quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Regresso

Alípio Matos regressar ao Benfica, como treinador dos juniores e como coordenador da formação é uma boa notícia para o futsal do Benfica, mas também para o futsal nacional.

Não se pode menosprezar um talento, uma paixão pelo jogo e uma humildade como a do Alípio no futsal, mas sobretudo no Benfica, porque é dos nossos, daqueles bons, que quando tem de dizer o que está na mal, diz, independentemente do resto, porque vive o clube como nós o vivemos.

Alípio Matos sofre daquele problema crónico que os adeptos do Benfica têm sobre alguém que é do clube. Como é do clube, e se recebe dele, é um"chulo". Se fosse do Sporting ou do Porto, já era mais bem visto porque é um "profissional". E é nessa diferença que o Benfica tem pautado muitas vezes o seu caminho, não dando o real valor a quem é da casa e a quem a sente como poucos...

No entanto, o tempo é do Alípio e a sua história dentro do futsal do Benfica já não precisa de muito mais a acrescentar. O trabalho que será feito agora é para o futuro, e pela qualidade do coordenador, não tenho dúvidas de que o mesmo será feito com rigor, isenção e sucesso. O Alípio merece e o Benfica também!

Bom regresso, "menino da Ajuda"...

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Notas sobre o acto eleitoral

22676 votantes contribuíram para transformar as últimas eleições na mais concorrida da História do Sport Lisboa e Benfica. Alguns adeptos têm desvalorizado este feito sublinhando que na disputa Vale-Vilarinho só era possível votar na Luz, que o número de sócios era consideravelmente inferior e que o tempo de espera nas filas era brutalmente longo. Não alinho. Se hoje temos mais sócios, se hoje é mais fácil e mais rápido votar e apurar os resultados, devemos valorizar o facto. E devemos elogiar as Direcções de Luís Filipe Vieira por isso. Fica mal desprezarmos o facto do voto electrónico ter permitido ultrapassar a barreira dos 20 mil votantes em duas eleições consecutivas.

Vieira teve nesta quarta eleição o seu resultado menos bom - pior é um termo que não assenta a quem tem 83% dos votos, por isso fica mesmo assim: "menos bom" - embora a base de apoio se mantenha praticamente inalterável. De 2009 para 2012 Vieira perdeu perto de 700 votantes. E os votos brancos baixaram para cerca de 800 votantes. De uma forma simplista e muito pouco cientifica, poderíamos dizer que votaram em branco os Vieiristas desiludidos e que Rangel reuniu os 500 votantes de Bruno Carvalho com os 1220 descontentes que se foram manifestar à Luz há 3 anos. E ainda conseguiu convencer 2 mil abstencionistas a votarem na sua lista.

Dentro do pavilhão voltaram a imperar os insultos e ecoar petardos. Está-se a enraizar um hábito que é perfeitamente lamentável. Mas o civismo é coisa que vai faltando em ambos lados da "barricada". Se a indignação perante apupos e assobios ainda é compreensível, os aplausos que se ouviram no momento em que alguns "críticos" foram sovados na bancada assumiram contornos de surrealidade. O posicionamento estratégico dos boxeurs enoja. A complacência policial também. Mas o que dói mais é ver a euforia e o sorriso de alguns benfiquistas perante a agressão a outros benfiquistas.

O texto que entregaram a Luís Filipe Vieira para ler foi sofrível, de uma hipocrisia atroz. Sugerir reuniões depois de se recusar ao debate já era suficientemente mau. Mas proclamar-se como o grande unificador do benfiquismo? Ele, o homem dos "papagaios", dos "detractores", dos "maus benfiquistas", dos atletas-seguranças?

Antes desse "discurso", um momento que parece ter passado despercebido à maioria mas que nos diz algo sobre o carácter de Vieira. Depois do elogio de Luís Nazaré a todos os funcionários do Clube que contribuíram para que a eleição tivesse decorrido de forma exemplar, Vieira conseguiu ser o último elemento dos Órgãos Sociais a aplaudir os mesmos funcionários, levantando-se da cadeira com claro enfado. Para Vieira tudo parece ser um gigantesco frete.

Já cá fora Luís Nazaré admitiu que Luís Filipe Vieira não reunia condições para ir a votos, argumentando ter aceite as listas porque uma interpretação literal dos estatutos praticamente impede qualquer candidatura. Ficamos a saber que estas eleições decorreram em clara violação dos estatutos, ficamos sem compreender que circunstâncias ditam o seu cumprimento e o seu desprezo.


