segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O Benfica, o meu Benfica

O meu Benfica morreu ontem.

O meu Benfica que me fazia em petiz ouvir as histórias de Eusébio contadas pelo meu Avô, não é mais.

O meu Benfica que me fez comprar a história de Eusébio em BD, e me obrigou a lê-la centenas de vezes, saiu.

O meu Benfica dos 9 Campeonatos em 12 anos, foi enterrado hoje no Lumiar.

O meu Benfica das 2 Taças dos Campeões e mais 4 finais, deu a volta ao Estádio hoje à tarde.

O meu Benfica morreu.

Mas o Benfica não é meu, é do Benfica. 

Se o Benfica quer, e deve querer, aprender algo com o legado do King, então que aprenda que acima de tudo Eusébio odiava perder. Nunca se habituou. Mesmo com uma perna esquerda massacrada por algozes de cubes mil, encontrava maneira de marcar mais um golo, selar mais uma vitória. Este era  o meu Benfica.

Domingo gostava que os dois Benficas se encontrassem. Se não por Eusébio, pelo próprio Benfica.


Sem comentários: