sábado, 3 de março de 2012

Uma questão de ruptura

O jogo de ontem à noite, na Luz foi um remake de outros jogos do passado. Não vou colocar em causa o golo em fora-de-jogo do FC Porto que lhes dá a vitória, mas quem estava no estádio, como eu, não estava à espera que o FC Porto marcasse o terceiro golo e ganhasse assim o jogo? É que eu estava, e não era preciso o Proença dar a ajuda necessária.

E para dizer isto, dizer que Jorge Jesus, mais uma vez, num jogo contra o FC Porto, entrou com medo. E para além de entrar com medo, entrou teimoso, como ele é. E pagou por isso. 

Janeiro de 2012.
Período de transferências de Inverno. Período onde os clubes vêem o que correu mal na primeira parte da temporada e tentam remediar as lacunas. O que fez o Benfica, o seu Presidente e o seu treinador?
Aguentaram uma novela de um jogador argentino, que depois acabou por ter a mãe doente, voltar a estar boa e regressou ao seu país para poder jogar no clube do seu coração, gozando com o clube que pagou 5,5 milhões de euros pelo seu passe e com os colegas que tiveram de se cingir ao regulamento interno.
Dispensaram a alternativa credível que tinham quer ao defesa-direito, quer ao médio defensivo do sistema de jogo, emprestando-o a um dos rivais do clube, que luta neste momento, pelo título nacional.
Não encontraram uma alternativa credível a um jogador que fez 15 jogos pelo campeão francês a época passada e que para alternativa tem um Campeão do Mundo e da Europa, que certamente, só para o treinador actual do Benfica, não serve como jogador do clube.
Contrataram um jogador que estava livre, para uma posição de extremo, que de extremo não tem nada e não era a prioridade das prioridades.

Fevereiro de 2012. 
Luis Filipe Vieira dá uma entrevista à RTP, onde a boçalidade foi a constante a que sempre habituou as hostes. Dizem que há um karma diferente quando o Presidente do Benfica fala, a equipa ressente-se e não sei se o Bruxo de Fafe e a sua amiga fizeram alguma coisa, mas as coisas não começaram a correr como estavam a correr até então.

Estádio da Luz, ontem.
Jorge Jesus aposta em Emerson, como tem vindo a apostar durante toda a época, e o extraordinário defesa esquerdo que só o treinador do Benfica assim o considera, não consegue fazer uma merda de uma cobertura defensiva para o movimento que Hulk faz sempre em todos os jogos. Em todos os jogos!
Jorge Jesus aposta também em Gaitán, pela sua capacidade de improviso e técnica, mas esquece-se que o argentino não gosta de defender, e quando isso resulta com o Paços de Ferreira ou com o Feirense, não funciona com clubes e jogadores que percebam um bocado mais da "poda".

O Benfica conseguiu dar a volta ao jogo e depois não o soube manter. A ânsia pelo ataque, pelo massacre fez com que Jesus, ao ter Aimar lesionado, optasse por Rodrigo, dando espaço ao meio-campo do FC Porto.
O resto é o que se sabe. Expulsão de Emerson, falta de alternativas no banco. Lesão de Garay. E golo em fora-de-jogo.

O que faz com que se questione tudo outra vez. E com razão. Uma equipa que tem uma vantagem de 5 pontos para a outra e em três jornadas fica a 3 não pode justificar o infortúnio com questões de arbitragem.  Não se pode justificar com o sistema, a podridão do futebol, quando para esse mesmo sistema contribui com o seu apoio inequívoco.

O Benfica, nestes dez anos, foi usado como uma bandeira de muitas coisas. Sempre se utilizaram os fantasmas do passado, quando os intervenientes deste presente contribuíram para esse passado. Sempre se utilizaram as palavras de ordem contra o sistema, mas sempre se apoiou o sistema. Sempre se utilizaram as  mesmas teorias da conspiração, mas sempre se alimentaram as mesmas. E assim se mantém.

A SAD do Benfica, nesta altura, está com muita incompetência e com gente que só está a utilizar a mesma para benefício pessoal e não para benefício do clube. Gente como Rui Gomes da Silva (sim, podes andar a perguntar por mim, como andas a perguntar por outros), Domingos Soares de Oliveira, Jorge Gomes, Paulo Gonçalves e outros, onde o profissionalismo é sempre evocado, menos a condição de benfiquismo. Essa condição que as pessoas que mandam no Benfica se esquecem rapidamente e só se lembram quando as coisas estão mesmo más.

Este era o mandato do sucesso desportivo. No primeiro ano, campeonato e Taça da Liga. No segundo ano, Taça da Liga. No terceiro, ainda se poderá ganhar o campeonato, a Taça da Liga e a Champions. Se não se ganhar nada, ou a 4ª Taça da Liga (para se fazer mais umas t-shirts), o que poderá servir de salvação a quem tudo prometeu e nada ganhou?

É urgente o Benfica ter na sua estrutura gente que seja do Benfica, mas do Benfica com cultura de exigência de vitória. De permanente vontade de vencer. De continuar a história que outros fizeram. De ganhar uma posição de domínio no futebol português. E não é preciso virem os chavões de que o sistema está minado. Se o Benfica se socorrer de gente que sabe o que é o futebol português, como as coisas funcionam, como as coisas se preparam, e tendo uma equipa e mentalidade ganhadora, torna-se imparável. E ainda mais grandioso. O problema é as pessoas quererem. E parece que não querem.

P.S. Vieira, uma vez mais, mentiu! Disse na entrevista da RTP que a questão dos direitos televisivos estava resolvida até final do mês de Fevereiro. Acontece que nada está feito. Também disse que não se pronunciava sobre arbitragens e ontem, falou sobre tudo e todos. Realmente, há aqui um karma qualquer esquisito quando o homem fala. Deve ser azar! Ou então, profissionalismo!

9 comentários:

MS disse...

Espero pelo final da epoca. Mas sem duvida que esta epoca e a do sim ou sopas.

Passaralho disse...

Pois eu não espero. Nunca esperei nem nunca me iludi. Somos geridos por uma cambada de crápulas, de chulos, de oportunistas, de inimigos.
A sua expressão mais visivel é Jesus. Esse cabrão só pode estar a ser pago pelo papa pitas. Só pode. É impossível, mesmo com toda a sua fanfarronice, tanta incompetência. Impossível! A forma como perde o jogo de sexta é uma vergonha! Ou esta'vendido e é um filho da puta, ou é o maior incompetente que já vi no banco do Benfica.

Gustavo Santos disse...

Infelizmente e assim que estamos. Quem fala como tu e logo apelidado de abutre como diz presidente. Quando tudo corre mal vem o discurso do sistema para atirar poeira para os olhos dos sócios. Mas não esta lá quem o presidente apoiou? Enfim, parabéns pelo blog, há muito deixei de ler jornais e afins, se quero saber do nosso Benfica blogs como este são a verdadeira fonte que um benfiquista deve ler. E agora forca Benfica vamos ganhar na Terça e seguir em frente.

Pedro disse...

Ó Mister, tens é que apoiar... ☺

Já fomos. Essa é a grande verdade.

"A ânsia pelo ataque, pelo massacre fez com que Jesus, ao ter Aimar lesionado, optasse por Rodrigo, dando espaço ao meio-campo do FC Porto."

Aqui está tudo. Não é preciso dizer muito mais. O fcp tem o seu ponto forte no meio campo. Estamos em vantagem e ao perder um centro campista pq raio vai meter um avançado e enfraquecer o meio campo? Quando Rodrigo entrou disse logo "ou vai correr muito bem ou vai correr muito mal". Era tão óbvio...e depois do primeiro amarelo disse logo "o Emerson vai ser expulso". Aposto tu e todos que têm dois dedos de testa disseram o mesmo. Era o mais óbvio. Menos para Jesus...ou então era exactamente isso que ele queria. São sistemáticas as invenções de Jesus contra o fcp...ou é absurdamente incompetente ou então anda a receber pelos dois lados...

Incrivel é ver que os patéticos do Lumiar têm muito mais possibilidades de vencer uma competição do que nós...diz tudo do que Jesus e Vieira são em temros desportivos...com o melhor plantel de sempre...

Vladimir Kaspov disse...

Grande posta!

Pedro disse...

Mister, os direitos televisivos já estão resolvidos. O contrato foi assinado na semana seguinte à derrota dos corruptos em Barcelos.

