sábado, 31 de dezembro de 2005

O melhor e o pior de 2005


No futebol português:
MELHOR: Vitória do GLORIOSO no campeonato;
PIOR: "Congelamento" do apito dourado.

No futebol mundial:
MELHOR: Vitória do GLORIOSO no campeonato;
PIOR: Declarações irresponsáveis e permanentes do Presidente da FIFA;

No desporto amador português:
MELHOR: Dobradinha do GLORIOSO no vólei;
PIOR: Escandalosa roubalheira na final da Taça de Portugal de Hóquei em Patins.

No desporto "amador" mundial:
MELHOR: Dobradinha do GLORIOSO no vólei;
PIOR: Roberto Heras...

No desporto motorizado nacional:
MELHOR: Tiago Monteiro - é nacional porque, apesar de tripeiro, é nosso!
PIOR: Os festejos de Tiago Monteiro no pódio de Indiannapolis - é nacional porque ninguém, felizmente, lhe ligou nenhuma.

No desporto motorizado mundial:
MELHOR: Vitória de Rossi;
PIOR Vitória de Alonso.

Vencedores nacionais do ano:
Luís Filipe Vieira e José Veiga
Derrotados nacionais do ano:
Pinto da Costa e José Peseiro

PS - O HOMEM do ano é, evidentemente, Trapattoni!




sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

Diferenças de linguagem

Inespugnabile já aqui o afirmou relativamente a Abel ter vindo emprestado pelo Sp.Braga para um grande e de a notícia ser tratada de maneira singela.

No entanto, outra situação me atormenta. É certo e sabido que com a volta de Carlos Freitas ao futebol do Sporting, a entrada de jogadores era certa!

Também era verdade que todos aqueles que ele não negociou, saíriam...e assim foi, pelo menos nos casos de Wender e Edson, curiosamente jogadores que não tiveram nenhum destaque na equipa do Sporting durante esta época.

O que se passa é que as notícias foram tratadas com a maior das subtilezas para não ferir o estado de graça de que goza agora Paulo Bento e restante staff.

Em sentido contrário, Nuno Assis e Beto (do Sporting) quase que são "sacrificados" na praça pública, por estarem em vias de abandonarem o clube.

Estranhamente, ou talvez não, Sandro (ex-V.Setúbal) está de volta ao FC Porto, porque a experiência na Turquia não foi a melhor. Quando Pinto da Costa viu que Moretto interessava ao Benfica, logo se pôs em pezinhos de lã e falou com o seu administrador na SAD, para tratar do negócio com o irmão, voltando Sandro a uma casa que tão bem conhece, servindo como moeda de troca.

Esta notícia foi aflorada num dia, o resto passou ao lado...

Cronicando

O meu querido colega de Blog tem andado por aqui em azáfama quasi-diária, garantindo que o blog se mantém activo. Ainda bem. Só não percebo a questão Manduca. O homem é bom, é barato e é novo. Vai revelar-se uma contratação de mão cheia.
Mas o que me traz aui hoje não é nada disso. É, essencialmente, Moretto. Sabendo que o Benfica já o pagou - 1 milhão de euros -, sabendo que há dúvidas sobre a legitimidade para o conselho de administração da SAD vitoriana negociar sem quórum, sabendo que o empresário de Moretto tudo fará para impedir a contratação, como ficará a posição benfiquista se tudo falhar? Se querem a minha opinião, há por Setúbal dois jogadores que encaixavam de feição no Benfica: Ricardo Chaves e Adalto. Esperemos para ver se essa não vai ser a solução... no caso de falhar Moretto!
PS - Se o Braga emprestasse um jogador ao Benfica, cairia o carmo e a trindade. Sairiam, de imediato, os arautos, apregoando a impossibilidade de um clube como o Benfica pedir alguém emprestado a um clube menor.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

Velhos tempos - Actualização

Muito se tem falado no ndrangheta sobre Manduca e outras personagens que passaram pelo Benfica.

A questão principal que aqui se prende é a seguinte: que papel vai ter Manduca na actual equipa do Benfica? Que mais valia vem acrescentar? Que buraco virá tapar?

A analogia referente a outros compatriotas seus no post anterior veio provar uma coisa nas equipas do Benfica e de quem as dirige. Provavelmente, não se conseguem dar bem com o sucesso.

Depois de Toni ter sido campeão em 93/94 com o plantel que tinha, Artur Jorge, Manuel Damásio e Gaspar Ramos fizeram o favor de o ir destruindo aos poucos. Falou-se nas vendas de Rui Costa e de Schwarz, mas se na venda do sueco já era mais previsível, os 1,2 milhões de contos na altura oferecidos pela Fiorentina pelo nº10 eram demasiados para os cofres "encarnados"...

No entanto, todos nós sabemos o que passou desde esse tempo até 2000, altura em que LFV entrou no Benfica e começou a criar uma base.

É certo, e trabalhando eu no meio, que o jornalismo vive de notícias, ou melhor, passou a viver delas para se poder sustentar.

E os nomes que hão-de aparecer até dia 31 de Janeiro serão em mesmo número dos que aconteceram até dia 31 de Agosto último.

Falando de coisas concretas: Manduca assinou e José Fonte também.

Se no caso do brasileiro tenho as mesmas dúvidas que tenho relativamente a Beto, no caso do central português as dúvidas dissipam-se, porque a colocação em campo e a marcação homem-a-homem que ele faz são bem prova disso que está ali um central de futuro.

O empréstimo é um caminho natural e para o ano cá estará para ocupar o lugar que provavelmente Luisão irá deixar de ocupar.

Tudo o resto é história...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Vellhos tempos

Ao ler as notícias da contratação de Manduca, lembrei-me das apresentações de Luíz Gustavo, Jamir, Gustavo, Leónidas, Clóvis, Paulão e outros...

Curiosamente, anos depois do Benfica ter sido campeão...

sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

Férias de Natal

Enquanto o colega aqui do lado se esforça por dizer que Veiga nunca foi uma figura consensual na sua cabeça, o que é contraditório com aquilo que abundantemente escreve - não só é consensual na sua cabeça, como, também na sua cabeça, é consensualmente uma merda -, as férias de Natal chegaram.
Repare-se que afirmo que chegaram. Mas para quem? Para mim, como é óbvio, não. Trabalharei na segunda e trabalho hoje. Não tenho mais do que um fim-de-semana a que chamarei, a título de figura de estilo, NATAL. Mas os jogadores do pontapé na bola, terão férias de 10, 11 dias. É justo?
Penso que não. O futebol é uma actividade como outra qualquer. Não se compadece com férias de interregno, nem com paternalismos profissionais.
A ver vamos se os clubes não pagarão a factura dos churrascos e do feijão preto...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

Bandalheira

Para responder ao meu colega de blog, nada como elucidá-lo com a língua portuguesa na Internet:

"Bandalheira = torpeza; bandalhice

Torpeza = qualidade do que é torpe; procedimento ignóbil ou indigno; desvergonha; desonestidade."

É suficiente para responder à palavra "bandalheira"?

Importas-te de repetir?

"O sectarismo é ver que o futebol do Benfica, apesar de ter algum rumo, merecia ter um rumo melhor, branqueado e correcto. Não com a bandalheira que existe actualmente!"
Mister D, in Ndrangheta, 21 de Dezembro de 2005
Desculpa lá, mas quiseste mesmo dizer bandalheira?

quarta-feira, 21 de dezembro de 2005

O sectarismo

José Veiga nunca foi uma figura consensual na mente deste escriba benfiquista. Não ponho em causa o profissionalismo das pessoas de outros clubes a trabalhar em clubes diferentes, mas sejamos claros´: um Dragão D'Ouro nunca poderia ser um Gestor do Futebol do Benfica!

Não vale a pena enumerar o rol de casos em que José Veiga é profícuo. Nem convém relembrar a saída de João Vieira Pinto do Benfica no tempo de Vale e Azevedo, em que muita coisa ficou por contar e não prefiro contar por agora. Nem convém relembrar os negócios e jogadores que colocou no Benfica nos tempos de Manuel Vilarinho, com Luís Filipe Vieira como Gestor. Nem vale a pena relembrar as frases que proferiu e vai proferindo sempre que lhe dá jeito e que envergonham os sócios do Benfica.

Podemos pegar em vários casos, mas o mais gritante é o dos treinadores.

Sendo José António Camacho o treinador do Benfica, e após a vitória na Taça frente ao FC Porto de Mourinho, porque razão saíu ele do Benfica?

Sendo Giovanni Trapattoni treinador do Benfica, campeão nacional e finalista da Taça, porque razão saíu ele do Benfica?

E vindo agora Koeman, que não teve os jogadores que pediu, que sabe o plantel que tem, qual será o resultado?

Mas até se pode pegar em mais coisas. Nos últimos dois anos, o Benfica "vendeu" Tiago ao Chelsea por 10 milhões de Euros e Miguel ao Valência por 8. Para onde foi o dinheiro? Para o Centro de Estágio? Para o Luxembrugo? Ou para o que foi?

E em troca, o que ganhámos? Não temos um médio como Tiago, que consiga dar profundidade ao meio-campo e marque 10 golos por época e Nélson foi um achado, depois de se ter tentado ver em Alex um substituto à altura (veremos se será mais alguma vez convocado?).

Até pergunto mais: se efectivamente se estava a ver (e a observar) em Nélson um grande jogador para o lado direito da defesa benfiquista, porque não se fez o mesmo com Miguelito para o lado esquerdo, nem se apostou em Targino ou Zé Castro ou João Alves, o ano passado?

Porque é sempre preferível apresentar grandes reforços, sem jogarem, como o que se passa com Karagounis e Miccoli (atenção que não digo que não são bons jogadores).

O sectarismo com que se olha para José Veiga é que a criação e o mau gosto com que fala na maioria das vezes lembra alguém que não merece ser importado nem dar-lhe grande importância como figura beatificada.

O sectarismo é ver que o futebol do Benfica, apesar de ter algum rumo, merecia ter um rumo melhor, branqueado e correcto. Não com a bandalheira que existe actualmente!

terça-feira, 20 de dezembro de 2005

Quando a realidade ultrapassou a ficção

O Sr. José Veiga trouxe Simão para o Benfica. Como empresário, é certo, mas trouxe. Assim como trouxe muitos outros, que se revelaram opções de grande nível.
Este ano foi ao mercado com uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma. Sem lamentações, pôs as mãos à obra e adquiriu um leque de jogadores de nível inquestionável. Entre eles, destaque para Anderson e Nélson - Miccoli e Karagounis não precisavam de apresentações.
Assim, se Simão sair - se não for em Janeiro, será em Julho - não tenho dúvidas que a substituição será bem feita.
Tudo isto, é claro, se os adeptos deixaram de lado o sectarismo com que olham para Veiga...

segunda-feira, 19 de dezembro de 2005

Os reforços

Muito se tem falado e comentado no último post que coloquei sobre o Simão.

Também se falou muito sobre o Veiga e mantenho a minha opinião que o senhor é um oportunista e que é incompetente no lugar dele.

Não me vou alongar no comentário de um leitor assíduo do blog sobre as melhores contratações que se fizeram nos últimos 15 anos, mas a memória no futebol é curta e convém às vezes relembrarmo-nos das coisas:

Em 1993/94, o Benfica sagrou-se campeão com este 11: Neno, Veloso, Mozer, Hélder e Schwarz; Kulkov, Paneira, Rui Costa e Isaías; João Pinto e Ailton. Ainda tinha para os gastos Rui Águas, Yuran, Abel Silva, Abel Xavier, William e Silvino.

Na época seguinte, a tal revolução encetada por Damásio e Artur Jorge vieram: Preud'Homme, Dimas, Caniggia, Stanic, Edilson e por aí adiante até passarmos o que passámos.

No entanto, não deixaram de haver contratações que com o seu carimbo de qualidade, ainda permitiram ao Benfica ganhar uma Taça de Portugal, com Mário Wilson e jogadores que em muito beneficiaram do Benfica.

O que se pretende desmistificar com este texto é que o actual plantel do Benfica tem qualidade, mas é uma qualidade escassa, porque o 11 tipo ainda não consegue ter suplentes à altura. Beto, Karyaka, Mantorras, João Pereira, Carlitos e Hélio Roque não são substitutos para o Benfica ter, pelo menos estes últimos três deveriam ir rodar para outras equipas da Primeira Liga.

