domingo, 7 de fevereiro de 2010

Prioridades, via Benfiquistas Desde Pequeninos

"Num clube como o Benfica, a prioridade é ganhar. Seja qual for a modalidade, escalão ou competição. Este é o Sport Lisboa e Benfica que eu concebo. Mas a minha concepção de Sport Lisboa e Benfica não inclui uma equipa profissional de futebol que, em 15 temporadas, apenas ganhou um campeonato nacional, duas taças de Portugal, uma supertaça e uma taça da liga. Neste momento, há que dar prioridade ao campeonato.
É certo que, daqui a 50 anos, provavelmente, quem for vivo olhará para a história e avaliará os últimos 20 anos como as piores décadas do futebol do Benfica mas, para que tal aconteça, não bastará a dimensão do clube ou o seu historial. Por outras palavras, isto não vai lá por decreto e é preciso voltar a ganhar consistentemente.
E não é por decreto, certamente, que o Benfica vence jogos. Nunca o foi. Não basta elogiar os adeptos pelo seu apoio. Não basta sermos enormes. Basta, somente, que os jogadores do Benfica e, já agora, o seu treinador, percebam uma coisa muito simples. Somos melhores se corrermos, somos melhores se lutarmos, somos melhores se nos empenharmos em todos os jogos. E por não corrermos, por não lutarmos, pode acontecer que não ganhemos um jogo. Como ontem, como em Olhão.
Num clube como o Sport Lisboa e Benfica, tal atitude é inadmissível. A grandeza do nosso clube não se construiu com fruta, café com leite, adversários imaginários, condes e viscondes ou obsessão por um rival. Fomos nós, os sócios, com o nosso esforço, dedicação e empenho que fizemos do nosso clube um dos maiores do mundo. A nós cabe-nos apoiar, nos bons e maus momentos. Aos profissionais do nosso clube, pedimos, somente, que honrem a camisola que têm o privilégio de envergar.
Apenas e somente isso. Não pedimos muito e o exemplo foi dado na 4ª feira passada. O Ramires, depois de uma exibição deplorável, saiu de campo sob uma salva de palmas enorme. Porquê? Porque todos lhe reconhecemos o empenho e não é por causa de um mau jogo que pomos tudo em causa. Mas ontem não houve empenho. Houve antes um convencimento generalizado que, mais tarde ou mais cedo, a vitória haveria de sorrir. O penalti falhado no último minuto ou a patetice de auto-golo sofrido são irrelevantes. Com um pouco de atitude poderíamos falhar 3 penaltis e oferecer três golos que continuaríamos a ser favoritos à vitória.
O nível deste campeonato é fraco. Para se ganhar todos os jogos não é necessário ter a qualidade da nossa equipa. Uma equipa como o Braga, organizada, consistente, empenhada e, de vez em quando, favorecida pelas arbitragens, pode ganhar qualquer jogo. Não é a taça da liga, e muito menos o sportem, que merecem que hipotequemos as hipóteses de sermos campeões. Lembrem-se disto no próximo jogo com o belenenses. A liga Europa, e muito menos o Hertha de Berlim, merecem que hipotequemos as nossas hipóteses de nos sagrarmos campeões nacionais. Lembrem-se disto
."

3 comentários:

Márcio disse...

A família benfiquista continua a ser humilhada e insultada!

http://www.youtube.com/watch?v=yb0cJhAfNg4

Espalhem a mensagem...

f. disse...

Desta vez concordo em absoluto com Mister D. E que esta lição, sem que seja excessivamente dramatizada, possa tornar o Glorioso mais forte.

João Tomaz disse...

Obrigado pela referência. Tenho é pena do que me levou a escrevê-lo. Mas acredito que a equipa vai surgir mais forte ainda.