domingo, 19 de dezembro de 2010

Barnabices

Não percebo os Benfiquistas que se demonstram preocupados com a alegada "perda de um símbolo". A Vitória não é o símbolo do Benfica. O duplo da Vitória que posa para as fotografias também não é o símbolo. A águia do Benfica é a que está no próprio símbolo do Sport Lisboa e Benfica. O espectáculo é realmente bonito, mas calma lá com os exageros...

Curioso que este caso resulte numa cruzada de Barnabé contra a segurança da Luz, o mesmo Barnabé que chamava prontamente a segurança sempre que desconfiava ter sido fotografado ou filmado nas visitas às instalações do Benfica. Assisti a uma dessas situações e não apreciei a forma agressiva como o espanhol agiu.

Surgiu entretanto a carta que Juan Barnabé terá enviado à Direcção e onde se lê que as alterações ao seu ao relvado acesso estão relacionadas com exigências da Liga. Assim sendo, menos se percebe o que sucedeu e a insistência do espanhol em aceder ao relvado por aquela zona. Tão pouco se percebe a sua preocupação relativamente a adeptos adversários que estacionam nas nossas garagens, ele que sujeitou a águia Vitória ao arremesso de diversos objectos quando insistiu em provocar os super-cagões.

Ainda assim, se o actual chefe de segurança "exagera" nas suas funções, é bom que o Benfica reflicta sobre o assunto. Será conveniente recordar que o mau desempenho de um antigo funcionário culminou numa das mais agitadas Assembleias Gerais do consulado de Luís Filipe Vieira. Entretanto, tal como em 2007, o caso deste fim de semana está a desenterrar várias histórias de problemas entre sócios e elementos da Prossegur. Seria bom que todos os sócios apresentassem reclamações junto do Benfica e que o Clube agisse em conformidade junto da empresa.

Pelo meio o Benfica venceu. E mais que vencer, deu-nos um cheirinho do Benfica que nos encantou na época passada. Espero que esta exibição não se tenha resumido a uma prenda de Natal e que Janeiro traga a mesma vontade de vencer que ontem reconhecemos desde o apito final. Se assim for, acredito que o Benfica ainda pode vencer 3 títulos. O campeonato, infelizmente, morreu hoje. Se ontem Coentrão, qual Kandaurov, nos relembrou a curiosa anatomia dos Benfiquistas, hoje aprendemos que também uma chuteira pode ser tomada por um braço.

Triste foi a expulsão do Fábio. Não gostei de ver e tenho dificuldade em compreender os benefícios, já que este duplo amarelo não limpará os cartões anteriormente exibidos ao lateral.
5. O jogador, que no mesmo jogo for sancionado com o cartão amarelo e cometer outra falta não qualificada a que corresponda cartão amarelo ser-lhe-á, exibido novo cartão amarelo, imediatamente seguido de cartão vermelho, com expulsão do terreno do jogo, sendo punido automaticamente com um jogo de suspensão e a multa de € 150 (cento e cinquenta euros), não contando os cartões amarelos exibidos para efeito de acumulação

3 comentários:

bailarino disse...

Não sabia que não contavam para acumulação mas prefiro que o flávio falhe um jogo para o campeonato em casa (com o nacional por exemplo) do que fora com Leiria (jogo muito dificil!).
Mas os regulamentos estão mal feitos (como é normal). Por mim era: 5 amarelos: um jogo de suspensão automático no campeonato. É expulso nesse jogo? leva outro jogo de suspensão. Acabavam-se os malabarismos.

Pedro disse...

Foi a primeira coisa q pensei qd o Coentrão se preparava para marcar o pontapé de baliza mas depois disse para com os meus botões "nã, eles devem saber o q fazem". Afinal...

Pedro disse...

Pois claro que não limpa, mas lembra-te do jogo do leiria no ladrão e faz a ti mesmo esta pergunta:
- Preferias jogar em leiria com o fábio ou sem ele?

Cumps