O perigo iminente de se ver sair o Capitão do Benfica (apenas no papel dos jogos) é o perigo iminente de se começar a ver soltar a estrutura da equipa mantida ao longo dos anos, coisa que não foi feita pelo sr. Veiga, mas sim pelo actual Presidente.

O problema da venda de Simão é que há mais interesses em jogo, nomeadamente hipotecas e afins, e por isso, o risco é calculado mais nesse prisma. Acontece que também ainda não se pensou no facto de não haver substituto para o Simão, mas eles existem e não é preciso sair do país...

O problema é saber onde é que se vai ganhar mais dinheiro: se em quem vende, se em quem compra...

sábado, 17 de dezembro de 2005

300 Mil Euros / Mês

É esta a quantia que o clube da cidade dos Beatles e futura adversária do Benfica na Champions League oferece ao actual capitão dos encarnados!

Logicamente que para Simão, o dobro do seu ordenado é um factor que pesa, mas a importância que o nº20 detém na equipa do Benfica ainda é evidente, sendo também evidente que José Veiga é incapaz (repito em letras grandes: INCAPAZ!!!) de encontrar um substituto à altura (também não precisa de ser tão baixinho).

A partida está para breve, e o simples facto de Simão não jogar mais até ao final da época poderá ser um pronúncio de que o negócio já está feito.

Veremos...

Depois não se queixem...

Ontem á noite em Setúbal, aconteceu mais uma Assembleia Geral do Vitória. Chumbita saíu mais uma vez em grande e descarregou em Norton de Matos, o principal responsável por "tentar derrubar o Presidente!".

Chumbita, que com os seus 6000 Euros + gastos, continua a apregoar aos ingleses, tentando vender a banha da cobra a quem a quiser comprar.

Norton de Matos, o treinador que é pago(???) para fazer pontos e os jogadores, que mostram a sua vontade quando não tem as notas (fazendo o contrário quando as têm) estão quase a abandonar a cidade à Beira-Sado.

E depois?

Os sócios que enfiem o barrete na cabeça e comecem a amaldiçoar os abençoados de espírito...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2005

macacolândia

É bonito ver como um jovem, nascido num bairro pobre, vira homem (?), alcunhado de "macaco", torna-se chefe da guarda pretoriana, enriquece, conduz porches e afins e, no fim de uma carreira recheada de títulos (que nem me atrevo a mencionar), alguém o convida para escrever um livro (o que, para quem não sabe escrever o próprio nome, é tarefa de sísifo), sendo convidado para o apresentar num talk show.
A linda história do "macaco" conflitua com o ditado que não reconhece ao crime natureza compensatória. Mas, como estamos na macacolândia, mais não digo...
PS - como é óbvio, só nos referimos a este triste episódio da cultura portuguesa devido ao nome do blog. Nunca os irmãos se tocaram tanto, mas ao de leve!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

Conspirando...

Só falta aos mais incautos virem dizer que o Benfica está por detrás da anunciada greve e falta de comparência do V.Setúbal no jogo da próxima semana.

Convém relembrar aos mais incautos também que a primeira ocasião onde se falou de uma possível greve do plantel do V.Setúbal foi na semana anterior da visita ao Dragão...

terça-feira, 13 de dezembro de 2005

Sem qualquer margem de erro

Aqui escrevi que a vingança do Benfica seria servida a frio. E foi mais do que isso ... foi servida gelada.
Não aprovando a atitude do Porto, em primeiras núpcias, aprovo a conduta do Benfica. O que aqui está em causa, acima de tudo, não é uma ofensa a terceiros - no caso de Nuno Gomes e de Petit, os ofendidos estavam identificados -, mas uma atitude que afecta o quadro competitivo de tal forma que, em tese, é merecedora de severa repreensão.
Repare-se que o Benfica, ao contrário do Porto quando apresentou queixa, foi afectado pela ausência de Maciel no jogo disputado no sábado. E esta diferença marca a posição.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

Segunda-feira

Depois de um fim-de-semana prolongado, a segunda-feira parece que custa mais. Ainda assim, não podia deixar de escrever umas linhas sobre a fantástica semana do Benfica.
Sobre o jogo com o Manchester pouco há a escrever: o imenso apoio da franja benfiquista que encheu a Catedral fala por si. Mesmo quando o Benfica esteve a perder, os adeptos foram incansáveis, demonstrando uma força e uma garra impressionantes. Os jogadores, esses heróis dos tempos modernos, e ao contrário daquilo que muitos defendem, não se ultrapassaram. Apenas foram aquilo que um jogador do Benfica deve ser sempre: incansáveis na luta, inquebráveis no querer.

Uma semana em grande...

Assistir a uma vitória na Madeira, a outra frente ao Manchester e hoje frente ao Boavista e no mesmo período de tempo ver o FC Porto ser eliminado e o Sporting perder com um golo de um jogador do Benfica emprestado ao Estrela não podia ser melhor...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2005

Eu continuo a falar mal dele...


Foto: Gettyimages

- Porque não é jogador para o Benfica

- Porque não consegue fazer um passe de jeito

- Porque não sabe ocupar uma posição em campo

- Porque é fraco, é mesmo fraco

E o facto de ter marcado o golo de ontem (beneficiando de um ressalto) frente ao Manchester United e que possibilitou ao Benfica chegar aos oitavos-de-final, me vai fazer mudar de opinião...
Enquanto embarco, rumo a um fim-de-semana merecido, decido dedicar este post.a um leitor assíduo Chama-se, segundo creio, Renato Miguel, e o post reproduz, na íntegra, as palavras de ontem. No entanto, e desde já, o meu obrigado ao Renato pelos merecidos incentivos.
"O Porto, como todos dizem, não perdeu o apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões hoje, em Bratislava. Mas também não perdeu nos outros jogos. Perdeu quando escolheu Adriaanse como treinador. Mas isso são contas de outros rosários...
Indo ao que interessa, diga-se que os jogadores do Porto entraram em campo com o mundo às costas: tinham de ganhar na batalha de lama e esperar que o meio-Inter que defrontou o Rangers derrotasse os estóicos escoceses. Tarefa de sísifo. A bem da verdade, nenhuma das coisas aconteceu. Sobrou o Artmedia que, se não tivesse sido brutalmente prejudicado no jogo de hoje, se quedou pela UEFA!
À parte, diga-se, em abono da verdade, que este Porto, caso não andasse a ser levado ao colo pelas arbitragens, não passava do pior Porto dos últimos 25 anos. E olhem que pior que o último...
PS - no dia em que soube o resultado do sorteio, no meio de uma mesa cheia de benfiquistas, disse que o Porto ficava em quarto e que o Benfica seria apurado no último dia. Todos se riram e, alguns, não deixaram escapar um comentário mais jocoso. Aceito as vossas desculpas. Assinalo que à data o Porto tinha o melhor plantel do mundo e um dos 3 melhores treinadores. Isto se analisarmos a imprensa portuguesa, está claro..."

terça-feira, 6 de dezembro de 2005

Tradução

Será preciso outro tradutor, para o caso de Adriaanse não se ter percebido bem na conferência de imprensa em Bratislava, antes do jogo de hoje?

A batalha de Bratislava

O Porto, como todos dizem, não perdeu o apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões hoje, em Bratislava. Mas também não perdeu nos outros jogos. Perdeu quando escolheu Adriaanse como treinador. Mas isso são contas de outros rosários...
Indo ao que interessa, diga-se que os jogadores do Porto entraram em campo com o mundo às costas: tinham de ganhar na batalha de lama e esperar que o meio-Inter que defrontou o Rangers derrotasse os estóicos escoceses. Tarefa de sísifo. A bem da verdade, nenhuma das coisas aconteceu. Sobrou o Artmedia que, se não tivesse sido brutalmente prejudicado no jogo de hoje, se quedou pela UEFA!
À parte, diga-se, em abono da verdade, que este Porto, caso não andasse a ser levado ao colo pelas arbitragens, não passava do pior Porto dos últimos 25 anos. E olhem que pior que o último...
PS - no dia em que soube o resultado do sorteio, no meio de uma mesa cheia de benfiquistas, disse que o Porto ficava em quarto e que o Benfica seria apurado no último dia. Todos se riram e, alguns, não deixaram escapar um comentário mais jocoso. Aceito as vossas desculpas. Assinalo que à data o Porto tinha o melhor plantel do mundo e um dos 3 melhores treinadores. Isto se analisarmos a imprensa portuguesa, está claro..

Se o Benfica...

... ultrapassar o Manchester, será um milagre. Sem meia equipa, com Koeman no banco e a perder acções judiciais para o maior vigarista da história do GLORIOSO, a coisa está mesmo preta...

domingo, 4 de dezembro de 2005

Enquanto...

... nas Antas reeditaram o "encontro de irmãos", o Benfica jogou na Madeira com 4 titulares lesionados (de caras, de caras, "só" Manuel Fernandes, Simão, Miccoli e Karagounis...). No entanto, ganhou. Qual a diferença em relação aos jogos anteriores?

sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

terça-feira, 29 de novembro de 2005

Os bichos

Se efectivamente ocorrer a transferência de Simão que o inespugnabile apreguou, é mesmo caso para dizer que estamos entregues aos bichos!

Se por sinal, Simão continuar na Luz contrariado, uma coisa é certa: O Benfica não será campeão!

Um alerta a duas pessoas que lêem este Blog!

Se Simão, como me garantiram ontem, sair do Benfica em Janeiro, desconfio que nem às competições europeias vamos. E se uma das contrapartidas for Dudek, então estamos conversados...

segunda-feira, 28 de novembro de 2005

Ainda só vamos a meio...

... e já António Costa, um dos rostos do sistema, fingiu que não um viu um penalti do tamanho do mundo contra o Porto. É triste, mas é verdade.

Novidades?

Este fim-de-semana não teve novidades de destaque. Só duas particularidades: a expulsão perdoada a Carlos Martins - que, curiosamente, acabou por ser o homem do jogo! - e o penalti perdoado ao Belenenses. Duas particularidades de somenos importância...

sábado, 26 de novembro de 2005

Os Amigos do Padrinho


Fonte: UEFA

Não! Não tem nada a ver com o blog. Tem mesmo a ver com o Padrinho e com os seus amigos.

Jorge Costa, o grande capitão, o "Bicho", vai sair do Centro de Treinos do Olival e das suas visitas quinzenais à bancada do Dragão para rumar para o clima frio e seco da Bélgica, mais precisamente em Liége.

Como tal, os amigos do padrinho conseguiram arranjar para o "Bicho", o melhor lugar para se estar e para não estranhar o ambiente que o rodeia.

Sendo assim, terá Sérgio Conceição como companheiro de equipa, Michel Preud'Homme e Stephane Demol como directores e Luciano D'Onofrio como administrador.

O conflito com o holandês é resolvido mais cedo do que se espera e certamente, no início da próxima época, Adriaanse já estará a receber os euros da sua rescisão e Jorge Costa entra novamente pela porta grande para poder acabar a carreira no clube do seu coração.

Nestes momentos difíceis, não há nada melhor do que ter amigos destes...e de preferência amigos do padrinho...

Burns

A morte de Burns angustiou-me. Não só por gostar do estilo mas, e sobretudo, porque preferia o espectáculo à eficácia.
E eu, que aprecio na F 1 o sentido táctico, gosto nos rallies do espectáculo. Fico, acima de tudo, triste pelo jovem que vai. Mas sinto uma angústia pelo vazio que fica. Até sempre.

Já aí está!

Ainda que sem falar com o camarada que divide o poiso comigo - manda um sms para saber se concordas -, coloquei a N´drangheta na Federação Portuguesa de Blogs, louvável iniciativa do BnrB. Ainda que discordando do nome - Associação seria preferível...-!
Assim, passam a permanecer alguns links, aqui à minha direita, que, de outra forma, nunca apareceriam neste blog. Em compensação, aparecem outros que estavam esquecidos, mas que valem a pena.
Ao organizador, desde já, os meus parabéns pela iniciativa.

quinta-feira, 24 de novembro de 2005

Uma questão de adaptação

Co Adriaanse e Ronald Koeman ainda não perceberam que estão a lidar com um povo latino.

