terça-feira, 31 de dezembro de 2013

2013

Podia estar agora a regozijar por estar a ver uma das melhores épocas que o Benfica tinha feito na sua e na minha vida.
Estivemos em Amesterdão, estivemos no Jamor e alguns estiveram no Dragão, na ânsia de um sonho que se tornou num pesadelo.

Não é preciso estar a mexer mais naquilo em que já mexemos. Não é preciso voltar a frisar o que nos fez estar em depressão com este clube que adoramos desde Maio e o conjunto de pessoas que está à frente do mesmo o que de mal tem fazendo.

Só queremos que 2013 passe depressa. E que mais logo, o primeiro pedido do ano seja o mesmo de sempre: "quero que o Benfica seja campeão!".

Bom 2014

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Quase no top ten. Quase...

4 Milhões/ano. Títulos? 4 Taças da Liga, 1 Campeonato e quase mais 3  Campeonatos, quase mais uma Taça de Portugal, quase uma Oróliga. Quase isto tudo pela pechincha de 4 Milhões /ano.

Espectáculo!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Perguntas simples para as quais não há resposta

O Benfica colocou hoje à venda os bilhetes para os jogos contra o FC Porto e contra o Marítimo na Luz, a contar para o campeonato.

Vou-me só debruçar no jogo contra o FC Porto, porque é aquele que tem mais sentido (todos têm, como é óbvio) no seguinte contexto:

É preferível ter o Estádio da Luz sempre cheio em todos os jogos. Janeiro, é por norma, o mês em que o poder de compra das pessoas é o mais baixo em todo o ano, devido à regra consumista que existe no Natal e Fim de Ano. A primeira pergunta que se faz é:

- Na impossibilidade de ir aos dois jogos na Luz, em qual é que o apoio (traduzido em compra de lugares) deveria ser o maior? FC Porto ou Marítimo? Os dois jogos não deveriam ter os mesmos preços para os sócios e diferentes para o público em geral?

- Quem define a política de preços nos jogos do Benfica em casa? Quem define os preços para os sócios e para os não-sócios? Porque é que há discriminação em outros jogos para os sócios com Red Pass e para os que não têm Red Pass?

Pegue-se no seguinte exemplo. Com a possibilidade do pay-per-view e das opções que há em carteira, uma pessoa pode adquirir a Benfica TV por 9,90 € durante um mês, ver os dois jogos (FC Porto e Marítimo), e ao final do mês, cortar com o serviço. Quanto é que o Benfica ganha pela pessoa não ir ao estádio, preferir ficar em casa, apenas e só porque o bilhete é caro (porque é disto que se fala)?

A ideologia que está formatada no Benfica na ânsia da procura do lucro fácil dá nisto. A pergunta que se faz é se é preferível ter um estádio com 10.000 pessoas com bilhetes a 60 euros ou 60.000 pessoas com bilhetes a 10 euros. E esse pormenor faz toda a diferença. Ainda há quem não veja esta teoria de oportunidade e ainda há quem concorde com esta visão acéfala.


domingo, 15 de dezembro de 2013

Fernando Santos, um curriculum invejável

. jornalista do Independente
. assessor do Ministro da Defesa Paulo Portas
. assessor de comunicação de Domingos Névoa na Bragaparques

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

O quê? O pessoal está a protestar?

- Bernardo Silva renova contrato até 2019
- Rochinha assina contrato profissional até 2018

1994-2013 (19 anos) ou como comer merda durante algum tempo a transforma em magret de pato

A Equipa de 1994, portanto de há 19 anos atrás, punha esta equipa num cantinho.

O Presidente de há 19 anos, por muito mau que tenha sido e foi, demitiu-se quando viu que tinha feito merda da grossa e não ganhava Campeonatos.

Os Treinadores dos últimos 19- sublinho 19- anos nunca tiveram dinheiro para formar equipas como a actual.

Que exigência há hoje em dia com plantéis de luxo? O quase.

A comparação é feita com há 30 anos atrás, ou 19? Nem numa nem noutra. Não há comparação.

