que pela sua fisionomia, seriam certamente afastados por algum treinador de formação energúmeno que privilegia a componente física à mental. E essa parte, fundamental no processo de crescimento, é a principal diferença que, no decorrer de um jogo, permite aos artistas pintarem os quadros dos melhores momentos dentro de um campo de futebol.

E aí entram duas pessoas: Pablo Giordano Aimar e Javier Pedro Saviola. Juntos, com a diferença etária de dois anos, pintaram alguns dos melhores quadros que "la cancha" viu criar. Juntos, eram, na altura, o que de melhor se poderia ver, e com isso, ganhava o futebol, ganhava o River e ganhávamos nós, os adeptos da arte moderna do jogo da bola.

Depois, cada um seguiu o seu rumo até se encontrarem na antiga capital do Império, prontos para continuarem a pintar mais quadros de antologia. Eu lembro-me do primeiro ano de Pablo em Lisboa. Um determinado espanhol, que com a mania de saber, optava por não lhe dar o espaço que merecia. E com isso, foi criticado, quer o espanhol, quer Aimar. A camisola 10 que o Manuel Rui lhe deixou tinha um encargo maior do que qualquer outro número 10 que lha tivesse passado. A exigência era enorme. E a figura franzina era várias vezes ostracizada por isso. Ele e Javier Pedro, seu companheiro de luta, na Argentina e em Portugal. Sempre a mesma exigência para com eles que não há com outros.

Mas eles, sempre profissionais, sempre como eles foram, tiveram de "conquistar" quem não acreditava neles. E ainda foram muitos.

Neste último mês e meio, decidiram ficar por cá mais um ano. Até 2013. Continuaremos a disfrutar das obras de arte que os dois nos acostumaram a dar. As paixões aliadas ao amor. Como eu me sinto feliz! Como eu me sinto "encantado" e "ilusionado", como Aimar referiu a semana passada, "ilusionado" por continuar a fazer aquilo que ele mais gosta. E como nós gostamos de gostar que ele goste de fazer o que mais gosta. A ele e ao Javier, o meu obrigado por dignificarem sempre a camisola que vos fica tão bem.

E depois da vossa missão em Lisboa, que regressem à vossa paixão de sempre: ao River do vosso coração! E nessa altura, o mínimo exigido será uma salva de palmas estonteante e prolongada e um muito obrigado por nos terem dado tantas obras de arte dignas dos melhores de sempre.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Foda-se... Até que enfim!!!

Assim dá gosto

Diferentes pontos de vista.
Opiniões contrárias, sempre com o intuito de melhorar.
A questão dos direitos televisivos, é, a par de outros temas importantes para a vida do clube, imprescindível de ser discutida.
O Benfica é isto!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Parabéns, Javi!

En passant

Tenho lido com muita atenção o que por aqui se escreve e comenta acerca de direitos televisivos.

O Mister D, que é do meio, dá ideias muito interessantes, muito mesmo! Mas há que atentar ao contexto económico actual, justo ou não, é o que temos e é a partir daí que se fazem as opções estratégicas.

Mas de tudo o que li, apenas o comentário do nosso leitor João Duarte põe o dedo na ferida.

Leio opiniões mais sustentadas na fé clubística de outrem que na realidade dos factos.

E os factos são, como muito bem salienta João Duarte, há poucos sócios pagantes para a dimensão do Clube, e querem fazer-nos crer que, nunca assumindo os custos de ser associado o farão por valor igual pagando a um operador? UTOPIA.

Se a Benfica tv assumisse a transmissão dos jogos, passar-se-ia o mesmo que se passa hoje: casas de amigos atafulhadas e cafés a mudar de operador. Nada mais. O resto é- como de costume- conversa. E como toda a gente sabe, falar é barato!

Do resto,relembro que estamos em primeiro no Campeonato SEM DERROTAS, a jogar excelente futebol e a acertar nas contratações. CALMA, FODA-SE!

VIVA O SPORT LISBOA E BENFICA!

Da entrevista

Será estranho às pessoas verem Sandra Sousa, jornalista de política entrevistar Luís Filipe Vieira, Presidente do Benfica? Sim, será! Mas se tivermos em conta que o principal motivo da entrevista do Presidente do Benfica de ontem à noite era política (há eleições este ano, só para relembrar). E assim, não se estranha tanto a entrevista como ela foi.

Não se questiona sequer a capacidade de Sandra Sousa em perceber de futebol ou de desporto para o intuito final da entrevista, e por isso, as respostas de Luís Filipe Vieira foram condizentes com as qualidades das perguntas.