Semana após semana, fomentam as suas ideias e mostram os seus pensamentos sem que haja um "ahhh!" de onde quer que seja, sejam jornalistas ou adeptos.

A semana começou com um Koeman demasiadamente defensivo, mas também com várias certezas já aqui deixadas no ndrangheta:

- O Benfica não tem um substituto à altura de Simão...

- Não tem um avançado que complemente Nuno Gomes

- E tem um jogador, que por muito que corra, só faz bem isso, ou seja, correr...

No entanto, e deixo já aqui o desafio: Se Mantorras tem marcado o golo no último minuto, o Benifca teria agora 7 pts e só precisaria de um empate para seguir em frente na Liga dos Campeões.

Co Adriaanse decidiu também inventar. Não há nenhum jogo seguido em que apresente a mesma equipa. Hoje decidiu deixar Hugo Almeida no banco e colocar Jorginho e Diego de início.

Aqui no ndrangheta compreende-se perfeitamente que Diego tenha de jogar na Liga dos Campeões. É um activo importante do clube e numa jogada de génio pode conseguir o tão desejado salto para um grande da Europa, possibilitando encher os bolsos de alguém...

No entanto, até foi Lisandro quem começou por safar o holandês, mas a escolha disparatada de ter tirado Pedro Emanuel e colocado Bruno Alves, o resultado não poderia ser mais desastrado.

Uma equipa como o Rangers que se arrasta em campo, mas é movida pelo mais velho dos "scotchs" conseguiu empatar na única oportunidade de golo (também é verdade que basta uma oportunidade para fazer um golo).

Assim sendo, que tal optar pelo simples (como tanto clama o 4-4-2) e deixar os jogadores jogarem nas suas posições?

Já agora, o repto final: Não será melhor aos dois clubes portugueses ficarem classificados em 3º lugar na fase de grupos da Champions League e irem á Taça UEFA arrecadar mais uns cobres e quem sabe, poder repetir a façanha do Sporting da época passada?

Estranhamente...

Não se fala deste senhor...



Fonte: ICICOM

quarta-feira, 23 de novembro de 2005

Os filhos da .... PIDE!

O comunicado é irreal!

Os bufos e o país da opereta

Nuno Gomes, segundo se diz, foi alvo da ira portista/tripeira: bufaram-se à liga e a Comissão de Disciplinar abriu um processo de inquérito.
Isto, não sendo novidade, só assinala a tacanhez e provincianismo dos dirigentes do clube do Freixo. A ilustração andrade, retratável à exaustão pela pequena figura de Guilherme Aguiar, podia ser sintetizada nesta chibaria digna dos ex-pides´s recuperados pelo Prof. Cavaco em detrimento da atribuição da pensão ao HERÓI SALGUEIRO MAIA.
Mas, a verdade, é que a persecução é particular e o atingido, pela primeira vez nos últimos 20 anos, não é o Benfica. É Nuno Gomes. O homem, no pensamento daquela gentinha que gere o futebol tripeiro, não podia ter sido portista e gostar do Benfica, não podia usar Gomes no nome e, pior, não podia ter festejado os dois golos no dito dragão a apontar para as quinas identificativas do campeão. Não podendo, mas tendo feito, as consequências estão aí: chibaria para cima dele, mesmo que o método, bafiento, tresande a merda até ao tutano.
PS - à atenção dos incautos: Veiga reagirá na mesma moeda. Mesmo sabendo que a má afasta a boa...

Mnchester

Ao Queirós desejo a mesma sorte que desejei a 13 de Maio de 1994. Ao Cristiano Ronaldo, desejo a que teve na final do Euro 2004.

Koeman

Não foi audaz. Mas a sorte protegeu-o. Melhor assim.

terça-feira, 22 de novembro de 2005

Vieira e os três foras de jogo

Vieira tem razão. Três golos em fora de jogo, em três jogos consecutivos, é muito. Diria, mesmo, que é demasiado. E logo a seguir a uma vitória nas Antas...

segunda-feira, 21 de novembro de 2005

Ronaldinho

Aquilo que Ronaldinho Gaúcho fez no Barnabéu, vai ficar guardado nas memórias da história. Com sinceridade, não me lembro de nada idêntico. Nem quando João Pinto decidiu partir Avalade em pedaços.

Por Braga, nada de novo.

Em Braga ganhou a melhor equipa. Ponto final. E Jorge Luiz...

domingo, 20 de novembro de 2005

Todos para a jarra, já!

- Quim com as suas maravilhosas execuções no jogo de hoje...

- O departamento médico do Benfica em dar por aptos jogadores que claramente estão em sub-rendimento e não a 100 % (Quim e Simão são os melhores exemplos...)

- João Ferreira com a sua crise de visão ao ver um penalty que não existiu...

- O fiscal de linha ao ver um fora-de-jogo (curiosamente o 3º consecutivo) que deu um golo inesixtente ao Sp.Braga...

- Koeman com a sua permanente insistência no inexistente Beto...

- Jesualdo Ferreira com a sua arrogância e com a garipa muito levantada...

quinta-feira, 17 de novembro de 2005

Relembrando novamente os tempos...

Quando é necessário alguém apitar um jogo decisivo no campeonato português, é normal a Associação de Futebol de Setúbal ter um árbitro designado para essas partidas.

Por isso mesmo, não é de espantar a nomeação de João Ferreira para o Sp.Braga - Benfica...

Palavra aos outros!

Palavras de um amigo, recebidas na caixa de mail:
"(...) No tempo em que o Benfica era governado pelos «senhores de colarinho branco», para usar a expressão do actual presidente do clube, Portugal vivia em ditadura, onde ninguém podia também abrir a boca, e eu habituei-me a ver o Benfica como o símbolo dos que não se calavam —em contraste com o Sporting, que sempre foi tido como o «clube do regime» e dos «aristocratas ». O Benfica era presidido por um marquês mas era o clube do povo, o clube onde estavam os democratas e o grande Eusébio. Esse Benfica não há ninguém que não tenha respeitado e admirado. (...)"

Miguel Sousa Tavares, A Bola, 15.11.2005

"O resto da conversa serve, claro, para atacar o Luís Filipe Vieira e o Benfica actual, mas não é mau ser um fanático portista (para não lhe chamar fanático anti-benfiquista) a relembrar sobre quem ERA e quem NÃO ERA, DE FACTO, o clube do regime. Isto deve deixar alguns seus correlegionários - e não só - um bocado perplexos (os ignorantes) ou furiosos (os mentirosos)."

quarta-feira, 16 de novembro de 2005

Vieira 3

Os jagunços!

Vieira 2

E qual é o problema de Vieira?

Vieira

O problema de alguns não é Vieira. São eles mesmos.

Blá blá blá

"Há árbitros com mais qualidade do que outros, como em tudo na vida. Mas penso que Portugal tem bons árbitros."

E o «caso» de Simão? É verdade que sairá caso surja proposta de 18 milhões de euros? "Por esse valor, Simão já tinha saído"

"Passivo será reduzido em dezenas de milhões"

"Há opinadores pagos para dizer mal e é isso que não desculpo. Até vou dar um exemplo: "Gostaste do meu artigo? Eh pá, o gajo deve...". E o "gajo" sou eu, percebem?"

Postiga

O problema de Postiga não é Adriaanse. É Hugo Almeida.

terça-feira, 15 de novembro de 2005

Paixão

O homem da fruta, do café, do leite e afins entrou para a "quinta das celebridades". Como é que o povo não há-de andar deprimido?

Adivinha

Quem será o jagunço?

Transparência

"Porque é que nunca investiu no futebol, que é o desporto que mais gente arrasta e dinheiro envolve?
- Sabe...(Pausa) Para mim trata-se de uma indústria muito pouco transparente. Falo da mentalidade dos dirigentes, ordenados pagos tarde e a más horas, contratos paralelos, etc. Nos outros desportos onde eu estou há outra cultura, outro profissionalismo."

João Lagos, em Agosto, numa entrevista à revista Visão.

Jorge Costa a caminho do Standard...

... ou Luciano a fazer mais um jeito ao amigo?

segunda-feira, 14 de novembro de 2005

Scolari

Já aqui o escrevi: Scolari arrisca-se a ser o melhor seleccionador de sempre. Apesar de Baía... E isso, embora não justifique tudo, justifica quase tudo. Apesar de Ricardo...

domingo, 13 de novembro de 2005

Relembrando os tempos...

Era Manuel José treinador do U.Leiria quando se soube a meio da época 2000/01 que José Mourinho seria o seu substituto para a época seguinte.

Manuel José disse na altura que o seu colega de trabalho não tinha tido sequer a ombriedade de falar com ele e dizer-lhe que ia tomar-lhe o lugar.

Chateado com o futebol português e na esperança de vir a ser Seleccionador Nacional, o velho "Manel Zé" rumou a terras africanas em busca da sua glória.

Hoje, depois de somar o 2º (atenção que é o 2º) título de campeão africano de clubes, tem logo aí uma vantagem: é que Mourinho só ganhou ainda uma Taça dos Campeões Europeus.

O maior problema disto tudo é só se reconhecer o valor das pessoas quando singram lá fora, mas isso já é um velho hábito português...

sexta-feira, 11 de novembro de 2005

Um comentário ortodoxo

Não é hábito, neste blog, comentarmos os comentários deixados nas "caixinhas" que o acompanham. Mas ontem, o Sr. Mário Ventura, pessoa certamente respeitável, deixou aqui um comentário que merece reflexão. Aqui vai:
"Pois...um bom blog sim senhor, pena o título nada apelativo. Irei adicioná-lo logo que possível aos links desportivos do meu blog, logo que comentem também no meu e o adicionem aos vossos links. Parabéns então aos dois contribuidores"
Podemos dividir o comentário em duas partes:
- os parabéns aos "contribuidores" (sic), apesar do nome do blog não ser apelativo;
- a promessa de reciprocidade nos links, se os "contribuidores" (sic) adicionarem o blog do Sr. Ventura aos links e aceitarem comentar no seu blog;
Desde já os meus agradecimentos ao Sr. Ventura por ter por cá andado. Agradeço, também, a disponibilidade demonstrada.
Mas não a aceito. Este blog, quanto muito, tem um contador. Mais nada. Nem, sequer, pensamos em registá-lo em qualquer apontador de blogs ou coisa parecida.
Se o seu blog algum dia merecer, aqui ficará o link, sem obrigação de reciprocidade. Por enquanto, cada um fica na sua.
Ao cabo e ao resto, tentamos fazer jus ao nome: viver na clandestinidade bloguistica e com atritos. Mas sem cedermos aos princípios da `Ndrangheta!
PS - e, normalmente, nem verificamos o contador. Acreditem se quiserem...

A fraqueza indisfarçável

Por mais que se mascarem, por mais que tentem, por mais que consigam dispersar, há, em quase todos, uma fraqueza indisfarçável: são, acima de tudo, anti-benfiquistas. Até que a morte os separe.

quinta-feira, 10 de novembro de 2005

E a defesa, senhores, a defesa?

Quando há 16 golos numa peladinha e os jornais gritam com euforia, eu pergunto pela defesa. Espero que o melhor da "velha raposa" - a sistematização defensiva adquirida a partir de Janeiro e que demorou 6 meses a treinar - não seja destruída em breve.

quarta-feira, 9 de novembro de 2005

O planeta (azul e) branco

Miguel Sousa Tavares apelida aqueles que lêem e comentam as suas crónicas de "trogloditas". Para além de ser um termo pouco simpático e próprio de quem se julga uma mente superior, é bastante evidente que a crítica não é aceite.

Sendo assim, apenas deixo um trecho da sua crónica ontem n'A Bola:
"A primeira questão tem que ver com o segundo golo do Rio Ave, julgado offside pela generalidade da crítica, pois que, quando a bola é cruzada para a área do Benfica, Gaúcho, que estava deslocado, vai passá-la a Chidi, que faz o golo. Se o lance se tem passado assim, não há dúvida de que há offside. Mas, se bem vi e julgo que sim, há uma diferença, que faz toda a diferença: quando a bola é cruzada, Chidi está em jogo e Gaúcho está, de facto, adiantado. Mas a bola não vai para Gaúcho e sim para Chidi, que depois a passa àquele, que entretanto já estava em posição correcta. Gaúcho devolve a seguir a Chidi, que faz o golo. Ou seja: enquanto está deslocado, Gaúcho não tem interferência alguma na jogada, e quando a tem, já está em posição correcta. Deve ou não considerar-se que tirou vantagem da posição inicial?"

