segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A imagem de sábado

Vista demasiadas vezes...

football formations

9 comentários:

GM disse...

...agora expliquem-me o porquê de tanta insistência, por favor.

Pedro disse...

Tens é que apoiar pá!!!

EK disse...

Touché!

João Oiveira disse...

E ainda assim o Braga que eu me lembre teve 3 oportunidades de golo em que duas delas (os golos) foram falhas de um jogador e não falhas de equipa. E o Braga não é uma equipa qualquer. É um candidato ao titulo que mantém uma estrutura base da equipa à vários anos.

Depois jogar amarrados ao medo de sofrer contra-ataques dificilmente dá golos para a nossa equipa. Que o digam o Porto e o Sporting que não conseguiram marcar golos.

O Benfica jogou como tinha de jogar. O problema foram falhas individuais e novamente o senhor do apito. Foi a expulsão perdoada ao Alan. Foi um lance entre Salino e Rodrigo que parece penalti e era segundo amarelo. Pelo menos é bem mais penalti que o penalti assinalado pelo mesmo árbitro na época passada em Alvalade. Dois lances com Beto que o árbitro assinalou falta sem que ninguém lhe tivesse tocado. Numa jogada a bola acabou por sair ao lado e no outro entrou mesmo. E mais 2 pontos roubados. O problema é Jorge Jesus ainda vir dizer que foi uma boa arbitragem. Se não querem falar de árbitros não comentem. Agora ainda os ilibar da porcaria que fazem é que não.

Pedro disse...

"O Benfica jogou como tinha de jogar"

WOW...O Benfica jogou de uma forma que permitiu que o Braga tivesse vencido, claramente, a luta a meio campo. E foi por isso q eles pressionavam e provocavam erros nossos. Passes falhados de Luisão, de Artur, de Garay, de Javi resultam dessa pressão, resultam de estarem em superioridade numérica no meio campo. E este tem sido o erro q tem levado o SLB a perder pontos atrás de pontos contra este tipo de equipas. Contra as equipas mais fracas, quando marcamos primeiro a coisa até se resolve, contra equipas mais fortes raramente ganhamos quando jogamos assim...

Anti-Idiota disse...

Queres conhecer os IDIOTAS da blogsfera e as suas diárias idiotices?

WWW.COVILDOSIDIOTAS@GMAIL.COM

Edson Arantes do Nascimento disse...

A imagem não me parece ter nada de mal. Pela posição da bola isto é apenas e só uma saída de ataque. Basta colocares a bola no Witsel e o desenho é logo diferente - sobretudo na zona à frente da área.

A saída de ataque está bem feita, na minha opinião.

Agora o que não está aqui é também importante: (1) o segundo avançado do Jesus não joga ao lado do Cardozo, faz movimentos interiores e faz ataque posicional por trás do ponta-de-lança (o Rodrigo é um excelente jogador até na baliza, mas não me parece o mais indicado para esta função mesmo tendo feito alguns bons jogos ali); (2) os extremos/interiores devem procurar mais espaços por dentro - no limite das linhas laterais da área e também ocupar determinadas posições que facilitem a troca de bola e o ataque (remate; passe para golo) à baliza; (3) na imagem também não dá para perceber (aliás, a ideia que fica até é outra bastante diferente) que as equipas do Jesus, em momento defensivo, raramente desfazem a linha de quatro - sendo o número 6 responsável por compensar eventuais desposicionamentos dos laterais...

Na minha opinião, o Benfica teve dificuldades no meio-campo porque jogou muito aberto e os extremos/interiores raramente conseguiram criar jogadas de forma mais enquadrada com a baliza (seja por mérito do adversário, seja por deficiência táctica-técnica do jogador, seja por insuficiência da própria equipa em entrar em determinadas zonas). A imagem ajuda a perceber isto ainda que seja um momento diferente do jogo.

O Carlos Martins tinha dado um jeitão. Pareceu-me ainda que a equipa estava mal fisicamente e fatigada - não sei se por ter sido uma semana atípica (muitas selecções), se são apenas consequências da pré-época, se por deficiência da preparação. Já veremos.

O melhor exemplo é o Nolito - que está gordo, anafado, redondo, gorduroso e que, no período em que esteve em campo, não conseguiu fazer sequer uma recepção de bola em condições...

LC disse...

Astutilo, esse é o retrato de há duas épocas se bem que o ano passado em vez de um jogador onde está Melgarejo tivemos um bidão.

Astutillo Malgioglio disse...

Edson, concordo com o que referes no ponto 2. O problema é que não existe essa movimentação na primeira fase de construção.
No momento inicial Witsel está isolado numa ilha. Tem que proteger a bola de 2 ou 3 adversários antes de conseguir rodar e encarar o ataque. A nossa sorte é que é um jogador fantástico que consegue muitas vezes fazer a transposição sozinho e mais à frente, aí sim, já encontra Rodrigo recuado (tens toda a razão quanto ao ponto 1, mas Rodrigo só desce quando a bola já está no "seu" meio-campo) e César numa posição mais interior. A outra opção é entregar num dos centrais que, encostado à linha, despeja na frente ou avança uns metros para tentar combinar com o lateral.
Quando isto resulta ficamos com muita gente na frente, gente de elevada capacidade técnica e capaz de lançar o perigo com uma combinação rápida. Acho é que resulta poucas vezes e não vejo nenhuma dimensão colectiva nisto. Parece-me tudo muito previsível e o adversário quase não tem que se esforçar para bloquear esta saída (ainda mais se estiver em campo com 4 médios centro, inteligentes na ocupação de espaços).

E como diz o LC, já passámos uma época inteira nisto. Não há adversário que não saiba o que vai acontecer.

Abraço!!