Rangel tinha aceite participar este sábado num programa da RTP N. Optou, e bem, por não comparecer. Nesta fase nada tem a ganhar com aparições públicas. Se pretendem manter-se vigilantes como afirmam, que façam o trabalho nas AGs. Mas não basta aparecer no pavilhão. Alguém, seja Rangel, seja Tavares, tem que subir ao palanque e falar. Falando ali ganham legitimidade e as suas palavras acabarão na mesma por chegar aos media e aos outros associados. Como alguns sócios sugeriram a Pitta e Cunha no final da noite, deixem as entrevistas e as declarações públicas para mais tarde.

Duas pessoas bastante próximas da família Costa garantiam que o Maestro e o seu pai não colocaram o dedo no quadrado da Lista A. Será verdade?

sábado, 27 de outubro de 2012

Assim, sim!

O miúdo André Gomes no 11.
Miguel Rosa (por fim!) como opção.

O futuro é nosso!

Os sócios do Benfica escolheram ontem quem devia estar à frente do clube para os próximos 4 anos. A escolha foi clara e objectiva.
Não vou comentar mais tudo o que se passou na campanha. Da comunicação social subserviente ao Querido Líder (basta ver que José Rodrigues dos Santos é o próximo convidado de um programa da Benfica TV), da ausência de debates entre membros das candidaturas (já nem pedia os líderes), até aos anúncios mediáticos em último dia, a fazer lembrar 2000.

A escolha foi feita e está feita. Com petardos, sem petardos, mandando os sócios para o caralho, mandando os meninos do boxe bater nos mesmos sócios, de tudo aconteceu ontem, até no número de pessoas que votaram, batendo-se um recorde de 12 anos.

O que fica para o futuro (nosso, de associados e do clube) é que há um conjunto de vectores importantíssimos, que à primeira falha, não será uma questão de vigilância, mas sim de exigência e de advertência:

- 3+1+50 (3 campeonatos de futebol em 4 anos; 1 presença numa final europeia e 50 títulos nas modalidades - não sei se aos 3 campeonatos bastará acrescentar 1 aos 2 que Luís Filipe Vieira já conquistou; Convém que se lembre que apesar do Estádio da Luz receber a final da Champions em 2014, não quer dizer que o clube que cede a casa tenha presença garantida na mesma final; e aos 50 títulos nas modalidades, convém também explicar ao que foi sócio do Sporting, que os títulos não se resumem a 6ºs lugares, como o clube do Lumiar muitas vezes refere como títulos...)

- Os direitos televisivos na Benfica TV (Esperemos que seja efectivamente uma realidade. Alías, foi aqui que se defendeu esse conceito, apesar das críticas que recebemos de que éramos loucos e de que a Olivedesportos era a única com capacidade de satisfazer o Benfica. Veremos num futuro próximo se não será capaz de satisfazer José Eduardo Moniz, um amigo de longa data)

- Redução das quotas e dos preços dos bilhetes (Se a estratégia for a mesma aquando da subida do IVA, estamos conversados e não passará tudo de conversa fiada. Janeiro é já ao virar da esquina e veremos de que fibra e coluna é feita a palavra de Vieira. Nós já sabemos, mas depois queremos confirmar)

Sendo assim, o futuro é nosso! Dos 5% que tinham votado em branco em 2009, dos 13% + 3% que votaram em Rangel e em branco novamente em 2012. É deles a massa crítica que fará o desenvolvimento do Benfica. É deles a força de fazer um Benfica maior. Com ideias, com sugestões e com críticas, sempre com o espírito de exigência com que fomos ensinados a gostar do Sport Lisboa e Benfica.

VIVA O BENFICA! E logo, é para ganhar em Barcelos!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Dever cumprido

Já fui à Luz e já votei. Já exerci um dos deveres mais importantes da minha vida, ao lado das eleições que regem o sistema democrático em que nos encontramos e no qual o Benfica dá lições a muita gente, antes da própria democracia ser uma realidade em Portugal.

À hora a que fui votar, a fila era grande e isso satsifaz-me. Satisfaz-me porque os sócios estão empenhados na votação, porque mostra que os sócios estão comprometidos com o futuro do clube e porque a sua decisão será soberana.

É nisto que acredito, nesta democracia. Mas por acreditar na democracia e por fazer parte interventiva nela, é que tenho o direito e o dever de criticar o que está mal feito e de elogiar o que está bem feito. E é nessa permissa que os sócios do Benfica também devem pensar. É este o critério de exigência para quem escolhe quem deve tomar conta dos destinos do clube. Se o mesmo não for cumpridor com o que prometeu, têm de ser os sócios que o escolheram os primeiros a exigir explicações. É assim que a democracia também funciona.

