quinta-feira, 24 de março de 2011

E depois do adeus?

Tendo tido a oportunidade de, hoje, trocar impressões (ou seja, "mines") com alguns dos meus habituais amigos e consócios praticantes devotos, confessei-me quanto ao real alcance daquilo que pretendia com um dos meus textos que, infelizmente, se revelou profético.
Não sou apologista da violência. Nem da mariquice.
E como fui ver hoje (ontem) o Glorioso em basket - até para me preparar emocionalmente para o que aí vem, verifiquei:
- um dos meus amigos foi revistado durante um minuto(!) e até os tomates lhe apalparam (quiça por conter galinhas pretas);
- os excelentes profissionais (e, sobretudo, com bom senso) "Spotters" vigiaram com a maior proximidade, isto é, com a devida distância e sobriedade, qualquer inflamação de ânimo;
- três habituais anões cabrões árbitros, fizeram o que quiseram nas alturas cirúrgicas do jogo (falta técnica ao Henrique Vieira - que pode começar a descer à terra...) e não se passou nada;
- também não se passou nada em relação ás provocações e gestos ostensivos do banco dos cabrões;
Posto isto, e sendo quase mais do mesmo, como é que sente um benfiquista nos dias de hoje: mato ou morro?
E quando as merdas azuis festejarem o título, o meu conforto é qual? Estar do lado da razão, da sagez, da temperança? Obrigado, Paulo Coelho!
Confesso que não sei, realmente, o que fazer perante um sentir que sei colectivo. Sei, isso sim, é que há algo a fazer. Mais ideias:
- recusa de venda de bilhetes aos porcos por manifesto perigo para a ordem e tranquilidade públicas;
- entrada dos porcos para o aquecimento colocando a música de "O Padrinho";
- colocação nos painéis electrónicos, durante todo o aquecimento, das imagnes dos últimos 20/30 anos com os roubos de arbitragem, agressões no campo e fora dele;
- colocação, em simultâneo, da gravação das escutas telefónicas com os momentos mais ilustrativos do que aquela merda e como funciona;
Por último, e personalizando, Meu Querido Amigo Piazzanuova:
Nós queremos é uma puta duma taça em cima da cabeça, não uma auréola!
P.S.: Quiz Show: O próximo clube em Portugal será:
a) Dínamo do Campo Grande;
b) Spartak de Alvalade;
c)Lokomtiv do Lumiar;
d9 Massa Insolvente de ...;

7 comentários:

Ricardo disse...

Amigo, o problema está exactamente aí... Tu e muitos outros não sabem como tratar os porcos...

A nível equipa técnica e jogadores quando mais os provocam mais raiva eles ganham, e mais cagados ficam os nossos!

Se querem provocar, provoquem os adeptos! Só!

Reparem no discurso do Pillas-Boas... Sempre que lhe falam do campeonato, mesmo a 1 vitória de o atingir, ele diz que continua em aberto! Ele sabe que tá ganho mas passa uma mensagem de cautela!

Se fosse o Jesus dizia que era certo e ia ganhar sem derrotas e iamos ser diabólicos e bla bla bla...

O discurso tem que ser igual. As provocações infelizmente incomodam o seio do plantel do Benfica e dão mais força ao plantel porco! Este factor foi determinante este ano!!!

piazzanuova disse...

Auréolas têm as mamas. Tu falas é de halos.E não, não é essa postura de bully que resolve nada. Muito menos como defendes, a hostilização sancionada pelo Clube. Essa será a morte do artista. Há que ser mais inteligente, sem nunca esquecer que nos regemos por valores mais atos que os da súcia nortenha. Há que confiar nos valores que fndaram o nosso Benfica. fazer o q eles fazem é fácil.

Diz-me lá agora, não preferes ter auréolas em cima da cabeça? eu prefiro!

Nessuno Dorma disse...

É que eu nem gramo do Paulo Coelho...No mais, não posso, nem quero, concordar contigo.

Vai na volta, queres ir contratar o "dj" do dos filhos de pinto da costa de Braga...

Tolices, meu caro e bom amigo. Perigosas tolices...

Pedro disse...

Sinceramente incomoda-me bastante esta postura de anjinho que muitos benfiquistas adoptam.

Sim não somos iguais a eles mas, foda-se (deixem-me dizer foda-se), já chega de ser anjinhos.

Ricardo, a questão é muito simples: eles qd jogam contra nós é como se fosse uma guerra e eles preparam-se para isso. Nós vamos escudados no "somos melhores que eles, somos pessoas de bem, etc e tal" e depois levamos na pá. Levamos pq eles fomentam um ambiente para o qual não estamos preparados. Sempre q conseguimos ultrapassar a questão do ambiente ganhámos. Sempre.

Mas o problema é a filosofia do clube, temos malta que percebe de bola mas que não percebe nem sabe se mexer nos meandros do futebol nacional. E isso faz muita falta. Eu não quero comprar árbitros mas quero que um árbitro seja apertado qd é apanhado a almoçar com um dirigente do fcp ou nos rouba descaradamente num jogo.

Eu adorava, foda-se como adorava, q as escutas passassem no estádio da luz no jogo com os corruptos, como eu adorava q eles entrassem ao som do Godfather, como eu adorava que a direcção autorizasse faixas enormes a dizer corruptos, etc.

O que não pode continuar é esta merda de sermos atacados, apedrejados, roubados e nada, absolutamente nada, acontecer. Eu até percebo o pq de Vieira nada fazer mas os benfiquistas...é pá...temos q fazer qqr coisa...

DeVante disse...

Concordo com o Pedro...

Éh páh, o Pedro nem falou em levarmos bolas de golfe e apedrejarmos o autocarro corrupto...não sugeriu nenhuma agressão física...

Não fazer nada é que não. É por sermos como somos, "diferentes", que um Jorge Sousa qualquer sente à vontade para nos roubar na Luz...porque sabe que não lhe vai acontecer nada...

Essa nossa postura tem vulnerabilizado a nossa equipa e fortalecido os rivais...Em Braga foi óbvio!

Cardozo e Martins sofreram na pele...o que aconteceu ao Braga? Levamos nós uma multa maior!

Eles quando vêm à Luz sabem que não serão atingidos, jogam à vontade e até gozam...Estão mais seguros que nos seus prórpios estádios...Fodas!

Alguma coisa tem de ser feita....essa passividade tem alastrado ao plantel fazendo com que este sinta desprotegido...

Caloiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JPV disse...

Falar de provocações do banco adversário quando se tem na equipa um jogador como Ben Reed é próprio de quem frequenta pouco os pavilhões de Portugal...