Tendo em conta que o último livro do advogado/jornalista se chama "O Planeta Branco" e se enquadra no segmento infanto-juvenil, certamente a influência dos contos de fadas está a atormentar-lhe o espírito...

O "mano mais velho", o "mano mais novo", o Pai. Ainda: Paulo Bento, o Pai, o Filho e o ...

1 - Vitor Baía apresentou o seu "livro de glórias" perante o olhar embevecido do mano mais velho: nem mais nem menos do que Pinto da Costa. Entre outras coisas interessantes, e por gosto do dito "mano", disse que tinha sido benfiquista, por influência paterna, até aos 14 anos. Depois, ganhou consciência e afirmou-se enquanto portista dos sete costados. Lamentavelmente, o "mano mais novo", como forma a seguir o percurso do "mano mais velho", manifestou a imaturidade caracterísitica dos indecisos: só aos 14 anos é que ganhaste consciência?
2 - Entretanto, logo toca o telefone: "tás a ver? tás a ver? Não foi ele, foi o "mais velho"! Bem te tinha dito que o homem, um dia, assumiria a genealogia benfiquista!". Não vou a tanto, embora saiba que o "mano mais velho" nasceu vermelho. Mas se o juntarmos a Baía e Couto, fica a sobrar Jorge Costa, o "bicho". Era mesmo o que faltava...
3 - Paulo Bento, esse sim, não trocou a educação paterna. Benfiquista de sempre e até morrer, ainda que, temporariamente, torça de verde e branco. Ontem, por exemplo, veio a terreiro alegar que o Benfica foi beneficiado, "em um ou dois golos irregulares", no jogo com o Leiria. Faltou acrescentar que era isento: "eu que até os festejei!"
4 - Porque isto de renegar a educação paterna tem muito que se lhe diga. Por exemplo, Chumbita Nunes, benfiquista de gema e Presidente do Vitória Futebol Clube, decidiu dar um açoite no Pai que adoptou o verde e branco de Setúbal como filial número um no sul do Tejo. Falamos, claro está, no "mano mais velho" do "mano mais novo". Apesar de Couceiro, de Ribeiro, de Sandro e de Jorginho por meia dúzia de tostões - por onde anda Sandro? -, o Pai não esquecerá a aproximação aos vermelhos do norte do tejo. Vai daí, e numa demonstração de fidalguia secular, decidiu, no recente jogo que opôs os dois emblemas, não oferecer à equipa visitante, sequer, uma migalhinha para o jantar. Terá dito que, se quisessem, a Casa Aleixo é à mão de semear?
5 - Por falar em Pai, Vieira disse que não se ia embora. Acho bem, seria fazer a vontade a muitos que conheço, e em quem não me reconheço. O Benfica agradece.

segunda-feira, 7 de novembro de 2005

7-1!!!


Foto: Placar

Carlos Tévez, suplente de luxo na selecção argentina e Nilmar, contratado ao Lyon no início da época, marcaram 5 golos na goleada do Corinthians ao Santos por 7-1. Foi uma digna passagem de testemunho, porque só mesmo uma tragédia é que fará com que o "Timão" não se sagre campeão brasileiro.

O dinheiro vale tudo e no Brasil ainda mais...

Em Portugal está mesmo preta


Fonte:
Meu caro amigo
Francis Hime - Chico Buarque/1976

"Meu caro amigo me perdoe, por favor
Se eu não lhe faço uma visita
Mas como agora apareceu um portador
Mando notícias nessa fita
Aqui na terra 'tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n' roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta(...)"
PS - O Chico é um dos grandes. Dos grandes mesmo. A minha defesa, quando me irrito com o futebol - árbitros, jogadores, dirigentes, amigos, etc., etc., etc., - é lembrar-me do Chico e do Caro Amigo. Por um lado, não me abstraio da origem fluminense do elitista, o que não surge em contra-ciclo - e sempre serve para os meus amigos lagartos me atirarem com a elite de esquerda. Por outro, recordo que o futebol deve, sempre, ser um pouco mais civilizado. E isso, ontem, em Santo Tirso, depois de uma viagem desgastante, que não me pemitiu acompanhar o Glorioso ao vivo - uma das poucas vezes em que tal acontece... -, serviu para evitar uma cena digna de um Western. Daqueles em que muitos batem num...
PS 2 - Jornada para recordar. Pelas minhas contas, todos beneficiados, quase todos prejudicados...
PS 3 - Se eu não podia gostar do Fluminense?...

A teoria do coitadinho

Com a saída de cena de Dias da Cunha, perdeu-se o gostinho especial que havia, no final de cada jornada, de se apelidar ao sistema e confrontar os factos com as realidades ocorridas durante o fim de semana.

Assim sendo, e pelo segundo fim de semana consecutivo, o Benfica empatou um jogo, sendo que o segundo golo do Rio Ave na Luz foi precedido de fora-de-jogo, tal como Bruno Fogaça uma semana antes na Figueira da Foz.

Paulo Bento diz que o Sporting tem de se queixar mais da arbitragem, porque foi prejudicado no Bessa, frente ao Varzim (com a expulsão de Anderson Polga) e em Barcelos, frente ao Gil Vicente. Das duas uma: ou Paulo Bento não ouvia os comentários do seu antigo Presidente ou então viu jogos completamente diferentes dos que eu vi...

Em Paços de Ferreira, Pedro Proença e "su muchacho" Tiago Trigo desempenharam bem o seu papel de benfiquistas e anularam um golo limpo aos portistas. Esqueceram-se foi também de marcar uma grande penalidade a favor do Paços de Ferreira e que poderia ser traduzido na altura por um empate.

Não me vou mais alongar na teoria do coitadinho, só porque o Benfica perdeu mais dois pontos e porque jogou com o Beto. O tema será referido com maior pormenor mais tarde...

sexta-feira, 4 de novembro de 2005

Os todo-o-terreno

Contrariando (mais uma vez) o meu companheiro de blog, o futebol é simples, mas não é tanto. Há sempre uma Lei de Murphy que contraria isso e a prova evidente é a de que quem tanto vociferou contra o "sistema" também é beneficiado pelo mesmo. Ironias do destino!

Mas o post não é para falar de arbitragens, mas sim dos verdadeiros artistas, porque os de preto, amarelo e verde são artistas quando lhes interessa.

Vem a este caso a teoria dos jogadores todo-o-terreno que José Mourinho tanto sabe usar no seu Chelsea com Essien e Cole e Pellegrini faz no Villareal com Juan Pablo Sorin.

O argentino passou despercebido durante vários anos no Cruzeiro do Brasil, com empréstimos sucessivos a clubes europeus, até estagnar na pequena vila da comunidade valenciana.

A sua polivalência faz com que na Selecção Argentina e no Villareal desempenhe diversos papéis com a mesma eficácia, apesar da deficiência evidente em jogar com o pé direito. A sua actuação na Luz, na passada quarta-feira fez-me presenciar ao vivo aquilo que já tinha visto na televisão: sentido táctico irrepreensível, antecipação de jogadas, defesa agressiva e ataque continuado e estratégicamente pensado.

Sorin é um dos tais: Na direita, na esquerda, no centro, na defesa ou no meio-campo, a performance é sempre igual.

Há poucos jogadores como Sorin, e só se podem orgulhar aqueles que têm o privilégio de jogar com pessoas que são profissionais até ao fim.

Por falar em fim, Kieron Dyer pode ver a sua carreira chegar ao ponto terminal. Dyer era outro dos mesmos, à direita, ao centro ou ao meio, Dyer desenvolvia jogadas geniais que permitiram a Shearer marcar muitos dos golos que ostenta em Inglaterra...

Sr. Scolari

Ao ver que convoca um jogador da equipa B do FC Porto e mais dois jogadores desse clube poderoso que é o Dinamo de Moscovo que está em 11º lugar da Liga Russa, e tendo em conta que o senhor disse que convocava quem quer que fosse que jogava futebol em Portugal, não me quer ir ver jogar no Domingo e talvez pensar no meu assunto???

Simplicidade?

Será o futebol um jogo simples?

quarta-feira, 2 de novembro de 2005

A geometria variável!

O Professor Lobo Vilela escreveu um dos livros que mais devia ser lido em Portugal: Do Sentido Cómico e Trágico da Vida. A páginas tantas, e como forma a diferenciar o ridículo do cómico, escreve: "Embora o ridículo seja a principal fonte de comicidade, pela imitação e pela caricatura, não deve identificar-se com o cómico porque há entre eles diferenças essenciais. Em primeiro lugar, o ridículo é involuntário, inconsciente, espontâneo, natural, ainda que pareça artificioso, ao passo que o cómico é voluntário, consciente, intencional, premeditado. Em segundo lugar, o riso é, para o ridículo, um castigo, ou melhor, uma agressão, porque o sujeito considera-se vítima de uma injustiça; para o cómico é o prémio ambicionado, a homenagem prestada ao talento histriónico."
Serve isto para expressar a dificuldade que tenho em perceber qualquer treinador que, em desespero, dispensa o homem que pensa o jogo, em detrimento de um homem de combate.
Se estudarmos as batalhas - de guerra, guerra mesmo -, nunca descobriremos uma única em que se dispensa o estratega e se opte pelo batalhador. Na verdade, ambos têm de marcar presença, mas nunca em substituição.
No futebol, o estratega tem de jogar SEMPRE. Seja em desespero de causa, seja a ganhar por 10-0. Não se pode, sob pena de coarctar a imaginação do passe impossível, abdicar, por um segundo, de o ver em campo. Seja parado, a andar, ou mesmo de bicicleta - o Maradona, por exemplo, devia jogar sempre, em qualquer equipa, em qualquer lado, em qualquer desporto.
Pellegrini opta por nunca tirar Riquelme. Mesmo quando não joga, assobia para o lado ou, no absurdo da posição, decide jogar 20 minutos a extremo. Sabe, em síntese, que Riquelme pode, a qualquer momento, devolver num momento de magia a paixão que os adeptos debitam nas bancadas. Koeman, ao invés, decidiu retirar da equipa aquele que pautava o jogo, distribuindo passes e inteligência ao acéfalo meio-campo benfiquista, colocando Mantorras.
Pellegrini, ei-lo de novo, foi rápido na resposta - simultâneo, até, devido à ligeireza demonstrada na substituição -: colocou um extremo de coração novo, prendeu Nélson durante 20 minutos mais - e Jose Mari já o havia feito durante 70 minutos...- e deu ordens ao meio-campo de combate (Josico, Sorin e o enorme Senna) para pressionar os, agora, isolados Petit e Manuel Fernandes, até à exaustão.
Koeman respondeu tarde. Já perdia por um a zero, mas ainda assim deu o braço a torcer: só voltou a criar perigo quando Assis entrou.
Agora, perguntam os caros leitores, o que é que a estratégia de um mágico tem a ver com o cómico e o ridículo? Tudo. Tudo mesmo. Se na ausência de um 10 - um vero 10 - o futebol tem algo de ridículo - mesmo quando se acerta -, os erros do 10, se tiver magia, trazem a comicidade de volta à vida. Sem passar pelo ridículo.
E o futebol, meus caros, também se pode resolver com um tiro do meio da rua, bem no centro da catedral - Wembley de seu nome -, mas a história preferirá, sempre, Savicevic a chapelar da lateral da Avenida da Liberdade.

terça-feira, 1 de novembro de 2005

O Professor Jesualdo

No dia da apresentação de Jesualdo Ferreira, o eixo Porto-Braga pressionou, ad nauseam, António Salvador para contratar o antigo jogador do Braga, Carlos Carvalhal.
Com a contratação de Jesualdo anunciada, preparou-se um golpe de estado: os "Oliveiras" - que nada têm em comum com os de Penafiel - tinham tudo acertado com Pinto da Costa para a contratação do seu novo-futuro-ex-bambino de ouro (Carvalhal, leia-se), juntamente com o empréstimo de três jogadores - Hugo Almeida iria no pacote -. Gritou-se, do Bom Jesus ao Sameiro, TRAIÇÃO!
Salvador, no entanto, preferiu que o Benfica lhe emprestasse o Professor, em troca de um desconto nos créditos sobre a transferência de Tiago. Argumentou, ao seu jeito, que o dinheirinho que sustentava o Braga era seu! E se não o quisessem, era fácil: iam pedir ao Cónego ... algo mais do que a benção!
A Carvalhal saltou-lhe a tampa: sendo ex-jogador do Braga, como era possível que apostassem num treinador que pouco valia, que tinha acabado de falhar? Disse-o em alto e bom som! Esqueceu-se, no entanto, que nunca treinara, sequer, na Primeira Liga...
Jesualdo, fazendo ouvidos de mulher séria, lá foi fazendo o seu caminho. Aguentou o Braga na primeira, discutiu, depois, um lugar na Liga dos Campeões e prepara-se para o colocar na rota do título. Pode falhar, é certo. Mas já leva embalagem suficiente para, pelo menos, discutir os três primeiros lugares. Entretanto, Salvador vendeu Loureiro, Quim, Cícero, Wender e João Alves, contratando, a custo diminuto, Hugo Leal, Madrid, Davide e João Tomás. Inventou Nem, Jorge Luiz, Nunes e Cesinha, construindo aquela que é a equipa mais difícil de bater em Portugal.
Eu sei que o Professor não é adepto de dar a outra face. Prefere o ditado beirão que diz que quem não se sente não é filho de boa gente. É como eu.
Assim, Carvalhal que espere, este Natal, um postal de boas festas. E, depois, que o reparta com Luís Campos!