Sendo assim, e quando ainda faltam 6 horas para se votar, votem! Em consciência!

VIVA O BENFICA!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O mentiroso compulsivo

Direitos televisivos

Se dúvidas existiam relativamente ao desfecho do acto eleitoral, Vieira terá ontem garantido a continuidade ao anunciar o rompimento com a Olivedesportos.


As minhas dúvidas:

. Relação entre Benfica SAD e Benfiva TV. A cedência dos direitos será considerada uma transferência entre diferentes empresas? Nesse caso, mantém a Olivedesportos o direito de opção?

. Negociação colectiva patrocinada da Liga. Se for para a frente como é?


Juristas, cheguem-se à frente.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Enough is enough.

Não há explicação para o jogo que fizémos.
Já se percebeu que Matic e Enzo só fazem esquecer que existe meio-campo: está na hora de jogar com alternativas.
Temos um ponto, quando devíamos ter, no mínimo, 6.
Chega.

domingo, 21 de outubro de 2012

"Quem me conhece sabe..."

Vieira vem agora prometer que irá baixar preços de quotas e bilhetes. O problema é que quem o conhece sabe o que ele prometeu há uns meses. E sabe que apesar disso os cativos subiram brutalmente, os bilhetes idem. E a média de espectadores, obviamente, desceu.

a/c Rui Gomes da Silva


Passivos

Nuno Gaioso n'A Bola: "O passivo bancário do clube é zero e na SAD é de cerca de 243 milhões de euros, isto consolidando todas as sociedades do universo e desde a última informação disponibilizada à CMVM"

Luis Filipe Vieira no Correio da Manhã: "O passivo exigível consolidado é inferior a 370 milhões de euros, e destes 237 milhões correspondem ao passivo financeiro. Por muito que alguns pensem o contrário, uma mentira muitas vezes repetida não deixa de ser uma mentira."

Domingos Soares de Oliveira no Record: "Se falarmos no passivo consolidado, que é o que interessa aos benfiquistas, existem duas vertentes: o passivo financeiro, que se situa em 237 milhões no final do último exercício, portanto muito abaixo dos 500 milhões falados por alguns, e o passivo não financeiro, que tem a ver com dívidas a parceiros e que se situa nos 119 milhões. Portanto, estamos a falar de um total que não chega a 400 milhões.



Rangel tem atirado para o ar um valor de 500 milhões. Para quem fala em rigor e exige transparência, atirar um número para o ar sem concretizar o que corresponde ao quê é mau. Mas apesar das falhas está tão próximo de anunciar a verdade aos Benfiquistas quanto os actuais gestores e seus defensores que, jogando com as palavras, indicam valores parciais nas suas declarações públicas, tentando passar a ideia que as coisas não são tão más quanto parecem ser.




Valores apresentados no Relatório & Contas entregue aos sócios na Assembleia Geral de 27 de Setembro de 2012:

Passivo do Sport Lisboa e Benfica a 30 de Junho de 2012: 113.404 milhões
Activo do Sport Lisboa e Benfica a 30 de Junho de 2012: 15.811 milhões

Passivo consolidado da Sport Lisboa SAD a 30 de Junho de 2012: 426.073 milhões
Activo da Sport Lisboa SAD a 30 de Junho de 2012:  411.921 milhões

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Sr. Branco e Dr. Rangel

Ando nas experiências de votações no Benfica desde 1997. Nesse ano, Luís Tadeu, Abílio Rodrigues e Vale e Azevedo discutiam a Presidência do clube, depois de Manuel Damásio ter tido um laivo de benfiquismo ao demitir-se, após não ter atingido os objectivos a que se tinha proposto para o clube (coisas raras neste tempo...).
A minha escolha recaíu em Luís Tadeu, porque tinha o projecto mais ambicioso para a altura e porque Vale e Azevedo não era, claramente, a melhor escolha. Nesta guerra de interesses, Abílio Rodrigues desiquilibrou as contas e, se tivesse tido a humildade de ver o que se estava a passar, deveria ter abdicado da candidatura e prestado um serviço ao benfiquismo.

Três anos depois e com o caos instalado, novas eleições, com Vale e Azevedo e Vilarinho. A escolha recaíu em Vilarinho, essencialmente para correr com Vale e Azevedo. Por tudo o que fez, e o contrato da Olivedesportos não serve para atenuar, Vale e Azevedo não foi digno de ser Presidente do Benfica. E por isso mesmo, em 2000, a escolha era mesmo tirá-lo do poder.

