sábado, 29 de janeiro de 2011

David Luiz: O paradigma da indefinição

Toma-se o DL como referência, como se poderia ter tomado- fosse caso disso- o Fábio, o Carlos Martins, o Luisão, para ilustrar um facto indesmentível: a política Desportiva do Benfica necessita de encontrar um ponto de equilíbrio.

Os adeptos querem uma Equipa capaz de ganhar non-stop.

Os adeptos querem que os jogadores SINTAM o Benfica como eles.

Os dirigentes querem o Estádio cheio, e uma perspectiva de rentabilização de jogadores para manter o Clube sustentável.

Isto é o que se quer. Agora vamos ao que se tem:

Uma estrutura de jogadores altamente profissionais, a maior parte deles nem sequer nascidos no Continente Europeu. Daí decorre que tendencialmente o Benfica seja sempre encarado não como um fim em si próprio, mas como um local de emprego em tudo similar a qualquer empresa.

DOIS jogadores da Formação no plantel Sénior( Moreira e Roderick. Rúben fica obviamente de fora porque acho que a hipocrisia tem limites,e dispensá-lo em júnior para o ir buscar com 23 anos não se enquadra no perfil de progressão de carreira no Clube). Daqui temos que pouquíssimos jogadores do Benfica têm aquilo que se chama de ADN Benfiquista.

Avancemos, há casos de jogadores estrangeiros que fizeram do Benfica a sua Pátria e o sentiram tão fortemente como Nós. São felizmente bastantes, por isso não vou enumerá-los(mas ver o Mats inchar ainda mais quando fala do Benfica é algo que aquece o coração mais empedernido.)

Pegando no caso do DL, está aqui escarrapachada a incongruência de valores na política Desportiva do GLORIOSO: o puto sente o Clube e disso faz alarde. Que fez o Clube? Promete-lhe uma renovação que nunca cumpriu. Contratou Rodrigo por 6M, Roberto por 8,5M e disseram a DL, agora não temos dinheiro para a renovação, além disso não podes sair.

Sinceramente, isto é gestão? Para depois ventilar pelos respiradouros do futebol que o DL está descontente? QUEM NÃO FICARIA DESMOTIVADO? Responderão os Benfiquistas mais ortodoxos: Se o gajo é Benfiquista isso deve bastar-lhe. E aí chegamos ao cerne da falta de equilíbrio.

Esse género de crédito moral só pode ser assacado a quem faça parte do Clube desde sempre, que entenda a sua dimensão e repercussão a nível global. Exigir a jogadores que vêm do outro lado do Mundo que entendam e sintam o Benfica como deles em curto espaço de tempo é uma utopia.

Logo, que fazer? Promover mais jovens das camadas jovens, dar um sentido de IDENTIDADE ao plantel. Contratar muito menos jogadores. MUITO MENOS JOGADORES. Alguém ficará a arder com milhões em comissões, mas...COMO DIRIA UM ANTIGO PRESIDENTE: ESTOU-ME CAGANDO!

No caso concreto, renovar-lhe o contrato JÁ.

11 comentários:

Passaralho disse...

Só tenho um pequeno 'desacordo'...

É que acho que nem aos que são formados no clube, passam lá a vida inteira e o vivem e sentem como nós se pode pedir para não desmotivar em circunstâncias destas.
Há limites para tudo.

Cumprimentos,
Benfica Sempre!

GM disse...

Tudo certo, tudo certo.

Só que..relativamente ao 'estou-me cagando para os comissionistas'..e o Fundo?..como é?..
..isto não é só pedir apoios em alturas difíceis, etc, etc..claro que também existem contra-partidas. Pois.

Em suma, temos (Nós, os dirigentes eleitos por Nós) obrigação de colocar o Clube num patamar de AUTO-SUSTENTABILIDADE para que os David's Luiz's não sejam empurrados por essas gentes, para que o Presidente do Benfica (seja ele quem for) não seja obrigado a vender as pérolas.

Que ninguém me venha dizer que é impossível atingirmos essa Condição.

L. disse...

tudo bem com o que dizes, a questão de fundo e tal.

mas uma discordância:

o ruben amorim tem adn benfica. esteve la varios anos e voltou - e ainda bem que voltou.

se nao incluires o ruben tambem nao podes incluir o moreira: o moreira so ca chegou aos 17 anos, so a parte final da formacao foi no slb.

por isso sao 3: ruben, moreira e roderick. espero que para o ano sejam 5.

falares do rodrigo tambem nao faz sentido, porque ele nao ocupou nenhuma vaga no plantel.

quanto ao roberto, nao tens nenhum jovem redes da formacao pronto a ocupar o posto.

último! disse...

Eu faço outra questão, porque razão quero no clube jogadores de formação que ainda não estão preparados para o representar?