Comemos tanta merda que passou a saber bem. Mas eu ainda tenho memória, e palato.

E magret de pato não é o que comemos hoje em dia. Há quem ache que sim, mas foi porque nunca provou a coisa a sério.

Acorda Benfica!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A melhor equipa dos últimos 30 anos

Não conseguiu seguir para os oitavos-de-final da Champions League, num grupo que tinha o Paris SG, o Olympiacos e o Anderlecht.

5 Anos

A Benfica TV é uma grande aposta do Sport Lisboa e Benfica. É um dos actuais projectos do clube que fazia falta e que, paulatinamente, vai fazendo o seu caminho. Como em tudo, tem as suas "ovelhas negras" e os seus momentos menos bons, mas faz parte. Só cabe a quem vai mandando na Benfica TV, que o profissionalismo comece a ser efectivamente a condição primária para se ser funcionário da dita televisão.
Por isso, os meus parabéns!

Como não podia deixar de ser, Domingos Soares de Oliveira deu uma entrevista à Benfica TV onde só vê as virtudes da coisa. A principal razão para o desenvolvimento de qualquer projecto passa por ver os pontos fracos, melhorá-los e depois desenvolvê-los em prol do objectivo final.

Soares de Oliveira não consegue perceber isso.
Vamos por partes:

“Por enquanto não está previsto um aumento. Mesmo quando lançámos a emissão nos dois canais que hoje estão disponíveis perguntaram-nos se queríamos actualizar o preço e, na altura, achámos que isso era defraudar as expectativas dos benfiquistas e não benfiquistas que aderiram à Benfica TV. Nesta fase e até ao final deste ano não vamos aumentar o preço. Esse pode justificar-se com a entrada de outros conteúdos”

Ou seja, a Benfica TV vai aumentar o preço. Apesar de já ter perdido o Brasileirão (para o ano é da Sport TV novamente), e de ter criado o segundo canal, por razões óbvias de programação não planeadas, quais serão os conteúdos que farão a Benfica TV aumentar a mensalidade? A Liga Espanhola? A Bundesliga? 

Chegámos a pensar fazer uma ligação entre a quotização e a assinatura do Canal. O modelo é complexo porque nós não dominamos o assinante. Quem tem a relação com o assinante é o operador e não conseguimos saber quem tem a assinatura. Abandonámos essa ideia e colocámos o preço mais baixo do que o que desenhámos inicialmente” 

Quando falamos nos sócios do Benfica, o problema é sempre complexo para as hostes da SAD do Benfica e do seu CEO. Mas se falarmos em clientes com um cartão vermelho e que tem o símbolo do Benfica lá estampado, já é diferente. Aí, a linguagem é a mesma. Se é complexo saber quem é que é sócio do Benfica e que tem MEO, ZON, Cabovisão, Vodafone ou outro operador qualquer, basta criar um campo no preenchimento de qualquer formulário a perguntar se é sócio do clube. Após a resposta positiva, é apenas um trabalho de comprovação. Não é nada complexo. Não é nada do outro mundo e olhando para os relatórios e contas do Benfica dos últimos anos, o valor dispendido em CRM (Customer Relationship Management - Gestão de Relação com o Cliente, em português) serve para quê, exactamente?

Ou seja, para o Benfica, ser-se sócio ou não, é igual. Conta é o número de "clientes". Uma linguagem bonita e moderna para se adaptar aos novos modelos de negócio do futebol contemporâneo, onde os jogadores são activos e valorizados para fundos de investimento sem qualquer critério.

Na altura, foi amplamente discutido aqui a questão da Benfica TV e da sua vertente "premium", que é a escolha indicada para o modelo do negócio da Benfica TV. Agora, abdicar de pessoas, que todos os meses contribuem para o Benfica, já é uma falta de respeito.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

A estupidez tem limites

Mas Jorge Jesus faz questão, todas as semanas, de a querer sempre superar.

