segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Eric Cantona

Sábado foi dia de visita ao cinema. Parece que o meu jogador francês preferido entra num qualquer filme britânico, mas optei por um filme do seu país natal que já tinha debaixo de olho há uns tempos. A narrativa centra-se num jovem condenado a seis anos de prisão. Um zé ninguém, frágil e ingénuo, que nos seis anos de pena se descobre e se afirma sobre os demais. Mas podia bem ser sobre a figura secundária do filme, um velho corso que domina a prisão à base da violência e da corrupção mas que acaba traído pela inteligência do jovem que julga controlar.
Não leio desportivos há cerca de uma semana, mas a rádio deu-me a ouvir declarações curiosas de Ricardo Costa e um comunicado do Porto. E isso fez-me lembrar o meu jogador preferido de França. Porque há provocações e provocações.

Sem comentários: