segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Notas sobre o acto eleitoral

22676 votantes contribuíram para transformar as últimas eleições na mais concorrida da História do Sport Lisboa e Benfica. Alguns adeptos têm desvalorizado este feito sublinhando que na disputa Vale-Vilarinho só era possível votar na Luz, que o número de sócios era consideravelmente inferior e que o tempo de espera nas filas era brutalmente longo. Não alinho. Se hoje temos mais sócios, se hoje é mais fácil e mais rápido votar e apurar os resultados, devemos valorizar o facto. E devemos elogiar as Direcções de Luís Filipe Vieira por isso. Fica mal desprezarmos o facto do voto electrónico ter permitido ultrapassar a barreira dos 20 mil votantes em duas eleições consecutivas.

Vieira teve nesta quarta eleição o seu resultado menos bom - pior é um termo que não assenta a quem tem 83% dos votos, por isso fica mesmo assim: "menos bom" - embora a base de apoio se mantenha praticamente inalterável. De 2009 para 2012 Vieira perdeu perto de 700 votantes. E os votos brancos baixaram para cerca de 800 votantes. De uma forma simplista e muito pouco cientifica, poderíamos dizer que votaram em branco os Vieiristas desiludidos e que Rangel reuniu os 500 votantes de Bruno Carvalho com os 1220 descontentes que se foram manifestar à Luz há 3 anos. E ainda conseguiu convencer 2 mil abstencionistas a votarem na sua lista.

Dentro do pavilhão voltaram a imperar os insultos e ecoar petardos. Está-se a enraizar um hábito que é perfeitamente lamentável. Mas o civismo é coisa que vai faltando em ambos lados da "barricada". Se a indignação perante apupos e assobios ainda é compreensível, os aplausos que se ouviram no momento em que alguns "críticos" foram sovados na bancada assumiram contornos de surrealidade. O posicionamento estratégico dos boxeurs enoja. A complacência policial também. Mas o que dói mais é ver a euforia e o sorriso de alguns benfiquistas perante a agressão a outros benfiquistas.

O texto que entregaram a Luís Filipe Vieira para ler foi sofrível, de uma hipocrisia atroz. Sugerir reuniões depois de se recusar ao debate já era suficientemente mau. Mas proclamar-se como o grande unificador do benfiquismo? Ele, o homem dos "papagaios", dos "detractores", dos "maus benfiquistas", dos atletas-seguranças?

Antes desse "discurso", um momento que parece ter passado despercebido à maioria mas que nos diz algo sobre o carácter de Vieira. Depois do elogio de Luís Nazaré a todos os funcionários do Clube que contribuíram para que a eleição tivesse decorrido de forma exemplar, Vieira conseguiu ser o último elemento dos Órgãos Sociais a aplaudir os mesmos funcionários, levantando-se da cadeira com claro enfado. Para Vieira tudo parece ser um gigantesco frete.

Já cá fora Luís Nazaré admitiu que Luís Filipe Vieira não reunia condições para ir a votos, argumentando ter aceite as listas porque uma interpretação literal dos estatutos praticamente impede qualquer candidatura. Ficamos a saber que estas eleições decorreram em clara violação dos estatutos, ficamos sem compreender que circunstâncias ditam o seu cumprimento e o seu desprezo.


Rangel tinha aceite participar este sábado num programa da RTP N. Optou, e bem, por não comparecer. Nesta fase nada tem a ganhar com aparições públicas. Se pretendem manter-se vigilantes como afirmam, que façam o trabalho nas AGs. Mas não basta aparecer no pavilhão. Alguém, seja Rangel, seja Tavares, tem que subir ao palanque e falar. Falando ali ganham legitimidade e as suas palavras acabarão na mesma por chegar aos media e aos outros associados. Como alguns sócios sugeriram a Pitta e Cunha no final da noite, deixem as entrevistas e as declarações públicas para mais tarde.

Duas pessoas bastante próximas da família Costa garantiam que o Maestro e o seu pai não colocaram o dedo no quadrado da Lista A. Será verdade?

4 comentários:

moleculasdeamor disse...

Isto é verdade, consegues alguma prova de que ele disse isto?

"á cá fora Luís Nazaré admitiu que Luís Filipe Vieira não reunia condições para ir a votos, argumentando ter aceite as listas porque uma interpretação literal dos estatutos praticamente impede qualquer candidatura. Ficamos a saber que estas eleições decorreram em clara violação dos estatutos, ficamos sem compreender que circunstâncias ditam o seu cumprimento e o seu desprezo"

É que a mim parece-me grave, a ti não?

Pedro disse...

Ninguem se virou aos boxeurs?

Qts eram?

Não me admirava nada que fosse verdade mas adianta alguma coisa?

Alberto disse...

Não pôs o dedo mas apareceu na comissão de honra ou lá o que era aquilo. Faz sentido?

Astutillo Malgioglio disse...

É todo um mistério. A comissão, certos abraços, os telefonemas efectuados e estas dicas em noite eleitoral. No assunto Rui Costa já pouca coisa faz sentido.

moleculasdeamor, como deve calcular não ando de gravador em punho. A conversa foi mantida com vários sócios e se algum passar aqui que confirme.