domingo, 30 de dezembro de 2007

Mais um ano...mais uma desgraça

Pode-se dizer que 2007 não foi um ano bom para o Benfica, apesar de todos os apelos e de todas as falsas expectativas que alguma comunicação quer fazer crer. Vamos por partes...

FUTEBOL
Fevereiro, Março e Abril...meses determinantes numa época que começou (como têm começado a maioria deles) a balancear. Na Póvoa do Varzim, fomos eliminados por Mendonça e alguém se lembrou de convidar Diamantino para o Jantar de Aniversário do Clube. Em Março, aproximação ao FC Porto e em Abril, em duas semanas, empate com o FC Porto na Luz e eliminação da Taça UEFA aos pés de um Espanyol perfeitamente ao alcance do Benfica. Depois, é o que se sabe: 3º lugar no campeonato e disputa da pré-eliminatória da Champions.
No defeso, a saída de Simão, por valores abaixo do "prometido", regressou Manuel Fernandes e cedo saíu, contratações e mais contratações, para além de um verdadeiro entreposto em que se tornou a nossa agremiação, sendo as acções iguais ás de um certo clube do Norte, só faltando no mais importante: nos títulos.

BASQUETEBOL
Depois de andar o ano todo sempre por cima da Liga Profissional e apostando fortemente em atletas e num corpo técnico, a Direcção do Benfica resolveu fazer uma birra usando um esquema que em nada beneficia o clube, o atleta e a competição. Fez birra, perdeu com o FC Porto e resolveu ir para a Proliga para ganhar uma competição e assim iludir os mais incautos.

ANDEBOL
Em 2007, Donner completou o segundo de três anos que tem de contrato com o Benfica. Arranjou uma equipa competitiva com jovens e jogadores com experiência e a prova disso foi a vitória na Taça da Liga. Este terceiro ano é o ano, segundo Donner, que o Benfica tem de ser campeão. São palavras dele, não minhas. Depois da horrível experiência que o andebol do Benfica passou, já é muito bom o que tem acontecido. Mas mesmo assim, o investimento colocado não correspondeu às expectativas.

HÓQUEI EM PATINS
Desastre total é o que se pode considerar a época do Hóquei. Claramente inferiores ao FC Porto e a outras colectividades, o Benfica, nem com o regresso de Carlos Dantas, se consegue afastar de emprestar jogadores porque as condições financeiras não o permitem. Se as condições financeiras não o permitem, não vão buscar jogadores à Selecção. Poupa-se no dinheiro e poupa-se nas expectativas dos sócios...

VOLEIBOL
Outra época onde nada foi conquistado. Depois das dobradinhas em 2005 e da vitória da Taça o ano passado, este ano, mais uma época a ver Sp.Espinho, Vitória de Guimarães e Castelo da Maia a passarem-nos à frente. Adiante...

FUTSAL
A única modalidade que trouxe alegria aos associados. Dobradinha e logo a intenção (rapidamente desfeita com duas derrotas) de querer ser Campeão Europeu. Curiosamente, contratações sonantes nem vê-las e assim, já estamos eliminados da Taça e no Campeonato o Belenenses (que é orientado por um verdadeiro benfiquista) está a dar bigode a todos...

Por isso, 2007 é um bom ano para recordar. Nomeadamente os erros que se cometeram para que 2008 não seja mais um ano sabático, apesar de metade das coisas estarem a tomar o mesmo caminho. Que 2008 seja um ano onde o Benfica comece a pensar efectivamente na grandiosidade que tem e que pode vir a ter como uma instituição ecléctica. Porque ao contrário de outros que o dizem, o Benfica faz. Mas ao menos, que o faça com competência...

Bom Ano a todos! E VIVA O BENFICA!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

O caso Miguelito

Miguelito sempre foi um jogador que gostei de ver jogar. Como defesa-esquerdo, como médio-esquerdo ou como médio-direito (chegou a jogar assim na Luz com a camisola do Nacional), era um jogador que cumpria os requisitos mínimos para representar um grande: capacidade técnica, capacidade física e idade para progredir.

Chegado ao Benfica no início da época anterior, Miguelito era a esperança para mim de ser um digno sucessor de Léo no lado esquerdo da defesa encarnada, assim como um mais que digno utilizador do lado esquerdo da Selecção.

No entanto, o brasileiro exibiu-se sempre ao mais alto nível, não dando hipóteses a Miguelito para se impôr e para poder mostrar o seu futebol, uma vez que é necessária alguma rotação para se poder desempenhar o papel de defesa-esquerdo no esquema de Fernando Santos com alguma regularidade. Para além disso, Fernando Santos não apostava em Miguelito com a devida necessidade, para além do facto de um jogador estar praticamente parado durante dois anos não pegar imediatamente de estaca ou estar com um ritmo de jogo adequado com as necessidades prementes da equipa.

Com os problemas inerentes á renovação de Léo e com a saída de Miguelito, o Benfica continua a mostrar uma surpreendente capacidade de gerir mal um plantel desportivo.
Com a mais que provável saída de Léo, e com a venda (ainda não confirmada) de Miguelito ao Sp.Braga, o Benfica volta a entrar em desvantagem na posição de defesa-esquerdo, uma vez que Tiago Gomes (emprestado na Polónia) não reúne as características que quer Léo, quer Miguelito tinham. A não ser que neste ano no Leste Europeu tenha havido alguma evolução espontânea que não haja em mais nenhum país do Mundo.

A vinda de Gilberto (o nome de que se fala) faz com que o Benfica entre num novo processo de reciclagem que nunca tem fim e que se passa/passou com Léo. Chega com 31 anos, joga dois anos a altíssimo nível, e na parte final do contrato, ensina quem lhe vai suceder. Porém, neste caso, quem vai suceder opta por jogar noutros sítios dispensado ou por vontade própria.

Chama-se a isto um problema de gestão que o Benfica necessita urgentemente de resolver, sob pena de voltar a ficar mais 11 anos sem ganhar nada.

P.S. Sei que provavelmente vão-me chamar maluco por gostar do Miguelito. Mas gostava de saber qual era a opinião dos adeptos / sócios / simpatizantes do Benfica quando lhes era questionado o ano passado quem poderia ser uma alternativa válida a Nélson no lado direito do Benfica. Essa resposta seria Luís Filipe...

1000 posts

Para analisar a sondagem sobre o futebolista do ano 2007 do SL Benfica. Kostas Katsouranis é o eleito. Entre ele e Quim, cedo se percebe que as preocupações defensivas foram mais evidentes neste ano do que nos anteriores. E isso para um clube como o Benfica é preocupante.
Foi uma eleição renhida, com a devida pressão, mas inteiramente justa, uma vez que o grego mereceu o desempenho que mostrou durante a época passada e já parte desta. Convém referir também que foi Fernando Santos que o trouxe do AEK para a Luz...

P.S. Ao milésimo post, é sempre bom recordar que quer eu, quer o inespugnabile quando nos reunimos em 2005 para abrirmos o Ndrangheta, não estaríamos à espera que tivesse uma afluência tão digna e residente. Com a necessidade de suprir alguns problemas de tempo, convidámos o Cosimo Damiano e o Piazza Nuova para se juntarem ao grupo. Com a recente modificação gráfica, demos mais um passo em frente. Esperamos que se juntem mais escribas ao grupo (pelo menos, estamos em negociações). Adicionámos sondagens, criámos polémica e continuamos por cá, sempre com o interesse de defender o Benfica, independentemente das ideias, o objectivo é comum: Devolver ao SL Benfica, no âmbito das ideias, a grandeza e a importância que sempre teve! Obrigado pela vossa preferência!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Cristiano Ronaldo

Ao eleger Cristiano Ronaldo como 3º melhor jogador do ano, a FIFA amesquinhou pela segunda vez o jogador português.
A primeira foi em 2006 quando decidiu eleger um jogador pouco mais do que banal como Podolski como melhor jogador do Mundial.
Assim quando chegar o dia em que a FIFA atribua o prémio ao madeirense, e é inevitável que esse dia chegue, gostava muito que Ronaldo gentilmente recusasse.

sábado, 22 de dezembro de 2007

Não há bem que sempre dure...

A derrota do Porto na Madeira é um bálsamo que todos merecíamos. Essencialmente porque, acabe o campeonato como acabar, o Sr. lá de cima vai continuar a pensar que campeões invictos, só houve uns...

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Comentário rápido ao sorteio

1 - Braga com tarefa impossível (ou quase...);
2 - Sporting com caminho aberto até aos oitavos (e, aqui, que se reze pelo bolton...);
3 - Benfica com caminho tranquilo até aos quartos (ao contrário do que disse Camacho há quinze dias, um sorteio com muita sorte!)
4 - Porto com tarefa complexa, mas com grandes hipóteses de seguir em frente... (atenção ao ambiente...)

Razões que a razão desconhece

Se já era evidente que o jogo do Benfica melhora com Bynia em detrimento de Petit - até Katsouranis parece outro... -, quem diria que com a saída de Rui Costa passávamos a jogar daquela maneira?
PS - muito bem Camacho a deixar Rui Costa ao intervalo, poupando-se a uma vaia monumnetal...
Ps 2 - vale fazer pressão? Se assim fosse, propunha votação forte em Katsouranis...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Sondagem - Análise de Resultados

Parece que os adeptos / simpatizantes / sócios do Benfica que nos consultam arranjaram alguns jogadores para onde vai o seu ódio sobre a política de contratações do Benfica deste ano. Da lista dos reforços para esta época não fez parte Stretenovic pelas razões óbvias. De todas as hipóteses, Andrés Diaz foi a pior contratação, provavelmente assente no facto do jogador argentino (que veio no pacote Di Maria) só ter efectuado dois jogos, e em ambos para a Taça da Liga.
A seguir vem Marc Zoro, que rotulado como um reforço de Veiga e com um ordenado principesco ainda não mostrou o que vale. Se assim é, que é feito do "poderoso defesa" que fez a pré-época e que iria ser o parceiro de Luisão, segundo rezavam as crónicas dos jornais?
Em empate técnico e no terceiro lugar surgem Butt e Luís Filipe. Se no caso do alemão, não havia necessidade da sua contratação, no caso de Luis Filipe acho estranho a mudança de opinião que molda os pensamentos benfiquistas. Aqui, aqui e aqui tenho três opiniões que viam Luis Filipe como um reforço a sério para o Benfica. O que se terá passado em 3/4 meses para uma mudança de opinião tão grande?
Em posições de menor destaque surgem Bergessio e Di Maria (com três votos no último dia curiosamente), sendo que o atacante argentino que veio do Racing Avellaneda é talvez o que tenha maior sentido de receber os respectivos votos.

De salientar que tivemos um acréscimo de cerca de 30% da última sondagem para esta e esperamos que continue a aumentar com as próximas.

A próxima sondagem irá para o ar daqui a pouco...

Olá Natal!

1 - Quinta-feira, contra o Estrela da Amadora, não basta fazer uma boa exibição. Tem de ser uma exibição que traga goleada. Sob pena de se esgotar o capital de confiança necessário para conquistar a Taça UEFA!
2 - Fred é uma boa solução para o ataque do Benfica. Não só porque não é igual a Cardozo, mas, sobretudo, porque pode ser a muleta necessária para a transição ofensiva do Benfica (gostaram desta?).
3 - Camacho não está farto de cá estar. Bem pelo contrário, já começou a planear a época que se segue, com algum primor que não se lhe conhecia. E, por isso, Vieira foi ao México...
4 - Boa entrevista de Camacho. Não só retirou alguma responsabilidade de cima das nossas jovens promessas, como lhes garantiu, apesar das exibições menos conseguidas, possibilidades de singrarem no Benfica. Di Maria, por certo, precisa de ouvir isso.
5 - A nossa sondagem foi ao encontro daquilo que todos já sabíamos... Os fiascos tiveram a assinatura Veiga e o beneplácito Vieira. Está na hora do nosso presidente mostrar que uma cabeça pensa melhor...

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Fui só eu e o Desmarets que vimos???

Ok!

