segunda-feira, 4 de agosto de 2014

E o BI aqui tão perto (II)...

Ideias principais do primeiro post:
Lógica sustentada do plantel:

  • Manter os melhores o maior tempo possível (num máximo de 10 jogadores de topo)
  • Segundas linhas complementares e com possibilidade de retorno financeiro
  • Formação com os melhores executantes para colmatar o plantel
Começar a acabar com a hegemonia do FC Porto:
  • Mantendo os melhores jogadores no clube
  • Vencendo as competições, a BTV aumenta o número de subscritores e é capaz de adquirir mais e melhores conteúdos para o canal e mesmo para o clube, em termos de retorno financeiro

E o que é que o Benfica fez? Precisamente o contrário.

A exemplo de anos anteriores (este ano não é uma excepção, ao contrário do que querem fazer crer), o planeamento desportivo do Benfica é sempre feito no limbo, sem percepção do que representa de vez, acabar com o domínio do FC Porto.

Em anos anteriores, durante a pré-época, o carregamento de jogadores tem sido uma constante (média de mais de 10 por época), o que faz com que não haja planeamento que resista a esta tentação vã de encher os bolsos às custas das comissões que se praticam nas transferências.

Olhemos para 2005/2006, a época após a saída de Trapattoni e termos sido campeões nacionais após um interregno de 11 anos. As entradas no plantel do Benfica foram as seguintes: Alex, Beto, Marco Ferreira, Manduca, Marcel, Karagounis, Miccoli, Robert, Anderson, Leo, Karyaka, Nelson, Moretto, Manú e Fonte. 15 contratações durante a época, sendo 5 delas em Janeiro. De todos estes nomes, gostava que que dissessem um que tenha sido proveitoso para o Benfica em termos financeiros:
  • Alex (veio para defesa direito, mas nem aqueceu o lugar. Rapidamente foi para o Wolfsburgo)
  • Beto (Ficou conhecido pelo golo que marcou a van der Saar na Luz, frente ao Man Utd,  no jogo do "pirete" do Ronaldo. Se formos a ver o que ele custou e o que possibilitou com a presença nos oitavos-de-final da Champions, terá sido dos poucos que o retorno financeiro, olhado assim pelo frieza cruel dos números tenha cumprido o objectivo)
  • Marco Ferreira (contratado para ser o "bufo" do Veiga no plantel)
  • Manduca (???)
  • Marcel (custou 3 milhões de euros e andámos 3 anos a tentar vender o gajo mais do que uma vez ao Brasil inteiro)
  • Karagounis (chegou a custo zero e saiu a custo zero)
  • Miccoli (chegou emprestado e não ficou por causa do salário elevado - onde é que já ouvimos isto?)
  • Robert (ficou conhecido por marcar um golo ao FC Porto quase do meio-campo, num frango do Baía)
  • Anderson (chegou do Corinthians e foi para Lyon dois anos depois)
  • Leo (chegou do Santos até ser dispensado por Quique Flores)
  • Karyaka (quantos jogos fez mesmo pelo Benfica?)
  • Nelson (chegou do Boavista até ser vendido ao Betis)
  • Moretto (é mesmo preciso recordar a história do aeroporto?)
  • Manú (mais um jogador proveniente do pacote Alverca)
  • Fonte (o irmão consegue ter mais jogos com a camisola da equipa B do que ele teve com a da A)
Ou seja, dos 15 jogadores acima elencados, quantos foram mais valias para o Benfica? No meu entender, Karagounis, Miccoli, Leo e Anderson e Nelson (a espaços). De resto, nada de novo. 
E o que se passou em 2005/2006 repetiu-se nos anos anteriores, mas com alguma relação em 2010/2011. Que época foi essa? A época após termos sido campeões com Jesus pela primeira vez... 

Sem comentários: