terça-feira, 5 de maio de 2009

A perfeita indecisão

Fala-se muito no Benfica e no que o rodeia. Sempre se falou e sempre se falará, quanto muito porque o Benfica é o maior clube português e ainda faltará algum tempo para outro lhe chegar em termos de massas populares.

Hoje em dia, o Benfica vive em permanentes indecisões, quando deveria já ter tido um rumo definido há algum tempo, e os nove anos que passaram sobre o eterno causador do problema (pelo menos, nas palavras desta direcção) já são mais do que suficientes para o Benfica ter uma estabilidade que voltasse a ombrear com os adversários de dentro e com os de fora.

Mas a 3 jornadas de acabar o campeonato, estamos adiscutir novamente se teremos treinador para o Benfica, se teremos jogadores para o Benfica, se a Direcção vale a pena ser mudada, se o Director-Desportivo tem condições para continuar, se os adeptos são isto ou aquilo...

Continuamos na senda de sempre e de há uns anos para trás. É o Jesus, é o Cajuda, é o Eriksson, é o Scolari, é o jogador A, jogador B, jogador C ou D. E até os Presidente não é poupado, mas continua a ter o mesmo crédito porque recuperou o clube. Recuperou o clube, sim senhor, mas pensarmos que não ir à Champions League dois anos seguidos e investir com força na contratação de jogadores é uma medida sensata, porque basta um pequeno ajustamento,e stamos muito enganados.

Depois vem o problema de Quique. O piazzanuova diz que o treinador tem de jogar para o resultado e não para a exibição. Teria razão se o treinador fosse Trap ou outro com a mesma experiência que Quique não tem. Já deu provas disso durante este campeonato e ou chamava as coisas pelos nomes (jogadores que não rendem, jogadores que fazem birras e vão embora, intromissões de dirigentes, o que quer que seja) ou fazia do Benfica uma equipa com resultados e não uma equipa "Empata-fodas", ou seja, não ganha, mas também não perde e anda ali ao sabor das marés.

Eu fui um dos que bateram palmas no final do Benfica - Galatasaray, justamente porque acreditava que a equipa tinha demonstrado querer e atitude. E porque razão essa mesma equipa não a mostrou nos demais jogos? porque razão, jogadores que são pagos a preços proibitivos para o campeonato português e têm os salários em dia, não diginificam a camisola, nem que seja pelo historial do clube que representam? Porque razão não há ninguém que dê um valente murro na mesa e ponha ordem a esse tipo de "rebaldaria"?

Daí o título do post. Reconheço alguma capacidade a Quique Flores e à equipa técnica que o acompanha, mas o que mostrou este ano foi fraco para uma equipa como a do Benfica. É certo que temos um plantel desiquilibrado (ao contrário do que muitos pensam), ams não serve de desculpa para tudo. Se conseguimos estar em 1º com este plantel, foi porque algo falhou.

A sondagem já está ali ao lado. Acham que Quique deve ficar ou não?

1 comentário:

sondagensgloriosas disse...

Porque foi escolhido Petit como mandatário ?

vota nas Sondagens Gloriosas e sugere perguntas