Vamos lá a falar de futebol a sério.
Eu sei que está na moda falar da inépcia táctica de Camacho. Para magos da bola, como Freitas Lobo, o espanhol manda 11 homens lá para dentro e diz-lhes "Salir a ganar" e depois cada um joga o que sabe.
Camacho não foi certamente um grande jogador de futebol. Jogou como todos sabem nos distritais de Múrcia. Nunca sonhou com competições europeias e muito menos com a selecção. Nunca teve grandes treinadores a orienta-lo. Nunca ouviu nenhum falar-lhe em modelo de jogo. Não sonha que tal existe. Para ele o futebol sempre foi 11 gajos a correr atrás de uma bola e, como treinador, é assim que organiza o seu grupo.
Faz todo o sentido sim senhor.
Deve ser por isso que eu vi Armando Sá fazer os melhores jogos da sua carreira ao serviço do Benfica, ambos contra o Inter de Milão. Como não havia movimentos de equipa definidos, o tal modelo de jogo, o Pelé da Buraca pôde enfim demonstrar que a alcunha tinha razão de ser.

O que se passa no Benfica presentemente é que a que posição fulcral nas transições defesa-ataque e ataque-defesa, o trinco, é desempenhada por um jogador que já não tem condições para o fazer. É lento a recuperar defensivamente e lento a construir. Não consegue driblar um jogador e passa (salvo raríssimas excepções) para os lados e para trás.
Por algum motivo o Benfica recuperou parte da desvantagem na ausência por lesão desse elemento e voltou a distanciar-se assim que ele retornou ao 11.

Depois existem outras questões que impedem o Benfica de melhorar o seu jogo. Um extremo-direito lento, muito lento, sem rasgo de talento. E um avançado que sem um caudal contínuo de jogo ofensivo se perde entre os defesas adversários.

O grande erro de Camacho está em querer que estes elementos façam aquilo que não podem fazer e escolher, entre as claras limitações do plantel, outros que o façam melhor.
Maxi a defesa direito e Nélson a extremo poderiam funcionar melhor na minha modesta opinião. E claro, neste plantel, Binya. Sempre Binya!!!

domingo, 16 de dezembro de 2007

Vamos falar de futebol a sério, ok?

Uma equipa de futebol, para além de ter 11 jogadores a jogar e 1 treinador a treinar é regido actualmente com dois fundamentos primordiais: o modelo de jogo e o sistema de jogo. Há quem confunda estes dois termos, mas para os menos cultos, eu explico: o modelo de jogo é como assenta o jogo da equipa que o treinador pretende. São as chamadas transições ofensivas / defensivas, apoio nas linhas ou pelo meio do campo, enfim, rotinas de jogo que são criadas. Isto é o modelo de jogo. O sistema de jogo é como o treinador pretende ver implementado esse modelo de jogo, ou seja, é a simples táctica, seja ela 442, 433, 532, 541, 352, 343 ou outra qualquer.
Convém que o sistema de jogo seja modular, o que quer dizer que se possa alterar para que o modelo de jogo se mantenha igual. Daí Mourinho preferir utilizar 442 e 443 e Paulo Bento mudar do 442 para um 352.

Depois de explicada a diferença, e tendo em conta TODOS os jogos do Benfica disputados desde a era Camacho, não existe nem uma coisa nem outra. Pode-se falar num 4231, num 442, num 451ou noutro sistema qualquer. Modelo de jogo é que nem vê-lo. Não há uma jogada, não há desmarcações, não há movimentos pré-definidos e o jogo depende única e exclusivamente da classe de um jogador que é único a sentir o verdadeiro significado da camisola rubra que veste.
Para se ter uma ideia do jogo miserável de ontem do Restelo, não pode ser David Luiz a iniciar jogadas de ataque. Não se pode ter duas figuras estáticas em processos ofensivos como Petit e Katsouranis. Não se pode ter um avançado estático como Cardozo a jogar sozinho na frente.

Camacho pediu desculpas, Petit também, mas tal facto podia ter sido escusado. Camacho pode queixar-se dos 30 jogadores, mas também se pode queixar da sua inépcia em gerir tal plantel, não utilizando as peças como convém, nem definindo um modelo de jogo.

Pode-se dizer o que se quiser. Pode-se justificar o que quiser, mas ouvir Rui Costa dizer, que pela camisola, a dignidade que ainda existe faz com que se tenha de correr, é o mesmo que dizer que para o Benfica e para os seus jogadores, o campeonato acabou…

Belém - eu estive lá e prefiro não escrever nada, sob pena de ter de me chatear.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Parece impossível, mas também me engano...

1 - Ontem, o meu querido amigo P. puxou-me as orelhas: o Tiago não chegou ao Benfica pelas mãos de Camacho. Sei que não me engano muitas vezes e sou conhecido por ter uma memória quase infalível, mas desta enganei-me... acontece...
2 - O Benfica, na senda do defendido por Camacho, está a acautelar o futuro, renovando e protegendo as suas pérolas. Assim foi com Cardozo, assim foi com David Luiz, assim será com Di Maria e Christian Rodriguéz. Muito bem feito, num acto de gestão louvável...
3 - O gabinete de comunicação do nosso clube está a trabalhar bem, fazendo com que Veiga arda em lume brando. Primeiro mandaram publicar o ordenado de Butt e Zoro. Depois pediram ao director do jornal "A Bola" que publicasse o ordenado principesco de Miccolli... e de facto, o pequeno bombardeiro ganhava muito. Muito mesmo...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

A verdade na boca de Victor Valdés

Victor Valdés é o guarda-redes titular do Barcelona. Sem ser um grande fenómeno, tem a vantagem de ser catalão (nesceu em ) e ter vindo da cantera culé. Em Barcelona isso chega...
Esta semana, na véspera de um jogo entre Real Madrid e Lazio, decisivo para a aspiração dos merengues, Valdés disse a verdade: queria que o Real Madrid fosse eliminado.
Estou solidário com Valdés!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Por mim, fica assim:

- Sporting e Benfica com o caminho aberto até aos oitavos da UEFA;
- Porto com brindes e favas. Sendo que os primeiros são mesmo brindes e as favas são das complicadas de engolir...

Contratar? Sim, mas com nexo!

Lembram-se do "Soneca"? Chegou em Dezembro, com Camacho e foi essencial nos anos seguintes!
Lembram-se de Tiago? Chegou em Dezembro e foi um jogador decisivo enquanto quis!
Até Armando foi útil - e muito!

Assim, confio em Camacho e na sua ideia: reforços, só se forem a sério!

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Mais uma sondagem

Depois de analisarem qual a posição onde o Benfica necessita de ser reforçado, quisemos saber para já, qual a opinião que têm sobre a pior contratação do Benfica para esta época. Eu sei que há várias, assim como o número de contratações foi elevado, mas mesmo assim, como podem votar mais do que uma vez, até podem escolher mais do que um...

Resultados da Sondagem

A primeira sondagem de Ndrangheta teve a participação de 37 leitores. Como a média diária de visitantes é bem mais elevada, é estranho que mais pessoas não tenham querido participar na posição em que o Benfica mais necessita de ser reforçado no seu plantel.

Avaliando os resultados, temos que "Médio-Direito" é a posição que recolhe a maior percentagem com 37% dos votos, logo seguido ex-aequo de "Defesa-direito" e "Médio atacante (nº10)", com 21% dos votos cada um, respectivamente. As outras posições tiveram votações irrisórias para uma análise mais profunda.

Assim sendo, várias conclusões:

- O lado direito do Benfica é claramente o mais frágil da equipa, não tendo sido corrigido a tempo de inscrição em Agosto. Dos três possíveis utilizadores do corredor direito, nenhum deles (na minha perspectiva) tem qualidade e estofo para defenderem as cores do Benfica.

Nélson, apesar das boas indicações ao início e ainda antes, no Boavista, tinha mostrado algum potencial para se afirmar como um digno sucessor de Miguel, pelo menos na vertente atacante, nunca tendo sido testado a médio-ala direito.
Luís Filipe é claramente um erro. Depois de no ano passado ter sido o jogador com mais faltas na Liga Portuguesa e depois de ter sido dispensado por Fernando Santos no Sporting, veio para o Benfica no sentido de reforçar uma posição que estaria carente. Claramente as bolas queimam a cada vez que lhe chegam aos pés e ainda não mostrou que tem o valor para se afirmar.
Maxi Pereira é o típico exemplo de que um jogador que corra mais do que os outras e ofereça algum tipo de virilidade e força de vontade consegue satisfazer os adeptos do Benfica (podemos agradecer a Vale e Azevedo essa característica, devido à qualidade das suas contratações...). No entanto, força de vontade e resistência física não servem se o jogador não se conseguir posicionar, não conseguir dominar uma bola, fazer sempre o mesmo tipo de movimento tornando repetitivo e previsível. As suas limitações técnicas são mais do que muitas e o golo que marcou ao Milão não o ilibam dessas limitações...

- O Benfica não tem um substituto para Rui Costa

Efectivamente, não!
Nuno Assis não tem a capacidade técnica do nº10 encarnado, mas tem a lucidez de decidir bem e na maioria das vezes, correctamente. O problema é que não tem capacidade de remate e de dar profundidade ao jogo.
Di Maria é claramente um jogador para jogar junto à linha e aí sim, ser explorada a sua velocidade e capacidade de drible e cruzamento. Foi aí que se tornou conhecido e não entendo as experiências no meio.
Rodriguez afigura-se como uma boa solução para o meio, mas a sua temporização do jogo torna-o refém da sua própria maneira de jogar, onde o colectivo perde com as suas intermitências.
Será necessário arranjar alguém que tenha uma visão de passe, técnica e claro, capacidade física para poder ser um substituto à altura do nº10. Depois, irá ser uma responsabilidade imensa, como é óbvio, mas se se colocar como prioridade para a nova temporada a aquisição de uma "vedeta" como o foi este ano Cardozo, as probabilidades são muito maiores do que as que passam por Ronald Garcias e afins...

Mourinho dixit!

Parece impossível que estas bestas continuem a cair na artimanhas do Sr. Mourinho. A esse, nem vê-lo...

Confirmado

Ndrangheta já sabe desde a semana passada que Luís Filipe Vieira tinha estado no país das pampas. Não veio nada cá para fora, porque o segredo é a alma do negócio e como tal, casa que se preze, tem de seguir as riscas do protocolo.

Entretanto, e como só uma fonte não chega, Ndrangheta tem por hábito confirmar a água em mais afluentes para confirmar a veracidade das coisas.

Por isso, a capa d'O Jogo de hoje confirma "Chelito" Delgado como o novo reforço do Glorioso.

Confesso que tenho uma admiração especial por este argentino e que é uma contratação que deveria ter sido feita o ano passado, em vez de Kikin Fonseca.

Chelito é rápido, joga bem com os dois pés e o interesse declarado de alguns clubes da Europa, como por exemplo o Lyon, fazem com que a contratação seja boa e de qualidade.

Veremos se o processo de adaptação à Europa corre como a de Lucho e não como a de Bergessio, claramente mal aproveitado nos erros tácticos que consistem em persistir para os lados do Estádio da Luz...

Agora já vale 11 milhões?

Parece que já há poucas dúvidas sobre o real valor de Cardozo... Parece, até, que já vale 11 milhões...
Não fossem as bolas à trave, já o valor do homem triplicava...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

três notas, enquanto vejo o Braga a defrontar um colosso (?) do futebol grego...