2003, 2006 e 2009 foram anos em que o voto em branco tomou conta do meu pensamento, porque a mesma memória que serviu para olhar para os melhores interesses do Benfica e para o seu bem, é a mesma memória que viu um sujeito aproveitar-se do Benfica para os seus negócios pessoais.
Os putativos candidatos de 2003 e 2009 de pouco serviram para contestar o que tinha de ser contestado: as mentiras e incoerências dos discursos, a compra maciça de jogadores sem qualidade, o apoio a estruturas corruptas do futebol português, sempre em prejuízo do Benfica sem a devida defesa, a introdução de adeptos de outros clubes em posições chave do clube e o aumento das dívidas ao longo dos últimos anos mostram bem o meu "amor" pelo senhor Vieira e pela sua obra.

Este ano apareceu Rui Rangel e traz, pelo menos, ideias. Ideias para se discutir o Benfica, abertura para ouvir os sócios e adeptos e traz também classe, que é uma coisa que tem faltado nestes últimos anos ao clube. Mas falta mais, muito mais! As perguntas que coloquei durante a semana têm respostas muito vagas no programa eleitoral do Dr. Rangel. Do lado de Vieira, nem vou comentar o que quer que seja de um sujeito que usa as casas do clube como suas e como seu "braço armado", que impede a livre discussão de ideias nos órgãos de comunicação social do clube e que usa a propaganda para atemorizar as pessoas com o célebre "regresso ao passado".

É bom que se note, que a bem do Benfica, a nação benfiquista uniu-se para correr com Vale e Azevedo, dando oportunidades atrás de oportunidades a Vieira para colocar o clube no trilho do sucesso. Isso não aconteceu e a culpa não foi dos árbitros.

Se Rui Rangel, no prazo de uma semana não apresentar mais do que as vagas ideias que tem mostrado, o meu sentido de voto tomará o mesmo destino dos últimos anos, optando pelo sr. Branco, em detrimento de um futuro melhor para o nosso clube.
Dr. Rangel, tem uma semana para provar efectivamente que merece uma oportunidade. Faça por isso! A bem do Benfica!

Viva o BENFICA!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Eleições (III)

Mais um dia, mais uma pergunta,

"Qual a estratégia definida para a Benfica SAD, no que ao futebol diz respeito? Qual é a relação entre a equipa A e a equipa B? Quais os critérios utilizados para a contratação de jogadores? Qual a estratégia utilizada para a redução dos custos com pessoal na Benfica SAD?"

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Eleições (II)

Mais um dia, mais uma pergunta:
"Quais as medidas para reduzir o passivo, quer da SAD, quer do clube?"

Lamento.

Isto não é alternativa. Do Sr. Rangel, não preciso de mais nada.

Um mau começo

De um lado o menosprezar do Benfiquismo com novas referências a Vale e Azevedo (parecem sempre esquecer-se que antes desse houve 31 Presidentes do Sport Lisboa e Benfica) e dos "apoios" de Mourinho e do "dragarto" Tóliveira (pagam quotas?). Do outro referências indirectas ao opositor.

O Benfica não precisa de uma guerra de palavras inócuas. Se do lado de Vieira será uma surpresa tudo o que vá além das referências à "obra feita", do outro lado exige-se a apresentação de um projecto claro e objectivo.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Eleições (I)

Após a apresentação de Rui Rangel mais logo, no Sheraton, estão abertas as "hostilidades" para se tentar ver um debate sério, honesto e elevado, como o Benfica, o Sport Lisboa e Benfica merece.
Tenho as minhas dúvidas eleitorais, como qualquer bom sócio que se preze, e por isso, durante os próximos dias, as perguntas que eu queria ver respondidas por ambas as candidaturas serão colocadas aqui, no Ndrangheta.

Para hoje, temos os direitos televisivos. E a pergunta é a seguinte:
" Os direitos de transmissão televisiva do jogos do Benfica representam cerca de 10% das receitas totais do clube. O contrato com a Olivesdesportos acaba no final desta época. O Benfica tem a Benfica TV.  
Qual é a estratégia a adoptar pela sua candidatura no que aos direitos televisivos dizem respeito? Em que medida pretende aumentar o valor a receber? E como o vai fazer? Continuar ligado à Olivedesportos? Sim ou não?"