Dissertar

Co Adriaanse: "Hoje podíamos jogar sem guarda-redes!".

Juntando este comentário ao do jogo do Benfica relativamente aos lenços brancos, Co Adriaanse está a cometer um erro.

Quando uma pessoa sai do seu país e se dirige para outro com cultura diferente, só há uma maneira de ser bem-sucedido que é o facto de se adaptar rapidamente ao país e não ser o país a adaptar-se à pessoa.

Adriaanse tem preferido o contrário, mostrando muitas vezes tiques de ditador (como foi o exemplo de sábado na conferência de imprensa, após uma pergunta sobre McCarthy, que fez com que o holandês saísse da sala sem ai nem ui). A benevolência dos jornalistas e do seu jogo de sabujos para com a instituição do Freixo não são mais do que gritos mudos no contexto futebolístico e jornalístico português...

A falta que ele ainda faz...


Foto: Terceiro Anel

João Vieira Pinto mostrou ontem que continua a fazer bons jogos contra o Sporting. Carlos Brito disse no início da época que não tinha nada a aprender com João Pinto a não ser a sua experiência e colocá-la ao serviço do Boavista.

Assim fez! Utiliza João Pinto no apoio a Fary, na posição que mais gosta, seja a distribuir jogo, seja a aparecer como segundo avançado, como fez no primeiro golo.

Com a disponibilidade física que mostra e com a experiência adquirida, não há dúvida que havia legitimidade a época passada para João Pinto voltar ao clube que mais crédito lhe deu e que saiu de uma forma vergonhosa.

Este ano, ter João Pinto ou Miccoli seria exactamente a mesma coisa...

segunda-feira, 31 de outubro de 2005

Treinadores

Eu sei que tudo isto é subjectivo. Demasiado subjectivo. Mas há treinadores de quem gosto e outros que nem tanto.
Talvez por isso tenha sido dos poucos benfiquistas que não gostavam de ver Camacho no banco do Glorioso e que, pelo contrário, gostava da "velha raposa". Ainda que percebesse a importância da disciplina do murciano naquilo que já se antevia como a recuperação do Benfica.
Daí ter de vos explicar que Manuel Machado, Carlos Brito e Jesulado Ferreira sejam, e não só no momento, os melhores treinadores do burgo. O que não deixa de ser curioso: se Machado e Ferreira juntaram os conhecimentos teóricos ao "saber de experiências feito", Brito tem pouco mais do que a "quarta classe", mas parece um catedrático do futebol (será?).
Ontem, por exemplo, quantos eram os treinadores capazes de perceber a importância de Nani na manobra ofensiva do Sporting? Todos. Mas deslocar Hélder Rosário 10 metros para a esquerda, obrigando Nani a correr como um louco ao lado de Moutinho, com recuperações efectuadas com mestria por ... João Pinto - as saudades que eu tinha de o ver marcar ao Sporting... -, não estava ao alcance de muitos. E, para isso, é preciso muitos anos de trabalho!

domingo, 30 de outubro de 2005

Os erros

de arbitragem continuam a dominar o quotidiano. Nas Antas um penalti - claro - por marcar e na Figueira um golo que nasce de uma falta, a meio campo, e marcado por um jogador em fora de jogo evidente.

sexta-feira, 28 de outubro de 2005

O Simulacro - mais um tiro no porta-aviões

As diferença entre os clones e o génio estão à vista. Quantos mais tiros terão de ser dados no porta-aviões, para que se perceba a diferença genética?
PS - Se fosse dirigente do Belém não hesitava: José ... Peseiro!

quinta-feira, 27 de outubro de 2005

Conversa fiada - memórias de um sonho!

Dias Ferreira telefona a Guilherme Aguiar e convence-o que Nuno Gomes só tentou apanhar aquela bola para lesionar o guarda-redes do Leixões...
Guilherme Aguiar fica agradado com a ideia. Vai daí, telefona ao Papa e pede autorização para autorizar Ferreira a utilizar o argumento. O Papa agradece e telefona a Adriano, que por sua vez telefona ao líder do Partido de Ferreira, Aguiar e Seara. Convence-o a convencer Seara a ser brando. Ao cabo e ao resto, o grupo da sueca não morreu com o fim do cavaquismo...

Por uma questão de escolhas

Tendo em conta o Imparcial Encartado que o 442 resolveu comentar, não há dúvidas de que tudo o que não fale do Sporting relativamente à Selecção e não só, é logo rotulado de "imparcial".

Falando na questão de Selecção, João Querido Manha (JQM) escreveu, tendo em conta a sua opinião, com o mesmo direito que tanto eu como o Master Kodro tem de escrever sobre o que lhe apetecer.

Não vou entrar no pormenor de JQM ser benfiquista, sportinguista ou portista, mas existem por aí mais que tentam esconder a sua côr e não conseguem...

Numa questão de escolhas, e sendo eu uma pessoa normal, a escolha óbvia da Selecção Portuguesa para ir ao Mundial de 2006 seria:

GR - Quim, Ricardo e Vitor Baía
Defesas - Nélson, Miguel, Fernando Meira, Jorge Andrade, Ricardo Carvalho, Beto, Miguelito e Nuno Valente
Médios - Petit, Manuel Fernandes, João Moutinho, Deco, Tiago, Maniche, Figo, Ronaldo, Simão
Avançados - Pauleta, Nuno Gomes e Hugo Almeida

Os jogadores que estão a bold são naturalmente o onze titular.
Porquê uma defesa com Nélson e Miguelito nas alas?
- Porque ambos sabem atacar como ninguém em Portugal, para além de saber cruzar e defender, muito melhor que os concorrentes directos...

Porquê um meio-campo central com Manuel Fernandes, João Moutinho e Deco?
- Porque a criatividade é essencial no meio-campo para criar desiquilibrios e arranjar espaços. Há dúvidas de que os 3 não fazem isso e não são capazes de o fazer ao mesmo tempo?

Porquê Nuno Gomes na frente?
- Porque falha metade daquilo que Pauleta falha durante um jogo.

Porquê Hugo Almeida?
- Porque é um avançado que desgasta uma defesa com a sua força.

Porquê Ricardo?
- Porque dos três é indiscutivelmente o melhor.

Porque é que não há Paulo Ferreira e Costinha?
- Há dúvidas relativamente a Nélson ou Miguel (no caso de Ferreira) e Tiago, Maniche ou Manuel Fernandes que fazem o mesmo papel de Costinha.

A minha escolha é esta. Podem-me chamar também imparcial, que eu não me importo...

O desaparecido

A presença de Adriano Pinto no jogo de ontem no Bessa, a ver o Leixões - Benfica, deixou-me algumas dúvidas: Porque quem é que ele estava a torcer? Pelo Leixões, pelo Boavista ou pelo FC Porto?

quarta-feira, 26 de outubro de 2005

Concordo integralmente!

Com este texto!

Factos

- O V.Setúbal está à beira da falência, pelo menos na parte do futebol. Todos falam do futebol, menos das outras modalidades. Assim sendo, não é o V.Setúbal que está à beira da falência, mas sim a SAD do Futebol. Chumbita Nunes pede ajuda ao Benfica, mas porquê? Porque é benfiquista?

- Falando em Benfica e Vitória, ontem houve logo quem falasse em Moretto, Diakité e Sougou. Tendo em conta o valor dos três jogadores, qual é a pessoa que no seu estado normal pensa que qualquer um dos três tem valor para o Benfica?

- Para os lados do Dragão, o silêncio continua a imperar. Ficou sabido ontem que Jorge Costa e Hélder Postiga são soluções de última escolha ou até de nenhuma. Quem sabe se não virão para aí uns jovens da equipa B, só para Co não dar ponta de si...

- Hoje no Bessa, Rui Nereu será titular no Benfica. A questão dos guarda-redes no Benfica tornou-se tema central das notícias desportivas e dos blogs, onde se aventa sempre a hipótese do Benfica dominar a Liga e afins. Pessoalmente, penso que o Benfica está bem servido e não há que criar regimes de excepções. Só espero que aqueles que agora vociferam, não venham a precisar...

- Em Alvalade, o black-out está a fazer efeito. Nada se sabe, sem ser o oficial. João Aroso voltou para a Academia e afinal sempre fazia falta um preparador físico, ao contrário do que muitos pensam. Afinal, os professores não são assim tão bons...

Um dia...

Hoje, ao ler a edição do jornal "A Bola", lembrei-me da claque do Sporting a invadir o campo, num Sporting-Benfica, numa tentativa de agredir os jogadores do Benfica. Iam com paus e varões.
Até hoje ninguém se pronunciou sobre isso. A responsabilidade será de Valentim ou de Cunha Leal?

Faça-se TAÇA!

terça-feira, 25 de outubro de 2005

A crueldade do destino

Pode não ser verdade (estou em condições de adiantar que pelo menos um nome está em cima da mesa), mas seria curioso se fosse o Benfica a ajudar o Vitória...

Regras II

Enquanto o assunto do dia é a inscrição de um guarda-redes pelo Benfica - com diversas citícas à mistura e insinuações torpes -, ninguém refere duas questões essenciais: o Benfica é a equipa mais amarelada da liga - e ao mesmo tempo uma das que faz menos faltas e que mais sofre - e Bruno Alves poderá jogar no Domingo, frente ao Vitória de Setúbal - se houver jogo...-, apesar de, como se sabe, ter tentado acabar com a carreira a um colega de profissão que acabara de meter duas batatas na baliza da sua equipa - para mim houve dupla tentativa de homicídio.
Assim se vai, cantando e rindo...

Regras

A aplicação da Lei deve ser uniforme. Sem olhar a cores, preferências, ideologias ou entidades secretas. Tal não nos obriga a não censurar a Lei. Obriga-nos, apenas, a respeitá-la.
Nesse sentido, o caso do Benfica é paradigmático: poderá inscrever um guarda-redes na principal prova europeia, mas não o poderá fazer na prova doméstica.
Dura Lex, Sed Lex.
Mas tal não deixa de colocar em evidência o ridículo da Lei.

segunda-feira, 24 de outubro de 2005

Há dúvidas?


Foto: Correio da Manhã

Para um futebol de cariz ofensivo, tem de haver na equipa, pelo menos um jogador de cariz defensivo que assegure a rápida recuperação de bola e a coloque imediatamente no ataque.

Co Adriaanse, de tanto casmurro que foi, teve de dar a mão à palmatória. O que vale ao holandês é um rapaz argentino que joga no meio-campo e que ainda não parou desde Janeiro.

