quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O que parece complicado é bastante fácil

Se não há jogadores para interpretar o sistema, mude-se o sistema. Javi sem apoio, ocupação de espaços praticamente nula no processo defensivo, equipa sem profundidade nas alas.

Pormenor importante: Pjanic, o médio que mais perto jogava do cabeça de área do Lyon, foi o "francês" que mais km percorreu ao longo dos 90 minutos. Martins, o que deveria estar mais próximo de Javi, nem nos 5 mais do Benfica (ter saído aos 78' nada justifica). Dois detalhes individuais que explicam o jogo colectivo de cada equipa.

3 comentários:

L. disse...

se o martins saiu aos 78 minutos, obviamente é impossivel estar no top 7, quanto mais no top 5.

que parvoices que ando a ler aqui. umas atras das outras.

Astutillo Malgioglio disse...

Como sou um gajo chato, deixo-te mais umas parvoíces.

"obviamente é impossível estar no top 7" é bom de se dizer, mas podias justificar.
Eu digo-te que os jogadores que mais km percorrem são por norma os laterais e os médios centro. Um médio centro tem um raio de acção incomparavelmente superior ao de um central. 12 minutos não será suficientes para que um central percorra mais terreno, mesmo que se chame David Luiz.

Recorrendo à comparação que fiz, o Pjanic jogou mais 12 minutos que o Martins, mas nos 78 em que ambos estiveram em campo, 35 foram com o Lyon em superioridade numérica. O que acontece por norma? Os jogadores da equipa em inferioridade são forçados a cobrir uma área de terreno maior. Isto deveria equilibrar as coisas.
De qualquer forma, interessa-me o período de igualdade numérica. E mesmo nesses 43 minutos antes da expulsão, foi evidente que o Lyon tinha mais espaço para jogar que o Benfica. E tal aconteceu, em parte, porque o Pjanic deu a devida cobertura ao seu trinco, enquanto o Javi andava constantemente ao abandono. Mas como escrevi, este exemplo individual serve apenas para ilustrar a diferença colectiva. O Lyon foi mais compacto, mais agressivo, mais equipa. Ponto.

Mas está tudo bem, o Benfica está fortíssimo nas transições, joga a toda a largura do terreno e não há nada que nos deva preocupar. A não ser, claro, que sejamos parvos.

EK disse...

Este jogo fez muito mal a alguns. L., trata-te. Há ajuda por aí.