quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Ascenção e queda

O inespugnabile aventou uma das faces de declínio do porto, a Arquitectura.

É um bom ponto de análise, quiçá representativo de mais alguma coisa: O Aburguesamento.
O porto tornou-se um clubito burguês que, como toda a burguesia histórica assentou o seu desenvolvimento na base popular.

Problema 1: A base popular do porto é ínfima e local.

Problema 2: O desenvolvimento baseou-se numa cultura de ódio com raízes políticas que tiveram o seu apogeu nos governos PSD, o PS querendo largar a base eleitoral fomentou e financiou a ascenção ao poder Autárquico de figuras do clubito. Agora o PS é Governo, quer continuar a sê-lo e a base de impunidade partidária ao nível da negociata esgotou-se, muito por via da necessidade de não alienação de eleitorado a sul de Gaia. Como veio a suceder com os Governos minoritários de Guterres e Durão/ Santana.

Problema 3: As fundações de 30 anos na AF porto, CJ, CD e Liga não se apagam de uma momento para o outro,por isso Manini também tem razão, a arbitragem não pode ser factor de valoração de mérito competitivo, é uma circunstância. Circunstância com a qual temos de contar à priori.

Problema 4: A subida da taxa de literacia na zona do grande porto causa um embaraço relativamente à gestão do ódio cego pelo Sul. A bandeira esboroa-se lentamente.

Problema 5: Como todas as estruturas assentes em figuras carismáticas, estas identificam-se não com a sua essência, mas sim com a do líder. Felizmente as pessoas não são eternas! Logo...

Problema 6: Basta haver uma expectativa realisticamente fundada na capacidade do Benfica de suster as avançadas obscuras(como se verificou no domingo), que toda a política é posta em cheque pela mole cega que sustenta a burguesia instalada.

Quer isto dizer que os dias contam-se, escorrem e as areias da ampulheta não se sustêm. Não havendo mudanças da nossa parte em função das circunstâncias, direi muito calmamente que esta vergonha de compadrio do poder político e judicial, desportivo e público, terminará quando o fiel depositário dos podres da classe política ficar xéxé.

Porque ao contrário do porto, o Sport Lisboa e Benfica sempre fez do povo a sua base, e nunca perdeu identidade ( A não ser com Vale, mas nem por isso soçobrou).

O Benfica é maior que as indvidualidades. Alimenta-se delas ao serviço de algo maior. No porto, a individualidade é a identidade, daí ter, irremediavelmente, os dias contados.

Não basta no entanto esperar pela queda, é preciso forçá-la. Far-se-à isso da única maneira possivel: Correndo mais, marcando 4, ganhando 6 jogos seguidos, o resto cairá de tão podre que está.

A LUTA CONTINUA! VENCEREMOS!

7 comentários:

RA disse...

"O Benfica é maior que as indvidualidades. Alimenta-se delas ao serviço de algo maior. No porto, a individualidade é a identidade, daí ter, irremediavelmente, os dias contados."

Mais nada. No meu blog tento referir-me sempre ao FCP como FC Porto... convém não confundir que há muitos e bons benfiquistas na bela cidade do Porto!

Pedro disse...

Não vou fazer a defesa de Vale e Azevedo mas na essência do post parece-me errada a menção ao ex Presidente do SLB. Vale sempre lutou contra o Sistema, sempre foi inimigo de Pinto da Costa e sempre procurou um Benfica forte e competitivo. Não há razões para se dizer q com ele o Benfica perdeu a identidade.

A perder identidade teria sido no tempo de Damásio com a amizade a PC ou agora mais recentemente com as chegada de camiões de não benfiquistas para lugares chave do clube.

Penso q o conceito de "identidade" q procuras focar no post nunca esteve em causa no Glorioso.

Kaiser disse...

Pedro,

penso que a "identidade" e a referência ao Vale e Azevedo tentam sublinhar um certo afastamente entre a base popular do Benfica e o Presidente de então. Para isso, penso eu, basta ver a vitória do Vilarinho, arrancada com o apoio da base benfiquista.

Sintomático, também, do afastamento de que falo, era o recurso sistemático, por parte do Vale e Azevedo, à contratação do Rui Costa, a fazer lembrar o circo romano.

Talvez seja isto, não sei.

Abraço,
Kaiser

Mr. Shankly disse...

Não, Kaiser e Pedro. A perda de ideintidade com Vale não tem a ver com a luta dada ao sistema, mas à perda (iniciada com Damásio, é verdade) da credibilidade do clube.

Kaiser disse...

Eu acho que não abordei o sistema ou pelo menos não era essa a minha intenção.

O que eu sublinho é o distanciamento do Presidente da base.

Sérgio_alj disse...

Visitem:

http://geoalj.blogspot.com/
Tudo sobre a NBA, os Hornets e as equipas algarvias!

PS: VIVA AO GLORIOSO!!

piazzanuova disse...

Ainda é cedo, mas farei uma análise à identidade do Benfica na era de Vale. Uma coisa digo de antemão, não há revisionismo histórico que me faça desviar da Verdade. Aquele homem quase matou o Benfica.