Lucho González está claramente acima da média neste plantel portista e a exibição ontem na Choupana foi a prova disso mesmo. Esperemos que o gás não se apague nos meses críticos (Fevereiro e Março), senão, o jogo vai ressentir-se e o campeonato português também...

Ainda o Sporting...


Foto: Sporting

No meio do turbilhão que foi a semana passada para os lados de Alvalade, a maioria das pessoas esqueceram-se do regresso de Carlos Freitas à estrutura do Sporting, e logo para Director-Geral da SAD.

Fica a curiosidade de tanto Freitas como Veiga, conotados com o FC Porto, assumirem lugares de poder nas SAD's lisboetas.

O que é que o regresso de Carlos Freitas vem trazer para o Sporting? Se bem que com o despedimento dele, logo a seguir verificar-se a saída de Pedro Barbosa, Rui Jorge, Enakharire, Hugo Viana e Rochemback, penso que serão coincidências a mais...

Rui Meirelles continua de pedra e cal. Pode não perceber patavina de futebol, mas percebe de gestão e para ele, isso é suficiente. Aliás, os últimos três meses mostraram claramente no Sporting que o que é preciso é gestão e não futebol. São as contas que marcam os golos...

Voltando a Carlos Freitas, pode-se considerar o verdadeiro "self-made man", já que subiu a pulso na sua carreira desportiva, desde jornalista a director de futebol, mostrando que a sua influência no actual plantel do Sporting é bem maior do que o que aparenta...

Dizia-me um amigo meu que não se surpreenderá se não aparecem pelo menos 4 jogadores novos no Sporting, em Dezembro.

Não duvido disso, a dúvida está é em quem sai...

sexta-feira, 21 de outubro de 2005

Velhas reformas

Enquanto se tenta ver qual é o problema com a barra lateral do nosso blog, esta semana foi pródiga para as conversas e tricas que fazem do Ndrangheta um blog com as suas visitas consideráveis.

Já o inespugnabile o disse e volto a reafirmar que Paulo Bento, na linha de Fernando Santos e de José Peseiro, é sócio do Benfica. Não é preciso puxar muito pela memória, para nos lembrarmos que no dia da sua apresentação no velhinho Estádio da Luz, Paulo Bento exibiu com orgulho o seu cartão de sócio. Não é por isso que não vai deixar de ser profissional, uma vez que no primeiro ano em que é treinador, foi campeão pelo Sporting frente ao...Benfica! Portanto, em questões sentimentais não vamos pegar.

Pelos lados do Edifício Visconde de Alvalade, também conhecido pelo Edifício OPCA, o clima não está bom. Dias da Cunha aceitou o pedido de demissão de José Peseiro e de Paulo de Andrade (terá mesmo este pedido a demissão?) e no dia seguinte, demitiu-se, devido aos seus princípios.

Filipe Soares Franco é o presidente cooptado (onde é que já vimos isso?) e é o mesmo que defende um clube como o Sporting sem ecletismo e concentrado exclusivamente no futebol. Resolveu ir buscar Carlos Freitas de volta, assim como João Airoso e promoveu Oceano a treinador-adjunto. Eleições só serão em 2006, mas Luís Duque, talvez apoiado por movimentos de 1976, berra incessantemente por eleições e por voltar a um poleiro que já teve, fazendo relembrar um grande amigo de Dias da Cunha e que se prepara para assaltar a Presidência da República. As voltas que isto dá...

Em terras encarnadas, a confiança e o optimismo são as palavras de ordem para quem bufava contra o holandês inventor. Mas as respostas são sempre prontas e simples: "Não precisava de inventar! Bastava colocar os mesmos jogadores a jogar e está feito!". Eu para ser do contra (como ontem o inespugnabile me disse), continuo a pensar e a ter a ideia de que a esta equipa do Benfica falta um pouquito mais de ambição para poder dominar e controlar o jogo do princípio a fim e não ter de correr atrás do prejuízo. Já tinha corrido mal em Manchester e ia correndo mal em Vilarreal. Para desmistificar esta ideia só resta uma coisa: amanhã, frente ao E.Amadora só é preciso jogar bem e vencer!

No Freixo, o velho resignão lá teve de se socorrer do óbvio e ganhou a um Inter que parecia que estava a fazer um grande frete e que tem a noção óbvia que vai ganhar o grupo H com a maior das calmas. Assim, 'bora lá dar uma ajuda aos mais pequenos. Adriaanse também não inventou. Bem, voltou a meter novos jogadores, mas desta vez, no lugar certo. Ter na equipa um Marek Cech é diferente de ter um César Peixoto, ter na equipa um Pedro Emanuel é diferente de ter um Bruno Alves, ter na equipa um Paulo Assunção é diferente de ter um Ibson e jogar com 2 pontas-de-lança quando precisa de ganhar é bastante natural do que inventar constantemente. O resultado foi o que interessou, mas convém não esquecer que Figo enviou uma bola ao poste, e que Cambiasso e Favalli falharam clamorosamente oportunidades que poderiam dar outro resultado.

P.S.1 - A explicação para os 2 jogos de Bruno Alves foram dados por Leonor Pinhão na edição de ontem d'A Bola, ao afirmar que 1 jogo foi pelo pontapé e o outro pela cabeçada...

P.S.2 - A discussão do sumaríssimo a Petit é discutida hoje, mas o resultado só é conhecido segunda-feira. O futebol português está de igual forma para a função pública. Burocracia a mais, eficácia e eficiência a menos...

P.S.3 - O comportamento inanarrável dos adeptos do FC Porto no último jogo de quarta-feira para com Luís Figo, só vem demonstrar a pequenez mental daquela gente. Já no jogo inaugural do Euro 2004, Rui Costa tinha sido prendado. Só há uma conclusão a reter: dos jogadores internacionais que jogam nas grandes equipas europeias e que se dirigam ao Dragão, apenas Deco será imaculado...

Bruno Alves e Cia.

1 - Bruno Alves apanhar dois jogos é ridículo. Mas mais ridículo, muito mais, é que os bloguistas que tanto teclado gastaram a atacar Petit, que tanto atacaram o homem, agora ficaram calados - o melhor é dizer quietos -.
Eu sei qual o motivo do silêncio. Só que ainda não me apetece descascá-lo...
2 - O clássico das Antas ainda não foi analisado em rigor. Nem me parece que o vá ser. Na verdade, quem o quiser fazer tem de começar pela entrada do Benfica nas catacumbas do Porto. E isso envergonhará muita gente. Até o Sr. Comissário de serviço que queria expulsar os zelosos colegas que, imaginem, pretendiam evitar que a comitiva fosse agredida e injuriada. E o que dizer da fúria do Guarda Abel quando viu o aparato? Pelo menos, segundo consta, dois colegas levaram a mesma ameça que João Santos...
3 - Enquanto o pau vai e vem, folgam as costas. Pelo menos é o que o povo diz. Mas daí até querer que o pau bata nas costas, sem que o povo o veja... É o que se pode dizer do trabalho desenvolvido pelos escrupulosos - à sua maneira - seguranças da Charon, que "guardavam"os adeptos benfiquistas.

quinta-feira, 20 de outubro de 2005

Paulo Bento

Paulo Bento é um grande Benfiquista, filho de um grande Benfiquista - já falecido -, que vem de uma família de grandes Benfiquistas. Autuori preferiu Jamir e Capristano impediu que voltasse a casa. Desde aí, fez um percurso tranquilo no Sporting. De jogador a treinador da formação, granjeou o respeito de todos. Merece a oportunidade que lhe dão, desde que não seja encarado como treinador de transição.
Espero que comece, agora, a aprender a treinar, para, depois, colocar em prática toda a sua sabedoria no seu clube de sempre!

Em Villareal, com amor!

A viagem a Villareal correu conforme esperado. Além de viajar num grupo fantástico, que ia dos 18 aos 71, dormimos bem, comemos melhor e vimos o Benfica deixar de boca aberta as duas dezenas de milhar de adeptos do submarino "amarillo".
Apesar disso, comemos gato por lebre: o estádio do Villareal não tem condições para disputar a prova em causa (imagino o do Lille...) e os bilhetes que nos venderam não tinham correspondência real.
Quanto ao jogo, pouco há a dizer. Apesar do cepticismo do colega aqui do blog, Koeman preparou a equipa em consonância com as suas capacidades fisícas. Na primeira parte, dominámos, não permitindo que o Villareal triangulasse entre Riquelme, Jose Mari e Forlan. Criámos perigo suficiente, é certo, mas o nosso domínio era mais defensivo do que ofensivo.
Na segunda entrámos na expectativa. Depois de sofrido o golo, passámos a atacar em força e só por acaso não ganhámos.
Quanto a jogadores, e apesar da exibição de Nelson e do golo de Fernandes, Nereu esteve lá no cimo, junto aos deuses da juventude. Isso bastou-lhe.
PS - Um gajo está três dias fora de Portugal e o mundo parece voltar aos anos 80. O Porto ganha com sorte, Cavaco está na berlinda, o Sporting em crise técnica e directiva e o Conselho de Disciplina da Liga aplica DOIS JOGOS, repito, DOIS JOGOS - o mesmo que a Petit... -a um jogador que tentou matar um colega de profissão, em pleno campo.
PS 2 - Eu tinha dito que esperava trazer uma vitória e um empate. Depois de disputados os jogos, podia, perfeitamente, ter trazido uma goleada e uma vitória.
PS 3 - Têm razão. Confundi o Figueroa com o Jose Mari.

segunda-feira, 17 de outubro de 2005

Aguardam-se as críticas...


Foto: Gettyimages

Ronald Koeman, hoje em Vilareal, expressava o desejo de que "o empate já seria um bom resultado!".

Disso não há dúvidas. O Vilareal tem uma equipa forte, que está a recalibrar outra vez e jogadores como Figueroa, Forlán e Riquelme podem fazer a diferença a qualquer momento, para além de jogar em casa.

Mas o que mais me surpreende e é por aí que o adepto comum depois vai pegar é nas declarações do treinador. Afirmar-se contente pelo empate é meio caminho a apontar para a derrota. Em Manchester foi o que aconteceu. Esperemos que não se repita em terras espanholas.

Benfica!

Enquanto aguardo por vos contar outros episódios da recheada visita ao Porto, vai um pequeno comentário ao jogo.
O Porto, embora sem perigo de maior, dominou os primeiros 20 minutos de jogo. Tal como lhe competia, tentou sufocar o Benfica no meio campo, partindo, depois, para a ofensiva com 5 homens.
Durante esse período, Luisão, Anderson e Petit foram enormes, bloqueando, no momento certo, todas as triangulações, com cortes entusiasmantes.
Daí para a frente, foi tudo nosso!
A segunda parte foi vertiginosa. Primeiro o golo de Nuno Gomes, depois o domínio do meio campo, com um Karyaka absolutamente espectacular e Geovanni com um rigor táctico surpreendente. De seguida, o segundo golo de Nuno Gomes que, além de matar o jogo, quase me mandava para o Hospital de S. João...
Até ao fim do jogo, as claques do Glorioso trataram do resto. Desde olés a cânticos de guerra, passando pelo "campeões, campeões, nós somos campeões", de tudo se ouviu, sem resposta dos incrédulos adeptos azuis e brancos.
Entretanto, a confirmação daquilo que desconfiava há muitos anos: o Benfica levou ao Porto cerca de 35000 adeptos, que, com medo, se disfarçam de adeptos do Porto. A prova? As palavras de Co no fim do jogo foram elucidativas...
Por fim, a dupla tentativa de homicídio a Nuno Gomes, por parte de um sujeito chamado Bruno Alves. Luisão, que foi um assombro, imediatamente se abraçou ao colega de profissão, impedindo qualquer jogador benfiquista de reagir a quente, evitando, quem sabe, cenas dignas de um Western. Ao cabo e ao resto, quem sabe se a situação não foi planeada?
Quanto a essa matéria, sempre se dirá que Bruno Alves deve ser punido exemplarmente e sem atenuantes: aquilo que fez não tem desculpa!
Nuno Gomes, no entanto, devia saber que marcar 2 golos nas Antas tem as suas consequências, desde o tempo em que Pedros, grande jogador do Nantes, viu a sua carreira ser interrompida, num jogo em que deu um recital de futebol...
PS - hoje à tarde vou para Villareal! Dou notícias mal possa.

sexta-feira, 14 de outubro de 2005

Mais uma lesão, mais um prego para o caixão

É esta a vida de José Peseiro. Desde que deixou de contar com um preparador físico para a equipa sénior do Sporting (já ouvi adeptos sportinguistas a aplaudir a decisão) que a equipa não tinha tantas lesões como as que tem agora.