Podemos começar pelo defesa esquerdo que não é defesa esquerdo, mas que tem de jogar para rentabilizar "alguém". Podemos também dizer que depois colocamos Gaitán a defesa-esquerdo, só para ver se funciona e se podemos fazer outro negócio fantástico. Isto, com André Almeida no banco.

Depois, continuamos a apostar na táctica que nos deu o campeonato há 4 anos, mas que tinha um Ramires que fazia toda a diferença. Ainda não tivemos tempo para aprender que a táctica não dá.

Continuar a apostar em Markovic numa ala é continuar a querer queimar um jovem que tem tudo para explodir, mas no meio, solto, à procura da bola para depois partir para cima dos adversários. Não é na ala que o sérvio vai fazer a diferença. Não é preciso ser um catedrático para perceber disto.

Também não é preciso ir aos livros, para, em semana de confronto com o último classificado, os treinos semanais incidirem na finalização. Não é preciso ser um génio da lâmpada para perceber isto. Pelos vistos, houve alguém que não percebeu, para ver os remates que o Benfica fez durante o jogo. 

A cagança e a soberba de que estávamos a jogar com o último classificado (a exemplo do que aconteceu com o Belenenses na altura) fez com que o resultado final fosse o verificado.

E finalmente, a parte final. Sofremos mais um golo de um livre lateral. É inadmissível, depois do jogo com o Estoril o ano passado, que o problema não tenha sequer sido solucionado, como a maioria dos lances de bola parada contra o Benfica sejam sempre um problema para a equipa.

E depois, há a velha questão que se repete, ano após ano, época após época, quando acabam este tipo de jogos na Luz: "O Benfica não consegue aproveitar as benesses que tem". Não é saber aproveitar. Não sabe mesmo. Falta quem tenha dito durante a semana, aos meninos que todos os dias vão ao Seixal, que este jogo era mais importante do que a montra da Champions. O Benfica recebia o Arouca, vai a Olhão e Setúbal, antes de receber o FC Porto. Era o momento ideal para aproveitar esta série de jogos para partir rumo ao título. A escolha foi claramente a contrária...

domingo, 1 de dezembro de 2013

Das carraças desta vida

A entrevista de António Carraça ontem ao Record não podia ter sido mais esclarecedora sobre várias situações que se passam no Benfica. Para além de ter ido lavar roupa suja para um meio de comunicação numa altura em que o Benfica se aproxima do FC Porto, serviu também para ser a voz do dono. 

António Carraça apostou as fichas todas nos desaires em que o Benfica esteve envolvido numa única pessoa: no treinador do clube. Mesmo assim, conseguiu ser contraditório. Carraça conseguiu dizer que o clube tem a melhor estrutura do clube e que o próximo treinador só tem de trazer um adjunto para o clube ganhar. 

António Carraça conseguiu fazer uma entrevista onde só falou dos seus prós e de nenhum contra. Carraça conseguiu dizer na mesma entrevista que, no fundo, não mandava nada na estrutura do futebol do clube. 

A entrevista foi um chorrilho típico de discursos feitos, com agenda própria e com um destinatário muito simples. Repare-se que, em nenhum momento, o papel do Presidente é posto em causa. Repare-se que até a hipotética candidatura de Rui Gomes da Silva nas próximas eleições foi colocada em cima da mesa, numa situação típica de anos anteriores para que Luís Filipe Vieira vá já anulando hipotéticas oposições.

Carraça desempenhou bem o seu papel ontem, no Record. Como aliás, desempenhou sempre bem o seu papel enquanto esteve no Benfica, servindo de subserviente a tudo o que lhe era imposto, sem sequer contestar. Funcionários destes, qualquer patrão com a agenda preenchida gosta. Desde os tempos da formação até à ida para a equipa principal, Carraça foi sempre o "bom mandante".

Confesso que não estranhei a entrevista do adepto do Sporting, profissional de futebol que o Benfica gosta muito de acolher, sem que tenha o completo conhecimento do que é a história do clube e os seus valores. O papel a que se prestou ontem foi bem claro: o responsável pelo Benfica não ganhar nada este ano está escolhido. E não é aquele que está lá há mais tempo...