quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Se JJ tivesse um DeLorean...

Adversário encostado às cordas e uma cascata de oportunidades. 15 minutos destes na Escócia talvez nos tivessem garantido o apuramento para os oitavos-de-final.

8 comentários:

Edson Arantes do Nascimento disse...

Exacto... Quer dizer, o único clube que venceu na Escócia (na Liga dos Campeões) foi o Barça. Uma única vez. Este ano perdeu lá - quando o Querido Manha dizia na crónica ao jogo, que Spartak e Barcelona não teriam problemas em "golear" no Celtic Park.

Falamos do primeiro jogo da série de grupos. Dias (dois ou três) depois de se ter vendido de uma assentada dois dos principais jogadores da equipa. Com o Maxi castigado - jogou o André Almeida. E foi excelente, que grande jogo fez o miúdo.

A partida foi equilibradíssima e, se calhar, a haver um vencedor era o Benfica (Rodrigo isolado e uma grande defesa na segunda-parte do guarda-redes deles, depois de um canto). O Celtic teve muito poucos lances de perigo.

O problema do Benfica foi na Rússia. Mau jogo. Péssimo score. Mas aquele primeiro resultado foi excelente, como se comprova pelo resultado de terça-feira.

Mas ok, continua lá na masturbação mental de malhar no Jesus por tudo. E por nada. Um dia vais acordar e dizer: "Foda-se, que saudades do JJ".

Astutillo Malgioglio disse...

Oh Edson pa, se a minha intenção fosse malhar no Jesus eu fazia um post a recordar as palavras dele a propósito dos lances de bola parada e punha o vídeo do golo do Samaras. Ou fazia um post sobre o facto de ele não gostar da dupla atacante que melhor tem resultado no Benfica 2012/13. Se o Benfica ontem fez o que fez é por mérito do Jesus. Eu não sou ingrato como tu há dias insinuaste, mas também não alinho em amens colectivos. E quando não concordo, assumo. É que eu já tenho saudades do JJ! O JJ que tentava dar um mínimo de equilibro à equipa, que procurava o espectáculo mas estabelecia metas defensivas, que acreditava na dimensão colectiva d euma equipa e não metia as fichas todas nos impetos individuais, que achava que os títulos eram importantes para a avaliação do trabalho dele. Esse JJ vai aparecendo mas nem sempre se estabelece. E o que eu quero é que esse JJ regresse em definitivo.

Quanto ao Celtic, sim, historicamente tens razão. Historicamente o Benfica fez um bom resultado porque pela primeira vez não perdeu. Mas o historicamente vale o que vale. Queres um exemplo? Eu acho o resultado frente ao Barcelona perfeitamente normal. Mas se fosse pela História aproveitava para masturbar-me mais um pouco e escrevia que nunca tínhamos perdido com o Barça em casa. Mas isso não faria sentido nenhum. Eu limito-me a olhar para o ecrã. Como tu dizes na Russia jogámos pessimamente. Portanto eu posso fazer muitas criticas mas não há volta a dar. A equipa jogou tão mal que nem vale a pena falar de outro resultado. Mas na Escócia ficou no ar aquela imagem de um Benfica que não quis forçar. Mas que se o tivesse feito na recta final tinha destroçado os escoceses.

Abraço pa!

Astutillo Malgioglio disse...

E o título é aquele porque aposto que se o JJ tivesse oportunidade de voltar atrás teríamos conquistado os 3 pontos.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Só tu é que acreditas que alguma equipa pode "destroçar" os escoceses, no Celtic Park, na Champions. Só tu.

É que nem o Guardiola acredita nisso. Nem o Monty Phyton acredita nisso. Chega a ser ridículo. (E acima ainda me esqueci da falta do Luisão, que viajou, mas já não jogou na Escócia. Jogou o Jardel - e fez um grande jogo.)

Quem fez um post insidioso, insinuoso, de forma gratuita, abjecta, nojenta e completamente desalinhada em relação ao actual treinador do Benfica - foste tu! Não fui eu. Está ali em baixo. Ninguém me deixa mentir.

Estamos a falar de alguém que ganhou mais jogos do que o Bela Gutman (para o campeonato). Vê lá se acordas, rapaz.

Também não percebo o argumento do colectivo, e do caralho-a-quatro, numa época em que o Benfica não sofre golos para o campeonato há seis jogos. O JJ é perfeito? Pois claro que não é. Devia ter ganho mais títulos? Pois claro que devia. Pelo menos o do ano passado, que esteve nas nossas mãos.

A partir daqui (que já é alguma coisa, reconhecidamente) não estou a ver por onde se possa criticá-lo.

Desculpa lá: mas fico mesmo fodido com estas merdas. Sempre fiquei. E sempre mandei, desde miúdo, mesmo no estádio ou onde fosse, vários benfiquistas para o caralho por causa destas atitudes.

Isto não é nenhum ámen colectivo porque o Jesus nunca o teve, no Benfica. E eu não sou religioso, mas tenho olhos na cara e lembro-me muito bem (tenho esse problema, se calhar) do que era o Benfica há três anos atrás e o que é agora.