Sabemos que Rui Costa está a aprender ao lado dele. Não sei se a aprender bem ou mal, mas a aprender. E mencionar o nome de Rui Costa é sempre importante para Vieira. Tem ali um capital garantido de apoio e um nome de peso para o que der e vier, para o bem ou para o mal.

Sobre a recandidatura, Vieira ainda tem muito para fazer no Benfica. Sabemos também que no final da época, a decisão será tornada pública. Obviamente, que esperando que o Benfica seja campeão e que no meio da espuma que se criará, emergir como o Salvador no meio das águas e poder dizer: "Eu prometi o Benfica campeão!".

Assumiu o erro da época passada relativamente ao fracasso desportivo (o conceito do mandato desportivo foi "esquecido"), não tendo muita vontade de falar do passado. A família, as empresas e o Benfica continuam como as suas grandes prioridades, não ficando a ideia se a ordem das mesmas era esta. Para além disso, conseguiu ainda referir que "o passado não tem muita importância". Para quem apregoa sempre os erros do passado, é um bocado estranho.

Sobre a Argentina, ficámos a saber várias coisas. Enzo Pérez pode gozar com o clube como muito bem quer e lhe apetece e certamente os 180 mil euros que pagou de multa até lhe ficaram baratos. Estará perto da mãe, por causa do problema grave de saúde da mesma. Curiosamente, é nesta altura (e longe de mim, desejar o mal de alguém) que os problemas de saúde resolvem os problemas do clube e do jogador. E aí vão mais 5,5 milhões de euros ao ar. Ainda por terras da América do Sul, Pablo Aimar ficará no Benfica, mas ficará se não colocar em causa a credibilidade do clube. Tem de facto piada que se passe a ideia de que se Aimar não ficar no Benfica, é porque exige demais ao clube na altura da renovação.

De resto, a conversa sobre a Olivedesportos foi isso mesmo. Os "amigos de longa data", mas que sabem as barreiras que os separam. Os "amigos" que nos ajudaram nos tempos mais sombrios do clube, mas que continuam a ganhar mais do que aquilo que pagam. E que este mês, há novidades sobre o negócio dos direitos televisivos.

Por fim, a arbitragem está mais credível, no futebol só há pessoas de bem, Rodrigo vai renovar contrato e existe mais uma entrevista programada, caso o Benfica chegue à final da Champions. Mas uma entrevista ANTES da final que é para dar motivação...

Ou seja, ontem, a entrevista cumpriu os requisitos. Novidades quase nenhumas, centradas sempre na mesma pessoa, sempre com o mesmo sentido. O de Outubro de 2012.

Podem agora soltar a vossa fúria e frustrações. A caixa de comentários é vossa, sempre!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Eu peço desculpa...

O Jornal do Glorioso publicou uma imagem com o nome do canal televisivo por cima / em cima do Nosso Símbolo?

Dos direitos televisivos

Antes do texto bruto e duro, algumas considerações:

- O texto de Luís Fialho no jornal do clube (no JORNAL DO CLUBE) está aqui, para o caso de ainda não terem lido (cortesia do blog Novo Geração Benfica
- O mercado publicitário está em déficit no mercado generalista de televisão, mas em crescendo no mercado do cabo
- Os hábitos de consumo televisivo estão a mudar (com predominância do You Tube, Streamings e Downloads)
- Os patrocínios no futebol estão directamente relacionados com os fãs
- O Sport Lisboa e Benfica tem vários meios de comunicação que pode usar para usufruto próprio (Estádio, TV, Site, Facebook)
- O Benfica, actualmente, lucra com as transmissões televisivas, cerca de 8 milhões de euros anuais (tirando 3 meses sem competições oficiais - e já estou a ser simpático, porque há jogos particulares -, dá cerca de pouco mais de 1 milhão de euros por mês, ou se preferirem, cerca de 535 mil euros por jogo [8 milhões a dividir por 15 jogos]). Neste valor de 8 milhões estão consagrados os valores respeitantes à publicidade estática do recinto em dias de jogo. Valor esse que é gerido pela Olivedesportos, com proveito próprio e total
- O contrato com a Olivedesportos acaba no final da próxima época (2012/2013)
- O contrato abrange os 15 jogos em casa do campeonato por época
- A Olivedesportos tem uma cláusula no contrato, a qual lhe dá um direito de preferência numa suposta renovação de contrato

Depois de uma breve introdução, vamos ao principal e que parece, começaram na passada sexta-feira (a cargo do Luís Fialho) a querer fazer passar a mensagem de que não há alternativa à Olivedesportos. Puro engano! Há alternativa. E talvez até mais viável para o clube. 