JO lançou o embuste a LFV dos cinco pontos e DSO fez o resto do trabalho. A partir dai o "sistema" começou a carburar em alta rotação. Na questão dos direitos televisivos LFV foi comido duas vezes. Primeiro com a suposta oferta do Paes do Amaral, depois com um a ideia de que sendo campeão LFV podia renovar que os sócios não iam questionar.

PS: O que faz José Mota sair de um clube que não lhe para outro que também não lhe paga?
Qual é mesmo o último adversário do SLB?
Aprendam, o polvo não facilita em nada, em nada mesmo!!!

Mister D disse...

Meu caro Pedro,
O que vale é que o LFV é sempre comido, ê o que nos vale e que ainda por cima, é um anjinho. Essa é a minha parte favorita dos argumentos que o defendem.
Não me digas que o LFV também foi comido quando aceitou o Deco, o Ovchinikov e outros quando estava no Alverca? Ou quando assinou por 12 (DOZE) anos um contrato de direitos televisivos com o seu amigo?
O que é que custa ver às pessoas que Vieira usa o clube para seu proveito pessoal? PdC também usa o seu clube como proveito pessoal, mas faz com que ganhe, porque gosta do clube. Já o nosso, tenho as minhas dúvidas.
E já agora, a última questão: não interesserará ao sistema que Vieira se mantenha como presidente do Benfica?

Jota Pê disse...

Antes de mais, fico satisfeito por constatar que ainda existe lucidez no seio dos adeptos benfiquistas.
Corroboro, na totalidade, o post do Mister D e exponho a minha ideia acerca do jogo da passada 6ª feira:

Tal como o Mister D, eu não me centraria nas mãos dentro das áreas nem dos lances de foras de jogo, nem das faltas que dão os primeiros amarelos antes das expulsões, nem das arbitragens catastróficas porque essas começam a ser, jornada a jornada, as desculpas habituais dos benfiquistas para explicar as exibições medíocres e a falta de tudo o que passo a relatar.

Centrar-me-ia no seguinte: como vem sendo habitual em jogos contra o fcp (agora também na Luz, já não é só nas antas), o Benfica entrou todo borrado (não só por ter perdido 5 pontos nos últimos jogos – porque pouco ou nada fez para os conquistar - como também pela angústia de poder voltar a entregar o título ao adversário em sua própria casa – como há bem pouco tempo aconteceu). Gritante falta de condição física, atitude competitiva e vontade de ganhar inexistentes. Gaitán é uma nulidade (ainda vão ter de pagar aos ingleses para o levarem) mas sem culpa, porque não é ele que decide quem joga. Emerson é uma atrocidade e a sua inclusão já é uma falta de respeito para com os adeptos benfiquistas.

O Porto motivadíssimo e de uma forma que o Benfica jamais conseguirá estar, seja em que circunstância for. Uma grande lição de táctica de Vitor Pereira (e ao próprio mestre da táctica - a fazer lembrar André Villas Boas - um tal de aprendiz de treinador ao pé de Jesus, segundo se dizia) que, sendo um dos piores treinadores de que há memória em Portugal (nem aos calcanhares de José Romão chegará, porventura) e com adjuntos tão habilidosos e capazes como Rui Quinta, Paulinho Santos ou Semedo, arrumou o Benfica com duas substituições que Jesus, nem nos seus melhores sonhos, faria: tira Rolando e mete James e tira Moutinho e mete Kléber.

Com estas duas substituições que, infelizmente, considero brilhantes, o porto mostrou a sua fibra e o seu querer ganhar mais do que qualquer outra coisa. E, por isso, mereceu inteiramente os 3 pontos.

No fim das contas, o fanfarrão Jesus tem agora tempo para se centrar exclusivamente na Champions. Afinal de contas, é um sonho a concretizar e bem que podemos acreditar nele.

Aponto, por fim, o que julgo ser uma imprecisão nas palavras do Mister D: a questão dos direitos televisivos está resolvida. Não está é anunciada. Esse anúncio, infelizmente, vai ser a machadada final na esperança dos benfiquistas que ainda julgavam possível resgatar o clube das mãos dos ditadores que mandam no futebol português...

Quanto ao resto do texto, subscrevo na íntegra. Parabéns.

Qui-GonJinn disse...

Excelente texto. 100% de acordo! Só estou admirado como é que a Polícia do Benfiquinha ainda não veio cá apelidar-te de taliban!