sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Liga Europa 2

O sorteio para o Benfica foi como que um pouco para o híbrido. Faz lembrar o Peter Crouch. As equipas que o têm, não gostavam de ter e as que o defrontam, não o querem defrontar.

Obviamente, que não é um grupo dificíl. Poderia ter calhado a Lazio, o Bilbau e o Toulouse, por exemplo, como nos poderia calhar um Heereenven, um Hapoel Tel-Aviv e um Sheriff.

Mas olhando para o que nos calhou, é fundamental que o Benfica ganhe os jogos todos em casa e consiga pontuar fora.

Olhemos para eles. Equipa que tenha o Tim Howard na baliza, defesas como o Distin e o Yobo, médios como Arteta, Cahil e Pienaar e avançados como Saha e Jô não pode ser apelidada de fraca, ainda por cima, sendo chefiada por David Moyes, um dos escoceses mais inteligentes que o futebol britânico criou nestes últimos anos. O Everton cresceu muito nestes anos e isso deve-se a Moyes. VAi ser um adversário difícil, mas que em casa, o Benfica tem obrigação de ganhar.

Viajando até ao ex-clube de Katsouranis e Fernando Santos, encontramos um AEK que nos traz de volta à Luz Manduca e ainda Djebbour, jogador que esteve nos planos do Benfica há uns tempos atrás. Foi a equipa que mais empatou no campeonato grego a época passada, e que teve o melhor marcador: Ismael Blanco, de seu nome. Ficou em 4º no campeonato grego, e sendo acessível quando vai fora, na Grécia o ambiente é sempre pouco pacífico.

Da Bielorússia chega-nos uma equipa que o ano passado bateu o pé à Juventus na Champions League, empatando os dois jogos com os italianos na fase de grupos. O BATE Borisov lidera o campeonato com 9 pontos de vantagem e menos um jogo que os adversários. Não é uma equipa difícil, longe disso, mas a viagem, ainda por cima longa, deve acontecer com o inverno bem mais rigoroso para terras de Leste.

É no fundo um grupo que o Benfica tem a obrigação de passar. Basta ganhar os jogos em casa e pontuar fora, seja na Grécia ou na Bielorússia. Em Liverpool, Godison Park será uma incógnita, mas que espero tenha o mesmo desfecho de Anfield Road, há 4 anos atrás.

Boa Sorte! Viva o Benfica!

3 comentários:

JNF disse...

Será muito difícil pontuar fora, seja em que terreno for (talvez não com o BATE, mas com os outros é).

As equipas escocesas e inglesas são quase imbatíveis em casa e raramente causam problemas fora. Já os gregos, como os turcos, em casa são infernais.

My Research e-Portfolio disse...

Não concordo JNF. O Benfica costuma dar-se bem com o futebol inglês e o Everton não sendo fraco está a milhas dos grandes. Da Grécia temos uma péssima experiência passada - mas valha a verdade que somos demasiado superiores ao AEK para pensar logo que o jogo é perdível. Do Bate Borisov podía ser mais fraco mas também podia ser mais forte. Prefiro este grupo a um por exemplo com: Lille, Partizan e Genova. Mas concordo que seria mais facil um com Club Brugge, Levski Sofia e FC Sheriff. Por outro lado teremos boa casa com o Everton e AEK ...
O Benfica é o mais forte do grupo

Sempre disse...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/