Os lagartos tentaram fazer o mesmo e lutam para o quarto lugar, tenham calma este foi o segundo ano de uma formação que chegou à primeira e roda noutros clubes para crescer, estão esquecidos que tudo foi construido de novo?

O Simões, o Oliveira, Rosa entre outros no nosso plantel nunca calçavam, tê-los apenas para o banco ou bancada era bem pior, que joguem e regressem em grande.

Pedro disse...

Claro que faz todo o sentido falar no Rodrigo e ainda para mais por ele não fazer parte do plantel...se prometeram renovação ao DL e depois dizem q não têm dinheiro pq gastaram 6 milhões num oputo desconhecido q nem sequer fica no clube. É claro q faz todo o sentido falar no Rodrigo.

MS disse...

Moreira veio para o Benfica aos 17 anos.
Sempre me pareceu abusiva a apropriacao benfiqusta da formacao de Moreira.
Seria como eu tirar o pudim da forma e parti-lo em fatias e depois dizer que foi receita minha.

GM disse...

'tás errado, 'último'.

Quanto aos lagartinóides, não comento.

Quanto ao resto, só me resta dizer-te: ainda bem que o Eriksson não pensou como tu em 91 quando foi recuperar o Rui Costa ao Fafe..ou é preciso lembrar que nessa época O 'Pantufas' foi suplente do Thern e do Schwarz praticamente a época inteira?!..e nenhum deles tinha as características do Rui Costa..
..só que não dava porque Ele ainda não tinha estofo.
Há que deixá-los a marinar e muitas vezes isso passa por andarem um ano ou 2 a aprenderem com os craques, a treinarem com eles diariamente.

'se não for para ser titular então que se empreste' Depende do momento de crescimento do jogador..existem milhares de exemplos.

GM disse...

Aimar - David Simão e Miguel Rosa. Claro!

Cardozo/Saviola - Nélson Oliveira. Evidente!

Coentrão - Mário Rui. Dúvidas?!

Sem medos, pah...

Mister D disse...

GM, eu é que acho que estás errado. O Rui Costa foi chamado ao plantel principal do Benfica porque marcou aquele estrondoso golo à Austrália na meia-final do campeonato do Mundo de juniores. Se não fosse isso, provavelmente nem sei onde ele andaria. Schwarz tinha chegado nessa época ao Benfica e por acaso o nº10 da equipa era um senhor que se chamava Valdo.

Existe um preconceito no Benfica com a Formação, de há uns anos para cá. Podemos agradecer a quem? A muita gente, começando pelos sócios / adeptos que se dirigem ao Seixal a exigir a miúdos de 14 e 15 anos que façam coisas como adultos fazem. E isso, meu caro, é muito difícil de combater...

GM disse...

De facto, esse momento desiquilibrou bastante a favor dele. Nem se discute. Essa avaliaçao relativamente ao preconceito, também a subscrevo em absoluto.
Rui Costa faz esse maravilhoso Mundial dp duma excelente época em Fafe (90/91 - 31 jgs e 6 gls)
Mas permite-me a insistência relativamente ao detalhe que não é mais do q isso mesmo: um detalhe. Schwarz havia chegado um ano antes, logo a seguir ao Mundial 90 (um ano antes do de juniores e até entrou de rompante como medio esq marcando 4 gls nas primeiras jorn e lesiona-se de seguida. A sua recuperaçao dura praticamente toda a época) e Valdo era o '10' nesse ano (90/91). Valdo (tal como Ricardo) sai da Luz em 1991 (ano desse Mundial d juniores), ou seja, o Rui Costa nunca chega a jogar com Valdo. Entra no plantel em 91/92, e Eriksson vê-se obrigado a jogar com Thern e Schwarz no miolo, face à falta de estaleca do ainda impreparado Rui Costa..dá-se o tal episodio em Alverca (eliminatoria d Taça) em q Rui Costa fica, mais uma vez, no banco e amua. Eriksson dá-lhe uma liçao que o faz crescer: 'o menino com 19 anos ousa julgar-se 'titular' do Benfica?!! O menino olhe à sua volta..deve assentar os pés no chão e trabalhar.' Outros tempos, outros níveis de exigência, outra forma de fazer crescer os talentos da Luz.

P.S. Só pra completar a minha ideia relativamente ao tal preconceito: isso deve(u)-se à nossa fome de títulos e pressa em vencer, pois já nessa altura (anos 80) nos sentíamos ameaçados por algo sinuoso que manchava o desporto nacional e q nos barrava, q nos impedia de obtermos as sucessivas vitórias a que estávamos habituados..precipitámo-nos.

Saudações.

GM disse...

No meu último comentário esqueci-me de deixar claro que se tratava da minha resposta à observação do Mister D. As minhas escusas pela imprecisão.

Saudações.