Benfica TV

A partir de hoje a Benfica TV tem uma excelente oportunidade de mostrar se está ao serviço do Sport Lisboa e Benfica ou de Luis Filipe Vieira. Seria bom que a estação marcasse presença na apresentação da candidatura de Rangel, melhor seria que entrevistas e debates, entre "chefes de fila" e/ou entre outros elementos candidatos aos órgãos sociais, fossem promovidos na sua antena de forma a a esclarecer os sócios e promover a cultura democrática do Benfica.




domingo, 14 de outubro de 2012

Já chega!

Como é que alguém pode ainda achar que há seriedade de LFV quando alterou os estatutos para obviar uma candidatura de Rui Costa e de José Eduardo Moniz?

Se nos recordarmos, então, Moniz não avançou pois nem 10 anos de sócio tinha! Provavelmente, coitado, não tinha 12,00€ para pagar as quotas.

Nunca foi visto numa assembleia geral e chocou-se com o que se terá passado na última. Ignoro se foi a Manuela a dar-lhe a notícia com o seu habitual rigoroso critério jornalístico.

E vai daí, Moniz que há três anos se queria candidatar a presidente do Benfica, hoje sente o apelo de apoar Luís Filipe Vieira.

E O QUE TEM MESMO QUE SER RESPONDIDO É ISTO: TRÊS ANOS DEPOIS, MONIZ ACHA QUE JÃ NÃO VALE A PENA CANDIDATAR-SE PORQUE NÃO GANHÁMOS UM CAMPEONATO, NÃO FOMOS AO JAMOR, O PASSIVO AUMENTOU E, COMO TAL, HOJE ESTÁ ~TUDO MELHOR?!

Este gajo tem que responder a isto! Ele tem que explicar! ~Tem que dizer aos sócios do Benfica o que antes estava mal e hoje está melhor! Se não o fizer, manifesta que é um canalha, um escroque e merece muito pouco menos do que ser espancado!

Os sócios do Benfica não são parvos e, Moniz, acredita: tu vais ser a vassoura de Vieira! E quando a vassourada for dada, sabes onde é que a podes meter, não sabes?!

P.S.: Se Rangel se candidata com o apoio / suporte de José Veiga manifesta bem ao que vem...

Já chega!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A lógica do negócio

José Eduardo Moniz (JEM) apareceu hoje, na RTP, a justificar o porquê de estar disponível para o Benfica e para Luís Filipe Vieira.

JEM disse na RTP que não concordava com o que se tinha passado na última Assembleia-Geral, mas eu que estive lá, não concordo que um futuro vice-presidente do Benfica (caso Vieira ganhe as eleições) diga o que não vê, porque JEM não pôs os pés na Luz e portanto, falou conforme lhe disseram para falar.

Para além disso, e depois de ter tido a sua família ameaçada quando ainda pensava em se candidatar à Presidência do seu clube do coração, quando abdicava de estudar para ver o Benfica europeu, o que aconteceu a Moniz nestes últimos 3 anos? O que falou sobre o Benfica? Que ideias é que teve para o Benfica neste tempo? Quem souber que responda.

JEM disse que o Benfica precisa de unidade e que não concorda com as pessoas que aparecem só por aparecer a dizer mal de tudo e de todos, e que, como na última AG (ai essa coluna, Zé Eduardo...), o Benfica não pode voltar a ser tomado por "oportunistas", evocando novamente o fantasma "Vale e Azevedo".

Frisou várias vezes que não era nenhum "yes-man", mas das palavras aos actos vai uma grande distância. Basta olhar para as declarações dele sobre a AG para saber quem é ou quem não é um "yes-man". As atitudes ficam para quem as pratica, como é óbvio.

Finalmente, e deixo este ponto para o fim, não existe nenhum objectivo pessoal de ser Presidente do Benfica, mas que tem uma missão e que quando a acabar, se retira. Pois bem, este sim, é o ponto fulcral e fundamental da presença de JEM hoje na RTP, amanhã na TVI e para a semana na SIC ou noutra TV qualquer.

Sabemos todos que JEM é vice-presidente da Ongoing, que curiosamente detém 50% das acções do Benfica Stars Fund. Também foi director-geral da RTP e da TVI, com a seguinte particularidade. Foi com JEM que a RTP fechou contratos de milhões com a Olivedesportos para a transmissão de jogos de futebol e foi na TVI, que a mesma ganhou, nos últimos anos, a possibilidade de transmitir os jogos em canal aberto. Que curioso, não acham? Sendo assim, qual será o papel de JEM na lista de Vieira, tendo se vindo a oferecer, no canal do Estado, tal e qual como "uma puta" (e desculpem-me a expressão, mas é o que me ocorre...)? 