1 - Disse-me um passarinho meu amigo que o Glorioso estava interessado em trocar João Pereira por Luís Filipe (sim, eu sei, o Correio da Manhã já noticiou o assunto...). Isto é extraordinário. Eu defendi, muitas vezes até à exaustão, João Pereira, dizendo que o homem devia, por tudo, acabar a carreira no Benfica: além de ser um benfiquista popular, dos sete costados, até é um lateral direito bastante aceitável. Agora, esse passarinho que tanto o criticou, assim como 90 % dos meus amigos, querem o homem de volta! Não fosse o Benfica ser uma coisa tão séria, dava vontade de dizer que agora não o quero eu!
2 - Nuno Gomes, na sequência da inenarrável entrevista de Veiga, veio dizer que o balneário está unido. Compreendo e compreende-se. Esse foi um dos méritos de Veiga que, espero, deve ter deixado marca: unir o balneário contra os inimigos externos!
3 - Jesualdo Miguel de Vasconcelos Ferreira afirmou que ir a Chaves é uma coisa séria. Muito séria mesmo. O clube bandeira de Trás-os-Montes até, pasmem-se, já andou por terras da Europa. Pois sim, com Raúl Águas como timoneiro (este também tem o nosso sangue, uma vez que é sobrinho do grande José Águas!). O homem de Mirandela (aqui refiro-me, já, ao traidor!) sabe o que diz: recordo, agora e com alguma emoção, um jogo entre o Glorioso e o Chaves, disputado em terras transmontanas, no dia 2 de Maio de 1993. O nosso clube era treinado por Toni, tendo por adjunto o meliante. Na manhã desse Domingo, o jornal "A Bola" publicou uma entrevista com Tomislav Ivic (que fora despedido depois de um empate em Barcelos) que acusou Toni e o seu fiel escudeiro de alta traição. Nesse jogo, o Benfica viu Sousa e Yuran (foda-se, hoje só saem nomes de merda? Vá lá que no início do texto falei de João Pereira!) serem expulsos ao minuto 80, numa manobra incrível do pateta Lourenço Ferreira - anos 90, meus caros, anos 90...-. Apesar disso, Schwarz, no último minuto e num grande remate, desfez o nulo e garantiu uma vitória que poderia ter sido preciosa na conquista desse título (QUE NOS FOI ROUBADO PELOS IRMÃOS CALHEIROS EM AVEIRO, 15 DIAS DEPOIS, COM MAIS UMA EXPULSÃO DE YURAN E OUTRA DE PACHECO E UM GOLO DE DINO NO ÚLTIMO MINUTO!). No fim do jogo, Toni, exaltado e talvez alterado pelo clima húmido dessa noite de Primavera, em directo e na RTP, proferiu uma frase que nunca mais esqueci: "Foda-se, com tanto azar, com tanta gente a querer mal ao Benfica, se tivéssemos um anão, já tinha crescido!"
Quase dez anos mais tarde, foi a vez de Toni ser apunhalado pelo traidor, que lhe tomou o lugar que sempre ambicionara. Só é pena que estas coisas já nem pertençam à história...

Entrevistas e mais entrevistas...

Claramente, José Veiga anda a promover o seu livro. Escolheu o timing certo (é Natal e o Benfica está a 7 pontos do FC Porto) e por isso, os submissos órgãos de comunicação social que tanta guarida dão a tanta gente, conseguem continuar nessa senda.

Hoje, 6 páginas de entrevista "sem tabus" (como apelida o jornal) ao Record. Falou de tudo, do Presidente, do Domingos Soares de Oliveira, do Bergessio, dos treinadores, de jogadores, das férias, do livro, do estrangeiro e do seu benfiquismo.

Há situações interessantes que merecem a pena serem comentadas.

José Veiga sempre foi um mercenário. Digam o que disserem, o ex-Presidente da Casa do FC Porto do Luxembrugo, o ex-Director de Futebol do Benfica e o ex-empresário de futebol só olhava a interesses pessoais. Duas ressalvas: a quantidade de "ex's" que existem na frase anterior e a questão dos interesses pessoais tão propaladas por Veiga nestas últimas entrevistas.

José Veiga contribuiu para o descalabro em que o Benfica se encontrou no início do séc.XXI, fazendo com que João Pinto trocasse o Benfica pelo Sporting, precisamente a mesma atitude que teve em 1993 com Paulo Sousa. Voltou como salvador, depois de ter saldado a sua dívida com o Benfica a troco de jogadores com a classe de um João Manuel Pinto, de um Argel ou de um Drulovic, evocando o percurso que ambos os jogadores tinham feito no FC Porto.

José Veiga conseguiu ter três treinadores diferentes em três anos. Não conseguiu a almejada estabilidade que tanto apregoa nas respectivas entrevistas. A única pessoa que conseguiu "convencer" foi Fernando Santos, que é o verdadeiro lacaio do sistema. Se tinha assim tanta responsabilidade no futebol, que fizesse vincar a sua posição.

José Veiga tem um sonho antigo, apesar de se apelidar de ser "só sócio do Benfica". O seu sonho é conhecido de todos e agora vir dizer que gosta muito do Benfica e era um sonho que se tornou realidade, é o mesmo que nós vermos o Jorge Costa ser treinador do Benfica um dia e dizer que é um profissional e que tem de estar preparado para tudo...

José Veiga foi confrontado com as contratações "polémicas". E que contratações foram essas que o Record perguntou? Paulo Almeida, Everson, Carlitos, André Luiz, Robert, Marco Ferreira e Kikin Fonseca. O Record esqueceu-se de perguntar por outras, como por exemplo Beto, Yannick, Amoreirinha, Manú, Paulo Jorge, Moretto e Derlei. E também não perguntaram que tipo de acordo existia com o Cruzeiro por causa de Giovanni que sempre que despachava alguém para Portugal não vinha para o Benfica?

José Veiga quer limpar a sua imagem, mas não tem sorte. Para já, porque a máquina de comunicação do Benfica vai começar a limpar a imagem do Presidente. Depois, porque é preciso saber ser do Benfica. E isso Veiga não sabe...

Um comentário simples...para já!

Veiga: "O Benfica tem de ganhar 5 títulos em 3 anos"

2003/2004 - Taça de Portugal
2004/2005 - Liga
2005/2006 - Supertaça

Foi este o resultado do Sr. Veiga na passagem pelo Benfica...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Um segundo comentário possível à entrevista de Veiga:

Para alguns, como eu, o Benfica é demasiado sério para ser considerado uma religião. Se assim não fosse, só poderia considerar a pergunta (programada?) da sra. entrevistadora sobre as ambições presidencialistas do sr. Veiga como um hino ao proselitismo.
Assim, resta-me considerar tal dislate como mera comédia, digna de um filme de humor de terceira categoria.
NB - isto ainda não representa uma critíca à entrevista do sr. Veiga, que tem todo o direito em se promover como lhe aprouver. Só lamento que o canal do Dr. Balsemão tenha sido, durante alguns minutos, uma verdadeira agência de emprego.

o comentário possível à entrevista de Veiga

Possíveis adversários...

1 - Se analisarmos os (possíveis) segundos classificados dos grupos da UEFA (penso que o sorteio ainda é assim...), vamos ter, por certo, uma eliminatória complicada... com uma vantagem: jogamos primeiro em casa - eu sei que sou dos poucos, mas prefiro jogar primeiro em casa!
2 - O que se passa com Luís Filipe? 10 minutos em campo e dois disparates de todo o tamanho! Eu sei que é difícil fazer pior. Mas será que o homem vai atingir o impossível?
3 - O cruzamento de Maxi Pereira é extraordinário. Não levava açúcar, mas levava o selo de golo. Cardozo agigantou-se e fez o que muitos já pensavam impossível: um grande golo de cabeça. Será que já há, aqui, trabalhinho de Camacho?
4 - Quim esteve, mais uma vez, muito bem. Grande defesa a abrir e uma série de intervenções seguras durente o resto do jogo. Um grande guarda-redes pode ajudar a construir uma grande equipa. Que o diga Paulo Bento...

Notas

- José Veiga falou! Ou melhor, promoveu-se! A dois dias do lançamento do livro sobre como fazer o "Benfica Campeão". E escolheu precisamente a mesma estação de televisão que conseguiu o "exclusivo" da penhora de bens há uns tempos atrás...

- É curioso que tenha de ser um Dragão de Ouro a explicar como é que se faz um Benfica Campeão, apesar de antes de ele lá ter estado, o Benfica tenha conseguido 29 títulos de Campeão. Coisa pouca, portanto...

- Também é curioso que agora se volte contra o seu grande amigo Luís Filipe Vieira, que tantas vezes ajudou, quer no Alverca, quer no Benfica. O desplante e a falta de vergonha e coerência é tão grande que chega a enaltecer o trabalho de Jesualdo Ferreira no Porto e que o mesmo não teve tratamento igual na Luz. Sim, é um facto que rolou a cabeça do Professor transmontano, mas a incompetência, que ainda a mostra em alguns aspectos, está lá...

- Logicamente que nesta história tão bem contada pela nossa impoluta comunicação social desportiva tem de haver sempre um culpado e uma vítima. Esta semana, o papel de vítima calhou a Veiga, para a semana há-de calhar a Vieira. Aliás, o triunfo de ontem foi a primeira achega para o que ainda há-de vir no próximo fim de semana...

- O Benfica ganhou onde menos se esperava. Era o frio, eram os brasileiros do Shaktar, eram as condicionantes, era o Camacho e era a puta que os pariu a todos os que vêm com teorias para poderem explicar um fracasso ou um sucesso. É um facto que o Shaktar tem um rol de bons jogadores, mas o Benfica com o seu historial e equipa tinha obrigação de ter feito muito mais do que fez nesta Champions League. Porque custa-me ver, futebolisticamente, uma equipa de toscos como a do Celtic, em dois anos consecutivos apurar-se para os oitavos-de-final à custa do Benfica. Isso custa-me e muito...mas o que é que se há-de fazer? É o futebol...

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Oscar! Quem?

1 - O Benfica, na Ucrânia, fez o que lhe competia: arrumou o Donetsk, com dois tiros certeiros de Cardozo. Garantida a passagem à Taça UEFA, com mais 600 mil euros no bolso, resta esperar que os jogadores se apercebam que hoje podem ter ajudado a escrever uma bonita página da história do Benfica...

2 - Será que as bocas a Cardozo vão continuar? É que já cheira a boicote...

Novos elementos

O Ndrangheta, acompanhando as novas funcionalidades do Blogger, adicionou um campo tendo em conta a discussão de ideias.

Assim sendo, e para além de se identificarem os capos de serviço, também foi adicionada uma sondagem entre os leitores do blog sobre a posição em que o Benfica precisa de ter reforçada no seu plantel.

O prazo para a votação tem 5 dias. Ficamos à espera dos resultados.

Divirtam-se!

Ressaca

Na ressaca da derrota com o Porto, nada melhor do que uma vitória no gelo ucraniano. Até porque este é o jogo mais importante do ano.

Parece-me, por outro lado, que Di Maria nascerá neste jogo...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Diego

Começa o leilão por Diego, ex sucessor de Deco no Porto. A Juventus já ofereceu 20 milhões. O Real Madrid pensa em aumentar a parada. O Werder Bremen pede 35 milhões... Se tivesse sido o Glorioso a prescindir de tal vedeta...

domingo, 2 de dezembro de 2007

Fazendo justiça

O Porto mereceu ganhar o jogo de ontem. Ponto final.
Por isso, não vou falar, nem escrever, sobre a desastrosa arbitragem do Sr. Sousa, nem, tão pouco, do penalti escamoteado. Penso, até, que a comunicação social, para salientar esse mérito tripeiro, abdicou de referir o lance de Di Maria. Faz-se, escamoteando o evidente, justiça. E eu, comovido, acompanho o comboio da verdade encapotada.
O Sr. Camacho, por seu lado, decidiu dar o jogo ao Porto. Sem mais. Lembrou-se de jogar com meio Petit, um quarto de Katsouranis e um quinto de Rui Costa, contra Paulo Assunção e meio, Meireles por inteiro e um grande, grande mesmo, Lucho Gonzaléz. A verdade custa, mas é evidente: o meio campo do Porto dá dez a zero ao nosso meio campo. Isto se retirarmos Bynia... E aqui é que não compreendo Camacho.
Entretanto, Nuno Gomes reapareceu. Em campo - boa exibição, apesar de um falhanço flagrante - e, sobretudo, nos bastidores! O que o homem disse a Miguel de Vasconcelos Jesualdo Ferreira é digno de um capitão do Sport Lisboa e Benfica! Apesar de tudo, ainda há quem seja benfiquista... Isto porque, horas depois, encontrei o nariz mais conhecido do futebol português. Em pleno concerto de Ena Pá 1640, eis que aparece Abel Silva. Para quem não sabe, aqui vai uma de mão: a carreira de Abel foi estragada por Miguel de Vaconcelos Jesualdo Ferreira. Depois de uma noite de copos, Abel foi encostado, sem que lhe fosse permitida uma justificação. Eram os tempos em que parecia que Toni treinava, mas o grande traidor já aparecia de soslaio...
NB - Alguém sabe quem foi José Pedro? Foi o primeiro sucessor de Eusébio - melhor, a primeira tentativa de susbstituir o King... Apareceu em 1973 e fez três jogos em duas épocas, marcando um golito contra o Académico, num singelo cinco a zero. Soube isto ontem, porque tenho a sorte de ter um amigo que é uma enciclopédia benfiquista. E como sabe bem, depois daquela derrota, olhar para uma garrafa de Vodka e ouvir um amigo dizer uma coisa destas!

