sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

A propósito das relações Benfica / Crac

Está na actualidade a discussão sobre o desnorte do CRAC.

Falho de palavras escolho as do Imortal Albert Camus:

"A partir do quarto dia os ratos começaram a sair para morrerem em grupos. Das arrecadações, das caves, dos esgotos, subiam em longas filas, titubeantes, para virem vacilar à luz, girar sobre si mesmos e morrer perto dos seres humanos.

À noite, nos corredores ou nas ruelas, ouviam-se distintamente os seus gritos de agonia.(...)

Compreendia-se agora que este fenómeno(...)tinha qualquer coisa de ameaçador." Camus, A Peste

E é sobre esta última passagem que o meu inquietismo se debruça. Os ratos têm uma capacidade de sobrevivência assaz eficaz. Não podemos nem devemos descartar o impacto que os ratos têm na nossa sociedade.

Já não nos podemos dar ao luxo de vê-los morrer e encolher os ombros enquanto passamos e encarar a sua morte como algo natural. Não.

Não baixaremos os braços enquanto não contrapusermos todas as atoardas desinformativas que surgem na imprensa instrumentalizada.

A morte definitiva dos ratos será a purificação efectiva da sociedade. E temos de assegurar-nos que os erradicámos de vez.

A luta continua, e estamos cá para travá-la, doa a quem doer, venha quem vier!

Viva o Benfica!

5 comentários:

Manuel disse...

Tens toda a razão. No entanto, as pulgas - que são muito mais chatas, mas menos perigosas - são muito mais resistentes do que os ratos. E vão continuar a existir. Vão levar muito mais tempo a exterminar.

Vanda disse...

cabe-nos a nós nao deixar que as coisas estranhas q o foculporto faz caiam no esquecimento...
ha blogs, ha redes sociais (facebook) toca a publicar tudo para manter presente a corrupção destes tipos..

GM disse...

Talvez piores as baratas, imunes que sao à radiotividade termo-nuclear.

Dêem-lhes queijo (nao conseguem evita-lo) e sera mais facil o seu extermínio.

JNF disse...

Muito bem escolhida a citação para este post.

Manuel disse...

E por falar em ratos, já viram o primeiro rato a fugir do barco (Fernando Gomes)?. Aceitam-se apostas em quem vai ser o próximo.