Será pela unidade do clube? Será porque continuará a ser um "jornalista", como se apresentou? Será para acabar com as AG's às quais não vai? Será porque não é um "yes-man"? Será porque não é um oportunista? Ou será que já pagou os anos de quotas em atraso e quer receber os retroactivos de tão generosa atitude?

Aguardam-se as cenas dos próximos capítulos, mas sempre cientes de que este é mais um daqueles casos em que a espinha dobra como se não houvesse amanhã...

Gloriosos!

22 - 28.
Parabéns ao nosso Andebol!

E agora?

As eleições no Benfica estão à porta. Em princípio haverá luta eleitoral. Bom.

Mas não pode, não pode haver mais eleitoralismo. Basta dos circos habituais, dos argumentos ad hominem, das promessas, da obra, do ano 2000.

Rangel tem do lado dele o falhanço desportivo de Vieira.

Vieira tem do lado dele o fantasma do que virá se sair.

Ambos os lados não devem entrar nesta retórica, devem falar sobre os projectos que têm para o Clube.

E o que é isto do projecto?

- O posicionamento institucional do Benfica perante o C. Arbitragem, direcção da FPF, direcção da Liga.

- Que política para o futebol? Investir? Lançar jogadores da "B" na Equipa principal? Não dizer que é um objectivo, mas sim, OBJECTIVAR se caso disso for.

- Os contratos televisivos, o naming do Estádio, a redução do Passivo.

- O Benfica Europeu? Chavão, aposta, ou "se der, dá"?

É isto que espero ver e ouvir ser discutido. O resto é política da mesma que vemos todos os dias no País. E os Benfiquistas, como todos os portugueses, estão- creio- fartos de políticos. Destes políticos.

Viva o Sport Lisboa e Benfica!!!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Ban...quê?

Que raio de preparação estrutural de uma época é esta que entre jogos de selecções, o Benfica desloca-se a Abu Dhabi para fazer um jogo de preparação com o Baniyas SC? 

Ainda se fosse a Espanha ou França, que são destinos próximos e não implica muito cansaço, o Benfica vai até Abu Dhabi, que é relativamente perto...

Qualquer dia, estão a fazer um jogo a meio da semana em Angola, depois de terem perdido com o FC Porto por 5-0. (Oh, wait...)

Nada é por acaso

O blog recebeu na segunda-feira um mail que passo a transcrever:

"Rui Rangel, o juiz, o benfiquista, o homem sério que reclama credibilidade ao Benfica devia ter vergonha de usar certas palavras. Aliás veia ter vergonha de sair à rua. Isto se tivesse carácter e alguma ponta de vergonha, coisa que já se provou não ter. 

O juiz anda alegremente por Lisboa a mostrar um luxuoso BMW X6, carro de jogador de futebol e que seguramente o ordenado de juiz nunca lhe teria permitido ter. Pois bem, acontece que é o homem que tanto apregoa pela verdade e pela seriedade deve 9 prestações do seu fantástico bólide  9 prestações ao Finicredito. Se quiserem mais é só perguntar pelo contrato nº 4267 do senhor juiz Rui Rangel para saberem que o arauto da transparência há nove meses e de forma consecutiva anda a enganar uma locadora financeira. Mais, a renda da casa que ocupa no Saldanha há três meses que não é paga!
Mais: o homem da moral e dos bons princípios tem uma filha que cobardemente não perfilhou ….

Este é o homem que acha que tem perfil para se apresentar aos benfiquistas….Ele que tenha vergonha, que pague o que deve e que de apoio à filha que nem sequer teve a dignidade de assumir. E há ainda muitas histórias de incompetência e não só de quando ele exercia (mal) a sua profissão…."
 
Este mail, que foi enviado para mais gente que anda pela blogosfera, mostra que a máquina não dorme. Ontem, um dia depois do mail ter sido enviado, havia uns zunzuns do que estava para acontecer hoje, ou seja, a candidatura do juíz à Presidência do Benfica. 
 
Entretanto, ontem, o Ricardo, do "Ontem Vi-te no Estádio da Luz" tinha publicado no Facebook do blog o seguinte texto:
"Após o email recebido sobre Rangel, pergunto-me qual será o novo passo da mÁquina. Rangel pedófilo? Rangel homicida? Rangel sócio do Porto e do Sporting? Rangel apoiante inequívoco do nandinho das facturas? Rangel amigo pessoal de Joaquim Oliveira? Rangel demissionário sem os 300.000 sócios? Rangel demagogo? Rangel mentiroso? Rangel e suas comissões com Salvador? Rangel que leva clubes à falência?