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Uma questão de altura

- Jesualdo Ferreira tirou Raúl Meireles e colocou Kazmierczak para ganhar altura em disputa de bolas pelo ar. Ganhou a aposta inicialmente e quando tirou o polaco, dez minutos depois, a derrocada começava, muito também com Peter Crouch a contribuir com o seu tamanho.
Arranjar em Stepanov o bode expiatório para a derrota do FC Porto é de um mau gosto e de uma falta de inteligência gritante por parte dos jornalistas e dos críticos...


- Para um jogador que representa o Benfica, é preciso estar à altura do Benfica. E para isso, é preciso raça, vontade de vencer e ser naturalmente acima da média na sua posição. Maxi Pereira não preenche todos os requisitos, claramente. E não é por ter marcado um golo que não voltará a marcar tão cedo que a minha opinião vai mudar. Beto fez o mesmo ao Manchester United precisamente há dois anos e agora anda pela Suíça...

NB - Passou despercebido, mas Luís Filipe Vieira jantou hoje na Assembleia da República com deputados benfiquistas. Há alguns tempos atrás, o mesmo Vieira criticou (assim como alguns partidos...) o facto de Pinto da Costa ter sido homenageado com um jantar na Assembleia da República por alguns deputados portistas. Foi referida a promiscuidade entre o futebol e a política. Para estas situações, também é preciso saber estar à altura...

Já que ninguém o diz...

... pode haver quem ainda não se tenha apercebido. Digo-o eu já que parece que existe algum problema em afirma-lo na comunicação social:
O Porto foi goleado ontem à noite.

Benfica - ou como em 90 minutos vivi 60 anos de história.

No ano da graça de 1963, disputou-se, em Londres, o primeiro Benfica - Milan da história. Como é evidente, perdemos. Daí em diante, a história do Benfica com o colosso do futebol europeu pode ser resumida através desse jogo: golo de Eusébio, lesão de Coluna, dois golos de Altafini.
Ontem, sem mais, vivemos o mesmo drama, com uma excepção: sofremos primeiro e conseguimos recuperar. O que, contra o Milan, é obra.
E depois, houve Maxi, que alguns benfiquistas criticam, apenas, por dever de ofício e por uma simples razão: sem má língua, a foda não é acessória.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Léo, ou como Roma e Pavia não se fizeram...

1 - Léo é um jogador que merece ficar no Sport Lisboa e Benfica.
2 - Léo tem 33 anos.
3 - Léo quer aumentar o seu ordenado em 130%.
Se conjugarmos estes três factores, temos uma negociação muito, muito, muito complicada. Se os sócios do Benfica - os únicos que se podem pronunciar... - se colocarem, já, ao lado do jogador, a balança fica desequilibrada... e de que maneira...
E todos nos lembramos da operação (fiasco!) fica Amaral e do que Amaral voltou para fazer...

Já está

Jorge Sousa é o nomeado para o Benfica-Porto de sábado.

And the Oscar goes to...

" Lucílio Baptista, de Setúbal, e Jorge Sousa, do Porto, são os dois grandes candidatos a dirigirem o clássico entre o Benfica e o F. C. Porto, no Estádio da Luz, no próximo sábado.

Ambos reúnem os pré-requisitos indispensáveis para serem nomeados pela Comissão de Arbitragem (CA). São internacionais e não têm tido problemas de maior com os seus desempenhos.

Agora, tudo depende do que fizerem nos jogos que vão dirigir, depois de amanhã, no Bessa, e amanhã, na Trofa. Os outros que estariam, por inerência e estatuto, em tais condições, têm contra-indicações.

Pedro Proença está a ser "penalizado" pela CA, na sequência de críticas contundentes por lhe terem descido a nota, precisamente noutro clássico, o F. C. Porto-Sporting. Olegário Benquerença dirige o Benfica- Académica de hoje, logo fica excluído, pois precisava de ter um intervalo de dois jogos para voltar a arbitrar a mesma equipa. O mesmo sucede com João Ferreira, que apitou o Estrela-F. C. Porto, da jornada anterior (teve negativa) e com Paulo Paraty, que esteve no Benfica-Boavista. Como Duarte Gomes pediu dispensa, restam os internacionais Bruno Paixão e Paulo Costa. O primeiro não tem, ainda, "currículo" suficiente de clássicos. Arbitrou, é certo, a Supertaça, entre o F. C. Porto e o Sporting, mas o jogo não lhe correu bem, recebendo muitos protestos dos portistas.

Quanto a Paulo Costa, também deixou de ser seleccionado para os grandes embates, há já algumas épocas. Pedro Henriques e Elmano Santos, não internacionais, pertencem ao "quadro de elite" da CA, só que o lisboeta teve negativa no Benfica-Sporting, logo tem um histórico desfavorável, e o madeirense ainda cumpre o segundo jogo de "castigo", impossibilitando a sua escolha.
"

Texto retirado do Jornal de Notícias do passado Sábado, assinado por Manuel Luís Mendes.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Impressões

- Léo é, sem dúvida, uma das mais valias do Benfica. Aos 32 anos, contudo, da parte de quem gere uma instituição, vale a pena questionar se o alto nível exibicional que demonstrou em três anos de águia ao peito merecem um reconhecimento para mais duas épocas...

- O mesmo problema no entanto, assume diferentes proporções quando o caso se vira para o outro lado do campo. Onde está a mais valia no valor de 3 milhões de euros em Maxi Pereira? Onde está a prova de um jogador do Sp. Cristal (que mais parece uma filial dos viscondes...) em justificar o investimento que o Benfica efectua nele?

- Luis Filipe é um caso à parte. Certamente, terá servido para pagar alguma tranche do Centro de Estágios brilhantemente construído pela Britalar, pertencente a António Salvador. Só assim se percebe a dispensa de Pedro Correia e João Pereira...

- A vitória em Coimbra (sejamos honestos) caiu do céu. Pode ter havido transpiração, pode ter havido trabalho, mas houve muita sorte e o jogador menos provável de marcar um golo de calcanhar, fê-lo! Adu apenas deu a estocada final num contra-ataque letal para os estudantes...

- A jogar assim e a ver o FC Porto a exibir-se a um nível médio, podemos esperar um encontro na Luz não muito diferente dos últimos anos. Os morcões a defenderem o empate para manterem a distância e o Benfica sem arte e engenho para tornear uma equipa média, como é esta do FC Porto. Outro pormenor importante residirá na performance do meio da semana...

Alguém me explique

O que é que poderá causar tanta hesitação na renovação do Léo?
Joga demais. Será isso?

Fim de Semana

1 - Bela vitória em Coimbra. Com garra, determinação e alguma persistência. Camacho, no banco e ao contrário do que é habitual, virou o jogo a seu favor. Se esteve bem na entrada de Petit, melhor esteve na entrada de Adu. O jovem afro-americano trouxe dinâmica e sentido de baliza quando já faltavam pernas a todo o sector atacante. E o que dizer daquela assistência de Cardozo para o terceiro golo?
2 - O Vitória perdeu nas Antas, tal e qual como antevi. Em conversa com um conhecido sadino, disse (e reafirmo) que aos cinco (cinco!) minutos já estariam a perder. Há, de facto, equipas com sorte...
3 - O que é que se pode dizer mais do Sporting? Quando até o treinador (que, neste caso, é uma mais valia...) aparenta estar farto...
NB - gosto do template... e o Mister D está a trabalhar para reactivar o sitemeter e os comentários abertos a todos. Falta escolher os dois escribas que chegarão em 2008. Há umas ideias, mas os interessados devem encostar a barriga ao balcão!

O silêncio e os outros

Dois jogos seguidos em que lesionam dois jogadores do Benfica sem que sequer uma faltinha fosse marcada.
Segundo jogo seguido em que Cardozo é barbaramente agredido por trás. Resultado? Zero amarelos. Hoje não li nem ouvi um único comentário ao lance em qualquer análise ao jogo.
Golo da Académica nasce de um livre inexistente. Alguém ouviu um infinitésimo do ruído que se seguiu ao segundo golo do Benfica em Paços de Ferreira?
Mas como o Benfica venceu os dois jogos a coisa passa. Não deveria passar pois quando não ganharmos seremos acusados de só protestar quando perdemos (à lagarto).

Prometi a mim mesmo não voltar a escrever mal (muito mal pelo menos) dos jogadores do Benfica esta época. Mas tem sido mais difícil do que esperava porque anda lá um rapaz que em todos os jogos me tira do sério de 3 em 3 minutos. Como é possível gastar dinheiro na contratação de tamanha nulidade?

Falando dos bons permitam-me destacar os mais mal amados pela imprensa que são quem mais precisa de palavras de elogio.
Binya esteve tremendo tanto contra o Boavista como contra a Académica. Acaba os jogos com o mesmo ritmo com que os começa. Determinante no estancar de ataques e principalmente contra ataques adversários. Comigo era imprescindível.
Luisão é o patrão. Eu sei que o querem vender mas já chega de bater no homem e elevar quem joga a seu lado para o amesquinhar. Grande jogo e grande golo.

Estamos a 4 pontos do Porto. O efeito Camacho vê-se em cada jogo e há quem ande muito preocupado certamente. A tal ponto que não me admiraria que para o jogo de sábado fosse nomeado o Duarte Gomes de modo a que o Papa pudesse falar mais 296 vezes do penalty na Reboleira.

P.S: Ao senhor Paulo Alves de A Bola. Dar a mesma nota ao Léo e ao numero 2 do Benfica é sem dúvida alguma um momento Kodak.

domingo, 25 de novembro de 2007

Gostam???

Novo template! Nova imagem! Para atacar o que falta de Dezembro e o ano de 2008...

Comentem...

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Gritaria

Se Fabiano tivesse sido dispensado pelo Benfica, a gritaria que não era... (aplico-lhe o método Heinze...)

Acabou o Martinho, viva o Pai Natal...

Diariamente e até ao fim de Janeiro, colocarão cerca de 50 jogadores no Benfica. Ainda só vamos em 20...

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Ora tomem!

Se Otto Gloria foi um visionário, se Sven foi a perfeição da táctica, Scolari é um vencedor. Intelectualizando a coisa, Otto foi um filósofo, Sven um psiquiatra e Scolari um pai de santo.
Queiram, ou não queiram, o percurso de Scolari é exemplar: vice-campeões da Europa, quarto lugar no Campeonato do Mundo e novo apuramento para o Europeu - e eu prevejo a vitória...
Mais do que no resto da história do futebol português!
Nem se argumente com a geração de ouro. Na década de 60, como bem disse Beckenbauer, o Benfica - com TODOS os jogadores nascidos em território nacional - foi a melhor equipa da Europa, com cinco (repito, cinco) finais da Taça dos Campeões Europeus disputadas. Resultado: Portugal foi apurado para um Mundial, graças a um golo impossível do melhor jogador português de todos os tempos, na antiga Checoslováquia, num jogo dramático, e ficou em terceiro lugar. O resto? Pouco ou nada... (é certo que temos o Europeu de França e o de Inglaterra, com participações meritórias).
Eu não gosto do estilo do sargentão. Irrita-me, até, aquela postura de dedo em riste. Mas que o homem lá vai construindo um hábito de vitória, lá isso vai...
Quando o homem se for embora e soçobrarem as qualificações, voltando as vitórias morais e o futebol sem balizas, do rodriguinho na frente e dos caceteiros das Caxinas na rectaguarda, é que o pessoal aqui dos blogs vai poder ficar satisfeito. Aí, sobra a crítica impressiva, o futebol dos teóricos, a azia dos infelizes, a eloquência dos frustrados e as metáforas dos acéfalos.
Sobrarão Ronaldos, Quaresmas e afins. É certo. Mas sem que haja quem, no balneário, os mentalize, ficará a trivela na triste história da letra.
NB - só eu sei o que me custou escrever isto...

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Não é agoirar...

