domingo, 30 de janeiro de 2011

Laurentino Dias

No braço de ferro entre as Associações e o Governo, o Estado de Direito não pode sair a perder: apesar de os clubes serem, de facto, os principais prejudicados, o estatuto de utilidade pública tem de cair!
Caso assim não aconteça, como penso, é a autoridade do estado que está em causa...
PS - ninguém, mas mesmo ninguém, me convence que o presidente do porto não está por detrás disto: considerando que a justiça desportiva, em sede de recurso, vai transitar para o Tribunal Arbitral, na pendência do Comité Olímpico e presidido, por ora, por Miguel Galvão Telles, pinto da costa não permitirá que haja alteração de estatutos sem ver o lacaio Paulo Costa a presidir à comissão de arbitragem unificada. Por isso não percebo a dúvida: os estatutos, enquanto o homem tiver poder, não serão alterados tão depressa...

Sem comentários: