domingo, 28 de março de 2010

Eu não me esqueço

Quando em 2003, Luisão chegou a Portugal, foi logo apelidado de "pés de chumbo" e seria provavelmente mais um embuste para o Benfica, segundo rezam as crónicas da altura.

No primeiro jogo que fez pelo Benfica, no Estádio Nacional, frente ao Belenenses marcou um golo num empate a 3.

Vi logo que havia ali qualquer coisa de bom e que com o hábito à Europa, seria um caso sério. Não beneficia de uma imprensa amiga, foi apanhado bêbado em Lisboa, mas até agora, nestes anos todos de águia ao peito, mostra porque é o sub-capitão da equipa, só mesmo superado por um Nuno Gomes, que apesar de não jogar, mostra toda a virtude de entender um clube e um balneário.

Em 2005, cabeceou para o título. Em 2006, colocou-nos em vantagem para os quartos-de-final da Champions e ontem, voltou a cabecear para mais um momento histórico que o colocará na história do Benfica.

Por isso mesmo, se ele quiser sair para outro nível de exigência competitiva, eu serei dos primeiros a aplaudir, porque já conquistou aqui o que tinha de conquistar.

Por tudo, obrigado, "girafa"!

5 comentários:

Manuel disse...

O Luisáo não sai. Ponto final!

f. disse...

O Luisão foi muito criticado e é um dos jogadores que menos tolerância têm tido por parte da comunicação social, adversários e até por parte de alguns benfiquistas.
Mas tem sido um Pilar deste Benfica, um dos jogadores mais regulares da equipa e um dos que põe ordem na casa quando é preciso.
É dos jogadores mais respeitados pelos colegas. É um orgulho tê-lo como jogador do Benfica e como sub-capitão.

Natálio Santos disse...

Como seria lindo o nosso amado Benfica conseguir segurar este maravilhosa dupla de centrais...!!!

Rosmano disse...

Para mim sair para outro patamar competitivo nao pode ser ir para o Atletico de Madrid sob a orientacao do cigano que nos lixou a epoca passada.

Se for para sair numa situacao dessas mais vale ficar no Benfica.

Irokumata disse...

Não sai... é nosso... não sai!