Mas da última vez que a Finlândia veio a Portugal, dirigiu-se também ao Porto (Estádio do Bessa) e deu 4-1. Tudo bem que foi num jogo particular, mas mais vale prevenir do que remediar...

terça-feira, 20 de novembro de 2007

são uma vergonha!

Nós, benfiquistas, devemos exercer, desde hoje e até domingo, o direito à indignação. Na semana anterior a um jogo absolutamente decisivo, a escolha do Sr. Vitor Pereira para árbitros, na próxima jornada, é vergonhosa, lamentável e permite todo o tipo de análises.
Proponho, assim, que surja uma petição - quem souber que o faça, que eu sou o primeiro a assinar - que indique ao Sr. Pereira que nós não estamos a brincar, nem de olhos fechados...
O Sr. Carlos Xistra, outra vez? O Olegário? Vão brincar com o cara...
PS - qualquer dúvida sobre a fá do Sr. Pereira, confirmem aqui o que vos digo.

Oleguer

Este joga com garra...

Hugo Almeida

Se Hugo Almeida (o melhor avançado centro português) tivesse tido, na Alemanha, o mesmo tratamento que estão a tentar impor a Cardozo, hoje não teria lugar na Europa do futebol...

e se a moda pega?

Jogadores da moda e na moda, não há aos milhares. Só é pena que ultrapassem os que são mesmo bons - v. por todos João Moutinho.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Selecção

Apesar de uma exibição medonha, conseguimos os três pontinhos da ordem. Na quarta-feira, no Porto, vamos conseguir o apuramento. É certo. Mas, se quisermos alguma coisa do Euro, vamos ter de ir à ao centro da Europa com qualquer coisa mais...

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Bynia

O castigo de Bynia é uma monstruosidade. Com a colaboração de muitos benfiquistas...
PS - A Comissão Disciplinar da Liga, aplicando o critério Bynia, vai ter de punir Bruno Alves (uma vez que é reincidente...) com 12 jogos, Ricardo Silva (duplamente reincidente...) com 24 e Tonel com 3...

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Leonor Pinhão

O populismo tem destas coisas. Numa semana em que o Benfica ganhou em todas as frentes, em que um jogador do Porto passou ao lado de uma bárbara agressão a um atleta adversário e em que um jogador do nosso clube foi incapacitado para o desempenho da sua profissão, Leonor Pinhão aproveita um espaço cedido por um órgão de comunicação social hostil, sabendo que é a voz mais escutada por benfiquistas e inimigos, para, subtilmente, endereçar um venenoso ataque ao Presidente do Benfica. Chega, no cúmulo, a citar Manuel Vilarinho, quando bem sabe que Vilarinho derrotou, contra Leonores, Botelhos e afins, Vale e Azevedo.
Como diria Montalbán, na personagem de Cardoso, não há apóstata como o apóstata reciclado...
E cá volto eu ao velho problema das pseudo-elites de trazer por casa...

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Sim. Sim. Sim. Bruno Alves é um exemplo acabado...

Não é só pela bárbara agressão a Nuno Gomes (tenatativa de homicídio é muito puxado...). É por tudo aquilo que faz e pelo que gostava de poder fazer...
Compreendo que os portistas gostem do estilo, assim como antes gostaram de André, Paulinho, Celso e muitos outros. Compreendo que a comunicação social tente proteger um dos eleitos de Scolari. Só não entendo que os paineleiros que representam o Benfica andem caldinhos que nem ratos... Só que (há sempre um só...) na quinta-feira vão ter de levar com a Leonor Pinhão... e essa magoa na alma...

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Estou curioso...

... será que o senhor Rui Moreira irá hoje associar a entrada criminosa de Ricardo Silva ao seu amor pelo Porto?

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Ilusões e pensamentos perfeitos

O segundo golo do Braga, ontem, contra o Sporting, é pouco mais do que risível... Admito que Paulo Bento tenha passado uma noite difícil!
NB - Ainda não me pronunciei sobre a bárbara agressão a Cardozo... Estou à espera que aqueles que atacaram Bynia venham a terreiro! E o que dizer daquela entrada de Bruno Alves?

Falta de visão periférica - De Queirós a Paulo Bento.

1 - Há dois momentos, na história recente do futebol português, inolvidáveis: a substituição de Paulo Torres, ao intervalo, no célebre 6 a 3, e o livre de Petit nos últimos minutos do 1 a zerinho. Se no segundo a vitória do Glorioso se deveu a um momento de sorte, no primeiro houve um bloqueio mental de Queirós, que permitiu a Paneira abrir o livro e fazer da defesa do sporting aquilo que bem lhe apetecesse. E fê-lo...
2 - Ontem, ao intervalo, em Braga, ocorreu um fenómeno parecido: a saída de Ronny...
3 - Tenho assente um princípio: os jogos, salvo excepções e anormalidades, só se ganham dentro do modelo definido para o encontro. Ainda que se defina um esquema alternativo, deve ser dentro desse modelo e não noutro... É a célebre expressão dos 90 % de transpiração e dos 10 de inspiração...
4 - Paulo Bento no início do campeonato foi claro: "tenho um modelo táctico com três defesas, alternativo e que há-de ser muito utilizado!"
5 - Não fosse o ar de mau, alguém lhe podia ter perguntado de se era um modelo preparado para utilizar caso o resultado fosse negativo ou para experimentar quando a coisa corre menos mal...
6 - Em jeito de análise, sempre se dirá que o modelo que não serve de início, quando a coisa ainda está empatada, não servirá, por grandeza de razão, para o meio, quando a coisa já aparenta estar negra.
7 - Muito mais quando, veja-se, a variação não se traduz no reforço de outro sector, uma vez que implica a paralização do meio-campo, com o trinco de origem a jogar na meia-esquerda do sector intermediário, com cobertura, obrigatória, do meio-campo defensivo.
8 - O Professor Jesualdo, outro que com ar de mau apregoa a sistematização do seu conceito, caiu num erro semelhante: tirou Lucho e passou a jogar com três trincos. A regra do seu esquema inverteu-se por natureza: em vez de possuir bola - o princípio do seu jogo... -, passou a recuperá-la(s), sem que depois soubesse o que lhe fazer. Surgiu o empate ontem, como na Madeira, no épico ano da cabeçada do Luisão, surgiu um empate idêntico, pelas mesmas razões, sem que Jesualdo lá estivesse.
9 - A verdade é cruel: interessa recuperar 20 bolas por jogo, mas interessa, muito mais, não perder essas 20 bolas...
10 - Ora, tirar Lucho e meter Bolatti pode ter o seu interesse. Mas recuar Bolatti para o lado de Paulo Assunção e mandar subir Meireles, traduz-se em pouco mais de nada. Muita recuperação e pouco jogo... pode servir para não sofrer (o que, como se viu ontem, não é, em absoluto, verdade). Mas não serve, de certeza, para, daí em diante, ganhar.
11 - São erros que podem custar caro, é certo. Mas são erros de futebol. E quem é que não os comete?

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Quando a ignorância não pode ser um posto...

Ou não sabes que qualquer arguido pode apresentar qualquer pessoa como testemunha - a não ser que se prove ser dilatório -, ou pensas que há maquinação que envolve o Sr. Presidente do Sport Lisboa e Benfica. Em qualquer dos casos, devias ter mais atenção ao que é sublime...
PS - A excelente revista "Time Out", a propósito de uma repostagem sobre o melhor bife de Lisboa, enviou o editor Gay ao trombinhas (Elefante Branco para muitos, "o escritório" para quem sabe...) para provar o afamado "bife à elefante branco". Eu já sabia que o bife, propriamente dito, é uma merda. Mas o curioso da reportagem é a alusão a um conhecido dirigente futebolístico que lá tinha, nessa noite como em muitas outras, a sua trupe. Alguém está interessado em comentar?

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Vergonha

Para não variar, a visita da equipa de Hóquei do Benfica a Fânzeres saldou-se em mais uma vergonha! Desde a arbitragem até à actuação da equipa do Porto.
Assim, mais vale acabar com o Hóquei em Patins...
PS - Mister D? Que tal dar um novo aspecto aqui ao blog e convidar mais dois escribas?

Notícia de Pasquim

Mas não deixa de ser interessante...

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

O poder da democracia

Se há coisas que a democracia me ensinou e eu, como todos os que aqui escrevemos, nascemos depois dela, é que a livre vontade das pessoas pesa sempre no seu pensamento e na sua liberdade de expressão.

Por isso, quando vejo, seja em países, seja em organizações, seja em clubes de futebol, pessoas privadas de se exprimirem, é com total repugnância e negação que assisto a essas situações.

Não estão em causa méritos, obras, títulos ou outros adjectivos que enalteçam ou desagradem a vida pessoal e profissional das pessoas, mas enxovalhar e insultar, quase como a proibir, é de um pensamento atroz e de uma atitude mesquinha que não tem comparação.

E agora Camacho?

1 - a derrota do Benfica em Glasgow não é surpreendente. Bem pelo contrário, pertence a uma daquelas partidas eternas da história, que cria mitos de derrotas - ou vitórias - erga omnes. Dá, inclusive, a impressão que se o Benfica jogasse 100 vezes mais do que jogou ontem - e isso era impossível -, se rematasse duas vezes à baliza por cada minuto de jogo, se tivesse 90 % de posse de bola, perderia sempre que jogasse com o Celtic. Mas tal não é grave: Em casa, contra esta equipa simpática, mas com equipamento ridículo, ganhamos sempre... (ao contrário, contra outra equipa bem mais antipática, mas de equipamento idêntico, é normal ganharmos em casa e banal a vitória fora!);
2 - Grave, bem mais grave, é termos de ganhar ao Milan para podermos manter a vela acesa. Contra essa equipa arrogante e depressiva, nunca ganhámos! Tirando um ou outro jogo de brincadeira, temos uma história verdadeiramente negra. Mesmo que afastássemos da memória Altafini e aquele holandês que nasceu com o rei na barriga e que treina o Barcelona (outra equipa de merda, mas com quem temos uma história mais interessante...), tínhamos Boban e comapnhia... Ou seja, a tarefa do nosso clube no fim de Novembro, não é de Sísifo. É, isso sim, de Ícaro: temos de ganhar dia 28 ao Milan, dia 1 de Dezembro ao Porto e ir a 3, ou 4, a Donetsk dar duas ou três àqueles brasileiros que já não podem com o frio...
3 - Analisado este cenário, não nos podemos esquecer de outra questão relevante: ganhar, em casa, ao Porto é fundamental e pode catapultar-nos para uma época de mão cheia, a nível interno...
4 - Conhecem, apesar de todas as suas limitações, algum técnico capaz de desempenhar o papel de hombre macho, de líder de um exército com ganas, como Camacho?
5 - Assim, custa-me a perceber como é que com tanto para fazer a nível futebolístico, se perde tempo com questiúnculas internas irrelevantes...
6 - Melhor, percebo. Primeiro era Veiga que irritava, o tripeiro arrependido. Nessa altura, Domingos Soares Oliveira era o maior. Lagarto convertido, era o exemplo antagónico. Agora que o tripeiro se foi, Soares Oliveira, apesar do trabalho extraordinário, é uma grande merda. A seguir será Camacho?
7 - Mas têm todos uma solução: no próximo acto eleitoral, apresentem-se a jogo... se conseguirem recolher assinaturas!

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Até que enfim!

1 - Depois de uma viagem estonteante a Sevilha para ver o Real Madrid perder, e de ter estado dois dias a preparar uma feira, eis que finalmente tenho tempo para algumas ilações...

2 - Ainda em Madrid, não consegui ver o Benfica ganhar a esse colosso imponente que dá pelo nome de Paços de Ferreira. Tudo bem que ganhámos num terreno difícil, mas é o Paços de Ferreira e tínhamos a obrigação de ganhar pontos ao mais directo rival.

3 - Parece que os verdadeiros benfiquistas não se podem manifestar. Parece que os verdadeiros benfiquistas, são aqueles que não podem estar a trabalhar no Benfica. Parece que quem trabalha no Benfica são aqueles que são profissionais, mas de preferência, com outra cor, seja ela azul ou verde.

4 - E isso é sempre bom de se ver, assim como a obra do Presidente. Nem valerá a pena falar dos discursos e do respectivo timming, mas podemos avaliar o trabalho de 4 anos como Presidente e de 3 como Director para o Futebol.

5 - Mas também não é isso que se vai avaliar para agora (temos tempo para isso...), uma vez que Tinoco de Faria (que amparou vários "golpes" durante anos), só por vir para a praça pública defender um ex-colega, foi quase escorraçado por quem andou sempre à procura de uma sombra para estar e ter notoriedade (e não preciso de códigos linguísticos, porque estou a falar dessa ave rara que dá pelo nome de Rui Cunha).

6 - Não é defender a todo o custo um Presidente que tem as suas fraquezas, porque pertence ao sistema e tem muitos podres do sistema dentro do Benfica, que os benfiquistas se vão calar.

7 - O que a mim me custa (sejam A ou B mandatários do Oliveirinha) é que muitas situações de gestão estão a ser criticadas (e com razão) e em vez de se tentar arranjar uma solução, arranja-se logo uma confusão.

8 - É contra estas situações dignas de um Pinto da Costa que eu não quero ver o Benfica assim. Por isso, continuarei também eu a falar (quer o Benfica ganhe ou não...)
É óbvio, penso eu, que escrevo o que me apetece e quando me apetece.
Não vi o jogo com o Paços como referi num comentário que fiz ao post do inespugnabile e como gosto pouco de falar do que não sei não comentei esta vitória.
Parece que há quem se sinta aborrecido com tal facto. Sinto muito. Mas como podes observar aqui estou eu a responder (parece que sempre acendeu).
Já me acusaram de só escrever quando o Benfica perde, o que considero falso e desonesto e agora acusam-me de não enfatizar suficientemente as nossas vitórias.
Acontece que há coisas mais importantes na vida do Benfica do que uma vitória na capital do móvel. Claro que fiquei radiante - como descrevi no comentário mencionado- como com qualquer vitória do Benfica. Acontece que prefiro apontar as coisas que acho que necessitam de mais visibilidade.
Como por exemplo o facto de se começarem finalmente a pôr determinadas questões que muitos de nós colocamos há muito tempo e surgir logo uma campanha agressiva de repressão e não de esclarecimento. Isso deixa-me ainda mais preocupado.
Quando o mais elementar seria esclarecer qualquer dúvida que se possa pôr vejo o nosso presidente vir denegrir a imagem de dois benfiquistas sérios.
Vejo acusar-se à toa Tinoco Faria de ser um peão da Olivedesportos e depois ler que o nosso presidente viajou com o amigo Joaquim na comitiva oficial para Glasgow. Isto na semana seguinte a ter levado a assembleia a proposta de nomear Henrique Granadeiro, esse sim um amigo fiel de Joaquim Oliveira e principal responsável pelo boicote do canal Benfica, sócio honorário.
Estas são questões fundamentais para o futuro do Benfica. E permitam-me que as ache mais importante que tudo o resto.
Convém aqui acrescentar que como confio plenamente em Camacho estou tranquilo quanto à gestão do plantel.
Vieira tem méritos na sua gestão, como Tinoco Faria fez questão de salientar, mas há pontos que me deixam apreensivo. E enquanto não os vir esclarecidos terão de me ir aturando um bocadinho.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Caprichos

1 - Passeando por Amesterdão, fui recebendo sms com as notícias cá do burgo. Nada que mereça ser referido.
Falam-me de Tinoco Faria. Referiram-me Andrade e Sousa. Homens, é certo, honestos e ligados ao Direito. Em relação ao Benfica, zero. Não me parece que haja algo que mereça ser referido. A obra de Vieira está aí, aos olhos de todos, e quem não a vê é cego.
2 - Em Amesterdão, na Leidspleine, há um bar de um português, com trinta e muitos monitores de televisão, dedicado, em exclusivo, ao desporto onde se pode beber, comer e fumar charros à vontade. Dava para ver futebol português, é certo, mas a companhia não me deixou ver os jogos.
Com a "Febre no Estádio - o diário de um fanático" de Hornby aprendi a necessidade de encontrar uma desculpa para não parecer fanático. Em quase todas as situações...
Mesmo em Amesterdão, onde evitei que o pessoal (ninguém que conseguisse abdicar de duas horinhas de vida para ver o Benfica em Paços de Ferreira...) se apercebesse do meu fanatismo. Assim, abdiquei das tais horas em frente a uma televisão gigante e fui jantar a um restaurante brasileiro... (má troca!)
Não pude, no entanto, resistir a um grito de "golo" - e eu grito alto, bem alto! - quando recebo o golo de Katso! Foi, descobri quando vi os olhos de todo o restaurante a apontarem para a minha loucura, pior a emenda do que o soneto...

sábado, 3 de novembro de 2007

Em Madrid

Com uma palavra para o que se está a passar: VERGONHOSO!!!

Mais logo, em Sevilha, mais palavras...

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

A subir

Enquanto me preparo para mais uma jornada gloriosa do ndrangheta em Amesterdão - Mister D, meu caro, já viste como um gajo não consegue estar mais de dois meses sem lá ir? -, reparo que estamos a atingir um pico de audiências, jamais visto na nossa curta história.
Como o escriba Mister D deixou de por cá andar, deduzo que o pessoal gosta mais de mim do que dele. Será que até aqui se vê a força do Vieira?
PS - Cosimo, esta era só para o atacar, não leves a mal...
NB - eu sei que há por lá delinquentes, mas também há advogados, jornalistas, enfermeiros, gestores informáticos e bancários. Sei disso e muito mais. Mas também sei que dura lex sed lex é uma máxima que se aplica a todos. A delinquentes, mas também a advogados, jornalistas, enfermeiros, gestores informáticos e bancários. Se não se querem legalizar, façam como nós fizémos: comprei 20 ou 30 cativos juntos e façam barulho à fartazana. Caso contrário, vão pregar a outra freguesia, que o Benfica precisa de ser gerido... cá, como por lá, o dinheiro não entra pelas frinchas da porta...

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Trio de Ataque (à inteligência)

Há muito tempo que não via este programa porque, tirando o moderador, não há ninguém ali que perceba de futebol. Ora eu para ouvir gente que não percebe nada de bola basta-me entrar em qualquer café de bairro, com a vantagem de saber que aqueles que lá opinam não são pagos com dinheiro do erário público.
Pois bem, hoje caí no erro de ouvir o trio ridículo uns minutinhos e fui aos arames.
Então que aquela besta com ares de grande senhor que dá pelo nome de Rui Moreira tem a lata de insinuar que o Ricardo Esteves fez dois penaltis no Domingo com a intenção de beneficiar o Benfica?
Esse gajo sabe quantos jogadores tem o seu clube emprestados a equipas da 1ª liga? Quantos desses não jogam contra o seu grémio? Quantos fazem penaltis e auto-golos quando jogam contra a equipa dourada?
E aquela ave rara que se diz benfiquista fica calada mesmo quando o palerma esverdeado corrobora a tese do amigo azul?
Depois vem o Binya. Volta a dizer o adepto do clube do putedo que o Binya devia ter visto 2 vermelhos e um amarelo no jogo com o Maritímo. A besta lagarta logo acrescenta "se joga assim na liga dos campeões não acaba um jogo". E o nosso representante não consegue melhor que dizer que o treinador tem de o refrear.
O Binya jogou os 3 jogos do Benfica na Liga dos Campeões não viu vermelho nenhum e nem me vou dar ao trabalho de ir pesquisar se tem algum amarelo. O cineasta não sabe?
Agora em Portugal não há jogo do Benfica em que não se reclame do jogo duro de Binya. Medo? É bom que tenham. É um belíssimo jogador e temos de ser nós a defende-lo.
Carniceiro é o Bruno Alves. Um verdadeiro animal. Péssimo jogador e grande sarrafeiro de quem nada se diz na comunicação social porque joga onde joga. Mas ao menos que os representantes do Benfica onde quer que estejam o digam.
É assim que o Benfica tem queimado muitos dos seus jogadores nos últimos anos. Com a ajuda de gente desta.

diatribes

Na passada sexta-feira, ao fim da tarde, o canal ESPN Classics passou um documentário sobre a rivalidade entre o Flamengo e o Vasco da Gama.
Não interessa, aqui, salientar que essa rivalidade começou nas regatas – é certo que, qualquer um dos clubes, começou como Clube de Regatas.
Interessa, isso sim, perceber que o Flamengo, com o passar dos anos, se tornou o clube mais popular do Rio, rivalizando, por década e em títulos, com cada um dos outros grandes clubes do Rio: se na de 60 foi com o Botafogo, na de 70 foi com o Fluminense e na de 90 com o Vasco – é curioso que o ciclo anterior é idêntico. Mas, e a verdade é simples, o Flamengo esteve sempre lá.
Serve isto para salientar que o meu clube favorito, no Rio e em todo o Brasil, é o Flamengo. Apesar do Botafogo do Garrincha e de Autuori, do Fluminense do Chico e do Nelson Rodrigues e do Vasco de todos os meus familiares, torço pelo Flamengo, sem nunca ter percebido porquê.
Apesar de Zico…
No entanto, há uma semana cheguei lá. E não foi preciso muito. Bastou-me, sem querer e sem, tão pouco, me ter apercebido, ter torcido pelo Inter de Luanda. A resposta, meus caros, reside na relação de amor/ódio que mantenho com Carlos Mozer…
Assim, meus caros, passo a anunciar que, entre Junho e Julho de 2014, se estiver vivo, estarei no Rio - ou por todo o Brasil... - a acompanhar o Mundial de futebol, equipado com o 3 do Flamengo! Aconteça o que acontecer...

gracejos e bocejos

A assembleia geral ordinária do Sport Lisboa e Benfica, realizada ontem à noite, não fica para a história. Nem podia ficar: os delinquentes que por lá passaram não têm essa dignidade.
Mas, no meio disso, há um facto que deve ser levado em conta: eles são sócios do Sport Lisboa e Benfica. E apareceram...

Ainda...

Alguns amigos preferem salientar a exibição do Benfica contra o Marítimo, falando da garra, da entrega e da, enfim, vitória. Também gostava de fazer o mesmo, esquecendo a falta, para grande penalidade, cometida sobre Leo.
Não o posso fazer. Faltavam 20 minutos para o fim da partida, o Marítimo passava a jogar com 10 e nós passávamos - por certo...- para a frente do resultado. Ainda para mais, Pedro Proença já nos habituou a estas situações! Esquecer e isto e partir, apenas, para o futebol é desvirtuar os factos que ocorreram nas nossas barbas.

domingo, 28 de outubro de 2007

cinco

Com o de hoje, já lá vão cinco grandes penalidades por marcar a favor do Benfica. Cinco...
À parte disso, um grande jogo, com muita fibra, garra e coração. Bem ganho, apesar de todas as dificuldades...

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Tacuara

Cardozo nao engana.
Nem os benfiquistas podem gerar equívocos: um avançado centro que prende dois centrais, que não desiste, que remata sempre que pode e que, normalmente, acerta na baliza - postes incluídos... -, não pode enganar.
Mas isso não chega. As melgas do terceiro anel querem mais. Querem um avançado que marque dez golos por jogo. E se, depois da tarefa de sísifo, ainda falhar um golo, assobiam. Ao cabo e ao resto, vivem iluminados por um dogma: não terem capacidade para ser adeptos do GLORIOSO.
Contra factos, meus caros, não há evidências: o terceiro anel queima jogadores, sejam bons, ou não sejam. E isso é insuportável!

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Guardiola

Li hoje - assumo que com algum atraso... - a notícia da absolvição (seis anos depois, seis anos...) de Guardiola.
Durante anos e mais anos, esperei ver jogar Pep Guardiola no Benfica. Acompanhei a sua ida para o Brescia e fiquei atónito. Depois veio a acusação de dopping que, neste caso, todos sabíamos ser falsa. Agora vem a felicidade da absolvição pelo Tribunal de Apelação. Seis anos depois, seis anos...
É curioso que ontem, em pleno jantar e depois da jogatana da Catedral, enquanto bebíamos umas imperiais bem tiradas, houve quem se lembrasse de Guardiola. E brindámos à sua saúde. Não porque precisasse. Apenas porque nós precisámos de Guardiola, o homem que lia filósofos em estágio... apenas porque me recordei que não o vi jogar com a camisola do Benfica...
Agora que chega a absolvição, chega a hora de Guardiola voltar ao topo do futebol. Pode não ser no seu Barcelona, é certo. Mas tem de haver um lugar... nem que seja na nossa Catedral!