Rangel antecipador de eleições? Rangel festejador de golos do Porto contra o Benfica? Rangel incompetente? Rangel vencedor de 2 campeonatos em 10 anos? Rangel segurado pela secção de boxe? Rangel perseguidor de sócios incómodos? Rangel ao telefone em Assembleias-Gerais? Rangel chateado com o título de 2005?

Todo um mundo de curiosidade.
"
 
Sei que o aparecimento de uma candidatura à Presidência do Benfica irá incomodar muita gente. Sei também que o actual Presidente do Benfica irá usar todos os métodos para descredibilizar o que quer que seja, nem que para isso tenha de usar um tio de um canário que o Rui Rangel tenha em casa. 
 
O que eu queria mesmo era que houvesse discussão sobre o futuro do clube. O que eu queria era que fossem discutidas as medidas para reduzir um passivo de 500 milhões de euros. O que eu queria era que fosse discutida o tipo de estratégia que querem para o clube. O que eu queria era que quem saísse a ganhar fosse o Benfica e não o interesse pessoal de determinadas pessoas. Mas isso se calhar sou só eu que sou lírico...

As máquinas estão montadas (sei bem disso) e o que se irá assistir é a lavagem de roupa suja, como o mail acima comprova. Para mal de todos, mas acima de tudo, do principal interessado, o Sport Lisboa e Benfica.

É uma pena...

...o André Gomes ser português.


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Mais uma

Foto: SL Benfica

Um bom começo de época no voleibol. Esperemos que não tenha o mesmo fim da época passada!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Da democracia das coisas

Extracto da crónica de Leonor Pinhão, hoje, n'A Bola: (os sublinhados são meus)

"Deixem-me que vos conte uma história: o meu avô era um grande benfiquista e sempre que havia eleições votava no presidente que tinha terminado o exercício. Ou seja, nunca votou para derrubar uma Direcção. Algumas vezes o seu candidato perdeu e o meu avô (quando morreu era o sócio nº47) dizia sempre a mesma coisa: «Deus queira que fique por lá muitos anos porque é sinal de que continuamos a ganhar títulos.» E, com esse espírito, apoiava o recém-eleito como tinha apoiado o antecessor. E lá se continuava a ganhar títulos.

Entretanto passaram-se muitos anos e muitas coisas que deitaram por terra este critério e outros. Reconheça-se a Luís Filipe Vieira, por exemplo, o mérito de conseguir aquilo que era impensável, ou seja reeleger-se presidente do Benfica com votações brutais, praticamente sem oposição, sem ter de apresentar aquela carteira de títulos que, antigamente, era cartão-de-visita dos presidentes do Benfica.

Este Outubro vai voltar a acontecer a mesma coisa. No hora de votar, os benfiquistas vão reeleger o presidente do seu clube, alguns com fervor e gratidão, outros por desfastio, queixando-se de que não há alternativas. Assim caminha Vieira para um recorde que muito surpreenderia os nossos antigos.

Pela minha parte, tenho um pedido a fazer: que o presidente não consinta que tenhamos de ouvir, depois da próxima xistrada que o Benfica trabalha tão bem, tão bem, tão bem que até «estava avisado».

É que não podemos votar neles para a FPF e para a Liga e para o Conselho de Arbitragem e depois vir-mo-nos queixar de que fomos «avisados».

A par do empate em Coimbra e das outras circusntâncias já referidas foi esta a frase - a do «fomos avisados» - que contribuiu de modo decisivo para o incêndio da última assembleia geral.

O resto é democracia. E pode ser, há quem diga, um grande tormento. Mas isso toda a gente sabe. E o presidente do Benfica também."

terça-feira, 2 de outubro de 2012

O melhor de dois mundos

11 de Dezembro de 1991,

O Barcelona veio a Lisboa jogar com o Benfica, para mais uma jornada da novíssima Champions League, uma competição que a UEFA tinha acabado de inventar e que substituía a famigerada Taça dos Clubes Campeões Europeus. Como ainda não havia coeficientes de países, e como a Europa ainda atravessava uma crise de identidade que nunca abandonou, a Champions League ainda era disputada só pelos clubes campeões de cada país. E o Benfica, depois de um jogo épico, onde eliminou o Arsenal em Highbury Park, estava na elite europeia, uma vez mais.

E teve o privilégio de receber o Dream Team do FC Barcelona, de Cruijff, Stoitchkov, Koeman, Romário, Nadal, entre outros. E eu tive o privilégio de lá estar. Na Luz, cheia. Para ver qualidade. Muita qualidade. De um lado e de outro, mas em que o estratosférico mundo catalão se imponha naquela altura ao colosso encarnado.

