quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Os Actos da História (I)

I - O final da época 2009/2010 até ao Campeonato do Mundo


A 9 de Maio, o Benfica tinha-se sagrado Campeão Nacional, ao fim de cinco anos, em que o FC Porto tinha ganho os campeonatos todos nesse intervalo, entre o título de Trapattoni e o de Jesus. Com um treinador português, o Benfica apresentou-se com uma garra, um querer, uma vontade própria dos velhos tempos, em que um conjunto de jogadores faziam a diferença e deslumbravam no campo. Para além do Campeonato, uma Taça da Liga, uma presença nos quartos-de-final de uma competição europeia (contra o Liverpool e quatro anos depois da melhor prestação) e uma eliminação precoce na Taça de Portugal frente ao V.Guimarães.


Depois da vitória, a consagração. Entrevistas do treinador à RTP N e à SIC. Entrevista do Presidente à SIC e o desejo solene de conquistar o bi-campeonato e fazer uma prestação meritória na Champions League, com o desejo secreto de a conquistar, caso fosse possível, usando as palavras do treinador. A euforia que se sentia dava para tudo, até para sonhos que se pareciam altos demais.


Pelo meio, a notícia de que João Gabriel teria apresentado o pedido de demissão. Para uns, contra-informação, para outros, confirmação. E com essa confirmação, as entrevistas de Jesus na TV foram a mostra de que a preparação para as mesmas não foi cuidada e houve incúria nalgumas respostas. O afastamento temporário de João Gabriel contribuiu para isso.


Jesus tem entretanto alguns pedidos a fazer à direcção da SAD, que prometeu, através do Presidente, tentar satisfazê-los. Nomes em cima da mesa e equacionados pelo treinador: Quaresma, Simão, Ronaldinho e Huntelaar, eram 4 ases que se pretendia, para fazer face às saídas já há muito previstas de Ramires e Di Maria. A ida para férias foi feita com o pressuposto de que haveria hipóteses de algum dos nomes vir, o que por si só já era muito bom...

4 comentários:

djeiti disse...

nao foi a 16 mas sim a 9 de Maio...

Mister D disse...

Alterado! Obrigado pela correcção!

Manuel disse...

"A mesma tinta que escreve toda a história é apenas preconceito fluido". Mark Twain.

"Um historiador é um tagarela que chateia os mortos". Voltaire.

GeracaoBenfica disse...

Porra! Consegues ser mesmo pagajoso, oh Manuel!