Tonel é o último caso. Se bem que se trata de uma lesão do foro urológico, a quantidade de lesionados no Sporting desta época é de arrepiar qualquer bom adepto.

Faz-me lembrar o Benfica do tempo de Bernardo Vasconcelos, em que a decisão foi óbvia.

O problema é que a bem da estabilidade e dos "processos técnicos", José Peseiro vai cavando o seu próprio túmulo e se há coisa que os treinadores têm de ser é serem perspicazes e não o contrário...

Por falar em arguidos!

Alguém sabe quantos foram (e já agora o resultado) os clássicos apitados pelo arguido?
Alguém sabe quantos são os arguidos do apito dourado?
Alguém sabe quem são os arguidos do apito dourado?
Alguém sabe quem era o chefe da associação criminosa?
Álguém sabe se o Ministério Público pretende acusar por associação criminosa?

Arguidos

Lucílio é arguido do apito dourado. A sua nomeação é sensata?

quinta-feira, 13 de outubro de 2005

Clássico

O clássico aproxima-se a uma velocidade vertiginosa. A preparação da viagem está a ser meticulosa, os cachecóis já andam fora do sítio e até o gato já percebeu que o Porto é o próximo destino do benfiquista lá de casa. De seguida, viagem para Lisboa, trabalhar até segunda-feira às 17, e saída para Valência, o porto de abrigo antes de Villareal. De volta a casa, espero trazer, pelo menos, uma vitória e um empate na bagagem. Pelo menos...
Vá lá que a minha mulher sabe o que se deve fazer pelo Glorioso!

Mundial

Scolari cumpriu o que lhe era exigido. E em Portugal nem sempre se perdoa a quem cumpre...

quarta-feira, 12 de outubro de 2005

O carrapau e a sarrdinha

A ligação dos dois escribas deste blog a Setúbal é grande. O inespugnabile passava lá as férias de Verão e foi lá que eu tirei o curso e me formei.

Como tal, foi notório nesse período de aprendizagem que não há adeptos como os do V.Setúbal, que vivem o clube como se fosse a sua vida, mostrando o verdadeiro amor e dedicação que deveria existir noutros casos. Recusam-se até mesmo a aceitar que sejam de outros clubes que não o Vitória.

Ao ver a situação desgraçada que o clube atravessa, nunca é demais averiguar certos aspectos que têm falhado na comunicação social:

- Quinito, o homem que queria Pedro Barbosa no seu quintal a jogar à bola e com quem comia muitos croissants, é o actual Director Desportivo do Vitória e ainda não lhe ouvimos uma palavra sobre a situação. Vergonha ou culpa?

- Chumbita Nunes tem sido um mártir e há-de continuar a ser. Desde administradores impostos por outros, a vendas polémicas, tem tentado de tudo para resolver a situação. Só não explicou onde foi parar o dinheiro da venda de Jorginho, Paulo Ribeiro e Sandro ao FC Porto...

- Jorge Goes é outro dos mesmos. Deixou o Vitória na penumbra, quase na bancarrota, com negócios pouco ilícitos (Paulo Ferreira é um caso) e saíu de cena como se nada fosse com ele...

- E as gentes de Setúbal? Não precisam de ser da cidade, que vai caíndo aos poucos e que o autarca comunista apanhou-a quase na bancarrota devido aos desvarios de Mata Cáceres. Não precisa de ser gente de Setúbal a apoiar o Vitória, mas sim gente do Distrito, do Concelho, que tornem o Vitória na bandeira de uma região tão bela como é a da Costa Azul. É esse o futuro do Vitória e não o de arranjar fundos em Londres, Berlim ou Tasmânia...

Oportunidade

Pinto da Costa falou ontem. De duas formas diferentes, está claro, mas falou.
Primeiro juntou os seus amigos jornalistas numa espécie de conferência de imprensa. Ninguém lhe fez perguntas incómodas, claro está. Sobre o que disse, reservo o silêncio.
Depois - ou antes, que tanto faz -, emitiu um comunicado, criticando a demora na decisão da Liga sobre Petit - decisão essa que, olhando para o que foi dito pelo Papa, só pode ir no sentido da condenação -.
Não vou perder tempo, nem latim.
Só relembro que quando o Conselho de Justiça da Federação tem de revogar decisões do Conselho de Disciplina da Liga, acontece sempre o mesmo: em caso de serem jogadores do Porto, a decisão vem num ápice e em tempo, em caso de serem jogadores do Benfica a demora não permite decisão em tempo útil. Só a título de exemplo, relembramos o caso Benni e o caso Von Hoijdonk. Duas decisões iguais, com uma nuance: uma veio a tempo e a outra não.

terça-feira, 11 de outubro de 2005

No mínimo, curioso...

O facto do FC Porto deixar de enviar os seus recados pela voz do Papa. Agora, refugia-se nos departamentos jurídicos e intercede junto da Liga por uma punição de um jogador de uma equipa que o irá enfrentar na próxima jornada.

Acontece que o sistema é novo e irá abrir um precedente muito grave. Todas as semanas irão haver sumaríssimos com o intuito de prejudicar o próximo adversário e não castigá-lo pelo que fez no jogo anterior.

P.S. Jorge Costa e Pedro Emanuel estão recuperados para o jogo de Sábado. Benny McCarthy e Moreira são as dúvidas. Tabus de sempre em semana de derby. No entanto, será que Bruno Alves e Ricardo Costa irão manter a titularidade que tão bem têm desempenhado?

P.S.2 - Em Alvalade, são os jornalistas que definem, dia após dia, o futuro da equipa do Sporting e do seu treinador. Dia após dia, erram nas previsões que esbarram nas palavras de Dias da Cunha. Até quando?

Grito!

E o grito que eu mandei quando Akwá marcou o golo?

Derrota?

A comunicação social portuguesa sofre de amnésia. De amnésia colectiva.
Relembro que há um ano e meio Pinto da Costa, no seu jeito ameaçador, garantiu que Rui Rio seria derrotado nas eleições autárquicas de Outubro de 2005. Disse mais: através de si ou de outrém, com o seu apoio declarado, Rio tinha os dias contados.
Ninguém vai pedir ao homem que comente as suas próprias palavras?

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

O que é mais importante?

- A capa d'A Bola (já o inespuganbile disse) é lamentável, para não lhe chamar outra coisa... Fazer de Miccoli o principal motivo de compra só a faz perder na luta com os tablóides que se tornaram os jornais desportivos portugueses...

- Ao invés, no Record, a resma é do mesmo, evocando Scolari chateado e com vontade de sair da selecção, por problemas com Madaíl. Pudera! Se tivesse nas mãos uma proposta tão tentadora do Dínamo de Moscovo (obrigado, Eugénio) também quereria sair "chateado"!

- O Jogo, mostrando ser imparcial como sempre é (os exemplos do Pato e de António Tavares Teles é exemplo disso), revela os resultados de uma sondagem em que os leitores do jornal dão a vitória clara e inequívoca ao FC Porto no próximo derby de Sábado. Para o Jogo e para os seus leitores, desejo as melhores felicidades. Para mim, espero uma bofetada daquelas...

P.S. - Amanhã conhecer-se-á o árbitro para o jogo. Aceitam-se apostas...

E até parece uma derrota...

Os candidatos autárquicos que são arguidos do "apito dourado" ganharam nas autarquias em que concorreram.
Há, no entanto, arguidos associados a candidatos autáquicos que perderam. Tristes na desgraça alheia, pela falta de coragem no momento.
Apanágio da incompetência?
Não!
Neste blog, de uma forma ou de outra, seja no Seixal, Guarda, Freixo, Sesimbra, Barreiro, Redondo, Lisboa, Porto, Beja, Évora, Matosinhos, Palmela ou ... vota-se sempre na mesma ideia.
Ainda que para isso a "gente" se chateie.
Mas a derrota de Pinto da Costa fica no registo. Embora esteja "Salgado" em Gaia, com Cervan na sobremesa...
PS - 1 - A "A Bola" de hoje devia envergonhar-se da primeira página. Eu envegonho-me enquanto leitor.
PS - 2 - Em Matosinhos houve boguistas que intervieram. Se o disseram no blog, que assumam a derrota!
PS - 3 - Vou às Antas por 20 Euros. É barato e espero o contraditório. Muito obrigado!

sexta-feira, 7 de outubro de 2005

Navegando

1 - Em véspera de eleições autárquicas, o candidato da Nova Democracia à Câmara do Porto anunciou o apoio de Pinto da Costa. Sabendo que já tinha o apoio do PPM, o sujeito corre o risco de conseguir aquilo porque se lutou durante toda a Idade Média: a reunião, numa só pessoa, do poder terrestre com o poder espiritual. Junta-se o Rei e o Papa, e a salada mista está conseguida.
2 - Mas o apoio não é inocente. A possível vitória com maioria absoluta de Rui Rio esfumou-se no nevoeiro do Douro. Francisco Assis está a aproximar-se e perspectiva-se uma contagem voto a voto. Logo, o apoio de Pinto da Costa a uma candidatura de direita não é inocente. Nada inocente.
3 - Entretanto, decorreram 6 dias desde o escândalo do Funchal. Reacções? Nenhuma. Recordo, agora, com alguma emoção a véspera de um Porto-Benfica, disputado no primeiro ano completo de Mourinho no Porto. A equipa do Benfica disputou, três semanas antes, um jogo com o Moreirense, em Braga. A quinze minutos do fim do jogo, o árbitro marcou um penalti por falta de Primo (seria?) sobre o malogrado Fehér. O penalti, algo duvidoso, foi marcado por Simão, dando a vitória ao Benfica por 3 a 2. Nas semanas seguintes, e na véspera do clássico, Mourinho, Faria e Baltemar Brito, sucessivamente, referiram o episódio em conferências de imprensa. Mourinho, ao lado de Pinto da Costa, chegou a referir que o episódio era o maior escândalo a que assistira, uma vez que nunca tinha visto um árbitro a marcar um penalti a "40 metros do lance" (sic). Escusado será dizer que, nesse jogo, o Benfica foi altamente prejudicado. Sabem por quem?
4 - Eu sei que são os "mind games" de Mourinho. Mas com o beneplácito da direcção do clube do Freixo. Não há, assim, razão para, na véspera de um importante Porto-Benfica, e quando a equipa portista tem sido levada ao colo (recordo que já 5 jogadores foram impedidos de defrontar o Porto, em 6 jogos - recorde mundial?, guiness book? -, em Braga esqueceram-se de assinalar dois penalties contra o Porto e na Madeira foi o que se viu), a direcção do Benfica estar calada. Eu não peço um João Malheiro. Peço, apenas, que abram os olhos e ataquem cirurgicamente e onde mais lhes dói: processo "apito dourado" e as provas de um escândalo de corrupção ao nível de uma "operação mãos limpas", que tem sido abafado.
5 - É que quem não se sente, ...
6 - Noutro lado, mais precisamente em Alcochete, tem havido fenómenos do Entroncamento. Hoje soube-se que não foram só os capitães e a equipa técnica a dialogar com as claques. Um administrador decidiu convidar membros das mesmas para um jantar. Ora, ou eu não percebi bem, ou isto está de pantanas.

quinta-feira, 6 de outubro de 2005

quarta-feira, 5 de outubro de 2005

Decisão ilegal

A decisão da Liga de instaurar um processo ao jogador Petit é, claramente, ilegal.
Na verdade, o árbitro viu a infracção e puniu-a com pontapé livre directo. Se não admoestou o jogador, tal deve-se a um erro de análise e não por não ter visto a infracção. Ora os regulamentos da liga são claros: o recurso a imagens para punição disciplinar só pode suceder quando o árbitro não vir o lance.
Vamos a factos:
O jogador Petit devia ter sido expulso? Sim. Sem sombra de dúvidas.
O jogador Petit devia ser castigado? Por lei, não devia nem podia. Sed lex, dura lex.
Mas o clube, através do departamento de futebol, tem o dever de punir atitudes acéfalas, como as de Petit, e suprir o erro da equipa de arbitragem. É que eu não me esqueço quando Deco mandou Petit para o estaleiro... sem que ninguém, então, reclamasse de forma vigorosa!

terça-feira, 4 de outubro de 2005

A ser verdade...

que os dirigentes leoninos abandonaram, na noite de segunda-feira, o grupo de trabalho que chefiam, é caso para dizer que o Sporting está entregue à bicharada...

segunda-feira, 3 de outubro de 2005

Não ser faccioso...

