terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Cá vai disto!

Gilberto Madail e Carlos Queirós estavam na plateia no dia da homenagem a um falecido treinador do Porto?
Se estavam, deviam, de imediato, repudiar as declarações do mais alto dirigente portista, que se encontra suspenso por corrupção, ou demitirem-se dos cargos que ocupam.
Não só porque o discurso foi secessionista, mas, sobretudo, porque foi prometido a um defunto, calculo que por honra que lhe é desconhecida, um título que ainda está em disputa - o que significa a certeza da sua conquista!
Ora, segundo creio, só há uma forma de se ter a certeza da vitória, quando todos os dados apontam para o contrário: saber-se o que vai acontecer! É aquilo a que no sábado chamei a História do Futuro...

1 comentário:

observador atento disse...

Muito bem. Penso que Madaíl e Carlos Queirós se portaram mal ao não se distanciarem das das lamentáveis declaracões do presidente do clube regional do APITO DOURADO, que dizem ser uma pessoa que "cheira mal".Mas, ao mesmo tempo, talvez seja útil para aqueles senhores perceberem quem é este impostor, para não dizer marginal. Por outro lado este pânico quer dizer que o GLORIOSO está no bom caminho, embora seja preciso estar muito atento às arbitragens que aí vêm.
Saudações benfiquistas