quinta-feira, 31 de outubro de 2013

10 anos

Faz hoje 10 anos que Luís Filipe Vieira é Presidente do Sport Lisboa e Benfica.
10 anos que foram marcados por aspectos positivos, mas também por aspectos negativos.

10 anos que serviram para ainda não haver um discurso coerente com as acções. Quando se diz que há podridão no futebol português e as pessoas responsáveis sabem, nós, pela lógica, não deveríamos apoiar depois essas mesmas pessoas em lugar de destaque e extrema importância no futebol português. Chama-se a isso coerência.

10 anos em que o Presidente do Sport Lisboa e Benfica disse inúmeras vezes que não percebia nada de futebol. No entanto, ainda antes de ser Presidente, já tinha sido o responsável pelo departamento. Depois chamou José Veiga, depois chateou-se com Veiga e voltou novamente. Depois veio Rui Costa. Depois não quis Rui Costa. E agora, nem se sabe sequer quem toma conta do mesmo departamento. Se o Presidente, se o treinador, se Rui Costa, ou o macaco Adriano...

10 anos em que se fomentou o culto de "ou eu ou o caos", aludindo a tempos passados. Curiosamente, vindo da mesma pessoa, que em negócios paralelos com o principal rival do Benfica (aquando da sua passagem pelo Alverca), desfalcou o supostamente "clube do coração", ao servir de plataforma giratória de jogadores para o FC Porto.

10 anos em que se investiu como nunca em plantéis de futebol com um potencial imenso de vitória, mas onde se facilitou no mais óbvio: na organização da estrutura a acompanhar. Ponto fulcral para o crescimento sustentado de um clube de futebol, numa competição sempre desvirtuada e onde é preciso actuar e agir de outra forma.

10 anos onde se transformou o Benfica clube numa organização com cabeça, tronco e membros. Faltando no entanto, no pormenor essencial. Dotar a organização de benfiquistas. Gente que ame o clube e que o queira ver a crescer e a ganhar. Preferiu dar lugar aos "profissionais", despidos do fervor clubístico tão importante nos pequenos detalhes da tomada de decisão que é preciso ter aquando de determinadas soluções.

10 anos onde se continuou a fomentar o ecletismo do clube, com a manutenção das diferentes modalidades, mas onde a estratégia tem sido similar como no futebol. A ausência de estrutura organizativa que possibilite ao Benfica ter condições para vencer as principais competições anualmente e não de vez em quando.

10 anos onde vimos nascer o Caixa Futebol Campus, onde em cada ano, o discurso pela inclusão dos jovens jogadores do Benfica é sempre uma realidade, mas num Universo muito paralelo, onde os mesmos jogadores são cedidos a outros clubes, em detrimento dos estrangeiros carregados de comissões.

10 anos onde me recordo de ter visto passar pelas Assembleias Gerais do Sport Lisboa e Benfica todo o tipo de comportamentos que violam a história e os valores do clube. Onde os "seguranças" voltaram, depois do tempo de Vale e Azevedo, onde o Presidente da Mesa da Assembleia Geral interrompe os sócios que não gosta de ouvir, ou onde até o próprio Presidente promete "porrada" aos sócios, mostrando não ter nem capacidade argumentativa nem capacidade de razão crítica, quando as coisas estão mal orientadas.

10 anos onde nunca votei neste Presidente do Sport Lisboa e Benfica. Votei sempre em branco. Consciente do que fiz. Consciente do meu amor pelo clube e das minhas ideias e princípios para o mesmo. Consciente de que faz falta mais. E melhor.

Viva o Sport Lisboa e Benfica!

2 comentários:

luis disse...

Ora só tenho que reflectir, que faço das tuas letras, minhas. Alterando o ultimo paragrafo.
Não por causa do o meu voto branco.
O fim de 2003, transformou-se numa promessa...tempo.
Sad...icamente cá vou assistindo aos "tiros nos pés" na Cultura Desportiva, a troco do gigantesco passivo.

Vivas ao Benfica Todos os Tempos.

POC disse...

Respect.