segunda-feira, 26 de julho de 2010

Ideias sobre o Benfica x Mónaco

- Roberto precisa claramente de confiança. E precisa que Jesus a dê. A resposta que deu ao jornalista que lhe perguntou qual era o problema foi das melhores que deu nos últimos tempos. As peças, reportagens e análises que se fizeram no final do jogo são de uma mediocridade atroz de quem procura casos, polémica e desestabilização, que terá de ser tratada como é lá em cima: à base do silêncio. A parte da porrada não é precisa.

- David Luiz continua na mó de cima junto dos adeptos benfiquistas. E isso dá-lhe o crédito de fazer asneiras, como já as fazia o ano passado. O problema é que a equipa ofensivamente responde e toda a gente tem os olhos no guarda-redes espanhol, esquecendo-se dos problemas defensivos que o grande ídolo da Luz comete...

- Nico Gaitán é jogador da bola. O jornalista do i que escreveu esta frase ("Gaitán, o canhoto que só gosta de jogar pelo meio, pode mesmo ser o substituto do extremo Di María?") não percebe da poda e como não percebe da poda, vai mandando umas postas de pescada. Os movimentos de Gaitán permitem ao Benfica não estar tão dependente de um jogador como o ano passado com Di Maria, e isso é bom. Aliás, basta observar com atenção o 2º e 3º golos do Benfica para se perceber do que se está a dizer...

- De todos os nomes que se têm falado que se podem sair do Benfica há dois que ainda não vieram a público e isso é uma excelente notícia e vantagem para o clube. Falo dos dois pequeninos argentinos, que o seu futebol é enorme. Aimar e Saviola continuam a mandar na dinâmica ofensiva da equipa e com isso, o futebol do Benfica agradece, assim como os seus sócios. Ter um jogador, que antes de receber a bola, já sabe o que vai fazer com ela, é um privilégio que está ao alcance de muito poucos no Mundo...

3 comentários:

NSC disse...

Curioso que digas isso do David Luiz pois fiquei com a mesma impressão.

Ao meu lado na bancada estavam uns tipos que só falavam mal do Sidnei, que não estava a jogar nada, parece que só dava erros e só fazia alguma coisa porque tinha ao lado o David Luiz e o Amorim. Eu eu perguntava-me se estavam a ver o mesmo jogo que eu, pois eu fiquei com a impressão que o Sidnei contra o Mónaco esteve bem melhor que o David. E estive atento.

Tal como estive atento ao Roberto. Não creio que seja mau guarda-redes, mas vê-se pela forma como está na baliza que parece não ter confiança. E tem tido azar. Sofre dois golos não tendo culpa, sois surgem de passes errados no meio-campo. O Júlio César e o Moreira, por sua vez, não tiveram trabalho nenhum.

Constantino disse...

Isso do David Luiz já eu referi muitas vezes, às vezes congela-lhe o cerebro. Ao tentar ser tão impetuoso à vezes mete água, especialmente nas subidas com a bola controlada que por vezes dão barraca (isto nota-se muito menos com o Javi em campo).
Quanto ao Roberto, digam o que disserem que é da bola, que é da confiança, que é das luvas, que é do preço... o problema é mesmo técnico. Aliás a forma como fez a mancha no 1-1.... digamos que deixou muito a desejar e já não é a primeira vez que aborda assim um lance deste genero, fe-lo tambem em guimaraes (sem o resultado do ultimo jogo). Já li aqui criticas ao Quim quando sofremos o 1-1 do assis na Luz na espoca passada a dizerem que a culpa foi dele porque fez mal a mancha (aliás fui procurar e encontrei o texto: Nuno Assis conseguiu fazer golo perante um Quim que se desviou da bola, argumentem o que quiserem argumentar). Não sei, mas parece-me que mesmo uma mancha mal feita do Quim era melhor que uma mancha não feita do Roberto. (e eu que já tinha prometido não escrever mais acerca do homem).
De resto Airton e Kardec estão feitos uns senhores jogadores, mas Javi e Cardozo estão noutra dimensão, mesmo que Abola queira fazer passar a ideia de qe o Javi esta a caminho do banco (espero que não seja uma manobra de despedida do espanhol).

PalCba disse...

Boas,

Em relação ao David faz o faz pois sabe que tem as "costas quentes" por parte de Luisão e Javi, no entanto ainda necessita saber a medir o timing certo para as suas aventuras na frente.

E relação ao Roberto, na minha opinião, uma gestão na sua entrada, ou seja, de uma forma faseada e nestes jogos de treino era a 1/3 com os outros.
Penso que seria melhor para o sua confiança, pois a pressão baixava.
Assim um desvio da bola ou um lance daquele sem hipótese, será sempre analisado como " frango" e depois se admite que outro qualquer teria o mesmo.
E a sua posição não admite erros de adaptação como o que passa com os seus colegas de campo. O exemplo do gaitan pode servir, pois não tendo jogado mal não esteve ao nível dos anteriores jogos.