Imaginamos que o contrato com a Olivedesportos acaba e o Benfica acorda com a PT (através das suas plataformas MEO, Sapo e TMN) que vai passar a transmitir os seus jogos em casa por essas plataformas, através do sistema pay-per-view. É fácil e simples de explicar.
Quem tem MEO, já tem acesso à Benfica TV. Passava a ter de pagar um valor simbólico e até podem ser 2, 3 Euros por jogo, para terem acesso a uma password para cada box (isso é possível) e assim poderem descodificar o sinal para o seu televisor. Tendo em conta que a Meo, no final do 2º trimestre de 2011 tinha 919 mil assinantes, se pensarmos que metade tem a Benfica TV porque é adepta do clube (valor bem plausível), e se cada um quiser ver o jogo, só na plataforma de TV o Benfica arrecadava no máximo mais de 900 mil euros / jogo (valor quase do dobro arrecadado no contrato actual da Olivedesportos). 
Publicidade durante o jogo, partilhado entre Benfica e PT, obviamente, até por uma questão de custos associada à vertente tecnológica.
Passemos ao Sapo. Procedimento igual, para se ver o jogo em streaming. Um valor monetário para uma contra-senha e jogo no seu portátil ou computador fixo, com IP dedicado.
TMN, idem, idem, aspas, aspas, se bem que o consumo de jogos via telemóvel não é dos melhores, nem é um hábito muito comum.
O Benfica teria ainda a possibilidade, via site oficial de dar a transmissão de jogos, como já deu anteriormente e poderia ir gerindo a publicidade associada ao jogo no próprio site.

Vantagens deste tipo de solução:
- O Benfica teria quase a totalidade do controlo das transmissões televisivas na sua casa
- Poderia englobar os jogos particulares, como mais uma fonte de receita
- Teria poder para escolher os patrocinadores para a publicidade estática do recinto de jogo e ter um retorno de 100%
- Os jogos eram transmitidos nas principais plataformas do clube
- Os jogos poderão ser transmitidos internacionalmente (e o Benfica continuar a lucrar com isso)
- Os jogos eram comentados pela "casa"
- E até se poderia experimentar esta vertente durante um ano (2013/2014), curiosamente onde se prevê que este tipo de negócio começa a ser uma realidade maior em Portugal
- Independência total do sistema que vigora em Portugal

Ou seja, a teoria de que a Olivedesportos é a solução única e óbvia cai por terra. O Benfica tem esse poder de querer modificar o panorama. Basta querer. Pensar em renovar com a Olivedesportos, só porque sim, ou só porque foram nossos amigos (não vejo onde, mas enfim) é continuarmos a dar tiros nos pés, a alimentar quem nos quer mal e que só se aproveita do clube, devido ao seu poder e à sua marca.

O Benfica tem força suficiente para fazer uma das maiores revoluções na televisão em termos de desporto em Portugal, se o quiser.

Quanto ao resto, já muito se falou de Luís Fialho e das suas mudanças de opinião. O artigo é claro no assunto, no tema e a "limpeza" que se faz da Olivedesportos, é uma forma de preparar os sócios para o que aí vem, ou seja, mais do mesmo.
O Benfica é uma marca forte, e portanto, os patrocínios não hão-de faltar. E muito importante até, é pensar se queremos ter 4 ou 5 patrocinadores milionários ou 20 mais ou menos que nos conseguem dar mais ou o mesmo que os milionários. Seria também útil pensar desta forma.

Os dados estão lançados, também aqui.
Assim o queiram, para bem do Benfica!

Viva o Benfica!

ADENDA - Atenção, que mesmo se o Benfica avançar para um eventual negócio com a PT, Oliveira também ganha porque é accionista da operadora através da Lusomundo. Ganha, mas muito menos do que actualmente...

Não podem estar a ganhar, dá nisto...

O Rei Sol vai falar hoje na RTP.
Quando devemos ter sossego, é quando fazemos as coisas ao contrário.

Bem sei que há umas eleições para ganhar, mas também não é preciso exagerar...

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Obrigado, miúdo!

Por cada golo que marcas, dás razão a quem nunca deixou de acreditar em ti. Aqui, sempre te defendemos e por isso, é tão bom ver-te marcar com a camisola que mereces! Continua...




quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Resumo do mês

Acabou a histeria colectiva que se assomou durante o mês de Janeiro e que teve sempre o Benfica como elemento principal. É normal que assim seja, já que ao contrário do que muitos pensam, o Benfica ainda é aquele que mais vende e mais dá ao país e à economia que gravita à volta do clube.

E como o Benfica é aquele que mais dá, resolveu ajudar Yannick Djaló, que se encontrava desempregado. Jorge Jesus disse ao Presidente que o tornava um "granda jogador", e que para além disso, era "português", o que ajudava nas contas para a UEFA e para a Champions. Sendo assim, o Presidente, como bom ouvidor, falou com o seu amigo de sempre Paulo Barbosa (certamente já esquecida esta questão) e resolveu contratar Djaló, a receber cerca de 55 mil euros/mês. Uma quantia simpática, para quem há bem pouco tempo, falava em contenção de custos para a equipa de futebol. Enfim...

De resto, o Benfica recusou ceder Capdevila (certamente a pensar na conquista da 4ª Taça da Liga consecutiva) a Espanha, assim como Nelson Oliveira (lá voltamos à questão dos portugueses outra vez).

Como provavelmente, nem o Málaga (por causa de Eliseu) ou o At. Madrid (por causa de Sílvio) não estiveram com muita vontade de ceder os jogadores, teve de se fazer um ajuste na equipa inscrita para a Champions, passando a ideia cá para fora de que os regulamentos são para se cumprir, mas só para alguns. Sendo assim, saíu Enzo Perez da lista e entra aquele que só serve para as Taças. Pode ser que alguma Luz ilumine o Salvador e veja que efectivamente, a opção que tomou durante a primeira parte da época no lado esquerdo da defesa seja diferente para melhor, o que não é difícil de entender e perceber.

Por falar em Salvador, certamente olhará para o Benfica e para o seu Presidente como um verdadeiro amigo. Eis senão quando precisava de alguém para o meio-campo do Braga e notou que Ruben Amorim estava com a porta completamente fechada no Benfica e decidiu falar com quem sabe. Saco de cimento aqui, saco de cimento acolá e o negócio ficou feito. Ruben Amorim pede desculpa, vai emprestado para tentar jogar e Jesus fica mais descansado, já que não terá ninguém para o chamar à Terra quando for preciso. Não sou tão radical como o Nessuno Dorna, mas como é óbvio, o que eu quero mais é que o Sp.Braga não ganhe nada, esteja lá o Ruben Amorim ou outro jogador qualquer.
Já quanto ao comportamento do jogador, o que se terá passado foi tratado, foi processado e houve pedido de desculpas. Do outro lado do Atlântico, não vi comportamento semelhante, vi o processo e vi a redenção. Certamente e claramente, dois comportamentos diferentes, duas atitudes diferentes perante situações graves que lesam a instituição de qualquer maneira.

Quanto ao resto, continuamos sem uma alternativa credível a Maxi Pereira. Saíu Amorim e ficou Almeida, que nunca na vida foi defesa-direito, até José Mota (esse extraordinário Zé do Boné) se lembrou que se calhar o miúdo tinha jeito para o lugar. Engano claro! Só não percebo é como é que o Benfica foi no engodo. Ou se calhar, percebo. Basta ver de onde veio André Almeida, mesmo não tendo a culpa de estar onde está.

Como disse o Presidente, estamos numa altura de contenção económica, e quem olhou para o Benfica viu isso mesmo durante o mês de Janeiro. Aliás, o reforço da futura equipa B dará certamente para mais duas equipas, o que é sempre extraordinário começar a pensar seriamente qual será o efeito do Caixa Futebol Campus neste contexto. Valerá a pena apostar tanto e falar tanto nos jovens portugueses, para depois irmos buscar espanhóis, suecos, brasileiros, paraguaios e afins?

Mas a principal notícia deste mês de Janeiro foi claramente aquilo que mais mexe com quem sente o Benfica e o que ele representa. Ainda não foi em Janeiro que o Benfica anunciou a renovação de contrato com Pablo Aimar. Tenho a esperança que seja no mês de aniversário do clube, que terá mais uma vez a sua Gala dirigida a todos aqueles que têm ajudado o Benfica, incluíndo o novo Presidente da Federação de Futebol e o patrão da Sport TV. Uma bofetada de luva branca (ou duas) seria nessa mesma Gala, com as pessoas atrás referidas presentes, o Presidente dizer que Aimar ia continuar vestido de águia ao peito e os jogos de futebol do Benfica em casa seriam transmitidos na Benfica TV! Isso é que era... Mas isso sou eu que costumo sonhar alto...

Finalmente, é este o plantel que o Benfica terá até final de Maio, que espero (secretamente e todos esperam no seu intímo) chegar a Munique, sem antes ter de dar 33 voltas no Marquês de Pombal. É com este que teremos de viver e é com este que teremos de apoiar. 

Viva o Benfica!

Cada cabeça sua sentença

E na minha cabeça o Benfica sai enfraquecido do mercado de Inverno.