terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Justiça e injustiça

O prémio atribuído pela FIFA, ontem, destinava-se a melhor jogador de 2008. Assim, não tenho a mais pequena hesitação: Ronaldo merece ser consagrado.
Penso, no entanto, que a não consideração de Casillas - e tenho alguns amigos que me chamam louco... - para, pelo menos, os 5 primeiros, merece a maior das apreensões sobre o destino o futebol. O homem ganhou (e foi mesmo ele que ganhou!) o título para o Real Madrid e deu uma forte ajuda, com excepcionais defesas, para que a Espanha fosse campeã europeia.
Não percebo, saliento, porque é que os guarda redes estão a mais na história do futebol!

6 comentários:

Bonobo disse...

Isso e o Xavi nao ter ido ao podio foi escandaloso!!!

Bonobo disse...

Isso e o Xavi nao ter ido ao podio foi escandaloso!!!

Anónimo disse...

Nestes prémios, só conta o primeiro, o resto é decoração. Quem é que se lembra do 2º ou 3º ou 4º de há 3, 4 ou 5 épocas atrás? O que fica para a história é o primeiro, o resto vai para um canto escuro da memória e para os doentes das estatísticas.

No que respeita ao Casillas, até posso concordar, mas quanto mais para trás é a posição que um jogador ocupa em campo, mais difícil se torna ganhar prémios destes. Basta ver as estatísticas deste prémio (e de outros semelhantes) para se constatar isso: os avançados e os artistas da bola têm primazia, depois vêm os centro campistas de quando em vez e um defesa de 10 em 10 anos. Guarda redes nem vê-los. E o facto é que o Casillas vale mais de 10 pontos por época... e isso é algo de excepcional. Tomáramos nós ter um guarda redes desses.

Coglionne Nero

Kaiser disse...

"Os artistas da bola"...

É exactamente aí que bate o ponto.

O grande Michel Preud'Homme era, a todos os níveis, um artista da bola que nunca teve, nem teria, a oportunidade de ganhar o prémio do rapaz mais irritante do Mundo (por ora).

Percebo e concordo inteiramente com o inespugnabile, e reforço: o Torres, em 2008, não foi melhor que o Casillas.

Quanto ao puto mais irritante do Mundo, nunca duvidei que merecesse o prémio: foi, a todos os níveis, o melhor em 2008 (e de certeza que se não tivesse falhado o penalti seria o 1.º, o 2.º e o 3.º). Acontece, porém, que o puto mais irritante do Mundo não sabe ser campeão, não sabe ser o melhor, e é por isso que leio e me revejo no comentário do piazzanuova.
Isso, por enquanto, está reservado para o Káká, o Messi e outros que tal.

Mas também, com 23 anos, um Ferrari na sucata e uma mão cheia de fotografias de putas nas revistas, não se pode pedir mais.

Abraço,
Kaiser

Anónimo disse...

Engraçado que ninguém se lembre do Messi a cuspir no Duda, do Málaga, há bem pouco tempo.
Mas, claro...O Ronaldo é que não sabe ser campeão. Só porque dizia o que era mais que evidente. Foi o melhor em 2008. Se todos o viram porque razão haveria ele de dizer aquilo que todos chamam o "óbvio" como "eles também são bons", "eles merecem como eu" e blá, blá...
Mas é verdade, o Ronaldo é português e dizer que não se gosta dele é tipo uma moda, como em muitos outros casos de sucesso português.

RJ

Anónimo disse...

Ainda a propósito do Casillas e dos prémios para os guarda redes.
Independentemente do valor do espanhol e do Peud'Homme, que foi o melhor guarda redes que vi com a camisola do Glorioso (e eu vi muitos), parece-me que atribuir o prémio do melhor futebolista do ano ao único elemento em campo que joga basicamente com as mãos, um contradição em si. Acho que foi o Valdano que escreveu uma crónica fabulosa, há uns tempos atrás, sobre o papel especial do "portero".
Já agora , eu também não morro de amores pelo chamado "puto maravilha". Incomoda-me o endeusamento, o massacre noticioso, os elogios (que aliás são mais obcenos que os próprios autoelogios do artista). Porque os orgãos de comunicação social são bem mais culpados do que ele próprio pelo facto de ele nos invadir os écrans televisivos constantemente.
Já agora e ainda a propósitito do CR, quando o ano passado o Kaká ganhou o prémio e ele se quedou pelo 3º lugar, o poder instituido na FIFA e à volta dela, justificou a atribuição do prémio ao brasileiro não só pelo que fez mas pelos títulos conquistados. Foi visível que o CR, na altura não ficou lá muito contente com o último lugar do pódio. Pessoalmente eu nunca o ouvi dizer "ipsis verbis", nas milhentas aparições que fez na televisão esta época, que era o melhor. O que ele disse é que ninguém tinha feito, individual e colectivamente, o que fizera. E essa afirmação tinha tudo a ver com o que se passara na atribuição do prémio no ano passado. Porque o Kaká fora o melhor por ter conquuistado esses prémios todos.

Mas que ele é, pelo menos, o mais completo jogador português que já vi jogar, lá isso é. Não disse o melhor, apenas o mais completo... Ainda não é o melhor português de todos os tempos, mas é o único que pode almejar entrar no patamar dos Pelés, dos Maradonas, dos Eusébios e dos Cruyfts, lá isso só um cego não vê.

PS: Mas que o tipo e a entourage toda dele são muito irritantes, é verdade. E que não há pachorra para o ver fora de campo ainda mais. Nem para ver todos aqueles imberbes pseudo jornalistas a fazerem pseudo grandes reportagens sobre ele e sobre os seus bólides e prémios ainda mais. E à cabeça está o atrasado mental do Nuno Luz, que é a "loira-mor" dos jornalistas ditos desportivos.

Coglionne Nero