terça-feira, 22 de setembro de 2009

Mais três pontos para o SLB

Ontem aprendi muita coisa. Aprendi, por exemplo, que no jogo perigoso interessa perceber se o jogador jogou a bola primeiro ou não. Ao cuidado do Cardozo: Óscar, quando um defesa se preparar para cabecear uma bola, é entrar de pitons à testa do gajo. Importante é que toques primeiro na bola, nem que seja de raspão. Se falhares não te preocupes. É apenas um azar, jogo perigoso de quem queria disputar a bola. Ninguém te dará vermelho por isso. Mas também aprendi outra coisa extraordinária, tendo em conta as dezenas de vezes que ouvi a expressão "é jogo perigoso por isso não pode ser penalty": não há livres directos no jogo perigoso, apesar da Lei dizer o contrário. Trata-se seguramente de uma gralha, o que explica o ataque de surdez dos lagartos sempre que inquiridos a este propósito. Ataque mais habitual é o de choro: "eu só sei é que são sempre os mesmos a mamar", facto ontem comprovado ao minuto 41.

Mas o que realmente importa é que somámos mais três pontos no domingo num jogo bastante complicado. Tanto gozei nos últimos jogos que lá fui forçado a passar por 45 minutos de sofrimento. Apesar de tudo, fica o agradecimento aos jogadores, que lutaram tanto como gritaram os da bancada. Nem sempre se pode jogar bem, mas é importante que se lute sempre e até ao final. Agora, por favor, voltem a resolver os jogos rápido para eu poder continuar a sorrir na bancada enquanto me viro para o lado e digo "Anos 80 Allez!"

Foi bonita a homenagem na quinta-feira. Na Croácia também não se esqueceram:

1 comentário:

editor disse...

Parabens pela lucidez no post!

É exactamente isso que eu penso, o que aprendi qd fui jogador federado de futebol e sobretudo...

... o que está escrito na Lei 12.

Cambada de aves negras e de comentadeiros e avençados, que não são capazes de admitir o que todos conhecem ou deviam saber...

AS LEIS DO FUTEBOL

Pedro G.