Nas últimas três épocas e meia o Benfica é, resumidamente, isto: quem abre as pernas arrisca-se a levar quatro ou cinco batatas. Em casa ou fora.

Mérito do Jesus! O meu Benfica é isto. Sempre em cima deles. Com qualidade e organização quase exemplar. Ganha sempre? Não. Mas está muito mais próximo disso...

Astutillo Malgioglio disse...

Insidioso Edson? Nem eu me levo tão a sério para achar que o meu post resulte numa qualquer cilada ou conspiração.

Aquele post é muito simples meu caro: alguém conquistou um título e a primeira coisa que fez foi exigir uma revisão salarial para não rumar a outras paragens. Isso parece-me bem mais insidioso. Agora que está no top 15 dos vencimentos acha que não deve ser avaliado pelos títulos? Pois eu defendo o contrário. Acho que um treinador do Benfica deve sempre ser avaliado pelos títulos. Ainda mais quando apresenta uma folha salarial daquelas.

Pa, olha que estou longe de ser o único a achar que se o Benfica tivesse forçado na recta final tinha destroçado a estratégia escocesa e pelo menos um golo teria surgido. Tens muita gente aí na blogosfera que escreveu isso na altura e pouca gente ouvi na Luz a defender que era um bom resultado. Pelo contrário.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Sim sim, insidioso, abjecto e nojento. Escrevo quantas vezes quiseres. Acho que toda a gente percebe porquê.

Se tu achas que um treinador do Benfica deve ser avaliado pelos títulos (e apenas isso) é um problema teu. Não é um problema meu.

Só te devo lembrar que as coisas não funcionam assim. Podia discorrer aqui uma série de razões. Mas, infelizmente, não vale a pena.

Os teus amigos comentadeiros estão ao nível do Querido Manha. Também já te expliquei em cima porquê. São os onanistas da bola.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Ah - eu não discuto salários. No caso do Jesus, até me parece um valor exagerado. Mas não muito. Já disse em diversos locais que se fosse presidente estaria a negociar a renovação de contrato há algum tempo: mas provavelmente o salário seria o mesmo.

Há outras formas de compensar bons desempenhos, sendo que o salário já é muito bom.

Para mim, caríssimo e sem justificação plausível foi o Zoro. 200 mil/mês! FODA-SE! E o Luís Filipe. E o Shaffer. E o Kikas Flores. E o Patric.

No entanto esta argumentação em relação ao JJ é tão insidiosa, tão fora de tom, tão anormal, que depois ninguém se lembra de dizer (deves ter esquecido, eu percebo) que o homem quando veio para o Benfica veio com o mesmo salário de Braga. Pelo menos foi o que disseram na altura. 50 mil euros. Foi ou não foi?

E prometeu uma coisa: que os jogadores do Benfica iam jogar o dobro, ou mesmo o triplo, do que jogavam. Não prometeu mais nada. Cumpriu tudo - e foi campeão de forma espectacular.

Querias que o homem fizesse o quê? Baixasse as calcinhas para lhe lavarmos a bunda com 50 mil euros? Tu não querias que ele ficasse, naquela altura?

Então estamos a discutir o quê? Clubites? Sonhos? Destroçar o Celtic, para a Champions, em Glasgow? Ou aquilo que é o Benfica actualmente e o trabalho do Jesus no clube?

Falamos de alguém que venceu mais de 75% dos jogos do campeonato. Não é um marmanjo qualquer. Desculpa lá. Não estamos a falar do Fernando Santos.

Astutillo Malgioglio disse...

Como tu sabes eu fui sempre contra a vinda de Fernando Santos. Ainda antes de ele ser apresentado já era contra. E nunca o escondi. Também critiquei, desde a primeira hora, o vencimento do Zoro. E eu até achava (e quanto me enganei) que ele iria ter muita utilidade desportiva. Mesmo assim achava que não justificava a folha salarial. Portanto não compreendo para onde caminha essa argumentação. Apenas te digo que o denominador comum a esses todos que apontas e Jesus é o mesmo: Vieira. É o Presidente, é ele que tem que assumir as decisões e os investimentos feitos. Estarás de acordo, penso eu.

Obviamente que não era contra a revisão salarial do Jesus. Uma coisa é estar contra um ordenado obsceno (que o é), outra é não reconhecer que o homem merecia uma revisão contratual. Claro que merecia! Dentro dos limites da razoabilidade.

Pa, estamos aqui discutir o que tu queres discutir. A conversa tem ido para onde tu a queres puxar. Eu limito-me a repetir que se o JJ tivesse uma máquina do tempo, teria agido de outra forma em Parkhead. É a minha convicção e é isso que expresso no post. Isso e, indirectamente, um elogio à exibição da Luz.

Agora vê lá é se avisas quando cá vieres que discussões destas eu prefiro cara a cara e com uma cerveja na mão. Até porque a minha actual área de residência é aquela que outrora habitaste.

Abraço pa!