terça-feira, 25 de janeiro de 2011

69 anos: o início da hitória de um amor eterno!

Pode a história da maior instituição de um país confundir-se com a história de um homem nascido num bairro pobre, no Bairro da Mafalala?
Pode e o Benfica, maior instituição portuguesa, é disso prova.
O Bairro da Mafalala estava destinado a ser grande. Primeiro nasceu Craveirinha, expoente máximo da poesia africana, depois nasceu Eusébio, o King de um mundo inteiro. Há 69 anos...
Há 50 anos, quando desembarcou em Lisboa, Eusébio entrou como uma flecha numa grande equipa, consituída por jogadores de excepção e capitaneada por uma lenda - José Águas!
A essa equipa faltava, porém, um génio. Um génio do Bem.
Eusébio, esse génio, entrou e provou: não se limitou a aterrorizar adversários em Portugal. Por todo o lado, visou balizas, enfrentou chuteiras afiadas, adversários prontos a lesioná-lo, equipas inteiras preparadas para o enfrentarem e a todos derrotou. Derrotou uma, duas, três, várias vezes...
Derrotou de tal forma que perdeu três finais de taças dos campeões europeus. Perdeu, ganhando: numa lesionaram Coluna, em Londres contra o Milan, para que pudessem derrotar o Glorioso, nas outras duas marcaram-nas na terra do adversário, para que pudessem jogar como queriam. Hoje, meus caros, hoje a história seria diferente...
Aqui há uns tempos, quando passaram os 50 anos da chegada do King a Portugal, escrevi aqui um texto que levou com alguns comentários que reforçam a minha ideia sobre a má formação benfiquista de muita gente. Uns, para elevarem Coluna (outra das lendas), afirmam que Eusébio era só mais uma peça, numa máquina já oleada (FALSO!); outros, numa ultrajante análise deturpada de factos, referem que Eusébio não é bom benfiquista por se fazer cobrar nas visitas que faz às casas do Glorioso (entre outras afirmações que nem pretendo referir)!
Se Eusébio não se cobra, devia fazê-lo! E devia fazê-lo ao próprio Benfica: se o Glorioso é o que é, se o Glorioso tem a história gloriosa que tem, se o Glorioso é conhecido em todo o mundo, à fama de Eusébio (também) o deve!
São os próprios colegas de Eusébio que reconhecem este facto: entre todos, Eusébio era o génio!
É por isso que vos deixo este texto, da autoria de um grande amigo, que foi colocado numa das várias janelas que já se abriram sobre o King:
"Tivesse o Eusébio ido para o clube dos viscondes e hoje o Glorioso seria outro. Seria outro clube, seria outra dimensão de clube. Tivesse o Benfica (e as autoridades salazarentas que mandavam) permitido a sua saída para Itália e o Glorioso seria outro. O Eusébio também pois teria muitíssimo mais património e não necessitaria de andar a vender prestígio passado. Tivesse o Eusébio recusado jogar inúmeras vezes com o joelho infiltrado em inúmeros jogos de exibição e o Benfica nunca teria podido cobrar os elevados cachets que cobrou e cimentar o seu estatuto mundial. Não tivesse o Eusébio pedido para ser infiltrado para poder jogar em partidas decisivas e não decisivas porque "tinha de ajudar os colegas" e o Glorioso não teria ganhos tantos títulos como ganhou. Tivesse o Eusébio poupado pelo menos o seu joelho coxo e teria tido uma carreira mais longa e o seu andar seria hoje normal, como o da maioria dos cidadãos. Não tivesse o Eusébio tomado posição pelo Manuel Vilarinho (pondo em risco o seu parco rendimento de representação) e hoje o Glorioso seria uma saudade.Portanto, o Eusébio tem crédito ilimitado de asneiras e parvoíces para o resto da, sua vida. E ainda sobraria para mais 6 vidas se fosse gato.Portanto, PUTA QUE PARIIU OS IGNORANTES, OS ESQUECIDOS, OS MAL AGRADECIDOS E TODOS OS ANÕES FILHOS DE PUTA QUE SE ESQUECEM DE DOBRAR A COLUNA E FAZER VÉNIAS QUANDO O SEU NOME É EVOCADO.Acima do Eusébio só o Glorioso clube que representou!"