quarta-feira, 2 de setembro de 2009

A Bíblia

Cresci como muitos dos meus contemporâneos a ler a Bola no chão da sala. Aquele enorme e magnífico lençol que em meados, se calhar finais dos anos 80 começou a sair três vezes por semana.
À medida que os braços o permitiam fui passando do chão para o sofá, sempre era um bom exercício de musculação, como era também a suprema galhofa quando entrava de fininho na sala e via as mãos do meu Pai a segurar o jornal que só lhe destapava os pés. Como crianças serão sempre crianças, a diversão era dar uma valente palmada no jornal que provocava uma barulheira tal que despertava a ira do meu Pai e as gargalhadas em mim. Logo a seguir não ficava com grande vontade de rir...mas valia a pena.

Quando cheguei à idade de compreender melhor o sub-fenómeno extra relvado a Bola era dos quatro desportivos (homenagem à defunta Gazeta) aquele que melhor mo explicava, é certo que o critério editorial d'A Bola sempre foi pró benfiquista, afinal foi fundada por dois grandes Benfiquistas (Cândido de Oliveira e Ribeiro dos Reis), mas nem por isso o tendencionalismo era extrapolado e escorriam daquelas linhas textos excelentes do grande Carlos Pinhão, Homero, o jovem Vítor, Aurélio Márcio, etc.

Para mim A Bola tem um legado histórico fundamental, quer a nível desportivo, quer a nível de nostalgia de menino. Logo tem também responsabilidades.

À capa do jornal de hoje só a concebia ver no tablóidesportivo Record. A Bola sempre teve um tom mais sério, e por conseguinte credível.
É isso que venho solicitar a Vítor Serpa, por favor não voltem a ridicularizarem-se desta maneira. Nem a vocês, nem ao Benfica. O vosso legado histórico a isso obriga.

11 comentários:

Captain Kid disse...

infelizmente perdeu esse tom sério há bastante tempo... é o jornal que mais ajuda a cimentar o "culto ronaldo" de uma forma pouco racional, um pouco tipo "bravo".

segundo a bola, ronaldo é "o rei" e o nosso keirrison é o "k11". para não mencionar a capa de hoje...

piazza, eu peço o mesmo que tu!

piazzanuova disse...

Ir puxar a "Bravo" é de homem! O que tu me fizeste lembrar, porra...estou velho!

Mister D disse...

Não percebo o facto de só quando aparece um "Exterminador Implacável" é que se começa a criticar o que A Bola faz, neste momento.

A credibilidade há muito que se evaporou na Travessa da Queimada...

piazzanuova disse...

Digo-te isto com respeito e amizade, mas às vezes és chato como o caraças!

Mas deixando a bravata de lado, porque dizes isso? Tem a ver com o alinhamento estratégico do JMD?

Ou achas que o Rui "rato" Santos, que herdou uma mega quota accionista de um mega jornalista e tem razão?

Ou terá a ver com os critérios editoriais? Ou serão apenas diferenças irreconciliáveis com quem lá escreve?

Elabora, homem!

Constantino disse...

Sempre critiquei o onojo por ser o jornal do fcp. Critico tambem o Abola por querer ser o jornal do SLB. Isto é dar farpas aos adversarios para nos atacarem e desde a tristeza que foi o record a endeusar o moniz e abola a bater nele.... ficou tudo dito no tratamento jornalistico dado ao SLB.
De qualquer forma sempre os prefiro ter do nosso lado do que contra nós.

piazzanuova disse...

Eu não concordo com a teoria que sustenta que A Bola é o braço impresso do Benfica. Leio bastantes artigos críticos (dentro da estrutura redactora) acerca do Glorioso. O Record tem uma agenda política bem definida, o nojo...bem...o nome diz tudo. E nem me importaria ter jornais "alinhados" com os clubes, mas quando um dos clubes é o escarro que o pus rejeita, não consigo concebê-lo.

Mister D disse...

Meu caro piazza:

O que se tem passado nos últimos tempos, quer com A Bola, com o Record ou com O Jogo é algo que não dignifica os jornais, que em outros tempos, eram efectivamente muletas para acompanhar o que se passa.

Entretanto, com o avançar dos tempos e evolução das tecnologias, os jornais, infelizmente, não conseguiram acompanhar essa tendência e a política economicista que acompanha as direcções dos matutinos faz com que existam capas ridículas como esta.

Nunca como agora, aquilo que se vai falando nos cafés, ou nos corredores de empresas tem tanto sentido. A Bola é do Benfica, o Jogo é do FC Porto e o Record do Sporting.

As capas, os textos e a subserviência estão bem presentes em todas as páginas.

Como em todas as pa´ginas de todos os jornais escrevem benfiquistas, sportinguistas e portistas.

Os jornais, tais como os conhecemos nos anos 80 não são nada do que são agora. Só me espanta que quando eu criticava JMD acerca dos seus editoriais e da sua subserviência me caísse tudo em cima.

Mas para isso, já estou habituado.
Abraços,

M disse...

a capa de "A Bola" de hoje é provavelmente, a pior que ja pode ver, desde os tempos do "lençol"...

simplesmente miserável....infelizmente.

saudaçoes benfiquistas

Éter disse...

Desculpem lá, mas um jornal que publica as diarreias mentais do Sousa Tavares não pode ser considerado benfiquista.

Numero Dez disse...

Sem duvida piazzanuova, hoje quando vi a capa do jornal A Bola, achei ridiculo! È uma capa a Record...

Mr. Shankly disse...

Mister D, na mouche. Concordo com tudo.