Foi com essa equipa do Barcelona, que aprendi a gostar do clube e da cidade, uma das minhas predilectas. Mas não a troco por Lisboa, a minha cidade e a do Sport e Benfica. Esses são imutáveis, inalienáveis. Esses são os meus eternos amores.

Hoje, a nova Luz, depois de receber Ronaldinho, recebe agora Messi, outro estratosférico ser que vai mostrando o quão é perto da perfeição, numa qualquer "cancha" espalhada por esse mundo fora. E estará também, uma das melhores equipas de todos os tempos que já tive o privilégio de ver jogar ao vivo.

O melhor de dois mundos é isto. E é o que se vai passar mais logo, na Luz. Disfrutem...

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Já deram o bilhete ao Maradona?

Duas perguntas para 500 M€

- Com um passivo de clube na ordem dos 100 M€ e de uma SAD, na ordem dos 400 M€, quem é que estará na disposição de formar uma lista com pessoas competentes nas mais diversas áreas, com total disponibilidade para gastar 4 anos da sua vida, em prol de um clube?

- Quem é que mais precisa: A banca do Benfica? Ou o Benfica da banca?

Uma questão de coluna

Sou hoje surpreendido pelas declarações de João Gobern, ontem, naquela espécie de programa televisivo que a RTP informação passou das terças para os domingos, onde se discute futebol. Melhor, não se discute futebol. Discute-se se a bola entrou ou não, se o árbitro errou ou não, só faltando uns cinzeiros na mesa e os copos regados com whisky (como o Rui Oliveira e Costa tanto gosta), para aquilo ser uma amena cavaqueira num qualquer bar, em qualquer lugar do país. O problema é que este tipo de reunião é paga com o dinheiro dos nossos impostos.

E o que disse João Gobern, que ainda teve tempo para poder ser gozado por dois mentecaptos de outros clubes? O mesmo que alguns Manuéis e outros quejandos andaram a dizer depois de quinta-feira, tecendo loas ao Rei Sol Vieira e que, no dia das eleições, é que se vai ver como é. Ou seja, sopraram-lhe ao ouvido aquilo que ele tinha que dizer, como sopram ao ouvido daqueles que agora veneram Vieira e depois venerarão outro imbecil qualquer que por lá pulule e lhes prometa mundos e fundos como o que cá está actualmente.

Soube, na própria quinta-feira, que João Gobern, a par de outros jornalistas famosos da nossa praça benfiquistas, se reúnem mensalmente com o Presidente do Benfica, seguindo uma prática que também ocorre noutros clubes, seja ao nosso lado ou seja mais acima. E no que é que consistem essas reuniões? Saber como passar a mensagem de certa forma. Nessas mesmas reuniões, ainda há quem pense pela sua cabeça e coloque Luís Filipe Vieira no seu lugar, não aceitando aquilo que não lhe parece bom para o Benfica. Temos pena, mas ainda há gajos sérios...

Pois bem, o sr. Gobern, que até tinha alguma estima na maneira em que defendia o nosso clube, e que foi, afastado da forma mais filha da puta que conheço de um programa de televisão, optou por deixar de pensar pela sua cabeça e preferiu dar ouvidos a algo que lhe disseram e que assumiu como se fossem verdades irrefutáveis. 

Para além de eu achar mal uma pessoa não ser sócia do Benfica e opinar sobre Assembleias Gerais do clube, e ainda por cima julgar outros que sejam benfiquistas ou deixem de o ser, então aí, a credibilidade dessa pessoa vem por aí abaixo, que é uma beleza. Gobern optou por falar na Assembleia Geral, mas não quis falar sobre o passivo, falou sobre sócios no mesmo dia se inscreverem para ir à AG, como se isso fosse possível, ainda teve o desplante de dizer que não é instrumentalizado e não é informado das coisas que se passam no Benfica, falou ainda em populismo de outros tempos e dívida de gratidão para com Luís Filipe Vieira, e ainda quer ser levado a sério?

Gobern mostrou que afinal pertence ao grupo que por um bilhete, ou por informação privilegiada (ou não fosse jornalista), até é capaz de dar um dentinho para a causa. Mostrou aquilo que não pode ser. E mostrou que a honra que adquiriu nestes últimos tempos, à custa da liberdade de expressão que tanto apregoou se esfumou nas palavras que dissertou ontem.

Por mim, está mais do que apresentado...