domingo, 30 de outubro de 2011

Os jogos não têm 90 minutos?

Pelo menos parece que sim, ou se Maxi Pereira não tivesse tentado fintar um jogador ainda no seu meio-campo defensivo e depois Luisão não tivesse cortado o lance para canto no último minuto de jogo, e hoje estaríamos a discutir o golo anulado a Cardozo.

O futebol tem disto, mas tem muito mais. E o muito mais é que os jogos não têm só 15 minutos de altíssima intensidade, onde o Olhanense poderia ter levado mais do que 2 golos. O jogo tem 90 minutos e esses 90 minutos têm de ser geridos com astúcia e tranquilidade. Coisa que deixou de acontecer, quando aos 48 minutos, três jogadores do Benfica (3!!!!) deixaram João Gonçalves cruzar uma bola para a grande área onde apareceu Wilson a fazer o 2-1. E aí, já com Aimar a tomar banho e sem ninguém que conseguisse pensar num esquema 4-2-4 suicida que Jesus teima em apostar aqui no burgo, até ao dia...

E depois vem o caso. O golo anulado a Cardozo. Como escreve e bem (muito bem mesmo) o Ricardo, os critérios têm sido diferentes, mas não é o que se espera já desta corja que continuamos a apoiar institucionalmente? O problema até nem está na forma como é apresentada a linha (a famigerada linha) televisiva que induz sempre em erro. O problema é que em caso de dúvida, é melhor anular se a equipa é de Lisboa.

Tal facto não invalida a exibição menos conseguida da equipa durante o jogo todo. 15 minutos não chegam para convencer. E volto a frisar um ponto já aqui referido há vários posts atrás: HUMILDADE! É dessa fibra que se fazem os campeões e não com frases do género "Já nem me lembro da última vez que perdi!". Eu lembro-me e não foi nada agradável. Curiosamente, foi no mesmo sítio onde o Benfica vai voltar no próximo fim-de-semana e foi num jogo em que estava em causa uma presença numa final europeia. Só...


Viva o Benfica!

1 comentário:

Passaralho disse...

É bom começar por explicar isso de os jogos terem 90 minutos ao sr pedante treinador.
É ele que transmite esse tipo de mensagens para dentro quando faz aquelas substituições maravilha ao intervalo e quando cisma em jogar naquela táctica suicida.
Vai dar merda, mais cedo ou mais cedo, e depois vamos outra vez começar a falar de árbitros.

Cumprimentos,
Benfica Sempre!