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

O que seria dele?

Se Cardozo não tivesse recebido a bola de Di Maria, controlasse a mesma para a sua frente e colocasse a bola a anichar na rede, o que não diriam dele?

Que rematou com muita força e a bola foi à barra! Que não sabe cabecear com força e o guarda-redes assim defende tudo (mas ele está lá para defender, sabiam?), etc, etc, etc...

Assim marcou o golo e vão ter de esperar mais uma semana pelo menos para lhe começaram a fazer a cama outra vez.

P.S. Podem descontar 300 mil euros aos 9 milhões...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Paulo Bento e a confiança nas terceiras escolhas:

Paredes é, claramente, uma terceira escolha. Gladstone será a segunda. Assim, Paulo Bento, a perder por 2 a 1, a 25 minutos do fim, lembrou-se de boa: meteu o Paredes... O que dizer? Não podia entrar o Gladstone e fazer subir o Miguel Veloso?
PS - (em resposta) Bynia, efectivamente. Só se Camacho olhar a nomes...

terça-feira, 23 de outubro de 2007

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Mau perder

O mau perder da Mclaren é intolerável. Absolutamente intolerável. Razão tem o "iceman": ainda bem que fui campeão pela Ferrari!

domingo, 21 de outubro de 2007

Os Marretas

António Tadeia é estúpido! E para além de estúpido, é parvo! Para além destas duas características tão próprias, ainda tem o condão de ser pago por todos nós para dizer verborreias mentais sobre o que é um jogo de futebol.
Paulo Catarro também é estúpido. E parvo também, já que não é capaz de fazer o que quer que seja em televisão que não mostre uma cara de frete, como se todos lhe devessem e ninguém lhe pagasse. Além disso, com os da própria classe trabalhadora, nem é capaz de dirigir palavra, julgando-se um ser superior.
Os dois deram ontem um espectáculo digno de serem irradiados para sempre dos comentários televisivos. Armarem-se em dignos leitores da lei, querendo que a lei dissesse aquilo que eles não sabiam, tornou-se maçador, aborrecido e de uma parcialidade a raiar a estupidez e a não dignificar a classe a que eles gostam muito de se referir como "jornalistas".
Aliás, é um problema grave nas transmissões televisivas portuguesas. Quando se pretende é dar informação sobre o jogo, complementá-lo com informação relevante sobre jogadores, treinadores e árbitros, e relatar o indispensável, talvez o artigo que Carlos Daniel escreveu no Record fosse uma boa ajuda, mas depois do Mundial da Alemanha, é melhor ficar-me por aqui.

Camacho continua a inventar. É certo que a Taça da Liga serve para experimentar e inventar, mas ter Nuno Assis a extremo direito e Di Maria a nº10 não é propriamente a melhor solução. E porque razão Adu não joga mais vezes nesta Taça, uma vez que não tem sido grande opção na Liga?

A Bola conseguiu um jantar com os nove árbitros internacionais e com Pedro Henriques. Estranhamente, os mesmos órgãos que tanto criticaram Pedro Henriques, são os mesmos que o consideram internacional, não fosse o facto do mesmo estar com idade avançada para tal. As desculpas do costume, as queixas do costume e o não assumir das culpas foi a tónica de um jantar com quase 4 horas. Mais do mesmo, portanto...

Paulo Bento também acha que pode inventar. E por isso, ao intervalo, teve de colocar Miguel Veloso, João Moutinho e Liedson para ver se conseguia empatar com o Fátima, esse colosso do futebol nacional que o ano passado estava na II Divisão, Série C. Fiel ao sistema táctico e sem reparos ao árbitro, o treinador do Sporting mostrou que o plantel que lhe prepararam se calhar não é aquele que ele queria...

Duas notas

- Tristíssima figura da dupla Catarro / Tadeia a quererem à força que o golo sadino fosse legal. Duas horas de argumentção patética que inventou até a questão da intencionalidade no fora de jogo. À atenção do International Board.
- Para que conste, na modesta opinião deste escriba, quem nunca teve valor para representar o Benfica foi o senhor Fidalgo. Antes de se referir a qualquer jogador do Benfica nos termos em que o fez deveria corar de vergonha ao recordar os anos que passou naquele clube apesar da sua manifesta incompetência.
E já agora gostava também de te ver um dia teres os colhões para utilizar os mesmos termos ao classificar Mareques, Sonkayas, Bolattis e afins azuis.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Tristeza em Sabrosa - ou quatro notas da passagem pelo leste da Europa, melhor, pelo oeste da Ásia...

1 - Simão Sabrosa anda triste. Perdeu protagonismo em Portugal - homem, foste tu que escolheste o Atlético de Madrid... -, ninguém lhe liga nenhuma em Madrid - está atrás de todo o plantel do Real e, dentro do Atlético, Aguero, Forlán e Reyes são os maiores para a aficcion colchonera - e corre o risco de ver o Europeu da Áustria no banco de suplentes - com Nani como primeira opção...-. Parece que suspira pelos gloriosos tempos da gloriosa braçadeira de capitão! Aqui digo o que corre em surdina: se o preço for bom, a porta só pode estar aberta... com o ordenado de outrora, é certo...
2 - Scolari é um ídolo para os jogadores. Nós podemos refilar, a imprensa pode opinar e os comentadores zurzir. Mas os jogadores não pretendem outra personagem na selecção. E contra esse facto...
3 - A UEFA andou a brincar ao futebol e não sei se Platini pretende continuar com a fantochada. Então o Bonfim não tem condições para a UEFA e o campo de Baku tem? Vão tomar no Ku!
4 - Ao contrário do que sugere o blogger do momento, não parece que Armando Vara abandone o babilónico posto de administrador na Caixa Geral de Depósitos, trocando-o pelo de Presidente da Federação. A não ser que se permita um regime de excepção, com acumulação de funções. O que seria engraçado, dados os patrocínios envolvidos...
PS - Parece que o pessoal de Setúbal quer começar a primeira parte da disputa no Bairro Alto, depois da bola... candidatos?

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Selecção e Taça da Liga

1 - No Cazaquistão, Portugal vai defrontar uma das muitas equipas que nasceram da eclosão vulcânica da URSS. Embora muitos continuem a pensar que podíamos defrontar a Arménia à segunda, o Arzebeijão à quarta, o Cazaquistão à sexta e outra qualquer ao Domingo, a prova vai ser difícil. A mim, que, se tudo correr bem, que estarei na Áustria, basta-me ganhar por uma a zero...
2 - No próximo fim de semana joga-se a excitante Taça da Liga. Sei que o Vitória vem à Luz para ganhar, mas desconfio que o jogo só será resolvido à beira do Sado. Literalmente... entre mim e uns compinchas de Setúbal, antes ou depois do jogo da segunda mão - conforme a hora...-, entre um choco frito e uns copázios da Ti Ermelinda. Quem alinha nos tragos largos?

sábado, 13 de outubro de 2007

Sábado à tarde, bebendo conspiração

- Portugal, cumprindo a sua obrigação, mas para desespero de muitos, com o filho do António em campo (vão ver que no seguimento do texto, esta dica é importante...), derrota o Azerbeijão. Pior, muito pior, os comentários de António Tadeia. A páginas tantas lembra-se desta: "para este jogo, Higo Almeida não é o ponta de lança que precisamos. Talvez um do tipo "Paulo Alves", que jogava sempre nestes jogos e marcava três ou quatro..." Incrível Tadeia volta a atacar. Desta feita à moda do Joaquim Rita! Incrível...
- Vira a página e chego ao ESPN Classics. Imagens do PSV - Benfica de Maio de 1988. Botas saem das chuteiras (continuo a pensar que foi sabotagem do pintinho) e o PSV dá um banho de bola (bom, banho, banho, não é, mas anda lá quase). Aguentamos até aos penalties e eis que Silvino (sabotagem?) não segura uma. Veloso (sabotagem póstuma?) falha e Koeman (sabotagem?) levanta a taça. Depois de Gerets, é certo (sabotagem póstuma e num juízo de prognose por causa de em 2007 ir defrontar o clube do pintinho, treinando o clube que em 1990 viu uma mão afastá-lo da final da Taça dos Campeões?). Vê-se Diamantino de perna estendida (não é por acaso que o Varzim é filial do Porto) e Chiquinho Carlos em campo (esta é sabotagem de certeza absoluta!). Mas vejo mais. Jesualdo no banco (querem-me dizer que não houve sabotagem?), ao lado de Toni (o que dizem a isto?). Mozer (que provou em 90 que estava a sabotar isto tudo), Dito (o que querem que vos diga?), Rui Águas (deste não falo, porque gosto!), Pacheco (quem?), Wando (foda-se!) e Hajri (incrível!) lamentam-se (de quê? com esta equipa, perita em sabotar, melhor era impossível!). E eu choro. Não pela derrota, mas por não ter lá estado. Assim como assim, estava vivo e vi mais uma (não a última...) final da taça dos campeões europeus, pela televisão, ali bem perto da Avenida de Ceuta, junto ao reduto do Alexandre Alves (vamos a ver e ainda fui eu que sabotei esta merda toda...). Ao contrário da lagartagem, que, desconfio, vai continuar a viver com o mal dos outros...

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Não sou eu que o digo

"Noto distanciamento por parte do Benfica. Não compreendemos como é que o Benfica lança um kit em relação ao qual as casas são o maior potencial vendedor e não são consultadas. Quando as casas não vendem bilhetes, o estádio não enche. Não estamos contra o presidente, queremos é ajudar.", Fausto Costa, Presidente da Casa do Benfica da Ilha Terceira, ao Jornal A Bola .

Nota: Os sublinhados são meus!

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Se o Benfica ganha, o que se faz?

Critica-se o Benfica e goza-se com os dois melhores jogadores em campo...
PS - Parece que o blog mais anti-benfiquista da blogosfera vai passar a ter um escriba benfiquista. Será que é mesmo?

Algo vai mal...

Quando um jogador que é dispensado do actual 14º classificado do Campeonato Francês é um dos "melhores jogadores" do Benfica...

Ou como um camaronês que toca em tudo o que mexe (bola incluída) e é mais conhecido por arremessos de bola com a mão, é considerado de uma "extrema utilidade"...

Ou como se critica um jogador com mais de 100 golos pelo clube com o argumento de mexer mais no cabelo do que na bola...

O futebol é um desporto estranho, não é?

domingo, 7 de outubro de 2007

Fome de vitórias

A primeira vez que entrei no Estádio da Luz foi no longíquo ano de 1988, para assistir à meia-final da Taça dos Clubes Campeões Europeus entre o Benfica e o Steaua de Bucareste. Rui Águas marcou os dois golos e o Benfica dessa altura, nesse estádio repleto de adeptos, encatava, dominava e ganhava jogos como se não houvesse amanhã.

O poderio nortenho que começou a carpir como um polvo no nosso país, e a que não foi alheio o ajuntamento de muitos dos presidentes do Benfica a essa figura sinistra como é PC, fez com que o próprio Benfica começasse a perder o poder, não só no campo, mas também com essa praga que dá pelo nome de empresário e que mina constantemente um clube.

Com a crise de 1993, outros se aproveitaram de tamanha devoção e espírito de conquista que emanava de uma equipa que com suor e muito trabalho, conseguia disfarçar algumas carências técnicas ganhando uma Taça e um Campeonato.

Eis que chega o Salvador, e outro e outro e outro e mais uns quantos que sempre que passavam a velhinha Porta 1 do Estádio não eram capazes de se curvarem perante a águia que os esperava pacientemente, sempre na busca de um futuro melhor e risonho do que até então.

Num período onde "valia" tudo, pouco faltou para chegarmos ao cadafalso, mas isso é discurso de circunstância ou não estivéssemos a falar do Benfica. O Benfica, que é o maior clube português, que movimenta este pequenino Mundo que é Portugal e mais dois Mundos equivalentes por esse Mundo fora, nunca fechava as portas. Porque somos grandes, bem grandes. Mas as vitórias continuavam por aparecer...

