terça-feira, 5 de abril de 2011

Estad(i)o Policial

Dois dias passaram e não se vê qualquer reacção às incidências de domingo. Voltámos a assistir à invasão de um espaço comercial gerido pelo Sport Lisboa e Benfica, houve gás lacrimogéneo, pessoas foram retidas no interior dos espaços de restauração por indicação da polícia que, por largos minutos, não permitiu que ninguém circulasse. No fim do jogo, associados do Sport Lisboa e Benfica, com cativo, quotas em dia, foram retirados da bancada a toque de bastão numa ridícula e inexplicável demonstração de autoridade. Pelo meio tivémos que ouvir declarações surreais sobre como o apagão (absurdo e condenável) pôs em risco um grupo de pessoas equipadas com capacetes, caneleiras, escudos, bastões e shotguns. Assim são as nossas forças de (in)segurança, apenas treinadas para malhar o mais forte possível, somente preocupadas com o seu próprio couro. E da parte do Sport Lisboa e Benfica: silêncio.

PS- Continuo sem perceber se as forças de autoridade têm, ou não, formação em primeiros socorros (e dizem-me que sim). No domingo um jovem caíu ao chão depois de levar duas bastonadas na cabeça. Cercados e impossibilitados de recorrer aos bombeiros, pediu-se a intervenção de um dos agentes. Nem um se prestou a auxiliar o rapaz.

1 comentário:

vermelho e branco disse...

Penso que conheço a maioria dos campos portugueses, dado que já hà vários anos acompanho o Benfica para todo o lado.
Sinceramente nunca vi,(incluindo Setubal este ano) um desnorte da parte da policia como no domingo. Eles não souberam fazer a segurança quando a outra claque chegou, e depois quem pagou fomos nós, eles não olhavam a quem batiam, mulheres crianças ia tudo à frente e depois dizem-nos que é para respeitar as autoridades, como é que pode ser se eles não se dão ao respeito?