É saber reconhecer que Petit deveria ter sido expulso por uma entrada bárbara sobre Targino, já na segunda parte.

E é não ser faccioso, porque o V.Guimarães saíu prejudicado. O faccioso depois argumenta que Medeiros pisou Petit, mas esquece-se de que se Petit não estivesse em campo, não seria pisado...

Além disso, o último lance da partida, num livre a favor do V.Guimarães, quem é que corta a bola que se dirigia para a baliza? Petit!!!

O mais estranho é ouvir Jaime Pacheco a não se pronunciar sobre esses temas e ouvirmos um Targino desejoso de explicar a sua revolta.

Para além disso, espero bem que a putativa imprensa desportiva nacional enalteça o bom jogo dos jogadores do V.Guimarães (treinado por Pacheco) e não enfatizar o mau jogo do Benfica. Temo que será este o tema de amanhã...

Pacheco mostra que afinal, não é tão mau treinador como o pintam. Afinal, o homem já foi campeão...

O boi preto, o boi branco e "la mierda, ou as semelhanças entre um queijo flamengo e uma botifarra catalana"!

I - Koeman foi claro e evidente (para não dizer clarividente): Peseiro, quando me derrotou, era o melhor do mundo; agora, que perde contra tudo e contra todos, é "una mierda"! Aproveitou e disse mais: os senhores (jornalistas, penso eu) são muito oportunos.
Koeman, que disfarça uma arrogância singular por trás do simpático ar de queijo bola (o que deve fazer a inveja do Eng. Campelo), disse, sem o dizer, tudo. Disse que cá, um boi preto, amanhã, é branco. E se assim é, presume-se que se um boi é branco, amanhã é preto. Ou pode ser.
Não compreendo Koeman. Mas compreendo o que quis dizer: Peseiro, nas vésperas do clássico dos clássicos, defendeu Koeman, o treinador do seu clube de coração. Defendeu e pediu tempo, o tempo que "não me quiseram dar". Koeman, quando sabe que o seu colega Peseiro atravessa o cabo das tormentas, retribui o abraço, criticando quem não merece criticar.
Esta dialéctica constante entre treinadores e jornalistas, começa a agradar-me. Não só porque preenche as páginas dos jornais, e sempre justifica os 70 cêntimos, mas, acima de tudo, porque dá luz ao eterno desejo de qualquer escriba: ser treinador.
II - Enquanto os treinadores dos grandes de Lisboa se mimam, o Sr. Adriaanse foi à Madeira e ganhou o jackpot. Ao intervalo, se o Sr. Dr. Duarte Gomes actuasse com rigor, tinha três no pacote. Se Manduca acertasse com a baliza, levava mais duas. Logo, podia ter ido para as cabines com cinco a zero. Não foi e pode agradecer a Duarte Gomes.
Para mais, logo que os madeirenses empataram, o Sr. Dr. lembrou-se que com dez também se pode ganhar. Não fosse o diabo tecê-las, vai mais um dos locais para o balneário. Nada a dizer: o Sr. Dr. é madeirense e, segundo se diz, "águia de prata". Vive, por acaso, na capital, mas deve ter aproveitado o fim-de-semana na pérola do Atlêntico para visitar os tios, os avós, primos e afins. Durante a noite, é quase certo, não saiu de casa...
Como poderão vir dizer que beneficiou o Porto?
NB - 5 jogadores expulsos na véspera de jogos com o Porto, dois penalties em Braga, um penalti e um golo mal anulado na Madeira. E ainda isto vai na sexta jornada...

De que sistema é a culpa?



Do 4-3-3?

Do 4-4-2?

Dos adeptos?

Do amor ao clube?

Do que é, afinal?

Eu continuo a dizer...

Que não sou de intrigas, mas existe um penalty e um golo anulado a favor do Marítimo que o "Águia de Prata" Duarte Gomes não assinalou, esta noite, nos Barreiros???

domingo, 2 de outubro de 2005

Desculpas de mau pagador...

Ronald Koeman, depois de ter dito "merda" na conferência de imprensa (um escândalo...), veio argumentar que o calendário da Liga BetandWin.Com é desfavorável ao Benfica, porque tem sempre paragens antes de encontros importantes.

Duas questões muito simples:

- Não tem o Benfica de jogar contra todos os clubes?

- Não tem o Benfica e o seu treinador que ter uma estratégia de metodologias de treino para essas situações?

sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Adriaanse ou a imgem de um ditador?

Co Adriaanse tem um defeito de personalidade: o autoritarismo.
Além de se portar como um pequeno ditador, pensa que todo o Porto deve girar à volta do seu ego.
Não se pense que estas palavras são escritas só por causa da conferência de imprensa de hoje. Nada disso. Melhor, longe disso. Essas palavras são um aviso ao público, e o público fará com elas o que bem entender - Jupp Heynkes disse e cumpriu.
O problema do Sr. Adriaanse é outro e advém da sua estreita ligação ao Mr. Co. Ou seja, Adriaanse está tão cheio de si mesmo, que é capaz, seja por vaidade ou por mera demonstração de poder, de ultrapassar tudo e todos, rumo ao objectivo final. Pinto da Costa sabe bem do que aqui se escreve, ao cabo e ao resto, é o inventor desta forma de sucesso: sempre ao ataque.
A título de exemplo, se a equipa do Porto não está preparada para jogar em 2-3-5, que aguente e se prepare, porque Adriaanse assim quer. Ainda que nenhuma equipa do mundo jogue dessa forma desde o tempo do primeiro Mundial. E quem a deve preparar? Adriaanse não é de certeza. Eles já sabiam para o que vinha, antes de vir. Os jogadores que se adaptem. Se quiserem.

E porque hoje é sexta-feira...

O país está de ressaca! De 4 equipas que poderiam estar na fase de grupos, apenas está 1 e a que pior classificada está na Liga BetandWin.Com.

Parece um bocado estranho chegar-se a este tipo de conclusões, mas esta é a realidade.

Em Alvalade, o descalabro aconteceu. Confesso que não vi o jogo, vi apenas os golos e pela amostra, a baliza do Sporting continua ao mesmo nível: medíocre para uma equipa com grandes ambições. A saída precipitada de Nélson fez com que o Halmstads fizesse o empate na eliminatória e colocasse sobre brasas uma equipa que ferve por pouco... Resultado final: a cabeça de Peseiro foi pedida novamente, a confiança foi retribuída pela SAD novamente e há uma Assembleia Geral hoje que deverá ser escaldante...



Em Braga, repetiu-se o filme da época passada. Depois do empate a 0 fora, o Braga cria um estigma em que não consegue ganhar em casa. Só empata e com golos, o que lhe provoca desvantagem directa. O Estrela Vermelha fica a dever a passagem ao seu guarda-redes, que "engatou" e fez com que seguisse em frente, prontos a disputar os jogos de grupo num estádio vazio, em Belgrado. Por isso talvez se expliquem melhor os confrontos no final da partida...



Na Polónia, Saganowski fez ouvidos de mercador e carimbou a passagem do Vitória de Guimarães para a fase de grupos. Este Vitória é um pouco atípico. Na Europa, comporta-se decentemente e em casa é o que se vê, com 4 derrotas e 1 vitória...



Por falar em Vitória, o outro, o de Setúbal, segundo rezam as crónicas, efectuou uma boa exibição em Génova, frente à Sampdória. Para quem tem salários em atraso, a honra serve de pouco, num mundo onde o dinheiro impera e as vontades próprias são esquecidas...



P.S. Erro grave da comunicação social portuguesa a de não acompanhar os festejos em Guimarães e no Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Segundo vários relatos, eram 1000 no Aeroporto e mais 5000 na cidade. No entanto, nada se soube, o que é pena. A informação tem de estar destinada a todos e não só áqueles que vendem...

Fotos: Gettyimages

Jornada europeia para esquecer!

1 - Peseiro, aos 30 minutos de jogo, é filmado pela câmara da Sporttv. Está de pé, encostado a uma das extremidades do banco. Mão à frente do queixo, olhos fixos na bola, e, levemente, denuncia todo o seu pensamento em suaves palavras que se detectam nas imagens: foda-se, foda-se, foda-se. Aos 120 minutos de jogo, todo o público diria o mesmo.
2 - Jesualdo Ferreira, aos 93 minutos de jogo, vê a sua equipa conquistar um livre na zona frontal. Jaime Jr pega na bola e guarda-a debaixo do jersey. Jesualdo berra para Rossato: és tu que marcas! Jaime faz que não ouve. Pega na bola e dispara, perante a impotência de Jesualdo. Se fosse eu o treinador, a equipa B estaria à sua espera.
3 - Minuto 92, Génova. A equipa do Vitória, depois de 10 minutos de pressão, ganha um canto. Moretto sobe à grande área. Canto marcado, a bola sobrevoa o aglomerado de jogadores da Sampdória e Binho, quase à vontade, despediça evidente oportunidade de golo. Um minuto depois, o jogo acaba. Os jogadores do Vitória, que não recebem há demasiado tempo e que viram o seu treinador ser criticado, abruptamente, por ter saído em defesa do seu grupo de trabalho, saem sobre um aplauso unânime dos 25000 tiffosi da Sampdória. A verdade, no entanto, é que a honra não alimenta o corpo. E o Vitória está em crise...
4 - Salva-se o Vitória Guimarães!

quarta-feira, 28 de setembro de 2005

Artmedia

O treinador do Artmedia percebeu o que tinha de fazer para ganhar no Porto: "eu sabia que os laterais do Porto subiam ao mesmo tempo". Isto, diga-se, numa equipa que já não tem Costinha.
Se se lembrarem, o Porto de Mourinho jogava num 4-4-2 (muitas vezes em 4-5-1, com Carlos Albero a subir em apoio ao avançado centro), com 3 defesas que não subiam - normalmente Ricardo Costa ou Nuno Valente, Jorge Costa e Ricardo Carvalho - e Costinha a fazer a primeira linha de cobertura defensiva.
Hoje o Porto joga com Ibson e Lucho, dois jogadores bons (melhor, Lucho é muito bom...), mas que não sabem jogar na cabeça da área. Reparem na presença de Ibson na falta que origina o terceiro golo dos eslovacos.
Depois, Peixoto pouco defende e Bosingwa não é lateral - nem nunca o será, sendo, no entanto, o melhor substituto de Costinha -.
Assim, uma equipa que jogue em contra ataque, que saiba defender e que seja paciente, corre sérios riscos de ganhar ao Porto.
Por fim, uma nota para Pinto da Costa: que tal ir ao mercado arranjar substituto para Ricardo Carvalho e Costinha? Provavelmente tiveram tanta importância no ceptro europeu como Mourinho...
commenting and trackback have been added to this blog.
commenting and trackback have been added to this blog.

Koeman

Não consigo dizer mais nada.
commenting and trackback have been added to this blog.

Outono

Com a entrada em cena do Outono, o Mister D actualizou o cenário em que se escreve. Fez bem. Fica menos verde e mais melancólico: as grandes vantagens da estação que vivemos.
PS - em Manchester estiveram os melhores adeptos do mundo. Gritaram do princípio ao fim e elevaram o nome do Glorioso. Obrigado a todos os presentes.
PS 2 - em breve recuperaremos a caixa de comentários do Haloscan. Não queremos perder as pérolas que lá gravitaram.
NOTA: foi impossível recuperar os comentários. Paciência, a minha memória não me atraiçoará!