E eis que surge o Salvador final, que traz consigo uma equipa maravilha, a melhor dos últimos anos, aquela que vai levar ao rubro e voltar a fazer renascer a águia, que teimosamente continua na Porta 1, mas do novo Estádio, um dos mais bonitos do Mundo, condizente com a grandeza do clube.

Em 2005, teve de aparecer um italiano para mostrar que mesmo jogando feio e mal, limitado pelo que lhe tinham deixado em mãos, conseguiu mostrar a Portugal a força e a grandeza de um clube que estaria "adormecido". De repente comecei a ficar com a mesma sensação de 1993, onde continuam a aparecer Salvadores atrás de salvadores, prontos a recuperar e agora a criar uma equipa. Os ciclos quebram-se a uma velocidade estonteante e nem fogachos esporádicos de uma boa campanha servem para aprender alguma coisa.

Entre 1988 e 1993, consegui ver o Benfica em duas finais da Taça dos Campeões, três vezes Campeão Nacional e vencedor da Taça. Sentia-me bem, porque o Benfica ganhava. Tinha vitórias. Essas vitórias que tardam em aparecer de há dois anos para cá... Apesar de haver salvadores, quase sempre prontos para entrarem em acção...

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Fome de derrotas

Ao ler alguns dos posts deste blog, juntando parte dos comentários, dou por mim a pensar se a fome não é um vício e a natureza humana não está virada do avesso...
Depois de anos de gestão danosa - ruinosa! -, depois de Vales e companhias, vir para a praça pública falar desta maneira, quando em seis anos conseguimos o que conseguimos - até um estádio novo quase pago! -, roça o macabro e faz-me pensar se alguns não passam por aqui infiltrados!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Corrupção

O filme (que era para ser...) Corrupção, de João Botelho, vai cair no esquecimento?

Caos

1 - Mircea Lucescu, num quase português de fazer inveja a Camacho, definiu o futebol do Benfica numa só palavra: caótico!
É tudo em esforço, menos no inexistente meio campo - a falta de força e de presença muscular é gritante.
2 - Grande resultado do porto. Não vi o jogo, mas foi um belo resultado.
3 - Resultados inesperados, acima de tudo, na noite dos Campeões. Foi pena que na Catedral fosse tudo menos inesperado...
4 - Determinado árbitro alemão -- que me recuso a dizer o nome -, continua a espalhar o pânico pela Europa do futebol. Ontem decidiu brincar em Glasgow, com o beneplácito da UEFA. É incrível como se admite isto! Mas de uma instituição que permite que Olegário, o primo do outro, músico de terceira categoria e frustrado, apite jogos relevantes...

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

As comissões

Sempre existiram no futebol e a primeira vez que tomaram conta da imprensa foi quando Manuel Barbosa ganhou 10% da transferência de Rui Costa para a Luz.

Depois, e já com conhecimento próprio, muitas transferências são feitas e foram feitas pelo clube, onde as comissões tinham sempre o seu papel.

Jupp Heynckes teve as suas comissões. Souness idem. Até Michel Preud'Homme quando era Director do Benfica para as Relações Internacionais.

Nos últimos tempos, esse papel estava destinado a quem está agora no Swindon Town. Agora, um dos que sempre ganhou continua a ganhar ou para quem acha que não, basta verificar o número de contratações que o Benfica fez este ano.

O que mais estranha é que Camacho também deve ter algo a fazer ou não apostava em Maxi Pereira com tanta veemência. É de uma limitação gritante, é lento, não cobre e apenas o seu pulmão disfarça essas carências técnicas.

É o único comentário que resta fazer sobre esta noite na Champions. Tudo o resto, é o resultado da magnífica gestão que tem sido feita pelo Departamento de Futebol do Benfica e do seu Presidente.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Conclusão...

Em Portugal, os árbitros são maus. Os bons são maus. Os medíocres são péssimos. Os maus são inenarráveis. A incompetência é tanta, tanta, tanta mesmo, que não nos resta outra alternativa senão requerer o despedimento de todos, por manifesta incompetência, e, enquanto não formamos novos, ir ao estrangeiro buscar outros!

domingo, 30 de setembro de 2007

O costume

- Um derby onde uma equipa tentou jogar para ganhar (porque jogava em casa) e outra que jogou para não perder (sempre á espera de um erro do adversário) só podia dar num empate, mais um...

- Camacho voltou a apostar o mínimo. A desculpa do plantel é redutora e é a mais fácil quando a capacidade técnica não é muita. "Faz falta quem marque golos", mas Cardozo está 75 minutos no banco e Nuno Gomes com uma falta de confiança que não se percebe para quem tem anos de experiência. e não é trocando um pelo outro que se resolve o problema...

- O Sporting aproveitou os erros do árbitro e vai passar a semana a "chorar", como sempre. No entanto, os telhados de vidro que todos têm parece que são inquebráveis. A semana passada, em Alvalade, talvez devido ao relvado, também ficou um penalty por marcar, mas para o V.Setúbal. Na altura, não ouvi nem Paulo Bento nem Carlos Freitas a queixarem-se...

- Com o balanço normal de início de época, o FC Porto vai na frente com 7 pontos de vantagem sobre o Sporting e 8 sobre o Benfica. Para as mentes mais esquecidas, o ano passado, também o FC Porto no final da primeira volta só tinha perdido 5 pontos (resultado de 1 derrota e de 1 empate em 15 jogos) e depois só na última jornada é que se soube quem ganharia o campeonato. Ainda há muito para palmilhar, mas os incautos já têm um campeão...

- Duarte Gomes errou na quarta-feira. Hoje teve direito a mais tempo de antena porque foi nomeado para o Beira-Mar - Santa Clara. Teve influência uma vez mais no resultado do jogo ao não validar um golo aos da casa. Até quando o discurso coerente de Vítor Pereira estará em consonância com as acções a tomar???

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Duarte Gomes

Era o que faltava, agora, o Duarte Gomes ser tido como um árbitro que beneficia o Banfica... Era mesmo o que faltava...

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Eu não vi, mas tu viste

Acho que ninguém viu o penalty hoje na Reboleira, sem ser o fiscal de linha.

Aliás, os fiscais de linha são sempre aqueles que vêm mais do que o árbitro e no entanto, continuam a ser tratados como uns coitadinhos, nem mesmo com os novos auriculares.

É certo que não vai faltar (ainda por cima, em semana de derby) por aí, umas virgens ofendidas com os sistemas de arbitragem e afins, mas esquecem-se que o mesmo fiscal de linha que conseguiu ver um penalty sobre o Abel no passado fim de semana em Alvalade, não conseguiu também ver um penalty de Gladstone sobre Matheus, na primeira parte.

Mas como é o Benfica, já vamos ficando habituados...

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

O inevitável - ou como há quem continue a querer sol na eira e chuva no nabal...

1 - César Peixoto, unidade fundamental na fase de construção atacante do Braga, nem viu o jogo! A quem se deve? A Maxi Pereira, que, tacticamente, fez um jogo excepcional. Não foi por aí que o Benfica empatou...
2 - Luís Filipe levou (apenas...) com Jorginho. Como é evidente, ofensivamente ficou em casa. Oportunidades criadas por Jorginho? Zero. Melhor, uma, mas partiu em fora-de-jogo...~
3 - Camacho entrou em Braga, mais uma vez, com quatro titulares no estaleiro e com Cardozo de rastos... jogou, é certo, na expectativa e tentou, em vão, que o contra ataque funcionasse. Foi pouco afoito? Foi. Mas se perdessemos era bem pior!
4 - Camacho devia ter ficado calado na conferência de imprensa, em vez de balbuciar coisas imperceptíveis? Não! Tem uma equipa de estreantes. Com um veterano (Rui Costa) e quatro jogadores feitos (Leo, Katsou, Nuno Gomes e Quim!), um central jovem com três jogos na Europa e meia época no banco, um africano que ainda não sabe bem com que arte da sorte aparece no Benfica (Bynia, que deixou boas expectativas...), dois jovens da América latina que muito podem vir a dar (Cebola e Di Maria), um uruguaio esforçado e tacticamente disciplinado, mas sem rotina de alta competição (Maxi), um avançado de grande futuro, mas cansado e desadaptado ao futebol europeu (Cardozo) e um lateral direito com uma crise emocional permanente, que só lhe permite jogar em clubes pequenos (Luís Filipe), como é que era possível tirar a pressão de cima dos jogadores, garantindo, no entanto, eficácia competitiva? Simples: retira-se a pressão do primeiro lugar, mas exige-se aos jogadores a qualificação da Liga dos Campeões. Se o conseguiu, ou não, no sábado lá estaremos para ver...

domingo, 23 de setembro de 2007

Uma questão de extremos

Um clube como o Benfica não pode jogar para empatar! Isso é claro como água e quem diga o contrário não merece ser adepto do clube.

Ainda para mais, um clube que joga para empatar, arrisca-se mais a perder do que a ganhar.

Camacho surpreendeu em Braga com a chamada de Gilles, o tal que ia para o Estrela e que acabou na Luz. Acabou bem, embora que um pouco limitado de técnica, não deslumbrou, mas cumpriu e bem. Não fosse o altruísmo de Paulo Costa e o camaronês tinha saído com uma exibição imaculada na cidade dos Arcebispos.

Há casos crónicos nesta equipa do Benfica e que começam curiosamente na escolha dos extremos. A um extremo pede-se explosão, velocidade e repentismo, para além de uma boa dose de imprevisibilidade. Características que Maximiliano Pereira não tem de todo, comprovando ser uma escolha errada no lado direito do ataque do Benfica.

O que mais me custou de ver no Benfica em Braga são as inconstantes exibições da equipa. Se na Luz entra com vontade de ganhar, nos outros campos, a motivação e a vontade têm de ser as mesmas. E isso não aconteceu claramente hoje.

O treinador do Benfica é claramente lento a ler o jogo, para além de não gostar de arriscar. Pode ter carisma, umas frases bonitas para alegrar a massa associativa, mas no banco limita-se a fazer troca por troca e o risco que devia tomar, não o toma.

Com o empate em Braga e a clara manutenção do resultado, só resta um caminho a José António Camacho que é o de arriscar. Se com um plantel em posições mais bem apetrechado do que a primeira passagem por Portugal, o espanhol tem de arriscar mais no jogo da próxima semana contra o Sporting, caso contrário, a corda há-de começar a roer...

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

"O mais bem sucedido treinador da história do Chelsea"

Nesta carta aberta aos adeptos do Chelsea, a direcção liderada por José Mourinho explica o inexplicável: o mais bem sucedido treinador do Chelsea estava incompatibilizado com a direcção há largos meses...
Sem discutir os critérios do magnata russo, sem pretender defender Mourinho (o que, aliás, por razões que não vos conto, nunca acontecerá!), é curioso ver como dois clubes que vivem do umbigo do seu presidente (Porto e Chelsea) não se conseguem adaptar ao sucesso evidente do treinador José Mourinho. Não do homem, mas do treinador.
Tudo tem uma razão lógica, é certo. Mas esta capacidade de Mourinho arrepia...
PS - Mourinho conseguiu em três anos aquilo que o Chelsea não conseguiu em toda a sua história...

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Notas Soltas

1 - Como previa, não pararam de chover críticas acerca das decisões de Camacho. Estou incrédulo. Podem explicar-me como é que uma equipa sem a defesa titular (excepto Leo) e com o trinco lesionado podia fazer melhor frente ao campeão europeu em título?
2 - O Sporting fez o que se previa. Um joguinho de passe curto em ataque, com desmarcações rápidas em contra-ataque. O pior é que não tem (ainda) intérpretes para a Europa. Principalmente depois do minuto 60... (sim, Miguel Veloso, sozinho no miolo, aguenta 60 minutos).
3 - O golo de Deivid é extraordinário. Um dos melhores momentos de futebol da semana. E continuo sem perceber porque é que saiu do Sporting...

injusto!

A vitória do Milan não se discute. Ponto final.
Mas da última vez que os defrontámos, em San Siro, nem um remate à baliza fizémos. Ontem, com 8 estreantes nestas lides, a páginas tantas caímos em cima do campeão europeu... Foi pena o erro de Miguel Vítor...

Por isso é que não compreendo este texto!